História Caminhos Inesperados (Romance Gay) - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Aceitacao, Escolar, Gay, Homossexual, Homossexualidade, Mudanças, Romance
Exibições 66
Palavras 1.703
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Romance e Novela, Yaoi

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Fala Galera, tudo bem? Cheguei com mais um capítulo e esse promete deixar vocês bem ansiosos pro próximo, eu espero que gostem e não me matem no final kkkkkk

Capítulo 11 - Capítulo 11 - Seja Bem Vindo a Escola Gabriel


Estava tão cansado, estava recapitulando todo o final de semana desde que meu pai chegou, estávamos animados em mostrar a cidade toda pro meu pai e até conhecemos alguns lugares juntos com ele. Recapitulei tudo no meu banho, já no domingo tentando me distrair da minha volta as aulas no outro dia, e já que estava de noite a realidade que eu teria que enfrentar estava mais próxima de mim do que nunca.

Sai do banho e desci pra jantar, estava bem tranquilo agora com meu pai aqui, e isso realmente era uma das coisas que eu precisava pra tudo entrar nos eixos pra recomeçar onde eu estava.

-Filho, vamos assistir um filme hoje? Sei que amanhã tem aula, mas se for preciso eu levo você e assim você pode acordar um pouco mais tarde pra se arrumar pra ir - meu pai falou assim que cheguei a cozinha e aceitei sem hesitar já que essa era uma oportunidade que eu estava tendo com meu pai de recuperar as duas semanas que ele fez falta.

- Fiz carne de porco pro seu pai, já que ele gosta tanto e pra você filho eu fiz uma carne de frango grelhado, já que você é fresco e não come carne de porco - ela fez uma careta ao falar o fresco e riu logo em seguida, ri da cara dela e já dei um empurrãozinho nela pra brincar.

Comemos e assim que terminamos, fomos já escolher o filme e começou a discussão, entre animação e comédia onde tínhamos tudo pra ganharmos com Divertidamente mas minha mãe como sempre ganhava as discussões do meu pai, acabamos assistindo "A Chefa", foi um filme muito bom, não falamos mal do gosto da minha mãe porque não era ruim mas era diferente por amar os desenhos da vida, calma não era meu único gosto, mas a minha preferência praquela noite.

Fomos dormir era uma da noite e meu relógio biológico foi muito bom comigo mesmo depois de duas semanas de férias, onde meu relógio andava desregulado demais. Assim que fechei os olhos na minha cama, pensei comigo mesmo "Amanhã é a última fase que tenho que enfrentar pra recomeçar de verdade"

No outro dia…

Acordei era 6:30 não era meia hora mais tarde como meu pai havia pedido pra mim acordar, mas mesmo assim resolvi começar a me arrumar, coloquei os pés pra fora da cama e meu coração estava muito acelerado, nunca fui bom em mudar de ares e muito menos agora sabendo que estaria em uma nova escola, num lugar totalmente diferente, era algo assustador pra mim. Peguei meu celular e tinha uma mensagem de Alyce.

Alyce: Bom Dia, preparado novatinho?

Eu: Nem um pouco, devia estar kkkkk

Alyce: relaxa, vai ficar tudo bem, não vão te devorar não kkkkkk que horas você vai estar pronto? Preciso te buscar

Eu: Escola de Canibais, já ouviu falar? Como assim me buscar? Precisa não menina, estou bem, meu pai vai me levar

Alyce: nem pensar kkkkk você precisa de alguém pra te apresentar a escola e nenhum canibal te pegar na entrada e ninguém melhor que eu pra fazer isso não é?

Pensei em Pietro e afastei os pensamentos dele na hora, não queria ser tão chato a ponto de não aceitar a amizade de Alyce só porque eu preferia o irmão dela, por estar caidinho por ele. Resolvi aceitar depois de uns dez minutos discutindo com a teimosa, respondi as outras mensagens, inclusive uma de Pietro que fez quase a mesma pergunta que a irmã, perguntando se estava preparado, respondi e fui correndo pro banheiro, tomei um banho, fiz tudo o que precisava pra ir tomar café antes de sair. Desci e assustei Margot que já estava na cozinha cuidando de tudo, minha mãe daqui meia hora acordava e eu estaria saindo nesse mesmo momento que ela estaria levantando.

- Menino, você me assusta assim, então ta preparado pro primeiro dia de aula? - ela falou com a cara dela de que susto seguido de uma risada ao final.

- Preparado eu não to né Margot, mas eu preciso estar, eu nunca me dei bem em participar ou começar em algo novo, então não sei como reagir, mas o frio na barriga ta difícil - falei em um desabafo breve ao mesmo tempo que comia um pedaço de bolo com um capuccino caseiro.

-Meu filho, fica tranquilo que esse frio na barriga some, você se acostuma, só precisa entrar de cabeça ergui… - antes de Margot terminar ouvi uma buzina em frente a minha casa, que certeza que era Alyce, eu abracei a Margot, e sai porta a fora correndo com mochila em mãos, assim que fechei a porta atrás de mim, olhei para o carro que estava em frente de casa, era lindo um carro de luxo mesmo, e uma musa estava ao volante, via seus cabelos ondulados reluzindo brilho, junto com seu sorriso que estava divertido dentro do carro. Fui entrando e ela me abraçou e começamos já a conversar sobre a escola.

- Não pense que a escola é de Canibais você ja pode excluir isso dos termos de responsabilidade do nosso colégio - eu ri dela falando algo assim, e ela continuo falando sobre as pessoas de lá, os professores, a gente conversou muito até que chegou a hora, o estacionamento já abrigava o carro de Alyce e estava me preparando psicologicamente pro que estava por vir, eu estava com algo me corroendo por dentro e isso era muito medo é ansiedade. Desci do carro e Alyce grudou no meu braço pra entrarmos no colégio, eu ri um pouco do que ela fez e andamos, assim começou os olhares, muita gente olhando pra mim é alguns ate cumprimentavam Alyce, ja imaginava que ela poderia ser popular, assim que entramos em um dos corredores, me deparei com Pietro, ele estava no meio de vários caras que vestiam o mesmo casaco e assim conheci mais um pouco do Pietro, ele com certeza fazia parte do time da escola, ele me olhou deu uma piscada e assim foi que começou o meu tormento especial naquela escola.

Cheguei na diretoria e comecei a reparar em tudo, aquele lugar era grande, existia dentro daquele lugar, a secretária, sala dos professores e a diretoria.

-Nossa que lugar enorme - falei e assim que Alyce ia falar algo sobre a diretoria, uma mulher aparece e diz um olá pra Alyce e se dirige a mim.

- Você e o Gabriel não é? Aluno novo ? - assim que confirmei ela se apresentou - Sou a diretora, me chamo Marcela, eu preciso te entregar uns papéis pra assinar e você já pode ir conhecendo a escola.

Ela foi me entregando alguns papéis pra assinar e depois separando duas vias e assinando também me entregando uma parte de cada papel, e quando terminamos com tudo, ela me entregou a grade de horários e falou pra Alyce me ajudar com tudo.

- Seja bem vindo à escola Gabriel, espero que goste daqui e que se sinta a vontade quando precisar de ajuda. - ela me falou sorrindo e eu agradeci devolvendo o sorriso.

Alyce eu começamos a andar pela escola e ela ia me apresentando tudo, e ja até me ajudou com a grade, me explicando que havia troca de salas em todas as aulas, menos as aulas que eram duas em seguida da mesma matéria.

- Que legal, não me ferrei sozinha dessa vez, a sua primeira é de matemática, junto comigo. Seja bem vindo à escola Gabriel - Alyce ria enquanto imitava as palavras da diretora, eu ri muito. Alyce era divertida e eu sabia que ela era uma boa amiga.

Chegamos a sala e ficamos sentados, sentei em uma das cadeiras do canto a frente de Alyce que estava sentado na cadeira de trás junto com umas meninas que ela já começou a conversar e me apresentar, eram patricinhas legais, ja que todas estavam produzidas e com um jeito fresco e engraçado de falar. As pessoas começaram a chegar, sentavam em suas cadeiras, já com um grupinho pronto, que com certeza já se conheciam desde que começaram a estudar aqui, enquanto eu tinha uma amiga e de resto eram muitos rostos desconhecidos.

Estava concentrado na porta, esperando a primeira aula começar, e pra conhecer o professor, quando meu coração dispara ao ver Pietro chegar na sala, conversando com uma menina que já dava na cara que babava pelo Pietro. Assim que me avistou, ele veio em minha direção com um sorriso lindo que deixava seu rosto mais lindo. Quando ele se aproximou e me puxou pra uma abraço, eu não sabia como reagir, meu coração só batia acelerado e parecia que ia sair do meu peito, isso me deixava com medo e ao mesmo tempo triste por lembrar das palavras de Alyce, que diziam que seu irmão era galinha e já levando como brinde a informação de ser hétero.

- Tudo bem contigo? - ele sussurou em meu ouvido, fazendo meu corpo arrepiar todo, pela proximidade de sua boca em minha orelha.

-S-s-i-iiim - Soltei muito envergonhado, eu nao sei como pude gostar de alguém assim tão rápido, ainda mais tão carinhoso, eu tinha a impressão de que ia me ferrar se deixasse me levar por algo que nunca ia acontecer.

Ele se sentou na carteira da frente e assim que ele se virou, o professor entra na sala e ele começa aquelas apresentações de sempre, e faz a pior coisa pra mim que era se levantar e se apresentar pra sala, já que era aluno novo, eu me apresentei tomando o máximo de ar pra não engasgar e fazer feio na frente de todo mundo, eu era mestre nisso. Assim que me sentei, Alyce só cochichou no meu ouvido perguntando se estava odiando o professor já, eu ri e quando o professor ia começar a aula, alguém bate na porta da sala e toda a atenção se volta pra lá, e de repente o professor pede pro aluno entrar e se apresentar. Eu ouço a voz e quando olho realmente pro rosto da pessoa que acaba de entrar na minha sala eu congelo e tudo a minha volta parece me atordoar e quando ouço a voz da pessoa meu mundo cai bruscamente, e meu cérebro reproduz pela terceira vez no dia o "Seja Bem Vindo à escola Gabriel".


Notas Finais


Quem será a pessoa misteriosa que está na mesma sala que Gabriel? Como eu falei no início, espero que não estejam querendo me matar no final desse capítulo hehe, fiquem tranquilos que no próximo domingo, solto o capítulo 12. Até o próximo capítulo e um beijooo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...