História Cantinho do Amor - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Exibições 48
Palavras 2.126
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Festa, Hentai, Lemon, Luta, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


JÚLLIA MONAMUR❤❤ Eu espero que você ame esse capítulo escrito com tanto carinho dedicado a você.
Tanto pedisses para estar no lugar do Kookie, então espero que essa mini fic seja o suficiente😍

Capítulo 2 - Extra N° 2 (ArmyEver2019)


Narrador P.O.V

- Júh, escolhe uma música só, pelo amor de Deus. - Disse Jimin impaciente, sentando estiradamente no banco do parque onde estavam.

- Acontece que não tô achando a música certa, eu quero inspiração mon amour. - Respondeu a garota morena e de cabelos castanhos cacheados à sua frente, com um pé no chão e o outro no skate.

Jimin bufou, conhecia a garota desde muito tempo, os dois eram vizinhos há anos e costumavam fazer tudo juntos. Estudavam juntos, madrugavam juntos, davam tapa nas inimigas juntos e sempre iam para pista de skate juntos. Não que Jimin soubesse andar de skate, porém Júllia, ela era ótima naquilo e seu ditado era: Sem música, sem skate.

- Opa, acho que encontrei a música perfeita! - A garota começou a rir abafadamente, fazendo Jimin suspeitar.

Claro, as suspeitas estavam corretas em surgir. Assim que um áudio constrangedor de Jimin cantando, digamos, de um jeito nem um pouco sério começou a tocar para que todos de passagem ao redor ouvissem.

- Não acredito que você gravou isso! - Jimin se desesperou, levantando do banco em um piscar de olhos.

- Acredite, eu gravei. - Júllia riu e então fez um tipo de um lipsync exagerado para provocar Jimin.

O garoto avançou tentando roubar o celular da mão da menina, porém sua tentativa foi ridiculamente falha quando Júllia fugiu de perto dele andando em círculos com o skate. Como uma brincadeira de pega-pega (nem tão divertida aos olhos de um Jimin desesperado) o rapaz partiu correndo atrás da garota.

- Lento demais, Jimin! Corre mais rápido se quiser me alcançar! - Ela gritou para o melhor amigo, sacudindo o celular no ar.

Júllia se distraiu por um momento com a própria risada descontrolada e um desastrado Jimin conseguiu agarrar o celular de suas mãos. - Peguei! - O rapaz gritou em vitória, contudo não esperava que a garota perdesse o equilíbrio e caísse com tudo em cima dele.

Os dois foram ao chão, Júllia teve sorte em pousar no macio do corpo de Jimin, que caiu diretamente de costas no chão de concreto.

- Ai… - Reclamou a garota ainda um tanto quanto desorientada.

- Merda. - Jimin Praguejou, o áudio ainda tocava o deixando incomodado. Apertou o botão de pause no celular em sua mão, sem nem mesmo sair da posição em que estava, sentia dor demais pra se mexer.

- Foi mal aí. - A morena desculpou-se com um sorriso amarelo de quem é culpada.

- Sai de cima, não tô respirando direito. - Jimin fez drama, como sempre, estava agindo exageradamente.

- Tá bom, tá bom. - Júllia moveu-se de onde estava e se levantou, estendendo uma mão para o rapaz que antes de aceitá-la ainda fez mais um pouco de cena. - Poxa, nem sou tão pesada assim.

- Você que pensa. - Jimin disse levando uma de suas mãos às próprias costas.

- Quer morrer cedo, moleque? - Júh deu-lhe um leve soco no ombro, fazendo Jimin grunhir de dor.

- Que droga, minhas costas estão quebradas por sua culpa! - Protestou o rapaz, agora levando sua outra mão ao ombro que fora agredido.

- Tadinho do bebezão. - Debochou do rapaz exagerado.

- Não estou brincando, Júh. Tá doendo pra caramba. - Jimin disse com os olhos apertados e os lábios tensionados, fazendo a garota realmente começar a pensar que o que ele estava dizendo era verdade.

- Tá, tá. Vamos embora para sua casa então. - Cedeu a garota, já começando a se preocupar com o rapaz.

Jimin reclamou de dor o caminho inteiro até sua casa, Júllia quase cogitou tentar carregá-lo nas costas em uma parte do caminho, somente rejeitou a ideia porque jamais conseguiria segurar o peso dele sozinha. Quando finalmente chegaram, foi uma novela até Jimin subir todos os degraus da escada a caminho de seu quarto.

- Está me deixando agoniada, Jimin. Não pode ser que tenha se machucado tanto só com aquilo. - Júllia disse o ajudando a se deitar de bruços na cama.

- Me dá um beijo pra sarar, Júh. Eu tô dodói. - Jimin falou manhoso, esse tipo de coisa era típico dele.

Apesar dos dois serem melhores amigos há muito tempo, o flerte que rolava era sempre constante. Não era nada sério e nunca tinha acontecido nada entre eles, mas às vezes agiam como se estivessem namorando, isso já havia se tornado comum para eles.

- Fica quietinho aí. - Mandou a morena para o rapaz lindo de traços asiáticos. Júllia agarrou a camisa de Jimin e passou a tentar tirá-la.

- Hey! Tá fazendo o que, garota? - Jimin perguntou puxando a camisa de volta para baixo, então Júh subiu em cima dele, sentando em cima de seu bundão, com um joelho para cada lado daquela cintura.

- Deixa de ser fresco, Jimin. Tá com vergonha de quê? - Júh voltou a puxar a camisa do rapaz, dessa vez a retirando por completo, expondo suas costas com músculos bem desenhados. - Nossa, mas você faz muito de pouca coisa, mesmo. Só tem um arranhão nas suas costas, não tem nem um hematoma sequer. - Disse dando um tapa leve na cabeça de Jimin.

- Mas é verdade, tá tudo dolorido. - Ele disse manhoso novamente, Júllia entendeu aonde ele queria chegar.

- Tá me manipulando para ganhar massagem? - A morena deu-lhe mais um tapa na cabeça.

- Para de me bater, não tô te manipulando. - Mentiu Jimin, era ridiculamente óbvio o que ele queria. Aquele folgado.

- Sorte sua que eu não te odeio. - Disse a garota respirando fundo.

Começou a fazer massagem em Jimin, apertando periodicamente toda a extensão de suas costas com as mãos, usava o peso de seu próprio corpo para fazer pressão em seus músculos, sentindo-os relaxar pouco a pouco.

- Eu te amo. - Jimin falou arrastadamente, fechando os olhos para aproveitar melhor a sensação.

- É claro que você me ama. - Júh respondeu satisfeita, alternando os tipos de movimentos que fazia. - Cansei. - Falou depois de alguns minutos, despencando em cima das costas nuas de Jimin.

- Humm… - Ele respondeu em um tipo de gemido sonolento.

- Você acabou de gemer? - Júllia provocou intencionalmente, sem conseguir segurar uma risada.

- Seus peitos estão esmagando minhas costas. - Provocou de volta, atingindo em cheio a menina que se sentiu novamente com pressa.

- Tarado. - Cruzou os braços irritada, porém logo foi surpreendida com Jimin repentinamente virando-se de barriga para cima. O rapaz segurou sua cintura e a puxou para bem perto de seu rosto. - O que está fazendo?

- Sei lá. - Sussurrou de tal forma que um arrepio quente fez Júllia estremecer.

- O que diabos “sei lá” significa? - Sussurrou de volta para o rapaz que agora percorria suas mãos sem hesitar pelas curvas da morena.

- Não sei… - Jimin baixou o olhar que antes fitava direto os olhos cor caramelo da garota para sua boca, de repente uma vontade de mordê-la surgiu com força.

- E o que isso sign… - Júh foi interrompida pelo calor dos lábios molhados do melhor amigo. Pensou em afastá-lo e depois lhe estapear a cabeça uma vez mais, porém aquela boca era como uma prisão da qual não queria fuga.

Júllia podia sentir o abdômen trincado de Jimin embaixo de si, estava sentada sobre sua cintura e aquilo lhe dava um mau pressentimento, afinal ela não conseguia parar a si mesma. Que se dane, pensou. Agarrou Jimin pelos cabelos e o forçou a beijá-la com mais intensidade, ele respondeu trocando-os de posição, ficando por cima de Júh.

Nem sequer uma palavra saia da boca de ambos, nenhum dos dois estava querendo interromper aquele momento para poder voltar a ser regional e lembrar que eram dois melhores amigos. Jimin usou sua língua para lamber a extensão dos lábios da garota ao mesmo tempo que ousou um pouco mais e levou uma de suas mãos ao seio da morena que não usava sutiã por baixo da regata, apertando-o com mais gentileza do que gostaria.

Impaciente com a paciência de Jimin, Júllia pôs suas mãos sobre as dele e o fez apertar seus seios com devida força. Porra, o que ela estava fazendo? Nem mesmo ela sabia, porém era como se desejasse aquilo de Jimin há tempos e só agora estivesse matando uma sede que vinha sentindo por um longo período. O rapaz quebrou o beijo para poder provar um pouco do pescoço da morena, descendo caminho até lá por uma trilha molhada que traçou do queixo para a clavícula de Júllia.

Jimin olhou para cima, procurando os olhos da garota enquanto descia uma de suas mãos para o meio das pernas dela, pondo sua mão dentro de seus shorts. Não desviou o olhar por nem mesmo um milissegundos, como se procurasse algo como uma permissão de Júllia para o que estava fazendo. Desde que a única resposta que recebeu foi o silêncio e os arfares da menina, supôs que estava permitido à continuar.

Júh agarrou os cabelos do rapaz e o puxou para um beijo necessitado, Jimin acariciava sua intimidade com os dedos por cima da calcinha, prestando muita atenção à cada uma das reações de Júllia, desde a forma como ela gemia cada vez mais alto até a o jeito como ela fechava os olhos quando ele a tocava em um lugar mais sensível do que os outros. Jimin decidiu quebrar a fronteira que os separava do contato direto, escorregando suas mãos para dentro da calcinha da garota.

- Ah… droga, Jimin. - Protestou quando sentiu o toque quente de seus dedos logo em seu clitóris.

Vendo que Júllia estava ficando cada vez mais excitada, acelerou os movimentos circulares que fazia em sua intimidade, querendo vê-la enlouquecer ainda mais. A morena não conseguia deter sua cintura que se mexia junto com os dedos de Jimin, a sensação de prazer estava tomando conta dela. Recebia estímulos do rapaz beijando seu pescoço, já não bastasse sua outra mão que lhe acariciava os seios.

Até que Jimin parou, Júllia quase engasgou de frustração, mas apenas ficou observando enquanto ele descia seus lábios para o meio de suas pernas. Droga, ele faria aquilo, e droga, ela queria.

- Abre mais. - O rapaz disse separando as pernas de Júllia para os lados, após arrancar os shorts e a calcinha que vestia.

Por alguns longos segundos tudo que Jimin fez foi observar a beleza do que havia ali exposto e desprotegido a sua espera, fazendo as bochechas de Júh se tornarem mais vermelhas que um pimentão. Sem a capacidade de esperar mais por aquilo, Jimin começou a lamber e chupar tudo que tinha direito na intimidade de Júllia, que tudo que fez foi soltar um alto e sonoro gemido.

- Jimin, eu vou… - Não conseguiu terminar a frase antes de chegar ao ápice. Se desmanchou completamente na boca do rapaz.

- Isso foi bem rápido. - Provocou o garoto de cabelos cinzas com uma risada maliciosa.

- Cala… a sua… boca… - Disse a morena ofegante, ainda se recuperando da explosão de prazer. - Hora do payback!

Júllia levantou-se ligeiramente e empurrou Jimin que caiu no colchão. Habilidosamente abriu o zíper da calça do rapaz e a abaixou junto com a cueca, revelando seu membro já ereto.

- Vamos ver quem goza mais rápido. - Provocou antes de abocanhar o membro completo do garoto.

Jimin deixou um gemido alto escapar por seus lábios, assim que não espera aquilo. Olhou para baixo, observando aquela cena obscena que fazia seu peito queimar de dentro para fora. Os olhos cor de mel da garota se tornavam negros de luxúria e desejo, Jimin pensou que seus olhos provavelmente também refletiam aquele mesmo brilho escuro.

- Porra, não vou aguentar. - Jimin segurou os cabelos encaracolados e volumosos de Júllia, porém sem força. - Para, não quero gozar assim.

A morena parou assim que escutou as palavras arrastadas de Jimin, e eram tão sugestivas. Era mais do que claro o que o rapaz queria.

- Se cruzarmos essa linha não tem volta, sei lá, somos melhores amigos. - A morena disse fitando um Jimin necessitado por prazer.

- Mas ninguém acredita nisso. Acho que nem nós. - Ele disse se referindo ao fato de todos acharem que nós dois sempre fomos namorados desde o início.

Júllia ficou em silêncio o encarando por um momento, tentando decidir se queria de fato aquilo. Jimin jogou o próprio cabelo para trás com os dedos e mordeu o lábio inferior, sem dúvidas impaciente.

- Dane-se. - Foi a última coisa que ela disse antes de atacar aquela boca rosada e carnuda do rapaz agora mais do que seu melhor amigo.


Notas Finais


De novo eu parei na melhor parteeee😂😂😂 Desculpa, não quero que o ato aconteça antes de eu postar o primeiro Lemon no Save Me, compreende?
ArmyEver do meu kokoro metralhado, espero que tenha adorado, vc é uma le
pessoa incrível que eu tenho o prazer de ter como leitora e vc merece muito, mas muito essa mini fic. #BjoNosCu


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...