História Caminhantes - Capítulo 38


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Levy McGarden, Lucy Heartfilia, Mirajane Strauss, Natsu Dragneel, Rogue Cheney
Tags Rolu
Exibições 154
Palavras 2.449
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Depois de MUUUUITO tempo, resolvi trazer a continuação desta fic >.<
Espero que gostem. Kissus da autora, boa leitura o/

Capítulo 38 - Parando para pensar


Fanfic / Fanfiction Caminhantes - Capítulo 38 - Parando para pensar

Lucy POV 

- Ontem você conseguiu fugir muito bem, mas hoje, vai explicar isso direito. -Minerva sentava em minha frente de braços cruzados. Eu desviei o olhar. AAAAAAI! E TUDO QUE NOS SEPARA É SÓ UMA MESINHA! UMA SIMPLES MESINHA! CADÊ MINHA ÁGUA BENTA!? MINERVA ESTÁ ASSUSTADORA NÍVEL DEMÔNIO! 

- M.. Mi-chan... -falei fazendo manha- Você até parece minha mãe... 

- “MI-CHAN” O INFERNO! SABE O QUANTO FIQUEI PREOCUPADA!? -berrou ela, batendo na frágil mesa da sala com tudo, dei um pequeno pulo e me encolhi no assento, olhando para algum canto do chão. 

-Desculpa... -sussurrei. 

Basicamente, ontem eu fugi com Rogue com êxito... Por um tempo... Minerva corre mais rápido que a besta encarnada. Nos pegou e nos puxou para a mansão de volta, mandou todos dormirem, porque estava muito tarde. A primeira coisa que essa mulher fez foi acordar na primeira hora da manhã para arrastar eu e Rogue para a sala. E assim, aqui estou, levando bronca. 

- C... Calma Minerva. -falou Rogue ao meu lado, com tanto medo que eu. 

- CALMA!? QUE CALMA GÊNIO!? ESSA PALAVRA EXISTE!? EU NÃO ME LEMBRO! É UMA NOVA TÉCNICA DE TORTURA!? -grasnava ela para o moreno, o rapaz desviou os olhos de orbes vermelhas pro outro lado. Minerva suspirou, colocou a mão na cabeça- Cretinos, os dois. O que houve ontem? 

- S... Se eu contar... -fui falando- Você vai me trancar no quarto para sempre... 

Ela nos encarou com uma expressão inabalável erguendo as sobrancelhas, esticou a mão pro lado e pegou um jornal, o abriu e ergueu na nossa frente. Eu e Rogue lemos a manchete: 

“FOI DESTRUÍDA UM DOS PONTOS MAIS IMPORTANTES DA MÁFIA TRAFICANTE DE DROGAS E PESSOAS.” 

Meu queixo caiu, Rogue ficou azul. Prendemos a respiração. 

- Podem explicar isso? -questionou Minerva, em tom calmo. 

Continuamos a ler, tinha uma grande foto dos escombros. 

“Ontem de noite, houve um grande blecaute, deixando a cidade completamente na escuridão. Depois desse estranho ocorrido, alguma entidade destruiu completamente o prédio que se encontra na foto acima. Isso atraiu muitos olhares e pessoas apavoradas. 

‘Sim! Foi assustador! Eu estava assistindo minha novela na lácrima, então tudo escureceu e quando penso que a noite não poderia piorar, escuto um grande estrondo. O prédio virava picadinho na frente dos meus olhos!’, esse foi o depoimento de uma das moradoras da região. 

Embora a população tenha se assustado e muitos acusando ser um caso de terrorismo a tal destruição, na verdade essa entidade é um herói. Descobrimos isso ao questionar o agente Laharl. 

‘Infelizmente, não sabemos quem fez isso. Mas graças à essa pessoa, pudemos fechar um local importante que fornecia produtos para o tráfico de drogas e pessoas.”, respondeu o agente. 

De acordo com nossas fontes, esta máfia atuava raptando mulheres e crianças as usando como transporte para drogas ilegais, depois as mandavam para o exterior. Muitos inocentes de Fiore foram vítimas deste caso desastroso. Infelizmente, a maioria não voltava viva, pois depois de realizarem o trabalho de transporte, as vítimas morriam pelos maus tratos ou eram transformados em escravos sexuais virando mercadoria, muitas vezes, do mesmo comprador das drogas ou eram aprisionados em armazéns, se tornando objetos de aluguel. 

Os agentes estão investigando o número de vitimados através das provas encontradas no subsolo, provas de atrocidades de pessoas insanas que tirava fotos de suas vítimas e mantendo objetos das mesmas em uma exibição de mal gosto. As fotos foram recolhidas pelos agentes e os objetos devolvidos para as suas famílias. 

As autoridades ainda lutam contra esses cruéis miliciosos. Mas quem será que é este herói? Ainda não sabemos.” 

Eu e Rogue ficamos pálidos, de olhos arregalados e boca aberta. Aaaaah! GRAÇAS AO JARDIM DO PARAÍSO! NÃO APARECEMOS NO JORNAL! AINDA PODEMOS NOS SALVAR! 

- O... O que significa isso, Mi-chan? -falei- Q... Que notícia horrível... M... Mas que bom que descobriram o esconderijo maligno... 

- É. -ela respondeu, curta. 

A expressão dela de “Conta outra que não engulo essa” me deixava ansiosa, mas continuei fingindo que sabia nada, mesmo suando frio. 

- BOM DIA! -apareceu a abelha maldita nem percebendo o clima da situação- E AÍ!? 

Ele veio por trás do sofá, passando o braço pelo meu ombro colocando sua cabeça entre a minha e de Rogue, de bom humor. 

- OLÁ, BLONDIE! 

Mas ele foi completamente ignorado. Minerva falou lentamente para que suas palavras nos assombrassem: 

- E depois disso? Podem ficar fingindo algo? -virou a página do jornal, aparecendo uma manchete de poucas palavras mas de letras gigantes. 

“NÃO SABEMOS QUEM É O HERÓI, MAS SABEMOS DE ALGO!” 

Minha respiração falhou, lia o jornal rapidamente, como Rogue e Sting me acompanhando. 

“O herói que descobriu a instalação de comércio negro, está sem identidade ainda, mas depois de algumas buscas, encontramos uma foto que provavelmente é do nosso herói!” 

Bem abaixo uma foto, um prédio esburacado e rachado, com um buraco no telhado, fazendo cair milhares de telhas, bem acima desse telhado, dava para ver a figura de um humano, atrás dele uma lua que se estendia ao céu, era um rapaz de cabelos negros e olhos cor de rubi que incandescia. Não dava para ver exatamente quem era. 

“A entidade parece um demônio, mas continua sendo o herói das vitimas que futuramente seriam raptadas e justiceiro das já perdidas. Sem falar que esse esconderijo dificilmente seria encontrado se essa entidade não tivesse feito tal caso, podendo assim, encontrar o paradeiro de muitas pessoas sumidas. Mesmo que as pessoas raptadas não possam encontrar-se vivas, suas famílias podem, finalmente, descansar em paz com os objetos devolvidos. 

Quem é este rapaz de olhos vermelhos? Isso é muito cool! Cool! Cool!” 

Meu queixo caiu, fiquei completamente paralisada, Rogue não estava diferente, só sussurrei: 

- Cool... 

- Cool... -sussurrou o Dragon Slayer das Sombras. 

- Cool? -terminou Sting- Esse cara da foto parece você, Rogue. 

Nosso pescoço virou automaticamente pro loiro, os meus olhos e os do Dragon Slayer das Sombras estavam arregalados. Obrigando Sting me soltar, eu e o moreno nos debruçamos na direção de Minerva em sincronia, com uma mão apoiando na mesa e a outra tentado pegar o jornal, Minerva foi mais rápida e ergueu o pedaço de papel maldito. 

- Huuum? Essa manchete é tão importante assim? -perguntou ela criando um sorriso sinistro no rosto- Já descobri o que aconteceu, mas vocês precisam me explicar minuciosamente. 

Eu me afundei no sofá, tombando minha cabeça para trás e escondendo o rosto com as mãos. Rogue se debruçou para frente, olhando para o chão, fazendo seu cabelo esconder o rosto. 

- O que é essa manchete, Minerva? -perguntou Sting de sobrancelhas frisadas. 

- É a notícia sobre ontem. -falou ela, jogando o jornal pro loiro- Vamos, estou esperando. -pressionou a morena. 

- ... Ontem -eu fui falando, engolindo seco- Fui raptada... Por esses caras. 

- QUÊ!? -exclamou Sting- COMO ASSIM BLONDIE!? -ele ficou surpreso, tinha terminado de ler o jornal. 

- Fui raptada, hué. -falei, tirando as mãos de meu rosto. Tentando parecer ser a coisa mais normal do mundo. 

- Rogue? Algo a comentar? -perguntou ela. 

- ... Eu... Fui salvar Lucy... -admitiu ele. 

Minerva bateu a mão na própria testa e Sting boqueabriu-se. 

- Rogue Cheney, o herói terrorista! -começou a gargalhar a abelha loira. 

- Sabe o que eu deveria fazer, Lucy!? -exclamou Minerva- EU DEVERIA TE TRANCAR NO QUARTO! QUE AZAR É ESSE!? NÃO ACREDITO MENINA! VOCÊ QUASE VIROU MERCADORIA! 

- M... Mas eu não virei... -falei me encolhendo. 

- QUE SEJA! E TÚ ROGUE!? NEM PARA ME CONTAR CONTOU!! MAS QUE DEMÔNIOS!? 

- D... Desculpa... -falou ele. 

- Que gritaria é essa? -apareceu Orga. Minerva virou os olhos para ele. 

ORGA! FUI SALVA PELO GONGO!  

- Lucy. -respondeu ela amargamente- Tem um azar incrível, foi raptada por maníacos traficantes. 

Sting continuava a rir. Orga se aproximou com um bom humor e passou o braço no ombro da morena, ela corou. 

- Deixa de ser chata Minerva, o importante é que ela está bem!  

Ela desviou o olhar e inflou as bochechas. 

- Eu só estou preocupada com a loira azarenta. 

- Claro, claro. -riu ele. 

- O que veio fazer aqui Orga? -pergunto ela, o empurrando para longe, obrigando o God Slayer a solta-la. Minerva se esforçava para fingir que não corava. 

- Vim chamar você e os Dragões Gêmeos. -falou ele num sorriso- Mestre Kyle está chamando o time mais forte da Sabertooth. 

Todos prestaram atenção nele. 

- Eu também? -perguntei. 

- Foi mal. Mas você não. -falou ele- Vamos logo povo. 

- Mas não podemos deixar a Lucy sozinha. -disse Rogue com o rosto já erguido. 

- Eu não preciso de babá -falei- Podem ir, eu vou ficar bem. 

- Aaah, eu não quero ir. -resmungou Sting saltando no sofá e se sentando entre eu e Rogue, o loiro deitou a cabeça na mesinha- Mestre Kyle vai nos empurrar uma missão maravilhosamente difícil. De novo. 

- Lucy, toda vez que você diz que vai ficar bem, parece que as coisas pioram. -comentou Minerva sarcastica- ... Lembrando agora. Feliz aniversário, Rogue, esqueci de falar ontem. 

Todos paralizaram. Orga berrou em bom humor: 

- VERDADE! FELIZ ANIVERSÁRIO RAPAZ! -ele dando um abraço sufocante no pobre Dragon Slayer das Sombras. 

- O... ORGA! VOU MORRER! -exclamou Rogue. Orga o soltou, achando engraçado e dando uma gargalhada, o aniversariante tossiu desenfreado. 

- OW! -berrou Sting, se lembrando de algo- Te trouxe o presente! 

Todos olharam imediatamente para o Dragon Slayer da Luz... O que será que ele vai dar!? Sting colocou a mão no bolso e tirou... Duas bolinhas brancas, pareciam pom-pons do tamanho de uma bolinha de ping-pong. Entregou para Rogue. 

- O... Que é isso? -perguntou o moreno com receio. 

- Não sei. -respondeu Sting dando de ombros- Consegui em uma cidade. 

- Que resposta mais vaga. -comentou Minerva. 

- Hum... É bonitinho. -falei vendo de perto. 

- Deve ser algo estranho, como ano passado. -falo Orga botando a mão no queixo. Rogue estremeceu. 

- Nem me fale do ano passado... -murmurou Minerva, ficando com uma cara azul. 

- O que houve ano passado? -perguntei curiosa. Os dois morenos estremeceram. A abelha e o God Slayer riram alto se dobrando entre as gargalhadas- Hã? Não estou entendendo. 

- A... A... Ano passado... Sting trouxe um espelho... Pff... -ria o cara do cabelo verde. 

- N... Não era minha intenção.... Kfuuu... -disse o Dragon Slayer da Luz, tentando segurar a gargalhada. 

- Vamos! Não me deixem curiosa! -exclamei. 

- O espelho... Das pragas... -respondeu Minerva. Nunca a vi com uma cara tão azul. 

- Espelho das pragas!? -perguntei, Orga e Sting riram mais e mais. 

- É... -foi explicando o Dragon Slayer das Sombras- O espelho das pragas... De dentro do espelho dele começou a sair um monte de... Baratas... Ratos... E gafanhotos... A guilda ficou infestada... -foi ele falando se lembrando. 

Eu ergui as sobrancelhas e o queixo caiu. Um espelho que sai... MAS QUE RAIOS!? Orga e Sting gargalharam mais ainda. 

- E a Minerva gritou como garotinha! -exclamou a abelha. 

- C... CALE A BOCA! -ela respondeu corando e olhando furtivamente para Orga, inflando as bochechas. 

- Vamos, mestre Kyle está esperando. -falou o esverdeado limpando as lágrimas- Não reclame Sting -complementou ele, ao ver o loiro abrir a boca. 

- Vamos. -disse Minerva se levantando- Já voltaremos, Lucy. 

Rogue e Sting se levantaram junto. Orga foi na frente, exclamando: 

- Até mais, loira! 

Os outros três seguiram o God Slayer, eu os acompanhei com o olhar. Sting reclamou caminhando para fora da sala: 

- Espero que o mestre Kyle não demore para falar o que temos que fazer... 

Rogue olhou para mim, eu sorri para não preocupá-lo, o moreno ergueu uma sobrancelha e sorriu, foi atrás do grupo que saiu. 

- Aonde estão os exceeds? -escutei a voz se afastando do Dragon Slayer das Sombras. 

- Lá em cima. -respondeu Sting. 

- Vou chamá-los, e deixar seu presente esquisito no quarto. -concluiu Rogue. 

Não demorou muito para tudo ficar silencioso. Eu me afundei no sofá com um suspiro.  

Quando foi a última vez que parei para pensar nas coisas? Estava tudo indo de mal para pior... Até chegar a noite do casamento de Natsu, quando conversei com Rogue. Só de lembrar, acabo sorrindo.  

Teve a missão com Laxus, aonde ganhei um irmão... Onde no meio teve a história de Bunny Boy... Aah, agora estou ficando com tanta vergonha!  

Depois aconteceu tudo aquilo com Natsu... O estúpido tapado... Então saí da guilda... Levy-chan... Pessoal... Como será que eles estão?  

Minerva se tornou uma amiga agora, uma coisa que nunca imaginaria antes, quando nos cruzamos pela primeira vez em nossas vidas nos Jogos Mágicos. Ela fica assustadora quando zangada... Mas isso significa que ela se importa muito comigo, certo? Quando está preocupada, ela não é muito honesta mas de certa forma é meio fofo. 

Então passei a trabalhar feito louca por uma semana, limpando lugares, vigiando noites, foi uma semana terrível e frenético... 

Mas é engraçado como tudo acabou, comigo doente e Rogue cuidando de mim, depois... Teve o rapto... O... O... O beijo... C... Calma Lucy... Mas foi realmente assustador, o doutor louco... A quantidade de vítimas... Eu me pergunto se teria tanta coragem se aquela garotinha não estivesse lá.  

Então engoli seco. Nesse mundo tem pessoas realmente ruins, huh? Mas fiquei muito feliz quando... Rogue veio me salvar... Espero que Serena tenha reencontrado seus pais. Realmente... Aconteceu bastante coisa até. 

Mas tem um problema. Zeref. 

Ele parece esconder algo, algo importante, relacionada com a visão de Wendy. Ajudaria se eu soubesse quando isso vai acontecer... Na verdade, ajudaria mais ainda se soubesse o porquê, já que Zeref disse que não é meu inimigo. 

Bati na minha testa. Zeref vai me matar e eu estou aqui começando a acreditar nele, cheguei a falar um monte de asneira rude para ele, mas... Eu não posso acreditar em tudo que ele diz, não que Lisanna é... Uma inimiga. Devo confiar nos meus companheiros da Fairy Tail, mesmo eu sendo da Sabertooth agora... 

Toquei aonde antes tinha a minha marca das fadas. Fairy Tail, sempre será minha casa, é aonde estão meus amados amigos e meu segundo pai. 

De um certo ponto de vista, eu só fugi... Fuji dos meus problemas... De Fairy Tail, de Natsu, de todos... Todos devem ficar bem bravos... Certo? Mas fui eu quem escolhi isso. 

Ergui meu rosto, senti meus olhos marejarem. Não Lucy, você não vai chorar. Sorria, sorria e deixe as lágrimas para quando voltar na Fairy Tail. Não deve chorar por tristeza e sim de felicidade quando ver todos de novo. Mesmo que eles fiquem com muita raiva de mim, está tudo bem, porque vou ver eles. 


Notas Finais


Sim, esse cap foi apenas uma recapitulação das coisas que aconteceram. Nao e grande coisa mas acho que as vezes precisamos delas.
Se tiver coisa errada, me comuniquem para consertar :3
Ate a proxima :9


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...