História Camren - I Love You, Can't You See? - Capítulo 24


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camila, Camren, Fifth Harmony, Lauren, Norminah, Romance Jovem
Exibições 307
Palavras 3.731
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Boa noite meus lindos e lindas. "Nossa que milagre não demorou tanto" é, realmente é um milagre kkkkkk
Eu espero que vocês gostem desse capítulo, está fofinho e tenso ao mesmo tempo. Talvez tenha ficado um pouco sei lá... Não fiquei contente em algumas partes mas eu fiz o que pude. Amores eu adoro vocês e espero que apreciem a leitura. Nos vemos lá embaixo :)

Capítulo 24 - Where is She?!


Fanfic / Fanfiction Camren - I Love You, Can't You See? - Capítulo 24 - Where is She?!

POV Lauren

17 de março de 2013

_ Você tem certeza Lauren? – Dinah disse enquanto colocava a chave na porta de sua casa para destrancá-la.

_ Sim, se eu for pra casa não sei qual vai ser a reação dos meus pais. – ela empurrou a porta e deu passagem para que eu e Normani entrássemos.

Depois do ocorrido na praia eu não iria pra casa, eu sabia que era perigoso por conta do professor e do policial mas eles não sabem aonde Dinah mora. Se eu voltasse pra casa meus pais me fariam muitas perguntas e ia piorar tudo, já bastava a dor de cabeça que estava sentindo e o incômodo em meu queixo, afinal eu levei um soco também. Mas não me arrependi de ter feito o que fiz, ele precisava de uma lição pra aprender a respeitar as pessoas principalmente as mulheres, e também porque ele foi um babaca com a Camila e mereceu. Falando em ser babaca, eu também fui, mas nem tanto, acabei sendo muito rigorosa com a Camz, não acreditei nela e nem busquei explicações, Ally estava certa, eu ainda não a conhecia completamente, mas eu queria! Se for possível gostaria de passar cada minuto da minha vida com ela porque é inexplicável o amor que sinto, é muito maior do que a raiva que eu senti pelo que ela fez.

_ Tudo bem... Acho bom você colocar um gelo nesse queixo ai. – DJ disse caminhando em direção a cozinha, fui até a sala e me deitei com cuidado no sofá.

_ O que aconteceu entre você e aquele rapaz? – Normani sentou-se ao lado de minhas pernas no sofá e me encarou preocupada.

_ Longa história, longa história... O que importa é que eu estou concertando meus erros. – ela levantou as sobrancelhas surpresa.

_ Tudo bem, quer remédio pra dor de cabeça? – falou assim que me viu fazer uma cara de dor e massagear minhas têmporas. Assenti, ela sorriu e foi em direção a cozinha também, me deixando em silêncio na sala.

Minutos depois Dinah e ela voltaram, conversando baixinho, mas não tive ânimo pra saber o que era. Dinah me entregou a bolsa de gelo e Normani um copo e um comprido que tratei de engolir rapidamente.

_ Eu acho bom ligar para Camila, não? – pressionei meus olhos com força antes de abri-los e encarar Dinah.

_ Não DJ... Não quero preocupar ela e nem que ela venha atrás de mim, não agora. Deixe assim por um tempo, eu mesma vou falar com ela. – ela entortou a boca e então sorriu fraco, caminhou até o sofá e depositou um beijo em minha testa.

_ Vou ligar pro seu pai e avisar que está aqui, durma um pouco, vai ajudar com a dor de cabeça.

E rapidamente fiz o que ela disse, fechei meus olhos que ardiam por serem tão sensíveis. Senti meu corpo relaxar e depois de um tempo meus pensamentos se afastarem.

POV Camila

_ Ai...

_ O que foi?

_ Eu não sei... Uma pontada eu acho. – Ally soltou uma risada baixinha – Estou com um mau pressentimento.

_ Credo Camila, primeiro pontada e agora mau pressentimento, vai pra igreja. – simplesmente continuei olhando pra tela da TV sentindo que algo de ruim estava acontecendo com alguém.

Ally veio para casa comigo pra passarmos a tarde juntas como ela havia dito, já estava quase escurecendo e estávamos terminando de assistir a um programa de talentos na televisão, um que sempre gostamos. Até que eu tive essa sensação estranha que não me deixava mais prestar a atenção na tela, simplesmente sentia que alguém estava mal... Talvez fosse Sofia, ela estava meio gripada estes dias, melhor ver como ela estava.

_ Eu já volto. – Ally assentiu.

Chegando no quarto da pequena, entrei calmamente notando sua interação com alguns brinquedos espalhados pelo chão, simplesmente a coisa mais fofa que veria hoje.

_ Sofia? – ela olhou por cima dos ombros e abriu um sorriso, soltou os brinquedos e correu até mim, agarrando minha cintura.

_ Mila, você veio brincar comigo?

_ Do que você está brincando? – disse enquanto afagava os cabelos dela.

_ Eu estou salvando as pessoas de um monstro. – levantou a cabeça ainda encostada no meu quadril, levei minha mão até seu rosto quente, abaixei meu queixo e encostei em sua testa, ela com certeza estava com febre.

_ Que legal Sofi! Que tal você tomar um banho primeiro pra daí nós brincarmos? Até os heróis tomam banho sabia?

Sofia riu alegremente e correu animada para o banheiro, não existia sensação melhor do que ver o sorriso dessa menina, espero que ele nunca suma de seu rosto.

Caminhei até os brinquedos jogados no chão, muitos ali foram meus, lembrei que meu pai ralava nos meses perto do natal pra conseguir o salário completo e mesmo quando a nossa situação não era boa ele sempre comprava algum brinquedo para mim, podia ser pequeno, barato, usado, mas era um presente dado com carinho e eu sempre valorizei isso. Hoje mesmo depois de tanto tempo Sofia ainda brinca com eles, não reclama e nem pede por brinquedos novos, ela realmente pegou esse lado de mim.

Sentei na cama que continha alguns bichos de pelúcia, respirei fundo e novamente senti a pontada e a sensação estranha voltar. Já havia confirmado que Sofia está com febre mas não está mal, quem poderia ser? É impossível que o que estava sentindo fosse dor física, cólica, essas coisas de mulher. Me levantei incomodada pelo frio na barriga e parei em frente a janela do quarto, um vento fresco bateu em meu corpo me fazendo arrepiar, o céu já estava escuro o suficiente para notar algumas estrelas, sempre tão majestosas... Procurei pela imensidão azul a lua e me esticando um pouco para o lado pude vê-la, cheia e clara, parecia que era possível tocá-la. Lembrei de quando dormi olhando para o céu e sonhei com a Lauren, foi algo estranho mas incrível, a lua e Lauren tem coisas em comum que me atraem...

_ Lauren... O que será de nós duas?

Pensei alto e rapidamente senti a pontada em meu abdômen, me dando o clique final, então eu soube por quem estava sentindo aquilo, era a Lauren! Pode ter acontecido alguma coisa, ou ela está doente, ou o policial...

_ Não pense o pior Camila! – disse para meus próprios pensamentos.

Uma pequena parte de mim entrou em alerta, eu nem ao menos sabia se algo aconteceu mas a sensação... Não era nada boa. Corri para a sala descendo as escadas rapidamente, peguei meu celular de cima do sofá e disquei o número dela. Ally abaixou o volume da televisão e me olhou perdida tentando entender o que estava acontecendo. Tocou umas seis vezes e nada dela atender, meu desespero começou a aumentar, disquei mais uma vez e nada.

_ Camila o que aconteceu?! – Allyson gritou preocupada.

_ Droga! Eu preciso saber como a Lauren está! Essa sensação não é boa Ally!

_ Você tá falando do seu mau pressentimento? – assenti com a cabeça – Ligue pra Dinah, talvez ela saiba da Lauren.

Busquei pelo nome da amiga da Lauren na minha agenda de contatos quase que desesperadamente, cliquei quando achei e esperei a chamada ser realizada quase que com o coração na mão.

_ Alô?

_ Dinah, é a Camila. Você sabe da Lauren?

_ Ahm... Sim, ela está aqui em casa, o que aconteceu? – soltei todo o ar que estava preso em meu peito.

_ Graças a deus... Ela está bem?

_ Hãm... Digamos que está.

_ Digamos? O que aconteceu com ela?

_ Nada de mais ela só está com dor de cabeça, só isso. – sua fala não soou verdadeira ou completa.

_ Tem certeza? É só isso?

_ Porque ligou tão repentinamente? – falou depois de um breve silêncio.

_ Ah eu... Eu estava com um mau pressentimento. Mas se ela está bem então devo estar ficando louca. – agora me perguntava se devia falar com ela ou não.

_ Ok... Quer falar com ela? – sim? Não? Seria estranho conversar sabendo que ela ainda não havia me desculpado...?

_ Não, tudo bem... Só queria saber se ela estava bem. Desculpa incomodar Dinah.

_ Oh capaz Camila, é sempre bom falar contigo! – disse amigavelmente, soltei uma risada tímida – Então até mais, ligue sempre que quiser conversar.

_ Obrigada Dinah. Até mais. – e fim da ligação.

Suspirei profundamente como se estivesse sem ar a um bom tempo. Ally me encarou curiosa e eu apenas me joguei no sofá, me sentindo trouxa e aliviada ao mesmo tempo. A pequena não disse nada, apenas me puxou para perto e me envolveu com a coberta que estava usando, até escutar Sofia gritar da escada que estava pronta para brincar. Nós três fomos pro quarto e brincamos, por pouco tempo, logo minha irmã sentiu sono, mas foi tempo suficiente para que ela se divertisse.

Depois de colocá-la na cama, saímos do quarto dando de cara com os meus pais que haviam voltado do mercado, Ally logo se despediu dos mesmos porque já estava tarde e precisava ficar com sua mãe. Não reclamei, afinal ela estava certa e também me fez bem ficando a tarde comigo.

Assim que já estava sozinha novamente, não enrolei em tomar um banho e ir deitar, eu estava pilhada nas últimas semanas e dormir cedo me faria bem. No dia seguinte veria Lauren novamente, mesmo assim não sabia se tentaria falar com ela, não queria ser ignorada de novo, talvez eu deva parar de insistir...

~~~

Nada melhor do que acordar renovada, ter ido dormir cedo realmente me ajudou. O ruim mesmo era estar naquela sala, sentada, esperando minha professora chegar, e vendo os alunos imaturos da sala fazerem bagunça. Ally disse que ia faltar hoje porque precisava ir ao médico com a mãe dela, então estava sozinha, mesmo tendo a Lauren, mas ela não queria mais falar comigo.

O sinal bateu e finalmente a aula começaria, estiquei os braços para cima fazendo minhas costas estralarem, olhei de relance para a mesa de trás aonde Lauren senta, mas nada dela, logo atrás a novata Lucy, escutando música no seu iPod. Hoje ela parecia tão comum quanto qualquer um lá dentro, eu nem ao menos sabia o que ela era, talvez devesse ir falar com ela, quem sabe ela fosse legal... Ou talvez não.

Vários alunos que ainda estavam pra fora da sala começaram a entrar juntamente com a professora, a porta ainda permaneceu aberta para que alunos não tão atrasados pudessem entrar e eu torcia pra que um deles fosse Lauren, até agora ela não havia chego... Dinah disse que ela estava bem além de tudo, só faltaria se houvesse necessidade. E depois de rápidos cinco minutos a morena apareceu na porta, usando um shorts preto desfiado na frente, camiseta listrada preta e branca e um sobretudo preto com franjinhas, segurando a bolsa em uma alça só, simplesmente a menina mais linda daquele colégio. A professora deixou que ela entrasse e só então parei meu olhar em seu rosto, ainda com cara de sono, cabelos leves e soltos em perfeitos ondulados e... Um curativo no queixo?! Mas que diabos aconteceu!?

Ela virou na minha direção e pela primeira vez depois de vários dias me encarou assim como eu encarava ela, deu um sorriso sorrateiro e abaixou a cabeça, passou por mim e sentou em seu lugar, meus olhos continuavam por segui-la, eu não fazia idéia do que aquilo significava e podia ser ruim.

_ Bom dia... – disse quando se ajeitou na cadeira.

_ Bom dia. O que é isso? – apontei com o dedo para seu queixo.

_ Ah... Um curativo. – besta, cínica, óbvio que era um curativo. Revirei os olhos e para a minha surpresa ela sorriu tímida... Como assim... Tímida hoje depois de tanto tempo?

_ Lauren, o que aconteceu? – disse curiosa e sem paciência.

_ Eu te falo depois ok? Vamos lanchar juntas. – arregalei os olhos instantaneamente, aquela não podia ser a Lauren dos últimos dias.

_ Você caiu foi isso? Bateu com a cabeça e agora está estranha. – ela colocou a mão na boca e segurou o riso alto que estava por vir.

_ N-não! Longa história, eu talvez conte pra você depois, agora vira pra frente. – estendeu os braços e virou meu corpo para frente.

_ Talvez não... Você vai. – fiz menção de voltar a olhar para trás mas ela segurou meu ombro me impedindo.

Isso tudo não estava normal, o que estava acontecendo? Deram droga pra ela? Ela anda tomando remédio será? Nos últimos dias só levei bronca e fui ignorada e hoje ela estava toda amorzinho? EU NÃO ENTENDO LAUREN JAUREGUI! 

As aulas estavam sendo um tédio, eu não conseguia engolir a interação que tivemos agora pouco e também queria que chegasse o intervalo logo, mas tudo parecia tão devagar. Só de pensar que hoje teríamos aula com o tal professor... Eu sabia que nas aulas ele não faz nem fala nada, sabe disfarçar bem, mas tem costume de me chamar de “senhorita Cabello”, sem permissão óbvio, que intimidade é essa que ele pensa que tem? Lauren fica se roendo de raiva por conta disso, eu sempre evito chegar perto dele, olhá-lo, normalmente Ally troca de lugar e fica perto de mim também, eu realmente me apavoro só de olhar pra sombra desse homem...

Finalmente o intervalo chegou, levantei rapidamente e olhei para Lauren que conversava sobre algo que eu não entendia com Lucy, ainda tinha mais essa garota. Lauren virou em minha direção sorrindo e fechou os lábios mas pelo menos não parou de sorrir, Lucy passou pelo nosso lado me lançando um sorriso fraco que devolvi a altura.

_ Vamos? – assenti e caminhamos para fora da sala.

Chegando no refeitório sentamos na mesa de sempre, mas sem Ally e o resto do pessoal, Lauren continuava com um leve sorriso no rosto me fazendo sorrir espontaneamente também, eu não sabia o motivo do sorriso mas não me importei, pelo menos ela estava feliz e bem hoje. Ela sentou na minha frente abrindo seu pacote de bolacha enquanto eu tomava meu achocolatado.

_ Então... Vai me contar o que aconteceu? – disse depois de um tempo de espera.

_ Ah... Não foi por nenhum motivo ruim, eu juro. Na verdade eu estava na praia com a Dinah e, acabou que um grupo que estava do nosso lado chutou a bola de futebol e me acertou. – eu senti vontade de rir, eu juro, nunca tinha visto desculpa mais esfarrapada que essa.

_ Lauren não me faça rir, eu estou bebendo isso e não seria legal guspir em você. – novamente ela riu mostrando os dentes e fechando os olhos, como se seu dia estivesse sendo uma maravilha e tudo fosse uma brincadeira pra ela, ou estava tacando o foda-se pra tudo, quem sabe.

_ Camila você não vai gostar de saber o que aconteceu, foi algo bobo e deve ser esquecido. – voltou a comer sua bolacha, revirei os olhos e fiquei observando seus movimentos, até que aquele curativo deixava ela sexy...

Lauren levantou a cabeça e sua feição foi séria, ela olhava para algo atrás de mim, virei a cabeça para trás e encontrei com Austin parado atrás de mim, com cara de amedrontado. Só podia ser brincadeira, estava tudo estranho naquele colégio, tudo estranho!

_ Lauren eu preciso... Que você venha comigo. – ela arqueou uma sobrancelha.

_ Se tiver algo para falar pode dizer aqui mesmo.

_ Não posso, precisamos ir pra outro lugar. – Lauren me fitou como se dissesse “eu já volto” e se levantou, me deixando totalmente perdida e curiosa para saber qual é o assunto que o Mahone tem pra tratar com ela.

Os dois caminharam em direção ao corredor e sumiram da minha visão, terminei de tomar o achocolatado e fiquei esperando que ela voltasse ou que o sinal batesse, mas como eu disse o tempo parecia estar mais lento. Depois de esperar dez minutos ansiosa, o sinal bateu mas Lauren ainda não havia voltado, me levantei junto com a maioria dos alunos e a muvuca para voltar para a sala começou. Vi Austin caminhar perto do banheiro masculino e ele não estava com a morena, andei empurrando os vários alunos que andavam contra mim até chegar perto o suficiente de onde ele estava.

_ Austin cadê a Lauren? – toquei em seu braço e ele virou em minha direção.

_ Deve estar na sala, por que?

_ Você estava com ela não estava? Ela não voltou pro refeitório. – ele juntou as duas sobrancelhas como se pensasse aonde ela poderia estar.

_ Ela deve estar na sala Camila, eu a chamei na verdade porque o professor Roger pediu, disse que precisava falar com ela sobre as notas. – senti uma pontada em meu peito e um súbito desespero tomar conta de meu corpo – Camila você está bem?!

_ A última vez que viu ela foi quando ela entrou na sala com o professor!? – ele assentiu assustado.

Eu não sabia o que fazer, comecei a caminhar para a nossa sala quase que me escorando por conta da tontura e medo que estava sentindo, em questão de segundos meu coração ficou acelerado e minhas mãos suavam de pavor, eu precisava entrar naquela sala e vê-la lá dentro, sentada escutando música, conversando com a garota nova, qualquer coisa do gênero, nem me importaria mais por não ter voltado pro refeitório, mas eu precisava vê-la!

Depois de driblar com dificuldade o emaranhado de alunos eu cheguei em frente a porta da nossa sala, puxei o ar e abri com velocidade o obstáculo notando o professor sentado em sua mesa mexendo em alguns papéis, olhei para o lugar de Lauren e não a vi, busquei-a por toda a sala e nada dela. Senti meu coração parar, um desespero maior ainda tomou conta de mim, onde ela estava? O professor estava ali, a única maneira de descobrir era perguntando a ele. Tenha coragem Camila, encare-o, pelo bem da Lauren.

Dei passos largos até a mesa do professor e esparramei a mão emcima, atraindo sua atenção, sentindo seu olhar pesado sobre mim, firmei o pulso e respirei fundo antes de perguntar.

_ Aonde Lauren está?! – ele arqueou as sobrancelhas e retirou o óculos.

_ Eu não sei aonde sua amiga está. Por que deveria saber senhorita Cabello? – perguntou firmando o olhar em mim, por um momento eu pensei em sair correndo, mas eu não seria capaz de fazer isso com a Lauren.

_ Que droga me diz onde ela está! – com as duas mãos eu grudei no colarinho de seu suéter, fazendo seus óculos caírem e atrair a atenção de todos os demais na sala – Você acha que eu não sei quem você é? O que você fez com ela?! – eu cuspia as palavras com raiva e medo pra cima dele.

_ Senhorita Cabello eu preciso que você retire suas mãos de mim. – disse calmamente segurando em meus pulsos e fazendo uma força considerável para que eu afastasse minhas mãos, mas eu segurei mais forte – Acho que você não sabe o que está fazendo atacando um professor certo? Eu não sei onde sua amiga está, eu não controlo aonde ela vai nessa escola!

_ Você foi a última pessoa a vê-la, você estava com ela aqui nessa sala, você a chamou! – senti alguém tocar em meu ombro provavelmente para tentar me acalmar.

_ Sim eu a chamei, conversei o que precisava conversar sobre suas notas e ela saiu da sala. Agora pode retirar suas mãos de mim!? Ou vou ter que levá-la para a direção e lhe aplicar uma ocorrência?! – seu tom de voz me dava mais raiva ainda, como ele podia ser tão cínico a ponto de encenar tudo aquilo?

_ Camila se acalma, solta ele! – senti Austin puxar meus braços levemente enquanto eu relaxava minhas mãos de sua roupa, meus olhos se encheram de lágrimas e meu peito doía ao pensar que posderia perdê-la.

Ele ajeitava a roupa e buscava os óculos no chão enquanto eu permanecia estática na frente de sua mesa, sentindo as lágrimas caírem sobre a minha roupa e os outros colegas tentando me acalmar.

_ Sua amiga deve estar no banheiro ou matando aula, devia ir procurar antes de vir até mim e falar um monte besteiras! Você pode ser expulsa por conta disso senhorita Cabello.

É óbvio que Lauren não estava matando aula, ela nunca faria isso. Virei de costas para Roger e me soltei de todos que tentavam me segurar, sai correndo pela porta enxugando minhas lágrimas, com dificuldade eu localizei o banheiro feminino e quando abri a porta dei de cara com algumas garotas que passavam maquiagem, corri por cada cabine abrindo-as e procurando pela morena, ela não estava lá. Não tinha jeito, eu precisava avisar alguém, precisava fazer algo, precisava ser rápida! Lauren podia estar em perigo, precisava ligar para os seus pais e para a polícia... Não, polícia não.

Sai batendo a porta do banheiro e corri em direção a sala da coordenação enquanto discava o número da morena, tentei em seu celular também, mas como esperado tocou várias vezes e nada dela atender. Entrei na sala sem permissão vendo a responsável me encarar assustada enquanto as lágrimas continuavam a cair e meu peito subia e descia.

_ Querida o que aconteceu?! Você está bem?

_ Eu preciso ligar para os pais da Lauren Jauregui agora!

_ O que houve? Eu posso ajudar...

_ Não! Você não entende, precisa ser rápido! – andei até um armário aonde continha algumas pastas de turmas e ali provavelmente teria o número que eu preciso.

_ Hey! O que você está fazendo? Você não pode mexer nessas coisas! Sente-se aluna e vamos conversar primeiro! – a mulher disse raivosa por me ver mexer em suas coisas.

_ Eu não tenho tempo pra conversar, pelo amor de deus! Senhora, Lauren sumiu e um de seus professores é o culpado disso.

Achei uma pasta que continha o nome de Lauren, abri e rapidamente achei o número dos pais dela e da casa, tentei diretamente o número de Mike, seria o mais rápido. Tocou algumas vezes pois ele provavelmente estava no trabalho.

_ Alô?! Eu estou em uma reunião, retorno depois.

_ Espera, espera Mike! É a Camila! – fez um breve silêncio.

_ Camila? O que aconteceu? Por que está me ligando desse número?

_ Tio Mike a... – e por falta de controle as lágrimas voltaram a descer me deixando com dificuldade pra falar – Lauren sumiu!


Notas Finais


E ai? Não me matem por favor uashusau no lugar disso conversem comigo aqui em baixo :)
Vocês sabem que pra todo autor, saber a opinião dos leitores é algo muito importante e incentivador.
AH! E OBRIGADA A TODOS, A FANFIC JÁ PASSA DE 15O FAVORITOS! VOCÊS SÃO INCRÍVEIS!
Twitter > @mandiscarolis


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...