História Can you be my hero - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Monsta X, Sistar
Personagens Hyoryn, Hyung Won, I'M, Joo Heon, Ki Hyun, Min Hyuk, Personagens Originais, Show Nu, Soyou, Won Ho
Tags All In, Fighter, Monsta X, Perfect Girl, White Girl
Exibições 30
Palavras 2.217
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Musical (Songfic), Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Visual Novel
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Bom shaka laka.
Caso tenha algum erro ortografico, a desculpa de sempre uh?
beijinhos <3

Esse cap será todo narrado pelo Wonho <3

Capítulo 5 - Enfermeiro Hoseok


- Wonho –

Motivos pelo qual ajudei a garota? Bom, existem três. O primeiro é que me ensinaram a ajudar o próximo, segundo que eu morei em um bairro pobre que era dominado por organizações como estas, não só eu, como todas as famílias daquela pequena região, passaram muito trabalho e o terceiro, mas não menos importante, eu fui um estúpido com ela logo que a conheci. Porém, também me sinto responsável por tudo de alguma forma, no momento em que a peguei no colo, senti que precisava protegê-la.

- Hyung, você precisa de ajuda?- Perguntou Changkyun. Ele entrou no quarto e me observou guardar algumas coisas na mochila. Eu apenas neguei com a cabeça e sorri, indicando que estava tudo bem e rapidamente terminei de arrumar as coisas e voltei para a sala onde estavam os outros meninos.

Curiosamente Minhyuk estava na janela, observando a rua e Jooheon e Hyungwon estavam assistindo televisão. O maknae não tinha voltado do quarto e Kihyun saiu da cozinha segurando um bolo em mãos. Eu o olhei sem entender.

- O que é isso? – Perguntei curioso. Ele então me entregou o bolo e correu até o quarto, pegando uma caixa vermelha com uma fita em cima. – O que é isso também?

Ele apenas sorria, não dizia nada que pudesse me responder, eu então dei de ombros, me despedi dos meninos, nada muito dramático, pois eu iria ver os mesmos todos os dias da mesma forma.

Quando sai do apartamento, notei que o garoto de cabelos róseos estava me seguindo. Parei na frente do elevador, e ele fez o mesmo, parando ao meu lado.

- Eu vou acompanhar você. – Kihyun finalmente falou e apertou o botão do elevador. – Se importa?

- O que? – Perguntei novamente. As portas do elevador se abriram e então entramos no mesmo. Ele cantarolava, parecia ansioso com algo. – O que é isso tudo? – Perguntei me referindo ao bolo e ao presente nas mãos dele.

- Para a Seohyun. – Respondeu. O que ele queria com a garota? – Você a conhece?

- Um pouco... – Murmurou sem graça. – Mas ela não se lembra de mim.

- Entendi...  – Confesso que fiquei curioso, mas de certo modo não era hora pra isso.

Perguntava-me se ela já havia chegado, pois se não ficaria na porta esperando, com um bolo aparentemente de chocolate e morangos e o Kihyun ao meu lado.

 

Após alguns minutos, já estávamos no outro prédio, exatamente na frente do dormitório da garota. Eu olhei para os lados, podendo verificar que algumas trainees estavam passando por ali e estranhando eu e o mais novo. Não pensei duas vezes e bati na porta.

Não demorou muito para que o sunbae abrisse a mesma, eu entrei seguido de Kihyun e dei de cara com Shownu sentado no sofá ao lado da garota que estava com o pé apoiado na outra poltrona e comentando sobre algo que nem prestei atenção com o “Appa”.

- Conseguiu arrumar tudo? – Perguntou o sunbae, eu assenti e coloquei o bolo no criado mudo. – Kihyun, o que você veio fazer aqui?

Todos voltaram o olhar para o vocalista principal do Monsta X que estava roxo de vergonha e completamente hipnotizado fitando Seohyun que também passou a corar com a atitude dele. Eu então larguei a mochila no outro sofá e fui até o garoto, indo para trás dele e apertando levemente seus ombros para tentar não só acalmá-lo como que também para desfazer o momento de tensão que se causou por motivos que nem eu sei.

- Ele queria entregar o bolo e esse presente para a Seo. – Comentei. Kihyun deu um breve pulo de seu devaneio e foi até a garota, sentando-se ao seu lado e entregando a caixa.

Eu olhava tudo aquilo de certo modo curioso, mas ao mesmo tempo um pouco entediado. Queria saber o nível de proximidade dos dois, porém também queria conversar com a mais nova.

- Obrigada pelo bolo! – Ela agradeceu. Kihyun sorriu bobo e abaixou a cabeça.

- Quando você preparou? – Shownu perguntou. Ele estava completamente aleatório por ali.

- Ah, foi rápido. – O respondeu tão rápido quanto foi feita a pergunta.

- Você nunca tinha feito nenhum bolo para nós... – Hyunwoo continuou, referindo-se ao nosso grupo.

- Vocês nunca me perguntaram se eu sabia cozinhar. – Kihyun rebateu. Eu apenas assenti com a cabeça concordando.

- Bom, já que são vocês que vão cuidar dela, preciso explicar algumas coisas para vocês, e, por favor, Shownu... Passe a informação para os outros.  

- Sobre o que estamos falando? – Perguntou Kihyun.

- Bom, primeiramente, sei que devem estar curiosos com a minha relação com a Seohyun. Eu fui namorado da mãe dela, e tive um contato meio à distância com a mesma quando ainda era criança, mas logo perdemos esse contato pois ela após sofrer um acidente, perdeu algumas memórias e foi morar com a avó. – Aquilo iria responder o motivo de Seohyun não se lembrar do Kihyun também. Mas que tipo de acidente foi? – O combinado para que Hoseok pudesse ser responsável pela garota, é de ela trabalhar como ajudante oficial do Monsta X em seus turnos de meio período, todos entramos em acordo e sei que não será um problema com os outros garotos.

- Acidente? – Perguntou Shownu. Seohyun assentiu e deu um sorriso fraco.

- Eu tive uma doença muito grave quando criança, e por causa de algumas crises, eu perdi algumas memórias. Fiquei um bom tempo no hospital, mas já melhorei e aos poucos estou recuperando todas as lembranças. – Ela respondeu rapidamente, todos nós entendemos rápido a situação. Mas eu ainda estava curioso.

- Seohyun, isso também é para você. – Kihyun entregou o presente, ela sorriu e agradeceu. Pegou a caixa e a abriu. Deu para ver que era um celular. Até eu me surpreendi. – Eu pensei que você pudesse ter perdido o seu ontem...

- Verdade... – Ela nem mesmo havia se recordado do celular em meio a tanta bagunça. – Eu estava com ele na parte da tarde... E quando vi o cara pela noite, o perdi completamente... Muito obrigado!

Seohyun deu um sorriso tão bonito para o Kihyun, que voltei a me perguntar se realmente ela havia esquecido ele. A forma como os dois se encaravam, era como se fossem amigos por anos, e por mais que ele tivesse total consciência disso, a garota sequer percebia.

- Bom... Acho melhor nós irmos! Seohyun deve estar cansada. – K-Will comentou e foi até a porta, abrindo-a novamente.

Shownu apenas acenou e se retirou, Kihyun me olhou preocupado e acenou para a menina no sofá, assim se retirando também. Eu fui até a porta, trancando a mesma e voltando até o sofá, me sentando ao lado da pequena.

- Está com fome? – Perguntei, ela assentiu e colocou o celular novo ao seu lado no sofá.

- Vou cortar o bolo! Espera aí. 

 

Como deveria cuidar dela? Eu também não sei, mas talvez se eu cozinhasse, cuidasse dos curativos, e a fizesse dormir, já fosse o suficiente.

Direcionei-me até a cozinha, percebendo que a mesma era extremamente organizada. Então foi muito fácil achar os pratinhos e talheres para cortar o bolo.  Voltei para a sala e não demorei a servir um pedaço de bolo para a garota e em seguida um para mim.

- Como ele sabia que era meu favorito? – Ela perguntou, seu olhar voltado para o bolo. Até mesmo parecia uma criança.

- Eu não sei. – Dei de ombros e comecei a comer.

- Por quanto tempo você vai ficar aqui? – Ela perguntou novamente.

- Está feliz com a minha presença? – Rebati, ela sorriu mas logo desfez o sorriso e levou o talher que estava com um pequeno pedaço de bolo até minha boca.

- Não seja convencido assim, uh? – Seohyun deu um sorrisinho forçado e eu então levei um pouco do glacê do bolo na ponta do nariz da mesma. Que logo parou e fez uma careta. – Ya!

- O que foi? Quer que eu tire para você? – Perguntei brincalhão e me aproximei.

Fiquei próximo o suficiente para poder sentir a respiração da menor contra a minha, meus lábios estavam na altura de seu nariz, e eu até mesmo poderia tocá-los apenas para retirar o glacê dali. A observar de perto me deixou um tanto nervoso, e era a primeira vez que me sentia assim. Suas bochechas ficaram avermelhadas e eu acabei corando também e em seguida em afastando e pigarreando.

- Não... Não faça mais isso. – Ela comentou baixinho e olhou para o outro lado, eu apenas concordei sem dizer mais nenhuma palavra.

 

Depois disso, o dia passou rapidamente. Quando chegou às 20hrs, eu fui até o quarto que por sinal era o mesmo que o dela. Porém eu dormiria na cama do lado obviamente. Fui até minha mochila que tinha largado ali, e retirei os medicamentos da garota, incluindo uma pomada para o roxo que ela estava no olho, provavelmente por causa de algum soco.

Seohyun estava tomando banho, então eu apenas esperei na sala pacientemente. Ao meu lado estava o celular novo dela, o que me deu a ideia de colocar o meu contato e o contato dos meninos ali caso ela precisasse de algo. Claro que o meu número ficaria salvo como “Hoseok Oppa <3”, pois eu devo ser o favorito dela.

Larguei o celular e segundos depois ela saiu do banheiro, com um pouco de dificuldade por causa do pé que estava exposto e um tanto inchado. Analisei aquilo preocupado, ela deveria ter colocado ao menos algo para que não se movimentasse tanto... Uma tala seria uma boa.

Levantei-me e fui até a garota, segurando-a pela cintura e a ajudando a ir até o quarto, onde ela sentou em sua cama e me agradeceu. Eu fui novamente até a minha mochila e retirei algumas faixas para imobilizar o pé da mesma. Eu tinha vindo ajudar ela com a intenção de ser o enfermeiro perfeito.

Ela apenas me observava, sem questionar absolutamente nada. Eu então imobilizei o pé dela com todo cuidado do mundo e logo puxei a garota para perto gentilmente.

- Eu disse para você não se aproximar mais assim... – Ela comentou, eu dei uma risada fraca e então peguei a pomada, mostrando para ela.

- Como você quer aparecer na rua com um roxo horrível desses na cara? – Perguntei, ela me olhou irritada, mas então levou a mão no rosto. Lembrando-se do tal machucado. Notei no olhar da mesma que aquilo de certo modo tinha a machucado. – Me desculpa.

- Tudo bem. – Seohyun sorriu e então retirou o cabelo que teimava em cair em seu rosto, colocando-o atrás da orelha.


Mesmo nervoso sem motivo com tal proximidade, passei a pomada com cuidado no hematoma da garota, sentindo até mesmo raiva de quem poderia ter feito isso na mesma. Ela por sua vez nem se movimentava, esperava tranquilamente que eu terminasse de cuidar de seu machucado para que então abrisse os olhos e me encarasse.

- Eu nem perguntei se você iria ficar brava ou chateada de dormir no mesmo quarto que eu... Se quiser posso dormir na sala. – Comentei e guardei a pomada e o resto das coisas.

- Tudo bem! Eu não me importo, pode dormir aí ó... Na realidade me sinto até melhor sabendo que tem alguém por perto. – Pela primeira vez no dia ela sorriu de forma sincera e sem timidez alguma pra mim. Meu coração deu uma leve acelerada naquele momento.

A ajudei a deitar, e a cobri com as cobertas, deixando-a bem confortável. Depois disso, eu peguei minha toalha, uma cueca e uma bermuda e fui para o banho. Estava cansado e de fato não demoraria. Nunca pensei que cuidar dela seria tão cansativo. Seohyun aparentemente não me daria trabalho algum, mas tenho a impressão de que ser seu guarda-costas, enfermeiro e colega de dormitório vai me dar muito trabalho.

Logo que sai do banho e voltei para o quarto, observei que ela já dormia profundamente e já tinha retirado todos os cobertores. Ri com aquilo ao me lembrar de que o Changkyun fazia a mesma coisa e então a cobri novamente e fui para a minha cama, deitando-me em uma posição que pudesse observá-la atentamente.

Sua expressão é tão tranquila, e seu sono é tão pesado que nem mesmo parece que viveu todo o inferno no dia anterior. Eu nunca achei que ficaria tão perto de uma garota novamente, não enquanto estivesse sendo um k-idol que todas as pessoas ou quase todas amam. Nunca pensei que a Starship admitiria isso, mas pelo visto eles não são tão rigorosos assim. Devem confiar cegamente na Seohyun por mais que ela seja apenas uma trainee que por sinal, eu não me lembrava de tê-la visto vagando pelos prédios... O que é estranho. Talvez eu estivesse tão focado nas promoções e nos meus deveres com o Monsta x, que esqueci que também sou humano.

Lembrar da forma como ela lutou tanto para não ser pega por aquele homem e depois se entregou tão rapidamente em meus braços só me fez ter certeza de que de algum modo ela confiava em mim e que eu sem motivo algum aparente, também queria cuidar dela e passar essa confiança.

Bom, de qualquer forma, ela ainda é a garota folgada do prédio do lado e eu continuo sendo quem sabe o favorito dela no Monsta x. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...