História Caos - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 2
Palavras 305
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Lemon, Mistério, Orange, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - Uma ajudinha, por favor?


Era um domingo, já madrugada. Se passavam das 3 da manhã. Minha cabeça girava em torno de si, desnorteada, até pensei que estivesse entrando num movimento de rotação e translação. Mas que diabos aconteceu comigo? Era o efeito das bebidas que tomei, das quais perdi a conta. Talvez, minha carteira também tenha perdido a conta...  Escorada no balcão, olhei pro lado e vi uma garota alguns metros longe de mim, me olhando com certa intensidade.

Me afastei e sentei em uma cadeira que milagrosamente estava afastada da multidão, ninguém por perto. Abaixei minha cabeça e fitei o chão, ela explodia com as malditas luzes coloridas. Ao olhar novamente pra cima, a mesma garota que me encarava de longe, agora estava na minha frente.

MAS QUE PORRA! - me assustei - VOCÊ É ONIPRESENTE, É? - disse eu com um tom não muito estável de bêbada... 

Me levantei antes que ela pudesse responder e me senti tão tonta quanto meu cérebro. Senti suas mãos me segurarem com certa força, evitando um mico em público. 

Xxx: Onipresente não. Katy. 

Dei uma risada descontrolada, meio escandalosa. Parei por uns segundos e soltei uma piada que eu realmente me envergonharia num estado sóbrio:

KATY PERRY?! HAHAHAHAHA. 

Katy: Kataryna. Com "y" - disse ela séria - ,Você precisa ir pra casa, descansar. 

Mas você pode ser estupradora... 

Katy: Seria seu dia de sorte. 

Não. Não me perguntem se tenho um neurônio a menos, levando alguém que nem conheço pra minha casa. Eu não tenho, fato. E também, preciso de cuidados, ou coloco fogo na casa.

Saímos da bagunça da casa de shows e pegamos um táxi, passei meu endereço com certa dificuldade para o rapaz que dirigia o mesmo, devido à minha fala bagunçada. 

Tudo bem, silêncio no táxi. Senti uma sonolência dominar meu corpo, um cansaço. Desmaiei de sono no colo da garota. 






Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...