História Caminhos Cruzados - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time, Rizzoli & Isles
Personagens David Nolan (Príncipe Encantado), Emma Swan, Jane Rizzoli, Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Maura Isles, Regina Mills (Rainha Malvada)
Tags Emma Swan, Jane Rizzoli, Maura Isles, Rainha Má
Visualizações 49
Palavras 1.954
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Policial, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Homossexualidade, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Nossa! Estava tão alegre que voltei a postar, que acabei postando o capitulo errado e adiantando a historia. Mas agora e o certo.

Capítulo 12 - Você e uma ótima companhia.


Casa de Ângela – Mary e David

 – Mary estou preocupado com a Emma. – David disse a sua esposa que estava sentada ao seu lado vendo TV na sala.

 – Preocupado? O Porquê?  - Mary perguntou sem entender.

 – Vejo que nossa filha há um tempo não se relaciona com ninguém. É somente de casa para o trabalho e do trabalho para casa. Agora, ainda por cima teve esse meu acidente e ela em seu tempo vago passa aqui comigo. Não que eu esteja reclamando, mas ela é jovem e precisa se divertir.

 – David, meu amor, você conhece bem a sua filha, ela nunca foi de ficar comentando sobre seus relacionamentos amorosos e você sabe disso. A única que deve saber de algo em relação a isso é a Jane, porque são grandes amigas. Mas sabe, meu pressentimento de mãe me diz que o amor está no ar.- A mulher disse sorrindo.

 – Não sei de onde você tira essas coisas. – O homem sorriu.

Departamento de Homicídios – Regina e Jane.

 – Jane, hoje pela manhã fui ao tribunal dar entrada no pedido da audiência e de acordo com ele, a audiência será daqui a um mês.

- Ainda? Isso não dará certo, o Tommy está quase sendo transferido para o presídio. Se ele for para lá, estará perdido, ainda mais se aqueles bandidos descobrirem que ele é um Rizzoli. – Jane estava com uma cara que dava até dó de quem estivesse vendo- a naquele momento.

- Calma. Já prevendo que isso poderia acontecer, fiz um pedido que ele fosse transferido para ala dos “maus pagadores de pensão”. Então ele ficará por enquanto lá, até chegar o dia do julgamento. – A Promotora respondeu.

 – Melhor junto dos maus pagadores do que dos assassinos, que ajudei colocar na cadeia. Regina, mais uma vez só tenho que te agradecer. – Jane falou sorrindo para Regina.

 – Fico feliz que tudo está encaminhando para o caminho certo. Com licença, preciso retornar a minha sala para terminar algumas revisões de casos, Regina foi em direção a porta, mas, voltou –se novamente para Jane, pois precisava pergunta-la uma coisa, mas, devido ao aumento de pessoas que estavam chegando no local a promotora havia desistido.

- Regina queria me perguntar algo? – Jane a pergunta já imaginando o que seria.

- Não.  Até.- Regina respondeu.

 – Sim. Até mais! – Jane se despediu.

 

Departamento de Jornalismo – Emma e Killian.

 – Emma, essas fotos ficaram magníficas, você leva jeito para coluna social. – Killian disse a amiga.

 – Não levo não. Só fiz isso porque você me pediu e também porque me prometeu que após esse evento teria alguns dias de férias, estou precisando. – Emma se encontrava na frente do seu amigo sentada na cadeira toda “largada”.

 – Sim, é claro, eu não esqueci disso. Você está bem? – Killian perguntou, pois, pode perceber que Emma estava um pouco abatida.

 – Sim, deve ser cansaço. Após o evento Jane e eu tivemos um pequeno problema para resolver e não dormirmos direito.

- Entendo. – Disse o homem olhando para a mulher a sua frente que parecia estar com sérios problemas, mas, continuou. - Espero que tenha se resolvido. Agora levarei o material da festa para o editor de arte e depois publicamos. E como prometi, a partir de hoje você pode tirar seus dias férias. – Disse Killian.

 – Fico feliz por ouvir isso, muito obrigada mesmo e até daqui a uma semana. – Emma agradeceu e saiu da sala e foi em direção a sua mesa buscar alguns documentos.

 

Alguns dias depois.

Cafeteria Departamento de Homicídios – Jane, Ângela e Regina.

 – Ma, quantas vezes eu tenho te falar, que não gosto dessas panquecas felizes que você faz? – Jane resmungou para sua mãe.

 – Somente você que não gosta. Porque todos aqui do departamento amam e não os vejo reclamando. – A mais velha respondeu.

 – É porque eles não têm coragem de falar, como eu tenho.

Enquanto Jane e Ângela estavam discutindo sobre as panquecas felizes, Regina estava entrando na cafeteria e ficou prestando atenção em toda aquela cena.

 “Como a detetive Rizzoli faz um bico grande quando está sendo contrariada. ”  – A morena pensou antes de interromper as duas mulheres.

 – Bom dia.

 – Bom dia P... – Antes que Jane terminasse o seu cumprimento sua mãe estava abraçando Regina.

 – Muito obrigada doutora, não sei o que seria desse pobre coração de Mãe, se não fosse você para ajudar meu filho.

 – Senhora Rizzoli... eu... – Regina estava sem saída, pois nuca foi adepta a abraços.

- Ma, por favor largue a Mills, isso virou moda? Toda vez que você a ver tem que abraçar?   – Jane chamou a atenção da mãe.

 – Me desculpe Doutora Mills, é porque como disse, ainda estou emocionada por você ter ajudado meu filho.

 – Tudo bem, não se preocupe, posso imaginar o que a senhora sentiu. – A Promotora tentou apaziguar os ânimos.

 – Você gostaria de beber algo? – Ângela perguntou.

 – Sim, por favor um cappuccino sem açúcar e por favor, me traga uma panqueca feliz. – Regina disse sorrindo e olhando para Jane. – Elas são deliciosas.

 – Está vendo Jane? Todos gostam das minhas panquecas. – Ângela saiu sorridente deixando Regina rindo das caretas que Jane fazia.

 

Maura e Regina – Sala da Legista.

 – Gina, desse jeito você fará um buraco na minha sala. -  loira comentou.

 – Isso é uma falta de responsabilidade tremenda, eu fiquei duas horas esperando ela e até agora nada? Como ela quer fazer suas reportagens se não aparece? – Regina estava possessa de raiva.

 – por acaso você já ligou para a Emma perguntando o porquê não veio?

 – Eu? Você acha que Regina Mills corre atrás das pessoas? Está muito enganada, elas que correm atrás de mim – Regina disse com uma pose de dar medo a qualquer um que a visse.

 – Tudo bem, rainha da correria. Você já pensou se tiver acontecido alguma coisa grave com ela? – Maura viu uma feição de raiva mudar para preocupada.

 –é verdade, não pensei nessa hipótese, e agora? – Regina demonstrava preocupação.

 – Acho que sei como te ajudar, só um instante. – Maura pegou seu celular e digitou alguma coisa, alguns segundo depois um sorriso se formou em seus lábios.

 – O Porquê você está rindo? – Regina perguntou.

 – Estou conversando com a Jane, e ela me disse que Emma não pode vir porque está em casa doente.

 – Mas o que a Senhorita Swan tem? – Regina perguntou a amiga.

 – Eu não sei. – Maura respondeu.

 – Como você me diz que ela está doente e não sabe qual doença é?

 – A Jane só me disse isso “Que a loira “arrasa quarteirão’ está doente.

 – Sabe, você e a Detetive Rizzoli formam um belo casal. – Regina saiu da sala de Maura sem esperar a amiga falar alguma coisa ficando pensativa é retornando a sua conversa com Jane por mensagem.

Apartamento Emma

 – O que será que eu fiz para merecer essa gripe? Logo eu que sou uma pessoa tão boa? Será que Jane deu o recado para Regina? – Emma se perguntava. – Tomara que sim, se não ela vai me matar quando eu voltar. – Levantou do sofá onde estava deitada e foi para cozinha tentar fazer algo para comer, mas como estava muito gripada não tinha nem forças para isso, resolveu deitar, e pedir comida pelo telefone. Antes de ligar ouviu a companhia tocar, rezou que fosse sua mãe trazendo algo para comer. Ao abrir levou um susto.

 – Regina é você? – Perguntou assustada.

 – Sim, sou eu. Esperava outra pessoa? Se estiver atrapalhando pode falar que volto outra hora. – A morena já estava saindo quando sentiu uma mão agarrando a sua.

 – Não, por favor, entre me desculpe porque não esperava visitas e ainda mais sendo você que é bastante ocupada.

Regina entrou no apartamento e esperou pacientemente Emma fechar a porta, a mulher a sua frente parecia mal.

 – Espero que Jane tenha te dado o recado que enviei.

 – Qual recado? – Regina perguntou.

 – Eu não acredito que aquela cabeça dura esqueceu de falar. Pedi a ela que te avisasse que não iria porque estava mal.

 –Oh Sim, e por que não me ligou? - Regina perguntou.

-Estou tão azarada que estava jogando no celular e o deixei cair, então a tela quebrou e ele está no conserto.

 – Entendo. Mas vim aqui para saber como você está, a Maura me disse que você estava doente.

 – Sim, acho que é uma virose que me pegou. – Emma disse meio manhosa.

 – Você foi ao médico? – Disse Regina se aproximando de Emma pegando em sua testa e verificando a temperatura.

 – Oh sim. Ele me passou alguns medicamentos para dor e febre. – A loira respondeu.

 – E você está tomando da forma correta? – Mills perguntou já sentada em uma poltrona que ficava ao lado do sofá que Emma estava deitada.

 – Oh Sim, Estou! – Respondeu.

 – Está comendo também? Você sabe que esses medicamentos são fortes e você tem que se alimentar bem.

 – Sim, já ia ligar para entregarem comida aqui.

 – Você não acha melhor cozinhar algo mais nutritivo? - Regina perguntou.

 – Sim, mas é que não estou em condições de fazer e só levantar por muito tempo me dá umas tonturas.

 – Tudo bem, não se preocupe daremos um jeito. – Disse Regina deixando sua bolsa em cima do sofá e indo em direção a cozinha do apartamento. – Posso ficar à vontade? -  Perguntou a morena.

 – Sim, é toda sua. Vou me deitar aqui porque acho que a febre está voltando, estou sentindo um pouco de frio.

 – Fique quietinha aí que eu já faço algo para comermos. – A morena respondeu.

 – Você irá ficar aqui comigo? – Emma perguntou como uma criança.

 – Sim, até Rizzoli chegar. Não é seguro você doente ficar sozinha.  – Regina sorriu e voltou ao que estava fazendo, Emma tomou remédio para febre e deitou.

Emma estava deitada no sofá e não conseguia pegar no sono, ficava escutando os ruídos que viam da cozinha e tentando imaginar por qual motivo Regina estaria ali, na sua casa cozinhando para ela? Isso não estava correto. Ela foi tirada de seus pensamentos com Regina a chamando.

 – Emma, está pronto sua canja, você gostaria de comer agora?

- Sim. - A loira respondeu. Pouco tempo depois Regina chegou com dois pratos uma para Emma e outro para ela. As duas começaram a comer e um silêncio se instalou pelo lugar.

 – Nossa! Está fantástico essa canja. Onde você aprendeu a cozinhar assim? Seu namorado deve passar bem quando você cozinha para ele.

Regina sorriu, não pelo elogio em si, mas sim por Emma achar que a morena tinha um namorado.

 – Fico feliz que tenha ficado do seu agrado, mas vou confessar, geralmente, eu não cozinhava para minhas namoradas, era ao contrário, elas que cozinhavam para mim.- Sorriu e continuou a comer. Emma parou de comer no momento que a outra disse “namoradas”, deixando sua colher que estava na boca cai sobre seu prato, e pensou:  “ ou seja, ela estava solteira, e namorava mulheres.” Não que a loira estivesse interessada em namorar a morena, mas, isso era uma informação importante para o futuro.

Antes que Emma pudesse falar algo, seu telefone tocou e ela viu que quem ligava era Jane.

 – Olá amiga desnaturada... sim, mas você voltará ainda hoje? Não, tudo bem, até mais tarde então.

Regina percebeu um ar de frustração na face de Emma.

 – O que houve? – Perguntou.

- Era a Jane, ela disse que provavelmente não irá chegar cedo em casa, devido a um caso que surgiu e eles terão que ficar lá no departamento. E pelo jeito será toda equipe, até mesmo a Maura. Jane disse que ela tem que fazer 3 autópsias ainda essa noite.

- Nossa! Passar a noite trabalhando será complicado. E pelo jeito dormiremos sozinhas em casa essa noite.- Regina comentou.

 – Caso queira, você não precisa dormir sozinha, pode ficar aqui comigo, não sou assim uma companhia excelente, mas dou para um caldo. – Emma brincou.

 – Que isso Senhorita Swan, você é uma ótima companhia. – Emma sorriu com o comentário de Regina. 


Notas Finais


Nossa olha só regina, será a enfermeira da noite. Será que essa duas sozinhas iram se comportar? E o que veremos no próximo capitulo...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...