História CAMP OF DRAGONS - The prophecy comes true - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 40
Palavras 1.743
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fantasia, Ficção, Hentai, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Estouuuuu aquiiiii com mais um capítulo para vocês!

Capítulo 7 - The Unexpected Visit


      Acordo com a música “Monster” (Exo) tocando. Irritada, abro os olhos e pego o celular para ver quem é o maldito que está ligando. Quando olhei na tela, vi escrito: Matt dlç <3. É o Matthew.

      Estava prestes a atender, mas mudei de idéia. E se ele perguntar onde estou? E se perguntar o que estou fazendo? Sei que se eu não responder nada, ele vai ligar para os meus pais e falar que tem algo errado. Que droga.

      Não posso simplesmente deixar de atender, pois Matt provavelmente vai pensar que algo aconteceu comigo e ligará para meus pais. Tenho que pensar numa boa desculpa...

      Novamente o celular toca. Suspirei, me sentando. É melhor eu atender...

      Eu: “Alô?”

      Matt: Alô? Você simplesmente some por cinco dias, e quando finalmente atende o celular, diz alô?”

      Eu:Ei Matt, calma! Eu estou bem! E essa é só a segunda vez que você me liga, então xiu aí tá?!”

      Matt: Segunda vez? Estou te ligando desde domingo!”

      Olhei no celular e vi que hoje é quarta feira. Merda...

      Matt: Você faz alguma idéia do quanto deixou Jenny e eu preocupados? Eu já até liguei para os seus pais!”

      Mas que droga Matt! Agoniada, passei as mãos pelos cabelos, fazendo um coque.

      Eu: “Mas que droga Matt! Eu estou bem! Eles estão vindo para cá?”

      Matt: “Você disse que droga? Que droga você Catherine! Não pode simplesmente sumir assim! E já mandei uma mensagem para seus pais, falando que está bem e que não precisam vir.”

      Suspirei um pouco mais aliviada agora.

      Matt: “Ah Cat... (o ouço suspirar), onde você está? Fiquei preocupado...”

       Encostei-me na cabeceira da cama. Bem, devo explicações para ele... Mas como dá-las? Não gosto de mentir pro Matt...

       Eu: “Matt, não gosto de mentir para você, então vou contar a verdade. Estou ajudando uns amigos meus, pois estão com problemas. Desculpe por não te ligar... Fui irresponsável.”

      Matt: “Que amigos? Posso ajudar com algo? E as aulas? Não pode simplesmente ficar faltando!”

       Eu: “Esses meus amigos você não conhece e obrigado por oferecer ajuda, mas não tem nada em que possa ajudar. E a respeito das aulas, eu tenho minha ficha quase limpa em relação a isso, então posso matar aula sim. Vou ir só fazer as provas, já que sei a matéria.”

      Matt: “Por que não pode ir as aulas? Precisa ajudá-los em tempo integral?”.
      
 Eu: “Sim Matt, preciso.”

      Matt fica um tempo calado. Suspirei. Sei que o Matt se preocupa, mas sério, ele não precisa exagerar!

      Matt: “Tudo bem então. Tchau, tenho que ir para a escola. Se eu ligar, por favor, atenda?”

      Eu: “Onde estou tem pouco sinal, mas se eu receber a chamada, juro que vou atender.”

      Matt: “Ok. Beijos Cat.”

      Eu: “Beijos”.

      Desliguei o telefone.  Foi só eu levantar para ir ao banheiro que o telefone toca: é a minha mãe. Ela perguntou desesperada onde eu estava. Pensei rápido numa mentira e logo uma surgiu na minha mente.

      Eu disse que tinha ido a Portland com uma amiga e não levei o carregador. Como tinha me esquecido de avisar Matt e Jenny, ambos ficaram preocupados. Meus pais acreditaram facilmente. Mandei beijos e desliguei o telefone.

      Não queria mentir, mas se eu falasse a verdade, eles iriam querer saber todos os detalhes; diferentemente de Matt. Imagina se eu falasse: “Mãe, pai, fui sequestrada por um dragão, mas estou bem, pois eles são legais e irei ajudá-los com um pequeno problema!”. Com certeza me internariam.

      Olhando no celular, vi que são 6h25min. Levantei-me, tomei um banho, lavei a cabeça e escovei os dentes. Quando saí, peguei o vestido amarelo claro e me vesti. Calcei meus All Stars brancos e sentei-me sofá. Hum... Devia ter trago meu secador.

      Dei uma boa secada no cabelo, depois o penteei. Não ficou 100%, mas acho que até a hora do café da manhã ele já deve estar mais seco. Peguei novamente meu livro, e me distraí com ele até dar a hora de ir para o salão de refeições.

      Quando cheguei e me sentei à enorme mesa, a comida chegou:  senti minha boca encher d’água. Nossa como estou com fome! Comi ovos e bacons deliciosos; bebi aquele suco de laranja natural espetacular; conversamos sobre coisas alegres e ri com gosto.

      Quando terminei, fui para meu quarto, escovei os dentes e li mais um pouco. Depois de uma hora, ouço baterem na porta. Levanto-me da cama e vou em direção a porta, abrindo-a. É Gabriel.

         - Olá Cat! – Diz ele, sorrindo – Eu poderia entrar? Tenho que conversar com você.

       - Claro, entre. – Gabriel agradece e entra no meu quarto – Sente-se, pode ficar a vontade.  – Ele se senta no sofá e me sento ao seu lado.

       - Olha Cat... – Diz ele mexendo numa pulseira dourada que está em seu pulso. Ele parece estar... Nervoso, ou algo parecido.

       - O que foi? – Pergunto um pouco preocupada.

       - A senhorita sabe que temos uma audição boa...

       - Sei. – Digo rindo de nervoso. Aonde ele quer chegar com isso?

       - Sem querer, escutei... Escutamos sua conversa com esse tal de Matt.

       - Ah...! – Suspirei um pouco indignada.

       - Desculpe, sabe que não foi nossa intenção.

       - Está tudo bem Gabriel. – Digo dando de ombros. Gabriel depois disso fica quieto. Esperei, mas como parece que ele não irá dizer mais nada, pergunto quebrando o silêncio:

       - E por que está me contando isso?

       - O que queríamos saber, é por que falou... De certa forma a verdade para esse Matt e para seus pais a senhorita mentiu? Este seu amigo merece tal confiança? – Olhei para Gabriel, agora um pouco de raiva. O que ele tem haver com isso? Desvie os olhos de Gabriel. Suspirei. Ele só quer saber se o segredo dele e de seus amigos está bem guardado. Só isso.

       - Contei parte da verdade para Matt porque sei que ele é um bom amigo e não fará mais perguntas. Já meus pais, iriam fazer muitas perguntas, que algumas delas eu não conseguiria responder. – Olhei de novo para ele, que parece estar muito mais aliviado.

       - Então é por causa disto... – Diz ele rindo.

       - E o que pensou que fosse? – Pergunto cruzando os braços e rindo.

       - Ah... Nada. – Gabriel se levanta e faz uma mesura – Vou deixar à senhorita descansar. Até depois. – Gabriel se retira do quarto. Foi só eu pegar meu livro e me sentar na cama, que novamente batem na porta. Quando a abri, vejo que é Nathaniel.    

       -Olá senhorita. Pronta para treinar? – Respondi que sim, e fui colocar meu livro na estante. Quando olhei novamente para ele, vejo que está encostado na soleira da porta, me olhando com seus esplendidos olhos azuis... A boca perfeita dele ligeiramente aberta... QUE É ISSO CATHERINE? Como meus pensamentos foram parar nisso?!

      Segui meu protetor até o pátio. Nick mais uma vez está à nossa espera.

       - Olá de novo, Cat.

       - Oi Nick.

       - Senhorita Catherine, hoje iremos treinar seu ataque, ou seja, nós agora iremos defender e a senhorita irá atacar.

       - Ok. – Digo apertando o botão de minha pulseira que então se transformou em minha espada. Estou um pouco ansiosa. Eu até sou boa em guerrear, mas eles são bons demais.

       - Faremos o mesmo esquema de ontem. Primeiro atacará somente a mim, depois ataque o senhor  Nick também.

       - Ok. – Nathaniel se põe em posição de defesa e eu de ataque.

       - Assim que estiver pronta senhorita, pode começ... – Nem esperei ele terminar, parti para cima dele, que defendeu com facilidade.

      Eu ataco e ataco do melhor jeito que consigo; Nathaniel defende e defende com uma agilidade impressionante. Ficamos assim por bastante tempo. Nick até sentou no banco. Peço um tempo à Natheniel.

       - Tem que ficar mais atenta ao adversário senhorita, se não ficaremos aqui o dia inteiro e o senhor Nick nem entrará no treino.

       - Não precisa esfregar na cara, ok? – Digo cruzando os braços e olhando-o feio – E como assim ficar mais atenta ao adversário?

       - A senhorita tem que ver meus movimentos. Ver como me defendo, assim, achará uma brecha para o ataque.

       - Ok, quero tentar de novo – Fiz muitas mais tentativas frustradas. Até que conseguir achar as tais brechas que ele falou. Quando fui acertar seu ombro, mudei a rota e acertei sua cocha com as “costas” da espada (a parte não afiada), o fazendo se ajoelhar. Aproveitando a deixa, apontei a espada para seu pescoço.

      Nick bate palmas e fala: Parabéns Cat! Nathaniel por sua vez se levanta e me lança um olhar que não sei identificar ao certo... Parece... Orgulho? Não demorou e ele voltou para sua carranca.

       - Muito bem senhorita. Pode ir se preparar para almoçar. Depois continuamos. – Aperto novamente o botão e minha espada volta para a forma de pulseira. Despeço-me dos dois e vou para meu quarto.

      Meu. Corpo. Está. Muito. Dolorido. Ainda bem que aqui é bem frio, assim não fico suada. Só lavei as mãos e fui almoçar.

      Depois do agradável almoço, voltei novamente para o pátio e encontro Nathaniel sentado em um dos bancos.  

       - Senhor Nathaniel, todos não deveriam também estar treinando? – Pergunto me sentando ao seu lado.

       - O senhor Gabriel ordenou que todos suspendessem os treinos para dar-lhe mais espaço. – Ele respondeu revirando os olhos. Suspirei.

       - O pátio é muito grande, não tinha necessidade disso.

       - Eu disse isso para ele, mas ele não me ouviu. – Diz Nathaniel, também suspirando.

       - Cheguei. – Olho para o lado e vejo Nick se aproximando. Voltamos ao treino.

      Ambos me venceram mais diversas vezes, até o momento que chutei o pé de Nathaniel, o derrubando de cara no chão. Peguei sua espada, e com a minha e a dele, juntas, bati na de Nick com tal força que a joguei longe. Em seguida, também o derrubei, e apontei as espadas para os dois caídos no chão.

      Nick se senta, arfando de dor. Ajudei-o a se levantar. Já Nathaniel dispensou minha ajuda. Mais uma vez passamos o dia treinando. Olhei para o céu e vi que já está bem escuro.

       - Acho que a senhorita já está pronta para treinar com os outros. – Diz Nathaniel apertando o botão e sua espada se transforma em anel. Sorrio satisfeita. Eu nem imaginava ganhar deles! Eu estava prestes a subir para meu quarto, quando ouço gritarem:

       - CAT! – Olhei em direção do portão de ferro e vejo Matt parado lá, acenando pra mim. O que ele faz aqui? Como ele me achou? 


Notas Finais


Foi isso peoples!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...