História Cão de Briga ( Imagine BTS ) - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, J-hope, Jimin, Jin, JR, Jungkook, Mark, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V, Youngjae, Yugyeom
Tags Bts, Drama, Got7, Romance, Violencia
Exibições 253
Palavras 2.882
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Luta, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá meus amores! Primeiro eu tenho que agradecer aos 74 favoritos e a todas visualizações. Muito, muito, muito obrigada!
Agora vamos a um capítulo do biscoito mais gostoso do mundo.

Capítulo 13 - O despertar


Fanfic / Fanfiction Cão de Briga ( Imagine BTS ) - Capítulo 13 - O despertar

Jeon Jungkook on

Me revirava na cama a espera do sono, mesmo depois de uma noite de sexo eu não conseguia dormir e o pior eu nem sei o motivo. Peguei o relógio que estava em meu criado-mudo e vi que já se passavam das 2:50 da manhã, resolvi ir na cozinha tomar alguma coisa, não conseguia mais continuar deitado brincando de adivinhação ao tentar me lembrar do nome da garota que estava ao meu lado.

- Aonde você vai amor? - ela perguntou manhosa quando eu me sentei na cama o que acabou fazendo um pequeno barulho.

- Não consigo dormir. - digo sério me pondo de pé, ela então acende a luz do abajur.

- Então vamos fazer um passa tempo. - ela fala engatinhando em minha direção e segurando a barra da minha blusa a puxando para cima.

- Não estou afim. - falo seco retirando a sua mão de cima de mim e me dirigindo a porta mas antes que eu encoste na maçaneta a dita cuja segura o meu pulso - Deus me dê paciência. O que você quer agora? - pergunto estressado, voltando a encarar aquela mulher.

-Nossa quanta grosseria! - ela fala ofendida mas não solta o meu pulso - Eu não acredito que você vai me deixar aqui sozinha. - ela parece incrédula e eu reviro meus com o seu drama - Pois saiba que se você me deixar aqui sozinha, eu vou embora e nunca mais volto. - ela diz cruzando os braços como se me desafiasse.

Me aproximo dela lentamente, vejo seu peito subir mais rápido e ela fecha seus olhos esperando por algum contato. Passos meus braços pela sua cintura e ela arfa, vou em direção ao seu ouvido e ela inclina sua cabeça para me dar acesso ao seu pescoço e eu acabo sorrindo ao notar o seu desespero, começo a dar leves beijos trilhando um caminho que vai do final seu pescoço até a sua orelha e me divirto quando ouço os seus suspiros. Paro ao chegar a sua orelha, a sua expressão me divertia ela estava de olhos fechados e completamente mole em meus braços, tão excitada, tão entregue, tão, tão... fácil.

- Só se você me prometer uma coisa. - falo divertido.

- Tudo o que você quiser meu bem. - ela fala com aquela voz enjoada em meios aos suspiros e eu reviro os olhos. Por que eu fui pra cama com ela mesmo?

- Apague a luz quando sair. - falo me afastando dela, sua expressão muda de excitada para completamente frustrada e eu acabo sorrindo com isso - E não se esqueça de levar tudo o que lhe pertence, não quero nem sequer sentir o seu perfume no meu quarto. - falo antes de sair batendo a porta. Passando pelo corredor ouço gemidos e roncos mas um quarto em especial se mantém silencioso, Dominic não acordou desde que JB injetou aquilo nela e já se passaram mais de 24 horas. Mas porque isso seria da minha conta?

Retomo a minha consciência e faço o meu caminho até a cozinha, o andar de baixo estava em completo silêncio e escuridão. Na geladeira encontro várias opções de bebidas alcoólicas mas acho mais confiável tomar só um copo de suco, afinal eu tenho quase certeza que aquele desastre que se encontra no meu quarto foi resultado daquele whisky, não que eu tenha bebido muito só o suficiente para deixar aquela criatura interessante. Me sento na bancada com o copo de suco em mãos tentando relaxar e esperando que o sono apareça, bebo o suco com calma enquanto a minha mente viaja para um lugar que eu me nego a acreditar: O quarto no final do corredor! Fico um bom tempo encarando o copo já vazio em minhas mãos, me lembro que ainda é de madrugada e olho para o relógio na parede a minha frente, 3:35 da manhã e nada de sono.

Depois de lavar o meu copo, me direciono as escadas seguindo para o meu quarto em passos lentos. Os barulhos do corredor já haviam diminuído mas entre um gemido aqui e outro ali um som me chamou a atenção, um choro. Passei pelas portas dos quartos na tentiva de identificar quem estava chorando até chegar na última porta, o quarto de Dominic. Giro a maçaneta lentamente e adentro aquele quarto que só está sendo iluminado pela luz da lua mas ainda sim era possível ver sua silhueta deitada na cama, depois de fechar a porta me aproximo de Dominic , seu rosto além de estar tomado pelas lágrimas ela também suava frio.

- MÃÃÃÃÃÃEEEEEEE!!!! - ela gritou enquanto se debatia e chorava mais, mas em nenhum momento ela abria os olhos.

- Dominic! - a chamava baixo - Dominic, você está sonhando, acorda! - continuava a chamá-la enquanto a balaçava de leve. Ela não acordava e só chorava e se debatia ainda mais - Dominic, você está me assustando. Vamos acorda!

- Mãe, socorro. - ela falou entre as lágrimas, quase em um sussurro mas eu consegui ouvir. Me levantei e fui ao seu armário pegar uma toalha e voltei para perto dela que agora só choramingava. Sequei o seu rosto com cuidado até que ela o virou em minha direção, as lágrimas brilhavam a luz da lua enquanto faziam o trajeto em seu rosto. Ela começou a dizer coisas desconexas enquanto chorava e depois de algum tempo começou a tremer e cerrar os punhos, coloquei a mão em sua testa mas ela não estava com febre. Seja lá qual for a alucinação que ela está tendo, a está deixando muito nervosa. Sem ter muito o que fazer, fiz a única coisa que eu poderia ter feito naquele momento: a abracei.

- Shiii...vai ficar tudo bem. - a balaçava em meu abraço como se estivesse embalando uma criança recém-nascida. Dominic ficou em meus braços até que seu corpo aos poucos foi relaxando, ela parou de de falar coisa com coisa e agora o único som que se ouvia dentro do quarto eram os seus suspiros e as nossas respiraçãoes. A deitei com cuidado e me deitei ao seu lado apoiando a minha cabeça em meu braço, a encarei e comecei a fazer um carinho em sua cabeça recebendo um suspiro como resposta, não pude deixar de sorrir com isso - Até que eu gostei de cuidar de você assim, tão indefesa... - disse em meio a um bocejo - mas eu sinto falta da sua boca inteligente. - disse sentindo meus olhos pesarem.

[...]

Eu me negava a acordar enquanto a claridade teimava em atingir meus olhos, nunca tinha dormido tão bem assim então só abracei mais aquele corpo que estava ao lado do meu sentindo o cheiro doce de seu cabelo. Calma aí, o que eu estou fazendo?! Rapidamente abri meus olhos e me deparei com uma cena tanto estranha quanto reconfortante, Dominic dormia com a cabeça em meu peito sua mão estava em meu abdômem e sua perna estava por cima da minha enquanto a minha mão estava em sua cintura. Me lembrei da madrugada díficil que ela teve e me sinto bem em saber que eu consegui ajudá-la a se acalmar, fiquei a encarando por algum tempo sentindo a sua respiração contra o meu peito e me surpreendi quando notei que a minha mão subia e descia na extensão de suas costas se alguém entrasse aqui agora pensaria...Se alguém entrasse aqui? Argh, eu preciso sair daqui. Me levanto devagar e sigo em direção a saída, abro a porta com cuidado rezando para não me esbarrar com ninguém e ter que dar explicações que eu não saberia explicar. Fui direto para o meu quarto o encontrando vazio. Graças a Deus! Peguei uma roupa e tomei um banho mas não conseguia tirar a sensação de ter Dominic em meus braços, mas que porra de pensamentos são esses? Se recomponha Jeon Jungkook.

Saio do meu quarto completamente frustrado, como alguém consegue mudar de humor assim tão rápido? Sigo em direção as escadas já conseguindo ouvir a algazarra dos hyungs e algumas vozes femininas, quando chego a sala de jantar o barulho cessa mas eu nem sequer presto atenção em ninguém só sigo em direção a uma cadeira vazia e me sento.

- Bom dia para você também Jungkook! - Hoseok falou divertido.

- Bom dia. - falo sem nem levantar o meu rosto e sem nenhuma empolgação.

- Bom dia oppa! - aquela criatura exclamou tão entusiasmada do outro lado da mesa que levei um susto.

- Achei que tivesse ido embora. - falei curto e grosso atraindo olhares assustados dos hyungs.

- Resolvi te dar uma segunda chance. - ela responde com um sorriso que não cabe em seu rosto, passo uma mão pelo cabelo completamente nervoso.

- Que isso Jungkook? Trocou de lugar com o Yoongi hyung? - Jimin me perguntou e só aí reparei que todos já estavam na mesa, olhei para o relógio que marcavam 10:30 da manhã.

- Cara, você tá bem? - Taehyung dizia enquanto balançava a mão na minha frente.

- Est... - fui interrompido pela piranha que eu nem me lembro o nome.

- Ele só não conseguiu dormir bem essa noite, não é kookizinho? - ela responde sorrindo e eu a encaro incrédulo enquanto ouço alguns risos. Mas que merda foi essa de me chamar de Kookizinho? Eu nem me lembro do nome dela e ela já vem com apelidos.

- Huuummm, quer dizer que o Kookizinho aproveitou bem a noite? - Jimin perguntou malicioso e garota a minha frente sorri fingindo estar constrangida. Eu mereço!

- Pode me responder uma coisa? - pergunto a garota ignorando completamente a pergunta do hyung.

- Todas que você quiser meu bem. - ela responde com um sorriso no rosto esticando a mão por cima da mesa tentando alcançar a minha mas eu a retiro.

- Qual é o seu nome mesmo? - pergunto ouvindo todos os que estavam na mesa gargalhando.

- Lucy. - ela responde e abaixa a cabeça, agora sim ela está constrangida de verdade.

- Aaahhh... Lucy pode me fazer um favor? - eu pergunto. Ela imediatamente levanta a cabeça e acena positivamente completamente animada - Nunca mais me chame de Kookizinho, ouviu bem? - falo sério e ela concorda triste voltando a abaixar a cabeça.

- Credo Jungkook! O que aconteceu com você? - Hoseok hyung perguntou indignado e eu reviro os olhos - No seu caso parece que o sono não altera só o humor não, altera também a educação. - o hyung comentou. E como eu falaria para ele que apesar dos pesares eu tive a melhor noite de sono da minha vida? Bati em minha cabeça de leve na tentativa de retirar aqueles pensamentos idiotas. Daquele ponto em diante o café se tornou silencioso, ouviasse um burburinho aqui e outro ali mas nada que merecesse a atenção de todos como antes, pelo menos até o Jin hyung se pronunciar.

- Namjoon precisamos ligar para o JB para saber o que ele deu a Dominic. - nesse momento todos direcionamos a nossa atenção ao nosso líder e ao nosso hyung mais velho - Eu estou preocupado. Daqui a pouco vai fazer 48 horas que ela não acorda. - todos os homens da mesa estavam prestando atenção as palavras do mais velho, o que deixou as mulheres presentes irritadas e logo começaram a cochichar umas com as outras, entre os cochichos era possívela ouvir alguns palvrões contra Dominic mas nada que precisasse de atenção.

- E o que você me sugere Jin? - Nam hyung fala passando a mão pela cabeça visívelmente preocupado - O JB já falou que só deu um sedativo para ela.

- Se fosse só um sedativo ela já teria acordado, não é? - Jimin entrou na conversa.

- E se ele deu uma superdosagem a ela? - Taehyung pergunta.

- Bom, uma superdosagem resultaria em difilcudade para respirar levando à uma parada respiratória, pressão baixa... - Jin hyung explica mas é interrompido por Hoseok hyung.

- Então está tudo bem, né? Você já foi ver como ela está e ela não teve nada disso, não é?! - ele pergunta otimista mas a expressão do mais velho não é das melhores.

- Na verdade a pressão dela abaixou bastante... - ele faz uma pausa parecia estar tomando coragem, então limpou a garganta e continuou - e ainda há a possibilidade de coma e se esse for o caso vamos ter que entubá-la. - nos encaramos completamente atônitos sentindo aquele silêncio angustiante tomar conta do lugar e só foi quebrado por Taehyung e Hoseok, que foram os primeiros a deixarem as lágrimas cair; Jin e Jimin fungavam tentando segurar as lágrimas mas vez ou outra uma insistia em descer sendo interrompida rapidamente por suas mãos; já Namjoon, Yoongi e eu estavamos estáticos, não sei se eu estava sem expressão como os outros dois mas mesmo assim não deixava de estar preocupado, os pensamentos de hoje mais cedo retornaram e eu sentia uma tristeza me consumir. Mas por quê?

Em meio aquela lamúria ouviasse as conversas aleatórias com gestos vulgares e nada sutis daquelas mulheres que estavam à mesa tentando a todo custo chamar a nossa atenção. De repente o som de passos ecoam pelo ambiente atraindo a atenção de todos, Dominic caminha calmamente com a mão na cabeça em direção a mesa passando por mim, pega uma maçã e segue para um canto da sala de jantar se sentando no chão, completamente alheia aos olhares de surpresa que recebia.

- DOMINIC?! - todos nós falamos ao mesmo tempo atraindo a atenção da menor que nos olha com uma cara de assustada mas que logo se transforma em uma de dor.

- Que? - ela pergunta com a mão ainda em sua cabeça, parecia estar sentindo dor.

- O que você está fazendo aqui embaixo? - Namjoon hyung pergunta.

- Comendo, não está vendo. - ela fala arqueando uma sombrancelha e levantando a maçã mordida - Eu estava com fome e se a comida não vem até mim eu vou até a comida. - ela fala dando outra mordida na maçã e sorri sem desviar o seu olhar do nosso líder.

- Não é isso Dominic. É que você precisa de repouso. - Jin hyung avisa e ela só revira os olhos - Taehyung, pegue a maleta de primeiros socorros. - Jin hyung pede indo em direção a Dominic e se sentando ao seu lado - Você está sentindo alguma coisa? - ele pergunta preocupado.

- O que? Por quê? - ela pergunta parecia que não estava entendendo nada.

- Porque por algum acaso a senhorita resolveu nos asssustar dormindo por quase dois dias inteiros. - ele dizia com a voz embargada e ela arregalou seus olhos em surpresa. Mas a surpresa maior foi ver Jin a abraçar com força recebendo um grunhido de dor de Dominic, ele sussurrou algo em seu ouvido e depois se separou dela recebendo um olhar terno e um leve aceno de cabeça acompanhado de um sorriso doce.

- Para falar a verdade estou com uma dor de cabeça de matar. - ela fala enquanto Jin estava atento ao que ela dizia. Taehyung chegou ofegante com a maleta em mãos e Jin hyung rapidamente começou a verficar sua pressão.

- Pelo que eu fiquei sabendo não é só a sua dor de cabeça que é de matar, né queridinha?! - Lucy se intromete na conversa. Todos os hyungs olham para mim com reprovação.

- Que?! Eu não disse nada para ela. - afirmo levantando as minhas mãos em rendição, eles negam com a cabeça decepcionados e eu bufo com isso passando a mão pelos meus cabelos. Só essa que me faltava.

- Realmente queridinha... - Dominic disse dando ênfase na última palavra - não é só a minha dor de cabeça que é de matar, e se você sabe disso então deve saber também que não é bom me provocar. - ela fala sorrindo direcionando o seu olhar a Lucy que tenta se manter calma mas é possível vê-la tremer.

- Você não tem jeito mesmo, Dominc! - Hoseok hyung comenta com o maior sorriso que eu já vi.

- Se passaram quase dois dias, vocês deviam estar com saudade da minha boca inteligente. - ela fala. Eu automáticamente a encaro mas ela mantém seu rosto inexpressivo prestando atenção no que Jin hyung fazia, será que ela sabe que era eu? Droga! E lá se vem aqueles pensamentos de novo, sinto meu rosto começar a esquentar com a possibilidade dela se lembrar de mim daquela forma... droga, Dominic! Eu já a encarava com tanta intensidade que acabei atraindo a sua atenção, ela começa a me encarar da mesma forma, vejo um sorriso se formar em seus lábios antes dela piscar para mim e voltar a sua atenção ao que o Jin hyung dizia enquanto fazia um carinho em seu braço, a deixando um pouco desconfortável. Fecho meus olhos e respiro fundo tentando reprimir as lembranças de como é a sensação de tê-la em meus braços. Mas que droga Dominic!

" Você pode fechar seus olhos para coisas que não quer ver, mas não pode fechar seu coração para as coisas que não quer sentir."

Autor desconhecido


Notas Finais


Então foi isso meus amores, eu espero que tenham gostado. Bom eu adoraria saber a opinião de vocês desse capítulo que na minha opinião foi o mais cute... mas, deixo claro que não sei com quem ela vai ficar ainda, então eu aceito sugestões e ao decorrer da história eu vejo qual se encaixa melhor.
Kisses e até o próximo...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...