História Caminhos de Tormentas - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Legend
Personagens Daniel 'Day' Altan Wing, Eden Bataar Wing, Grace Wing, John Suren Wing, June Iparis, Metias Iparis, Ollie, Personagens Originais, Tess, Thomas
Tags Day, Distopia, Prologo, Trilogia Legend
Exibições 10
Palavras 1.317
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Bem amigos, mais um capítulo "curto" mas que resolve uma questão chave para o prosseguimento da história
Espero que gostem e dessa vez deu tempo para revisar o texto rsrsrss

Capítulo 6 - Pondo pingos nos "i"



June

10:12

Começar a disputa com a pontuação máxima é muito bom, mas nesse semestre aprendi que todo tipo de “sorte” com esse professor vira um tormento depois. O major e outros oficiais que ministram aulas aqui no campus vem em nossa direção cheios de papéis em mãos e a cara do grupo como todo é como se acabassem de comer algo azedo, após alguns segundos, um dos professores encerra o silêncio.
—Vocês jovens, são o futuro desta nação! E é só isso que vocês são capazes de fazer durante as situações de tensão? Por um lado tivemos um grupo que foi bem coeso em sua definição de tarefas e táticas porém senti hesitação em certas ocasiões enquanto o outro foi um show de prepotência e falta de espírito de equipe mas admito que a astúcia de alguns membros me deixou com a esperança de ver algo melhor ao longo do dia, de resto aguardo as próximas provas para ter uma melhor avaliação dos envolvidos.
Esses professores as vezes são meio incoerentes em suas conclusões mas estamos de mãos atadas nesse momento e outro professor toma a vez de falar:
—Faço minhas as palavras de meu companheiro, primeiramente o grupo amarelo foi uma decepção em vários quesitos, porra vocês vão fazer uma patrulha em grupo e querem partir pro cada um por si? É sério isso? Caralho se fazem isso na zona de guerra a chance de sofrerem uma emboscada e morrerem e ter um destino pior que é virar prisioneiro de guerra será de 100%, querem penar na mão daqueles porcos sem-terra!? Então mudem suas atitudes desde já!!
E a série de sermões continua por mais de meia hora até que por um milagre voltamos as atividades que interessam e que assim comece o treinamento de tiros a alvos em movimento.

Day
06:33
Setor Lake

Essa noite de sono foi meio turbulenta, sonhei novamente com a minha família, que nós finalmente havíamos voltado a nossa pacata vida e deixado para trás os temores desse governo podre e assim me recordo que foram sugadas mais 24 horas do meu “prazo” e tenho nada como presente. Desde nossa conversa de ontem sinto que Tess está desconfortável, a tensão por voltar para Nima com certeza está afetando seus sentimentos, mas tenho medo em tocar no assunto e piorar a situação, não posso me dar ao luxo de deixa lá mais pra baixo, o nosso momento não permite isso.

O dia será longo teremos uma caminhada puxada e ainda tenho de chegar no centro de Nima para confirmar a informação que consegui no bar em Winter, um carregamento de suprimentos de alto valor que chegará num depósito perto de Carson Point, o lugar em questão é longe de tudo pelo que eu me lembre e será arriscado passar pelos setores sem levantar suspeitas de guardas das patrulha, eles ficam sempre atentos em pessoas que “passeiam” por muitos setores da cidade num curto espaço de tempo.

Enquanto eu vou arrumando minhas tralhas, vejo a Tess acordando e percebo que ela está na defensiva, não acordou com o costumeiro bom humor, preciso reverter isso o mais breve possível, Tess tem uma atenção tão aguçada quanto a minha para lidar com essa situação e hoje qualquer desatenção poderá causar graves problemas para nós.
—Bom dia Tess, está tudo bem?

—Não, não está nada bem, quero enfrentar meus medos de voltar para onde fui abandonada, mas simplesmente não consigo, satisfeito!?—Ok já suspeitava disso só não contava com a tamanha raiva de suas palavras.

—Tess, eu sei que é difícil superar isso, você acha que é fácil para mim também? Andar pelas ruas que fui nascido e criado, e que agora tenho de estar camuflado sempre que tenho de dar um passo para fora de nossos abrigos?— Regra número “1’ das discussões não se acaba com uma jogando mais combustível nela e sou péssimo seguindo ela.

—Você foi jogado na rua feito um lixo? Foi considerado um fardo para quem mais amava, acho que não né? Sua família está lá lamentando a sua perda enquanto a minha comemora a boca a menos para alimentar!!

—Pera lá, sofro tanta dor quanto ti e os culpados de nossas dores são os mesmos! A “gloriosa” República cuidou muito bem de nós, me usou como cobaia até me dar como morto descartando logo em seguida no necrotério e faz sua família trabalhar feito escravos para dar o mínimo de dignidade, não ache que foi fácil a decisão deles se fossem outros pais deixariam seus irmãos passarem fome, fariam você reprovar na Prova para receber o “prêmio” de consolação do governo e ter algum tipo dinheiro na vida.

—Como assim prêmio? E porque logo eu fui escolhida? O sofrimento só caiu sobre mim poxa.

—Sim, nas minhas andanças por aí ouvi diversas vezes sobre esse prêmio, seria uma compensação do Estado por assumir a tutela da “criança coitada” que não passou na singela Prova deles. Como disse a escolha não foi fácil, você talvez era a que eles achavam que ia sobreviver ou achar facilmente um novo lar sei lá, os sofrimentos não são só seus! Pare de carregar esses pensamentos pesados por mais complicado que seja se livrar disso.

—Day, você acha que isso vai me ajudar em algo realmente?

—Sinceramente? Não, você tem a capacidade de lidar com isso sozinha e hoje pode ser o dia que alcançará a libertação desse assunto. Admito que não superei todos os meus traumas e não posso forçar você a superar os seus.

—Então pra que vamos naquele setor, não há nada que posso ser feito por aqui nas redondezas por exemplo?

—Já que é para matar essa discussão lá vai a surpresa. Tem um forte rumor da chegada de suprimentos em Carson Point durante a noite de hoje e essa carga é de alto valor! Isso significa que se furtarmos uma pequena quantidade disso e vendermos no mercado negro teremos dinheiro para começarmos a pôr em prática nosso plano de fuga para as Colônias.

—Ainda é uma suposição, nossa você quer cair numa roubada por uma mísera suposição?

—Sendo suposição ou não isso poderá ser nossa passagem para o início de novas vidas! Não é o que você mais deseja? Por uma pá de cal nesses anos de tristeza e construir um futuro cheio de novos horizontes, certo?

—Sim, mas qual certeza temos que isso se dará como garantido? Tenho medo de arriscar e perder o pouco que me resta.

—Tess, se não arriscarmos agora talvez não haverá uma outra chance igual a esta, entende?

—Ok, se isso pode mudar nossas vidas do jeito que diz, farei um esforço para superar meus medos e dessa forma criar um novo começo. Satisfeito com isso?

—Só estarei satisfeito assim que cruzarmos a maldita fronteira, pois assim nada mais estará nos amarrando e trazendo péssimas lembranças. E sua superação pessoal tornara-se um troféu eternizado para toda a vida.—Talvez no meio de tantas rusgas chegamos em algum lugar no fim disso.

E para tentar selar a paz e conter a turbulência do momento termino nossa acalorada conversa:
—Ei guria, saiba que vir para cá hoje não era da minha vontade também se pudesse escolher outro destino eu escolheria, mas devidas as circunstâncias que estamos, recusar esse “banquete” é um tiro no pé.— Ela está claramente perturbada por ir a lugar tão ruim para suas memórias, contudo tenta se mostrar forte e acena com um sorriso amarelado, concordando com as palavras que acabo de dizer.

Vejo que com o bate-boca, a arrumação de nossas coisas ficou de lado e tenho a sensação de que a bagunça aumentou de tamanho. Sem graça peço ajuda a Tess para ajeitar logo toda a confusão e não deixar rastros para futuras patrulhas e ou moradores suspeitos, não são nem 8 da manhã e já tive meu primeiro embate do dia e não espero que tenha sido o último.


Notas Finais


Ainda estou um capítulo atrasado ? Estou, mas não irei fazer promessas vide as últimas que eu dei uma de político e não cumpri uhauha.
E sobre os próximos capítulos, todo esse emaranhado de pessoas se unirá agora num só plano praticamente, será interessante de ver todos no mesmo "barco".
Obrigado pela leitura e até a próxima.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...