História Camren - Amar uma garota pela primeira vez - Capítulo 78


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Camila Cabello, Camren, Colegial, Lauren Jauregui, Romance
Exibições 2.020
Palavras 3.787
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Orange, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Sorry a demora 😇

Espero que gostem. 😊

Capítulo 78 - Decepções e revelações


P.O.V Camila

– Oi dorminhoca. - falei para Lauren que tinha acabado de acordar, ela sorriu. – Tudo bem? A dor melhorou um pouco? 

– Um pouquinho. Eu dormi muito?

– Nem duas horas… A médica já te deu alta e passou os remédios. Como você estava dormindo ela disse que você pode marcar o lance de respiração depois, se continuar com dificuldade.

– Okay. Então a gente já vai? 

– Uhum. Os seguranças e motorista estão aqui, para levar a gente, mas eu só vou te deixar no hotel e vou para a delegacia. Claire e o cara que te machucou já estão lá. Provavelmente não vai acontecer nada com ela, até porque estamos em outro país, mas eu preciso pelo menos ir até lá, para ela ouvir tudo o que eu tenho para falar na cara dela.

– Camz, eu sei que está com raiva, tanto quanto eu, mas vem pro hotel comigo, não estraga ainda mais sua noite. Ou então me deixa ir com você.

– Não amor, você precisa descansar, já passou por muita coisa hoje. Eu só quero ir para pelo menos entender o que levou uma pessoa que eu considerava uma “amiga”, a me trair assim. E você precisa ir pegar o Nugget com a moça no hotel, ela deve estar maluca com aquele cachorro que deve estar mordendo tudo. - falei rindo e Lolo me acompanhou. 

(...)

Cheguei na delegacia e expliquei para os policiais que foram até o local do show, que eu era o motivo da confusão do atropelamento, e eles me deixaram entrar na salinha onde a Claire esperava…

– Camila? - ela disse assustada assim que entrei.

– Achou mesmo que eu não viria tirar satisfação depois de vocês terem machucado minha noiva?! - falei, mas na mesma hora travei, pois eu não tinha certeza se os policiais podiam ouvir ou não. Acho que não. Me sentei de frente para ela e uma mesinha estava entre nós.

– Nunca foi nossa intenção machucá-la. Foi um acidente.

– E porque será que esse acidente aconteceu? Talvez porque você tenha sido uma completa idiota, infantil e sem noção, que ficou mandando mensagens ameaçadoras para ela. E pra quê? - perguntei, mas Claire ficou em silêncio, com a cabeça baixa. – Responde! Qual era o plano então, já que o que aconteceu não fazia parte dele?! Iam chantageá-la? - eu usava o tom mais intimidador que eu conseguia.

– Uhum. 

– Como? 

– Com o que a gente tinha no momento. 

– O que tinham no momento? 

– Algo especial para vocês duas. - ela disse, mas eu sinceramente não entendi nada.

– Será que dá pra ser mais clara?! Ou então vamos ficar aqui a madrugada toda.

– Bom, que eu saiba eu não sou obrigada a te responder nada. - disse olhando em direção à porta. – Então podemos ficar aqui a madrugada toda. Eu não vou me importar de ficar olhando seu rostinho lindo. - disse com um sorriso irônico, que para a situação pareceu quase psicopata, já que estamos numa delegacia e ela devia estar clamando sua “inocência”.

– Olha aqui, sua imbecil. - falei com raiva e levantei, apoiando minhas mãos na mesinha a aproximei meu rosto do dela.

– Não pode tocá-la. - uma voz disse de repente num pequeno alto falante. Suspirei fundo.

– Eu achava que era minha amiga. Eu te contava tudo. - falei e ela abaixou a cabeça.

– Eu sei. E sinto muito por ter traído sua confiança. Mas eu não fui a única quem fez isso, pode ter certeza.

– Como assim?

– Camila, será que eu sou mesmo a que mais ficou incomodada com o fim da sua carreira? O que me levaria a fazer isso por vontade própria? Um beijo que aconteceu há meses atrás? Ficar sem emprego? Acho que não. Primeiro que foi só um beijo, não tinha sentimento envolvido da sua parte e muito menos da minha. Segundo que ter trabalhado como sua back vocal poderia me abrir outras portas... Sinceramente, estar aqui agora vai ferrar com a minha carreira, já que aquele idiota estragou tudo quando foi com o carro pra cima da Lauren, e a Ashlee gravou aquele maldito vídeo. Mas com o dinheiro que recebi com isso, eu posso pagar um bom advogado.

– Quem te pagou? Fala! - peguei em seu rosto com a mão direita, e apertei com força suas bochechas entre meus dedos. – Fala, ou eu juro que arranco sangue do seu rosto com as minhas unhas. - falei com raiva, a olhando fixamente nos seus olhos.

– Camila, eu disse sem tocar. - um dos policiais entrou na sala e me puxou para trás. – A gente resolve isso agora. É o nosso trabalho.

– Só me fala quem. Faça o mínimo para se redimir. Vai Claire, você não é assim tão cruel. - eu falava alto, e tinha lágrimas nos olhos, de raiva e decepção.

– Costuma andar com você pra cima e pra baixo, como um “pai”. - terminou fazendo aspas com os dedos. Meu coração parece ter parado por um momento. “Isso não faz o menor sentido”.

Claire deu a entender que Tom estava por trás disso, mas para mim não faz sentido, já que foi ele quem me ajudou a cancelar os contratos.

– Ela está mentindo, ela tem que estar… - falei para mim mesma enquanto o policial me guiava para fora da sala. 

– Se ela está ou não mentindo sobre qualquer coisa, é o meu trabalho descobrir. Acho melhor você ir para casa e dar apoio para sua amiga. 

(...)

Quando voltei para o hotel, antes mesmo de ir ver a Lauren, eu comecei a bater na porta do quarto do Tom, de forma não tão delicada…

– Nossa, que desespero. - falou quando abriu a porta. Eu já fui entrando sem nem pedir licença. 

– Fala que não é verdade. - falei séria e um nó se formou em minha garganta. – Por favor, só fala que não é verdade. Me diz que você não seria capaz disso. - falei e já pude sentir as primeiras lágrimas escorrendo. Tom fechou a porta e se manteve em silêncio por um instante.

– Nada saiu como era pra ser. Tudo se tornou intenso demais, e eu tomei uma decisão errada atrás da outra. As coisas saíram do meu controle, e acabou acontecendo o que aconteceu. Eu sei que nunca vai me perdoar. - falou agora se virando para mim e começou a se aproximar. Eu apenas consegui fazer o que minha raiva permitia, dei um tapa forte em seu rosto, seguido de outro. Tom segurou em meus pulsos e me empurrou, sem muita força, para trás e se afastou.

Notei uma expressão de choro se formando em seu rosto, e em seguida ele cobriu os olhos. 

– Por quê? - perguntei com a voz um pouco rouca. Meu rosto estava banhado pela água salgada, que foi minha maior companhia nessa noite. 

– Eu não mandei as mensagens, não pedi para o cara ficar esperando no estacionamento, nem nada. Eu só sabia por cima o que estava acontecendo.

– Mas você pagou alguém para fazer. Isso te torna o pior de todos. Agora me diz o porquê, já que não tem nexo nenhum você me ajudar a cancelar tudo, para depois me apunhalar pelas costas.

– Quando eu te ajudei… - ele parou por um momento, pois estava tentando se acalmar. – Foi de coração. Eu ajudei porque vi que era o que você queria. Mas eu não esperava que isso ia me ferrar tanto depois… Dois dias depois que te liguei para avisar que tinha dado certo, eu já perdi um contrato. Depois perdi mais contratos e parcerias com gravadoras e produtores, um atrás  do outro. Comecei a ter que ouvir que eu não trabalhei da maneira certa com você. Que eu te dava liberdade demais, e acaba deixando você administrar as coisas do jeito que queria. E é verdade Camila.

– Eu pago o seu precioso salário, então o mínimo que eu tenho que ter é liberdade para administrar minha carreira. É por isso que essa indústria me irrita tanto. O assédio dos fãs é o de menos, a falta de privacidade é o de menos, quando tem gente da sua própria equipe achando que pode cuidar da sua vida, achando que pode pisar em qualquer um, inclusive em você, para ter mais poder e dinheiro. - falei séria e com repulsa, mas agora eu já não chorava. – Eu só não esperava isso de você, que dizia que eu era como uma filha para você.

– E você era. Mas quando você faz um homem perder tanto dinheiro, as coisas mudam. - disse secando seu rosto, foi até a cama e se sentou de cabeça baixa.

– Qual era o plano? O que iam dizer para ela, se ele não a tivesse machucado?! - perguntei e novamente Tomas suspirou fundo, ficando em silêncio em seguida. – Eu acho que vocês não se tocaram nem por um segundo, que ninguém ia me convencer a mudar de ideia, nem a Lauren.

– A gente ia usar o cachorro. - ele disse quase num sussurro, parecia envergonhado. 

– Vocês o quê? - perguntei enquanto me aproximava dele. – Vocês iam o que Tomas? 

– Eu dei a ideia de deixarem ele aqui com a moça, não foi?... Não íamos fazer nada com ele, apenas usar como…

– Chantagem. - terminei por ele. – Sabe o que eu queria agora? Que você fosse pro inferno, e levasse seus cúmplices junto. Bando de gente infantil e mau caráter, que faz qualquer coisa por dinheiro. Eu estou com nojo de você. - a repulsa nesse momento estava nítida na minha voz. – Não consigo entender como um cara de quase quarenta anos pôde ser tão infantil assim. Se você fosse um bom profissional, não se preocuparia com merda de contrato e parceria nenhuma.

– Eu tomei uma decisão errada que foi levando à outra, e à outra… As coisas saíram do meu controle, e de repente eu mesmo estava tendo atitudes extremas. Eu juro que não faria nada com o cachorro, e também nunca quis machucar a Lauren. - ele disse voltando a chorar. – Eu errei muito com tudo isso. Me perdoa.

– Nunca vou te perdoar.

– Me deixa te ajudar a organizar seu último show, como tinha me pedido. - ele disse e eu comecei a gargalhar irônica. 

– Pode deixar que eu faço isso sozinha. Acho que eu com metade da sua idade, sei ser mais profissional que você. Eu me viro. Agora vai embora. - falei mais séria e ele pela primeira vez meu olhou nos olhos, parecia confuso. – Levanta essa merda que você chama de corpo, arruma suas coisas, faz o check-out e vai embora... Se eu voltar em meia hora, e você ainda estiver aqui eu chamo a polícia. - falei e saí batendo a porta…

– Oi amor, demorou. - Lauren disse assim que entrei e fechei a porta. Ela estava deitada e Nugget estava ao seu lado. Me aproximei da cama e o peguei no colo, o abraçando em seguida. Lágrimas começaram a escorrer dos meus olhos enquanto eu beijava sua cabecinha, e Lauren notou. – Ei, o que houve?

– Não levanta. - falei, pois ela ameaçou se levantar. Coloquei Nugget de volta na cama e enxuguei meu rosto, pela vigésima vez essa noite.

– Você está chateada por causa da Claire? Não fica assim amor, ela não merece isso. 

– O Tom estava por trás de tudo. - falei de uma vez e Lauren parece ter paralisado na cama. Seus olhos estavam bem abertos, mas ela não esboçava nenhuma reação. – Eu devia começar a desconfiar de todo mundo igual você fazia. 

 

(...) DUAS SEMANAS DEPOIS 

 

 

Depois do dia mais decepcionante da minha vida, eu mesma comecei a ir atrás das coisas para o meu último show. 

Decidi também encontrar uma forma de anunciar o fim da minha carreira sem ser pelas redes sociais, então eu e meus assessores conseguimos uma entrevista em um dos meus programas favoritos da TV, o The Ellen DeGeneres Show. Apesar de ser um talk show de comédia, Ellen aceitou me receber para falar sobre o assunto e deu espaço para que eu cantasse também. Eu queria ser entrevistada por alguém que pudesse me entender, e que não ficasse me colocando contra a parede toda hora, então nada melhor que uma entrevistadora que sabe como é amar outra mulher. Sim, há grandes chances de eu falar sobre a Lauren, inclusive eu fiz questão de pedir permissão não só a ela, mas a sua família também.

Falando em família, explicar para nossas famílias sobre o fim da minha carreira e sobre o acidente com a Lauren, foi bastante delicado. Por um momento eu achei que absolutamente todos estavam contra minha decisão. Mas depois de quase uma hora de conversa na casa dos meus pais, todos começaram a entender meu lado.

 

Abri o programa cantando Gonna Get Better, e em seguida Ellen me guiou até a poltrona para eu me sentar...

– Tem gente que ainda diz que os jovens não sabem nada sobre sofrimento, ou não entendem o que é amor, mas você prova o contrário com todas as músicas que você escreve. São sempre bastante sentimentais.  

– Olha, se eles estão querendo dizer que tem muito sofrimento por amor ainda pela frente, eu já vou começar a pedir para Deus me levar logo, porque eu não vou aguentar não. - falei rindo e a plateia me acompanhou.

– Eu queria saber quem em sã consciência faz alguém como você sofrer. Você é toda meiga. Eu estou com medo até de falar um pouco alto e te assustar. - ela disse e eu e todos ali presente rimos... – Recentemente você saiu de um show antes do fim, e os fãs ficaram todos confusos sobre o que tinha acontecido. E depois você deu algumas notas pedindo desculpas aos fãs, e disse que só saiu daquele jeito pois tinha acontecido um acidente com uma amiga, ali no estacionamento do local mesmo. Você pode explicar pra gente o que aconteceu, agora com mais calma?!

– Claro. Bom, aquele foi um dos piores dias da minha vida, se não o pior. - falei suspirando fundo. – Eu já não estava cem por cento bem emocionalmente. Nesse mesmo show eu acabei chorando bastante no palco, por algumas coisas que estão acontecendo, inclusive eu quero falar sobre isso aqui ainda hoje.

– Claro.

– Logo depois de eu ter me emocionado, eu terminei de cantar uma música e vi que no backstage estava tendo uma movimentação estranha, e a Lauren não estava mais ali.

– Lauren é a sua amiga?!

– Isso… Aí falaram algo sobre ambulância e eu já comecei a me preocupar, foi quando descobri que era ela quem tinha se machucado no estacionamento, e eu corri pra lá. Um carro tinha acertado ela. 

– Nossa.

– Pois é. Agora imagina se eu ia conseguir voltar para o show depois de ver o amor da minha vida sendo colocada numa ambulância. - um silêncio sinistro tomou conta de todo o ambiente assim que terminei de falar. Comecei a olhar para a plateia, e via os olhos atentos.

– Amor da sua vida? Tipo O amor da sua vida? 

– Os meus fãs são bastante curiosos sabe. Eles perguntam qual minha cor favorita, qual minha comida favorita, quais serão os nomes dos meus filhos. Perguntam umas coisas que eu nunca nem parei para pensar na resposta. Mas o que eles mais me perguntaram até hoje, é quem foi e é minha inspiração para escrever as músicas. Eles sempre souberam que era alguém específico e eu nunca neguei. E hoje eu posso dizer, que minha inspiração sempre foi e é a Lauren. - falei e pude ouvir sons surpresos vindo da plateia.

– Camila, você não pode fazer uma revelação dessas no meu programa sem me avisar antes. - Ellen estava toda surpresa e até um pouco eufórica.

– Eu vim contar que faço parte do seu clube e você fica brava? - perguntei rindo. Eu já estava tão “foda-se” com tudo ultimamente, que eu estava falando normalmente, sem me preocupar muito com o que seria dito depois.

– Agora você vai ser obrigada a contar tudo, porque eu e meio mundo estamos curiosos sobre esse seu outro lado. 

– Bom, antes de mais nada eu quero deixar claro que eu não traí o Shawn. Provavelmente essa seria uma das primeiras coisas a serem questionadas. Na verdade ele sempre soube sobre ela, e apoia o nosso relacionamento hoje.

– Vocês estão num relacionamento então? Não é tipo um amor platônico.

– Não é platônico, até porque estamos noivas. 

– Caramba Camila! - Ellen disse e eu ouvi alguns gritinhos vindo do público. Sorri. – Conta pra gente vai. Como se conheceram?

– Conheci ela na escola, quando eu tinha dezesseis anos. Ela foi minha primeira experiência com uma garota, e eu fui a dela também. E nós namoramos durante um ano e meio. Depois acabamos terminando, e só agora voltamos a nos relacionar.

– E como você só conta pra gente agora? 

– Eu não podia antes, por conta da maioria dos meus fãs serem menores de idade. Sabíamos que grande parte deles dependiam dos pais para comprar CDs, ingressos, etc. E isso poderia prejudicar minha carreira.

– Isso faz todo sentido. Mas a maioria dos seus fãs ainda são adolescentes, então por que contar agora? 

– As coisas são diferentes agora. No momento o que menos me preocupa é o rumo que vai levar minha carreira como cantora. Eu estou dando uma pausa na minha carreira. - falei e novamente um silêncio tomou conta da plateia. Eu decidi falar que estou dando uma pausa, para não ficar tão chocante. – E essa pausa não tem previsão de volta… Eu sei que os fãs vão ficar chateados, mas eu preciso disso. A minha noiva está se recuperando, depois desse drama, não só do acidente, mas de outras coisas que aconteceram também... Pra você ter noção, eu estou sem agente e empresário, estou tendo que me virar com várias coisas com a ajuda apenas dos meus assessores. Minha banda está desfalcada por coisas que aconteceram. Eu diria que essa pausa é até necessária.

– E você tem que curtir a noiva também né?!

– Sim. - falei tímida e a plateia soltou um “awn” em conjunto. – É por isso que eu queria vir aqui para contar sobre isso. Seu público é tão maduro e mente aberta. Espero que meus fãs espalhados pelo mundo tenham a mesma mentalidade. Eu não quero ser xingada por aí, por buscar minha felicidade ao lado de outra garota, e por ter decidido dar um tempo para cuidar da minha vida. Gostaria que as pessoas fossem compreensíveis sobre tudo isso.

– Eles têm que ser. Você não está fazendo nada de errado, e não é porque você está se assumindo, que isso vai influenciar todos os seus fãs menores a seguirem o mesmo caminho. Você está sendo você mesma, eles devem apenas aceitar isso e serem eles mesmos também.

– Eu vou gravar isso o que disse e usar como resposta para tudo o que me perguntarem quando eu sair daqui. - falei rindo.

– Agora que eu sei que isso na sua mão é uma aliança de noivado, deixa eu ver de perto. - disse aproximando seu corpo e eu estendi a mão para ela. – Humm. Quem fez o pedido?

– Eu fiz. Mas é só o que eu vou falar. Já estou me abrindo demais aqui. - falei sorrindo.

– Você hoje me surpreendeu como nenhum outro entrevistado em muito tempo. Que bom que se sentiu à vontade para falar aqui sobre as coisas que vem acontecendo na sua vida. A gente vai pro intervalo agora, e na volta você canta mais uma pra gente?

– Claro. Vou cantar uma música nova que escrevi há algumas semanas atrás. Acho que vão gostar. Se chama No Way e tem muito a ver com isso que falamos hoje. 

– Ótimo. Já já voltamos com Camila Cabello. - Ellen disse um pouco mais alto e a plateia aplaudiu.

(...)

Assim que terminou a entrevista eu fui para o camarim, já imaginando o caos que estava na Internet sobre as revelações. Mas antes que eu entrasse em qualquer rede social, meu celular começou a tocar.

– Alô?!

– Camila?! Aqui é o Simon Cowell. - ouvi a voz masculina e meu coração parou por um segundo.

– Isso é trote? - perguntei e ele riu do outro lado da linha. 

– Não, sou eu mesmo. Eu assisti ao programa da Ellen ao vivo agora, e caramba garota, você parou a Internet. E eu confesso que estou extremamente surpreso com como aparentemente seus fãs estão levando na boa tudo isso. Apesar de alguns estarem realmente chateados com o anúncio da pausa na carreira, eles estão te apoiando mesmo assim.

– Nem estou acreditando que é mesmo você. - falei ainda surpresa. – Que bom que ninguém está me ameaçando de morte então. - falei rindo. – Acabei de vir para o camarim, ainda não consegui ver qual é a repercussão.

– Bom, pelo que estou vendo por parte dos fãs, estão te apoiando, inclusive muitos estão gostando de saber que está noiva de uma garota. 

– Isso é ótimo.

– Isso é raro. - ele disse e deu uma risadinha. – Você fez revelações que normalmente nenhum outro artista faria assim tão abertamente, e mesmo assim eles estão te apoiando. Acho que essa aceitação deles tanto sobre o seu relacionamento, quanto sobre a pausa na sua carreira se dá pelo fato de você ser tão carismática.

– Obrigada.

– Você tem um estilo único. Seu jeito é apaixonante, você consegue ser várias mulheres ao mesmo tempo, e isso é muito legal. Também acho sua voz única, e suas músicas bastante especiais. Você consegue transmitir exatamente o que está sentindo. 

– Nossa Simon, muito obrigada. Não tem noção do quanto é importante ouvir isso vindo de você.

– Claro que com tantos elogios vem um pedido. Gostaria de marcar uma reunião, para te conhecer e quem sabe te apresentar minha produtora e gravadora. Você disse que está sem agente e empresário, também soube agora através de contatos que você cancelou todos os seus contratos… Eu não sei exatamente o que houve para você tomar essas decisões tão radicais, e para estar com a equipe desfalcada, mas eu adoraria saber. Adoraria também ser seu novo empresário, para poder administrar sua carreira da maneira certa. Você tem um talento e um carisma que não pode ser ignorado. Você gosta realmente de fazer música, e imagino que é apenas isso o que sempre quis fazer, sem todo esse drama por trás. Você apenas gostaria de fazer música. Estou errado?

– Não. - respondi com certo receio. Parecia que Simon estava lendo minha alma.

– Eu posso te ajudar a administrar isso em conjunto com sua vida pessoal e seu relacionamento. Eu realmente fiquei empolgado em fazer parte da sua arte… Você pode tirar umas férias, e voltamos com Camila Cabello ano que vem. Tipo um Camila Cabello 2.0. - disse dando uma risadinha. – O que me diz?

 

 


Notas Finais


Que capítulo agitado. Quanta informação meu Deus. Kk
Tom já entrou VIP na minha lista negra.
Titio Simon vindo pra deixar Camz mais maluca com tudo isso.
O que acham que ela deve fazer?
PS: agora o mundo está ciente sobre Camren 😆


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...