História Caminhos Incertos - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Xena, a Princesa Guerreira
Exibições 85
Palavras 640
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Mistério, Orange, Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 6 - Armando uma emboscada


Fanfic / Fanfiction Caminhos Incertos - Capítulo 6 - Armando uma emboscada

Varia acordou em uma cabana diferente, sua mente estava um pouco agitada, o acontecimento anterior voltavam aos pedaços, ela levantou-se e seu corpo logo protestou, tudo doía principalmente sua cabeça. Varia não se dando por vencida levantou resmungando baixo, ela fincou o pé no chão se equilibrando, e logo se encaminhou para saída, a noite estava carregada de estrelas, as amazonas estavam reunidas no centro da tribo, a conversa se desenrolava um tanto alterada, era impossível entender algo ali.
- Silêncio! - Varia chamou a atenção de todas que no mesmo instante se calaram. Todas observaram a rainha descer os degraus e aproximar-se. - Qual o motivo para essa confusão?
- Íamos sofrer um ataque supresa, a rainha Gabrielle reuniu algumas guerreiras e junto com Xena partiram para tentar criar uma emboscada. - Mislina respondeu com urgência na voz. Varia mudou seu semblante duvidoso para um outro ameaçador.
- Como assim ataque supresa? A quanto tempo partiram?
- Depois de serem atacadas por Ares,   Xena contou ao conselho que iríamos sofrer um ataque e que o exército romano já estava a caminho... Elas partiram ontem pela manhã, e até agora não tivemos notícias de nada.
Varia cerrou os olhos, não quis acreditar que ficou desacordada por tanto tempo, e pior, que não pode fazer nada para tentar impedir esse ataque. Ela virou-se e caminhou rapidamente para o estábulo, voltando de lá montada em seu cavalo, parou perto das amazonas.
- Mislina, sabe para onde foram?
- Sim minha rainha.
- Ótimo você vem comigo... Chilapa, Amarice, vocês também. - As guerreiras não esperam nem Varia terminar de falar e já estavam pegando os cavalos. - As outras façam barricadas, e se preparem, os romanos podem ter vencido.

As guerreiras dispararam para floresta, o tempo estava frio, e a floresta silenciosa, Varia sentiu a ansiedade aumentando, uma grande vontade de encontrar Lívia a tomou, era errado ela sabia, uma amazona jamais poderia ter algo com alguém que uma vez destruiu quase toda sua aldeia, mas Varia não ligava, a vontade de reencontrar aquela guerreira romana a instigava mais e mais. Lívia precisava de ajuda, e Varia estava disposta a ajudar.
Ela acelerou a cavalgada para chegar o mais rápido possível.

A batalha havia sido difícil, a emboscada deu certo, mas muitas amazonas foram mortas, assim como muitos soldados, os sobreviventes haviam fugido, o lugar da batalha estava carregado de corpos, algumas amazonas procuravam por feridas, outras estavam retornando para tribo.
- Preciso fazer uma coisa. - Disse Xena tocando o braço de Gabrielle. A loira estava distraída olhando para o campo de batalha sangrento, ela fechou os olhos respirando fundo e voltou-se para a guerreira.
- Não precisa fazer isso sozinha Xena, eu já disse que você não vai lutar só.
- Eu não vou lutar. - Xena olhou para o campo. - Preciso que fique aqui.
- Xena...
- Eu já disse. - Xena a encarou séria, e Gabrielle concordou.
- Eu volto logo. - Xena virou-se mas sentiu uma mão quente em seu braço a impedindo. Ela voltou-se para Gabrielle, e encontrou aqueles belos infinitos verdes a encarando com ternura. Xena sentiu seu coração acelerar e seu corpo ficou leve.
- Tome cuidado. - Gabrielle implorou com o olhar, e um pequeno sorriso foi desenhado nos lábios de Xena.
Xena correu para Argo e logo as duas sumiram na floresta.
Gabrielle olhou para os lados seu coração estava apertado, ele dizia que sua amada princesa guerreira corria perigo. Ela andou em direção a outra rainha amazona e a chamou.
- Rainha Marga. - Marga lhe deu atenção. - Preciso que assuma daqui pra frente, eu tenho que resolver um assunto.
- Pode deixar rainha, eu assumo. - Marga acentiu e deu a ordem de retirada as amazonas.
Gabrielle em passos firmes subiu em seu cavalo e adentrou a florestal.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...