História Capa Vermelha - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Chanbaek, Demonios, Fadas, Hunhan, Kaisoo, Krisoo, Poderes, Shadowhuner, Sulay, Taoris, Xiuchen
Visualizações 37
Palavras 3.055
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Poesias, Romance e Novela, Sobrenatural, Terror e Horror, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Esse é grandinho, desculpem a demora
Boa Leitura

Capítulo 4 - Arriscado


Fanfic / Fanfiction Capa Vermelha - Capítulo 4 - Arriscado

Começava à amanhecer. Os dois garotos estavam ofegantes, por terem passado a noite inteira matando demônios que ousassem ataca-los. Zitao percebeu a alta habilidade de Kyungsoo, com espadas. E agora caminhavam, voltando a recuperar o fôlego, que haviam perdido, momentos antes, ao terem lutado com três demônios de nível dois.

- Ei Pequeno, você até manuseia bem uma espada. Já teve contato com outras além dessa? À quanto tempo tem essa sua espada? - Perguntou Zitao curioso. Se aquele fosse uma espécie de dom, seria muito mais fácil, para ele, ensinar o mais baixo.

- Tenho à uma semana. - Disse Kyungsoo, fazendo o mais alto arregalar os olhos. Como diabos esse menino, aprendeu a usar tão bem uma espada, em apenas uma semana? Pensou Zitao, e Kyungsoo voltou a falar - Durante essa semana, eu estava procurando um amigo, eu passava o período da manhã e da tarde à espera de revê-lo. E enquanto isso, pra passar o tempo, eu ficava treinando. - Explicou, vendo a confusão aparente no rosto de Zitao diminuir. Mas logo um pensamento, atingiu sua mente. Se o Zitao é o Grande Lobo, então ele comia as crianças oferecidas como sacrifício? Pensou o pequeno e resolveu perguntar. Logo sendo respondido.

- Olha na verdade, eu meio que matei sem querer, mas querendo, o antigo Grande Lobo. E bom, isso aconteceu a vinte anos. - Começou Zitao, vendo os olhos de Kyungsoo, aumentarem de tamanho, e logo se deu conta de sua fala. Ele parecia ter a idade do garoto ao lado. E logo entendeu a confusão na mente do mais baixo. - Ei, não me olhe com esses olhos esbugalhados, eu não sou tão esquisito assim, sou? Acontece que a cinco anos atrás, eu estava estudando uma poção de esquecimento, mas errei uns ingredientes. Foi aí que a poção virou: uma poção de rejuvenescimento. E eu fiquei anos mais jovem, aproximadamente, uns 40 anos. - Explicou, vendo a cara de espanto, do Do. - Pois sim, eu voltei a ter o meu lindo e maravilhoso corpinho de 10 anos. Ah! E sobre as crianças eu as usava em experimentos. As que sobreviviam, eu deixava livres. Já as que aparentavam uma rejeição, ao feitiço, bom... Eu as dava para os filhotes de demônios.

Continuaram a caminhada. Com um Zitao, recebendo bronca por usar crianças em experimentos. Ainda com cautela, pois os demônios mais fortes apareciam a noite, o que não significava que o raiar do sol, não ouvessem mais demônios para matar.

- Olha baixinho, você, me espera aqui. Eu vou ver o que tem mais adiante. - Ditou Ztao. - Ah e por favor, se você ver algo ou alguém que não conhece não hesite em mata-lo, ouviu? - Perguntou e recebeu um aceno positivo, mas medroso, de Kyungsoo.

Kyungsoo, ao ser deixado, ficou atento a qualquer movimento nas folhagens e sons que a floresta emitia. Foi então que ouviu um canto.

Parece ser um garoto, mas o que ele faz na floresta uma hora dessas? Perguntou-se. Resolveu então seguir o som até encontrar seu dono, esquecendo-se de qualquer recomendação feita pelo seu novo "Protetor". A curiosidade falara mais alto, afinal.

Ao chegar encontrou um garoto cantando, como o esperado. Ele observava o movimento das árvores ao seu redor, sentado em um tronco, que aparentava estar a muito tempo, no solo da floresta. Parecia encantado com um par de aves, estas muito chamativas, que dançavam no ar em perfeita sincronia, ao som de seu canto. Kyungsoo ia se aproximando devagar, para não assustar o outro, estava praticamente hipnotizado pela voz do outro, no entanto acabou por pisar em um galho seco, acabando por fazer barulho. Resultado: um garoto muito bonito, que outrora cantava, encarando um Kyungsoo ruborizado.

- Desculpe, não era de meu desejo te atrapalhar. - Começou o menor, de cabeça baixa, logo voltando com sua fala. - O que faz aqui, a uma hora dessas? Mora aqui? Por que está sozinho? Você, não tem pais? Tem casa? E Por que você não está machucado? Se está aqui a mais tempo deve ter visto algum demônio ou...

- Ei, calma. - Disse interrompendo o outro, se levantando do tronco, pondo-se na direção do menor. - Eu imaginava que humanos eram curiosos, mas não sabia que era tanto. Você parece ingênuo e fraco. Eu é que deveria te bombardear de perguntas, caso eu me interessasse na resposta delas. - Disse em tom superior, que soou extremamente rude, para Kyungsoo. - Mas enfim, é melhor você voltar de onde veio, caso contrário outros demônios vão te achar. E não pense que vou te ajudar. - Orgulhoso, essa era a palavra que, Kyungsoo, mais achou coerente com o garoto. De acordo com: a personalidade do outro a sua frente, e da maneia de tratar pessoas que não conhecesse.

Mas então, algo em sua mente piscou. Espera, ele disse: "outros demônios", ou seja... ELE É UM DEMÔNIO!!!. Esse foi o pensamento gritante de Kyungsoo, e prontamente ele tentou correr, mas uma serpente de fogo atravessou sua frente.

- Nã-nã-ní-nã-não. Você, já deve ter se tocado do que eu sou, não é? Só que como você sabe eu não vou deixar você fugir, baixinho. - O recém-descoberto-demônio, falou para o azar do Do. - Veja bem eu não tenho amigos, com quem brincar. Por isso, tu serás meu brinquedinho hoje. - Completou dando um sorriso, movendo o dedo indicador na direção do outro. O que resultou em uma língua de fogo, na bochecha do pequeno Do.

AONDE O ZITAO SE METEU? POR QUE DIABOS EU FUI SAIR DE ONDE ESTAVA? Esse pensamento, corria a mente do mais novo.

 

Zitao, então, foi sem pressa, vendo o que havia de interessante, ao seu redor. Nada além de floresta Pensou. Dentro de si havia receio em deixar o mais novo sozinho, mas o garoto sabia se defender. Olhou pelos arredores, e constatou que era seguro. Entretanto estava à procura da antiga casa do Pecado da Luxúria, fazia anos que ele não ia mais a casa do Pecado Capital, mas não a encontrou. Constatou, então, que o outro deveria ter se cansado da moradia, e ido para outro local. Resolveu, então, deixar essa procura para depois.

 Mas ao voltar onde havia deixado Kyungsoo, desesperou-se. O menor não se encontrava mais lá. Seu desespero durou até ouvir, a gargalhada característica de pequeno Do.

Seguiu o som, e se deparou com Kyungsoo e um garoto, um tanto mais alto que o mais novo, com orelhas grandes, e um sorriso encantador. Possuía cabelos acastanhados. Foi então, que se deu conta de que conhecia, a tal figura. O menor estava enrolado em uma espécie de serpente de fogo, cosa que deixou o Huang preocupado, mas percebeu que aquele fogo não queimava.

- Há, para Chan, há há, faz cócegas. - O menor de todos, implorava com os olhos já lacrimejando de tanto rir.

- O que faz aqui, orelhudo? Não deveria estar treinando, lá no Inferno? - Disse Zitao, recebendo um olhar mortal, do garoto cujo fora direcionada a pergunta. Já Kyungsoo, encontrava-se sorrindo.

Sorriso, esse, que pareceu encantador, aos olhos do rapaz, que acabara de conhecer.

- E você, não deveria estar mais alto, Taozi? - Disse o garoto, com um tom provocativo, direcionado ao feiticeiro. Recebendo em troca uma careta desgostosa. - E respondendo a sua pergunta. Minha treinadora, está papinho com a Luxúria, acho que sobre um reforço no exército de ambos. Você sabe como ele são né? Estão se preparando para essa nova remessa de exorcistas. - Disse o "orelhudo" que parou a serpente de fogo, vendo a falta de ar do menor dentre todos. Zitao apenas concordou, mas então se lembrou, do que seu superior, o havia mandado fazer.

- E por falar em Luxúria, sabe onde é que ele, está morando agora? Eu jurava que era por aqui da última vez que vim vê-lo. - Questionou o feiticeiro, recebendo um aceno positivo do orelhudo. - A propósito, Kyungsoo, este é Park Chanyeol. Ele está em treinamento ainda, mas se acha o maioral nas lutas-

Zitao parou repentinamente, sua apresentação do Park ao Do. Foram ouvidas gargalhadas amedrontadoras ao fundo da floresta. Kyungsoo, sentiu o medo em si. Sentiu mãos em seus ombros, e em um piscar de olhos tudo à sua volta se transformou em chamas.

Um círculo de fogo, fora criado. Zitao e Chanyeol estavam fora dele, e ao centro encontrava-se Kyungsoo. O ser, então, resolveu aparecer. Possuía fisionomia de um humano, mas seu sorriso estampado no rosto exalava maldade. Revelando sua real identidade.

- Então você é o garoto, do qual todos os meus irmãos, andam à procura? - Começou, com um ar de superioridade e cheio de sarcasmo. Ao fundo o pequeno conseguia escutar a voz de Zitao o mandando correr, já que as chamas nos círculos ainda não havia formado labaredas, mas ele estava paralisado pelo medo. O demônio se cansou de ouvir Zitao gritar, e jogou uma bola de fogo em sua direção.

Mas ela foi absorvida por Chanyeol. Isso deixou o demônio furioso. Então esse pirralho domina o fogo? Vamos ver se ele vai dominar esse que eu vou mandar. Pensou o demônio e criou uma gigantesca esfera de fogo, jogando-a na direção do Park. Ele bem que tentou absorver todo aquele fogo, mas era muito para o seu corpo, e acabou por desfalecer. Por um instante, Zitao se distraiu, ao olhar na direção do Park, para saber se o mesmo ficaria bem. Foi então que o demônio lançou chamas contra Zitao, criando uma espécie de prisão.

- Agora sim, podemos brincar. - E dizendo isso, uma espada se formou em sua mão. Era uma Espada Demoníaca do Fogo. Mas Kyungsoo, também tinha uma carta na manga. Ou melhor, uma espada na manga.

Pôs o capuz, de sua capa vermelha, que possuía um tecido fino. Sim, ele ainda estava com a capa vermelha, havia gostado dela. Ditou em tom de sussurro as palavras que trariam sua proteção. Ele chamava pela sua espada. E ao tê-la em mãos, iniciou-se o combate.

Seus movimentos eram precisos. O demônio tentava o acertar, conseguindo algumas vezes, mas ele é que acertava o ser infernal, pois se movia de uma forma leve e rápida, feito uma brisa de primavera. Seus movimentos, logo, foram ficando cada vez mais rápidos, e ele acertava o demônio com cortes fortes e profundos, assim como uma brisa de inverno. Por fim, o demônio não suportou, após a espada ser cravada na região de sua clavícula. Indo ao chão, ensanguentado e banhando a neve branca, com seu sangue da cor negra.

Mas então, algo muito estranho aconteceu. A espada começou a se mover indo na direção de Kyungsoo, mas ela não o cortou. Posicionou-se defronte ao seu novo dono. Essa espada possuía anéis formados por fogo, essa era a característica das Espadas Demoníacas do Fogo. O Do, a segurou e então com o intuito de acabar com aquele círculo que o prendia, e com a prisão que fazia o mesmo com Zitao, comandou a espada e logo o fogo desapareceu. Ele parecia ter uma ligação com espadas.

Alguns minutos depois, Chanyeol acordou, com o corpo quente como lava. Era de se esperar, já que, ele, absorveu uma grande quantidade de fogo. Logo o Park liderou uma caminhada para a nova residência do Pecado da Luxúria.

Caminhada esta, que durou aproximadamente, duas horas. Zitao andava tapando os ouvidos, já estava cansado de ouvir o ronco da barriga do menor dentre todos. Este que possuía uma cara emburrada, pois todas as vezes que sua barriga roncava, Chanyeol olhava para trás, já que se encontrava na frente, e dava uma gargalhada.

Por fim chegaram a uma casa. Kyungsoo nunca havia adentrado uma casa como a que estava a sua frente. Era uma verdadeira casa de nobres, com direito à um jardim, que possuía diversas flores; estátuas de animais; e outras decorações. A casa nobre, tinha uma difícil localização, e possuía porteiros. Estes que deram arrepios no Do.

Demônios alados, se misturavam com a decoração dos pilares existentes no jardim. Possuíam chifres e dentes grandes. Encontravam-se sentados no topo dos pilares. Poderiam ser facilmente confundidos com uma decoração, devido à sua cor de pedra calcária, e por ficarem imóveis. Posição que mudava, sempre que percebiam a chegada de um estranho.

Chanyeol continuava na frente. Logos chegaram à uma grande porta dupla, que foi empurrada pelo Park.

Por dentro, a casa era ainda mais luxuosa. O chão era de orvalho polido, com sofás refinados, e vasos enormes, que possuíam pinturas de demônios envoltos do fogo, no que parecia ser o Inferno, decoravam a sala. Os móveis eram de madeiras e os estofados, eram de couro de tigres brancos, dando assim um ar de riqueza e de bom gosto.

- LUXÚRIAAAA!!! - Gritou Zitao, recebendo um tapa na nuca, dado por Chanyeol. - O que foi, seu endemoniado? Por que diabos fez isso? - Perguntou passando a mão na nuca, devido a quentura na mão do outro, poderia até ficar uma cicatriz.

- Eu já te disse: que minha Treinadora, está conversando com ele! - Disse Chanyeol, recebendo um resmungo do tipo: "Poxa eles estão de painho a mais de duas horas, pra mim, ele tá é comendo ela". Chanyeol já iria dar outro tapa, quando via quem descia as escadas. Era Pecado da Luxúria, trajando apenas uma calça de couro roxa, e sua treinadora.

- Oh! Luxúria, a quanto tempo não? Oi para você também Orgulho! - Zitao disse animado, recebendo um olhar confuso dos dois Pecados Capitais. - Nossa, eu esperava ao menos um "Oi, Taozi", mas não. Você ficam aí me encarando com cara de c... - Zitao iria continuar, se não tivesse a boca tapada, por Kyungsoo.

O Pecado da Luxúria olhou para Zitao ainda mais confuso. Recebendo olhares maliciosos de Chanyeol, por ele estar sem vestimentas superiores e por sua "Treinadora", estar descabelada. Ziato tentou falar mas sua boca ainda estava sendo tampada. O Menor, então, retirou a mão da boca do outro.

- Por que não me deixou terminar? - Perguntou indignado da atitude do menor, percebendo o olhar da Luxúria sobre seu pequeno protegido. - Olha vê se tira os olhos dele viu? Meu chefe me mandou traze-lo aqui para você cuidar da proteção e treinamento. Ele acha que aqui vai ser mais seguro pra esse pigmeu. - Continuou debochando do menor. Chanyeol vendo a reação emburrada do outro, passou o braço esquerdo em volta do pescoço alheio. - É só por um tempo, e não posso cuidar pessoalmente dele porque sou ocupado. Então, o que me diz? - Perguntou, recebendo um aceno positivo do Pecado da Luxúria.

~ Dois anos depois ~

Lágrimas pretendiam correr por suas bochechas, mas ele não aceitaria aquilo.

"Ele não te forçou der dele, por que ele nunca te quis"

"Você é um fardo"

"Ninguém te suporta"

"Por que você não morre?"

"Desista desse sonho"

Você nunca o terá, como eu o tenho"

Essas frases, sufocavam a mente atordoada, do Jovem Do. Já fazia dois anos que ele estava sobre a proteção do Pecado da Luxúria. Recebeu treinamento de quase todos os Pecados Capitais. A Luxúria, lhe ensinara estratégias de ataque. Ganância, lhe ensinara estratégias de defesa. Inveja, lhe ensinara estratégias de espionagem. Gula, lhe ensinara técnicas para matar sem levantar suspeitas. Preguiça lhe ensinara a ler e escrever, ensinara como se situar em meio ao desespero, dentre outras situações. Orgulho lhe ensinara a cozinhar, pois o pequeno vivia perturbando o seu Pecado protetor, dizendo que queria aprender a cozinhar.

Apesar de todas estas habilidades, ele se sentia vazio. Vazio esse que apenas aumentou com a chegada de Jung SooJung. A garota havia aparecido um ano após ele estar sob os cuidados da Luxúria. E ela, foi o suficiente para transformar a vida de Kyungsoo, em um Inferno.

As frase da garota se repassavam repetidamente no pensamento do Do. Enquanto ele corria desesperadamente, para onde tinha paz. No fim do rio que cortava a floresta em dois, havia uma cachoeira com uma queda d'água de aproximadamente 30 metros. Ao final dessa queda d'água o rio continuava mas era cheio de pedras, caso algo caísse do início da cachoeira, ao alcançar o fim dela se transformaria em pedacinhos. Seria destroçado pelas pedras.

Atrás do jovem Do, estava Krystal, nome de guerra de SooJung. Além dela havia cinco cadáveres de lobos, estavam em processo de putrefação, deixando, assim, um rastro por onde passavam. A garota era rápido, e os cadáveres pareciam voar.

Kyungsoo, só tinha duas saídas: Se entregar para Krystal e ser levado como fugitivo - pois ele era mantido preso dentro da casa nobre da Luxúria, caso tentasse sair os demônios alados o pegariam, mas dessa vez ele despistou todos, só não despistou Krystal -, ou se jogar da cachoeira, com 0,1% de chance de sobreviver.

- Vamos D.O! Se entregue, não tem pra onde fugir. E eu vou adorar te levar acorrentado, de volta pra casa. - Disse Krystal, quando Kyungsoo, já se encontrava sobre uma rocha que ficava na ponta da cochoeira, era uma pedra pontiaguda, com uma elevação para cima. - Ou melhor eu vou te marcar com um ferro da brasa, bem na sua bochecha. E então todos vão saber quem é você. - Completou dando uma risada. O que ela não esperava, é que ele fosse pular dali.

As ordens do Pecado da Luxúria haviam sido claras. Trazer Kyungsoo sã e salvo, aquilo acabaria trazendo problemas para Krystal. Mas já era tarde.

Kyungsoo, sentia as gotas d'água baterem contra seu corpo junto do ar. Fechou os olhos e abriu os braços, esperando o choque de seu corpo com as pedras, mas não sentiu. Pelo contrário, sentiu como se algo lhe abraçasse, era quente e felpudo. Então assim é a morte, como um abraço aconchegante? Pensou ao mesmo tempo que abria os olhos e via penas. Mas então bateu-lhe o cansaço, e veio o resultado de ter passado três dias sem comer.

Aquilo era muito arriscado. Quais seriam as chances de ele voltar a ver a luz do sol?

Então, tudo tornou-se escuridão. Ainda podia ouvir ao longe, o barulho da cachoeira batendo nas pedras e do vento batendo contra o corpo, mas ele ainda era rodeado por algo macio. Foi aí que ele não sentiu, nem escutou mais nada.

 

 


Notas Finais


Oq acharam desculpem qualquer erro


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...