História C.A.O.S.: Carnalmente Apaixonada, Operação Sonserina! - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Hermione Granger, Pansy Parkinson, Personagens Originais
Tags Amor, Bissexual, Brigas, Escola, Gay, Granger, Harry Potter, Hentai, Hermione, Hermione Granger, Hogwarts, Lesbian, Lésbica, Love, Magia, Magic, Panmione, Pansy, Pansy Parkinson, Parkinson, Romance, Sex, Sexo, Universo Hp, Yuri
Exibições 179
Palavras 2.500
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, FemmeSlash, Ficção, Hentai, Magia, Musical (Songfic), Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Leitura não indicada para pessoas com taquicardia ou asma. Não me responsabilizo por ataques do corações, muito menos por calcinhas molhadas e nem por ataques de ansiedade.

AGORA COMEÇA PANSY E MIONE, MINHA GENTE!

Capítulo 12 - Iniciativa inesperada


"They said I couldn't. That's why I did." 

 

Depois de saber a história por trás de toda tensão entre Amanda e Blaise, decidi fazer alguma coisa. Não tive a oportunidade de falar com ela ainda pois nenhuma das aulas que tínhamos juntas, ficamos por perto. Ela gostava de socializar com Daphne Greengrass porém depois dos acontecimentos passados envolvendo ela e Draco, antes de todo nosso "relacionamento", me mantive afastada da mesma, mesmo ainda trocando algumas palavras, somente quando necessário.  

Entretanto, Mikaela gostou de saber da história, vendo agora alguma humanidade no ato desesperado de Blay ficar com várias garotas, nunca namorando nenhuma delas. De acordo com a loira, ele tinha a necessidade de ter o poder e controle com todas, já que ambos os pais o controlavam em relação a falar sobre a própria irmã. Ela estava bolando um plano para que assim que eu chegasse da ronda, falássemos com a nossa pequena e teimosa amiga, fazendo-a perceber assim que poderiam ser amigos.  

No meu caso, estava torcendo para que tivessem algo como um relacionamento e namoro pois, depois de tudo que vivi com Blaise, percebi que ele precisava de alguém para confiar e amar. Mesmo eu amando como um amigo, sabia que ele precisava de mais para colorir seus dias frios e cinzas... Assim como eu precisava.  

Precisava de Hermione e o arco-íris que ela era em minha vida. Trazia paz, alegria e até mais confiança para que eu finalmente, conseguisse ser a melhor Pansy Parkison que eu poderia ser. Aquela Pansy que faz o que quer, não pensando em como os outros enxergam. Aquela Pansy que pode ajudar uma simples novata da Lufa-Lufa com seus livros pesados ou que tira 20 pontos da Sonserina por uma briga de alunos.  

Uma Pansy mais verdadeira.  

Por Cissy, por Hermione e principalmente, por mim.

 

*** 

- Então você fez a poção polissuco sozinha? - Ronda escolar agora era a hora mais prazerosa da minha noite. Nas últimas horas, descobri manias e toques de Hermione, conquistei sua confiança para tal contar todas as coisas que já fez com o Santo Potter e o mais importante, perceber que Hermione tem um sotaque diferente para Inglaterra. Britânico, claro, mas quase cantado! Meu nome saia tão bonito de sua boca carnuda...  

- Bom, é. Não foi tão difícil, afinal. - Gênio. Ela sempre foi um gênio que Snape ignorou por todos esses anos! Que eu mesma, fazia questão de irritar.  

- Se eu soubesse que você era tão inteligente, teria feito amizade antes. - Soltando uma gargalhada gostosa, abriu e fechou a porta de uma das salas do imenso corredor que estávamos, apenas checando se a mesma estava trancada me encarando, divertida. - O que? Você acha mesmo que meu interesse por sua amizade é mais do que isso? Puro interesse?  

Já não fingia ser fechada em sua presença. Já não me importava de sorrir com ela. Já não me importava se ficava realmente boba perto de Hermione. Nem ligava mais de dizer seu nome em voz alta! Construí uma notável amizade com a Grifinória, tanto que já fazia brincadeiras sem nem pensar.   

Com um sorriso leve nos lábios, andava calmamente com a varinha em punho, apenas esperando Hermione começar outro assunto, achando que minha brincadeira iria ser apenas isso, sem uma resposta à altura porém, quando estava prestes a virar o corredor para descer a escada, no intuito de checar se nenhum brinquedo foi esquecido por alguma criança, sinto sua mão quente em meu braço, puxando e empurrando meu corpo para a parede.   

O tempo pareceu parar, como num feitiço. Aquela cena passava lentamente, como se eu não fizesse parte dela!   

- Então quer dizer que você tem interesse? - Sua voz estava baixa e mais rouca que o normal, fazendo com que os pelos do meu corpo se eriçassem. Refreei meus movimentos bruscos sabendo que naquela posição, frente a frente com ela, separada por poucos centímetros de distância do seu corpo, qualquer movimento brusco seria uma catástrofe do tipo de cairmos juntas pela escada.   

- O que? - Eu sabia em que assunto estávamos. Eu sabia qual era a intenção de sua pergunta porém mesmo assim, decidi confirmar pois querendo ou não, minha imaginação estava pregando-me algumas peças ultimamente.   

- Perguntei: Quer dizer que você tem interesse? Tem interesse em mim? - Seu tom de voz era firme, deixando claro que não estava dando sequência na brincadeira. Muito pelo contrário, ela queria confirmar o que, provavelmente, assim como minhas amigas e provavelmente até minha própria irmã caçula, já perceberam: Meu real interesse.   

- Do que tá falando, Mione?! - Eu não consegui pensar direito! Eu pensava em tudo e em nada, ao mesmo tempo. Só o hálito mentolado que saia por entre seus lábios carnudos e vermelhos, deixava-me tonta! Tonta do tipo louca, tonta do tipo "apenas me beija, pelo amor de Merlin!". E mesmo assim, não conseguia falar o que queria, deixando escapar seu apelido que, apenas em sonhos, havia pronunciado.  

- Estou falando, Pan... - Meu coração quase saiu pela boca quando sua mão recostou-se em minha cintura. Apenas um leve toque e mesmo assim estava perfeito! Sua mão magra encaixava-se perfeitamente em mim, fazendo mais um leve arrepio percorrer meu corpo todo. Tive que refrear um gemido que quase foi de encontro com os lábios convidativos de Hermione. - De que apenas talvez, você tenha um interesse realmente maior do que aparenta ter, huh?!  

Minha boca abria e fechava sozinha, sem meu consentimento. Meu cérebro travou e, tudo o que conseguia fazer era admirar o sorriso convencido estampado no rosto bonito de Hermione. Ela havia me pego no flagra e, talvez, mais do que antes, eu estaria à mercê de toda sua inteligência. Perdi meus sentidos, encarando aquela floresta escura que eram seus olhos. Seu olhar era exatamente como um Leão, pronto para atacar e morder sua presa e, mesmo querendo mentir sobre tudo aquilo, não conseguia reação.   

- Até parece que você não confia em mim, Pan... - Sua voz, cada vez mais baixa e próxima, fazia com que eu desejasse fundir meu corpo com aquela parede em que colocava todo meu peso, recostando-se num quadro, provavelmente vazio, devido a hora.   

- Eu confio. - Fechei os olhos, a mercê da Grifinória. Ouvi seu suspiro baixo e logo em seguida, pude sentir sua respiração em minha orelha.   

- Então diz. Me diz o que você quer comigo. - Um gemido baixo escapou por meus lábios quando imaginei seus lábios abrindo e fechando, em sua fala mansa, sussurrando somente para mim. - Me diz, Pansy.   

Meu corpo estremeceu quando Hermione suspirou rente ao meu ouvido, para logo em seguida amolecer, fazendo com que minhas pernas ficassem bambas e a varinha caísse de minha mão. Ousei segurar em seu braço e levei minha outra mão que nem me lembro onde estava, para sua cintura. Tremia levemente de ansiedade, não querendo abrir os olhos para a realidade.  

- Merda, Hermione. - Tentando deixar minha mente limpa para pensar, apertei sua cintura fazendo com que o peso do seu corpo antes controlado pela própria Grifinória, viesse de encontro com o meu. Um gemido escapou pelos lábios que dessa vez, não eram meus. Ainda com os olhos fechados, migrei minha mão de seu braço para seu ombro, puxando levemente seu corpo para mais perto, fazendo com que finalmente, nossas respirações ficassem próximas o suficiente para que nossos lábios se tocassem levemente. Ela iniciou um beijo leve, levando sua mão até minha nuca, puxando-me mais para si.   

Seu cheiro preencheu tudo ao meu redor e tudo o que eu conseguia sentir eram seus toques no meu corpo. Em seus lábios, o leve gosto de manjar dos Deuses. Suas unhas arranhavam superficialmente minha nuca, fazendo com que suspiros escapassem por meus lábios, indo de encontro com os seus. Abracei sua cintura com um dos braços, deixando o outro livre para que minha mão fosse acariciar seu rosto.   

Merlin, aquela era a melhor sensação que já havia sentido esse ano. Talvez, nessa vida!  

Hermione ditava o ritmo do beijo. Hermione apertava ainda mais meu corpo contra a parede. Hermione soltava gemidos baixinhos e não parava, um só instante, de me beijar. Eu estava sendo comandada por ela e agradecia por isso afinal, isso mostrava que ela me desejava tanto quanto eu a desejo.   

Seus toques foram ficando mais lentos, como se ela não quisesse pará-los. Admito que eu não queria.   

- Por Merlin... - Abri os olhos no momento que seus lábios deixaram os meus, apenas para confirmar a visão da realidade. Aqueles lábios carnudos, ainda mais inchados. Seu peito subindo e descendo depressa, como se tivesse corrido para se salvar de Lobisomens. Seus olhos encaravam não só meus olhos, que provavelmente estavam vidrados nela mas também, em minha alma. - Nossa.   

- É, nossa. Nossa mesmo. - Nossos corpos ainda se tocavam. Sua mão em minha nuca e meu braço em sua cintura. Aquele momento foi o mais calmo de toda a minha existência e por Merlin, não queria que acabasse.   

- Você... Nossa. Isso... É muito para assimilar. - Soltamos breves risadas e eu provavelmente estava com a expressão mais abobalhada possível porém, Merlin sabia que eu não ligava a mínima. - Você realmente é muito. Muito mesmo. - O sorriso que percorria meus mais profundos pensamentos, crescia em seus lábios e senti seus dedos, quentes e macios, percorrerem meu rosto, acariciando levemente minhas bochechas.   

- Muito...?   

- Qualquer coisa que quiser. - Sua gargalhada ecoou pelos corredores, dando prazer aos meus ouvidos. Deslizei minha mão pelo seu braço, pegando sua varinha e apontando para a escada. - Accio.  

Minha varinha veio em direção a minha mão, preenchida pela cintura delicada de Hermione portanto, a mesma apenas agarrou minha varinha com núcleo de cabelo de Veela enquanto a dela, provavelmente feita de videira, tremia em minha mão. Apenas nos olhávamos, sem muito o que dizer até que, por um infortúnio, ouvimos um barulho na direção do final do corredor.   

- Temos mesmo que voltar lá? - Bufei, apertando mais sua cintura, fazendo com que uma leve risada saísse junto à um pequeno estralar dos seus lábios em minha bochecha.   

- Temos mas depois terminamos a ronda. - Concordando com a cabeça, deslizei minha mão por entre sua cintura até o final da saia, enquanto ela ajeitava, provavelmente, meu cabelo bagunçado. Sorri para o ato, mesmo ela trocando rapidamente nossas varinhas, seguindo na frente para onde estávamos antes.   

Checamos, novamente, todas as portas e agora, entrávamos em todas as salas e armários para verificar se deixaram algo ou se alguém se escondia. No final, nada nem ninguém nos importunou novamente, permitindo que finalizássemos a ronda, batendo com nossas varinhas na parede que sempre nos encontrávamos, perto da biblioteca.   

- Sabe Pansy, sempre achei algo estranho em você. No bom sentido, é claro. - Escorada na parede, aquela imagem não lembrava muito da Hermione que eu sempre observava no Salão Principal ou no meio da aula, sendo tão certa e retraída. Estava muito mais leve, solta e informal do que jamais antes.   

- E eu sempre achei você certinha demais mas, tá aí, uma coisa que você não é. - Sorri, chegando mais perto dela, escorando meu corpo na mesma parede. Mesmo um sorriso brotando em seus lábios, ali estava também algo diferente.   

- E quem disse que eu não faço coisas certas, Pansy? - Finalmente poderia flertar com ela, livremente! Ela não só dava abertura como também iniciava o flerte e eu agradecia a Godric Grifinória por isso afinal, essa visão de Hermione me dava cada vez mais, muitas ideias.   

- Oh, eu aposto que tudo que você faz, você faz bem. Bem até demais. - Colocou a mão em meu braço, brincando com meu suéter enquanto ria baixo e eu, consegui enfim, voltar meus pensamentos ao normal, mesmo ainda babando por Hermione. A verdadeira Pansy controladora estava de volta! 

- Digo o mesmo de você, Pan. Admito que a subestimei. - Franzi as sobrancelhas devido a frase e chegando mais próxima de seu corpo, inclinado na parede, rodeei sua cintura com meus braços. Sorri, vendo surpresa em seus olhos que encararam meus lábios. Oh, Merlin, finalmente! Finalmente eu teria a chance de tê-la, pelo menos até quando ela quisesse.   

Juntei nossos lábios novamente num beijo casto, sentindo a maciez de seus lábios. O cheiro de menta do seu hálito era tão refrescante, o cheiro floral de seu cabelo era tão delicado, a maciez da sua pele era tão gostosa que, por mim, ficaria a noite toda a sentindo por entre meus dedos. O gosto doce em sua boca fazia com que eu desejasse não colocar fim no beijo, mesmo o ar faltando. Hermione inclinou totalmente o rosto para um lado oposto ao meu, pegando o controle somente para si, agarrando em meu cabelo, puxando levemente e fazendo-me arfar.  

Nunca imaginei que gostaria tanto do poder de uma Grifinória porém, aproveitava o beijo que agora, devido ao seu controle, tomava proporções mais quentes. Nossos corpos poderiam fundir-se de tão próximos e nada me preparou para o controle que Hermione tinha. Ela desceu uma de suas mãos para minha bunda e a outra, acariciava minhas costas até que migrou para debaixo dos panos do uniforme, fazendo leves círculos em minha pele. Eu não sei se os gemidos eram meus ou dela, provavelmente das duas porém, com todos os toques de Hermione, senti minha calcinha ficar úmida e abracei seu corpo, trazendo-a mais perto de mim, rodeando seu pescoço com meus braços.   

Não faço ideia de quanto tempo estávamos ali mas sei que nenhuma de nós teve, sequer por um minuto, a intenção de parar. Como lembrando dos meus sonhos, afastei levemente nossos corpos para encurralar a Leoa na parede, que gemeu quando coloquei uma de minhas pernas no meio das suas, torneadas e quentes.   

- Por Deus, Pansy, acho... Acho melhor... - Migrando meus beijos para o pescoço cheiroso de Hermione, senti seu corpo estremecer com o contato com meus lábios e ouvi alguns gemidos baixinhos. Eu não queria ir longe demais com ela, assim como Mikaela, obviamente por motivos diferentes.   

Mika é minha melhor amiga. Hermione é especial demais para um rótulo, ainda.   

- Parar? - Ofegante, prendi algumas mechas do cabelo macio e volumoso entre meus dedos e puxei levemente, fazendo sua cabeça ficar reta. Ela encarava meus olhos e eu podia sentir o desejo que emanava de sua pele, com cheiro floral.   

- Se não, nós... Bom, vamos acabar... - Sorri quando, parando de falar, como se o raciocínio da fala fosse difícil, vi as bochechas dela corarem. Sua pele era mais escura do que o comum porém apenas bronzeada e, mesmo assim, enrubesceu violentamente.   

- Vamos acabar, o que? - Sua risada era como música, realmente. Ainda mais uma risada baixa e rouca, com vergonha. Eu sabia que estava indo rápido demais porém, ela começou. Ela me desafiou e eu apenas estava seguindo a deixa.   

- Vamos acabar não voltando para nossas camas.  


Notas Finais


Eu, escritora e autora da fanfic, já surtei com o capítulo. Quero leitores estarrecidos mesmo e quero comentários de povo surtando porque, assim e só assim, vocês me inspiram para escrever mais e postar o próximo capítulo semana que vem ou na sexta, hein?! Só depende de vocês, gente!

P.S.: Quem ai precisou trocar de calcinha?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...