História Captain Swan- True Love - Capítulo 43


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Capitão Killian "Gancho" Jones, David Nolan (Príncipe Encantado), Dr. Whale (Dr. Victor Frankenstein), Emma Swan, Henry Mills, Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Princesa Aurora, Regina Mills (Rainha Malvada), Ruby (Chapeuzinho Vermelho), Sr. Gold (Rumplestiltskin), Violet, Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Captain Hook, Captaincobra, Captainswan, Charmingfamily, Emma Swan, Emmaswan, Killianjones, Onceuponatime, Ouat, True Love
Exibições 139
Palavras 4.233
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Famí­lia, Fantasia, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sci-Fi, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Boa leitura amores ❤️

Capítulo 43 - I teach you


 

POV Hook 
"Aonde você vai?" Questiono acordando ao sentir Emma se remexer na cama. 
"Para o meu quarto, não quero que me peguem saindo daqui pela manhã" ela responde procurando pelas suas roupas no chão. 
"Para que se preocupar com isso, amor? Todo mundo já acha que nós estamos juntos de qualquer forma" argumento a puxando pela cintura fazendo com que caia encima de mim na cama, me sentindo totalmente satisfeito e feliz simplesmente pela sua presença, não querendo perder isso.
"Então não precisamos dar mais o que falar para eles" ela rebate escapando do meu beijo e se levantando novamente.
"Você está fugindo de mim" concluo. Eu pensei que o que havíamos acabado de compartilhar, o que foi tão profundo que eu não sei nem o que pensar sobre, teria abaixado esses muros que ela insiste em erguer entre nós, mas pelo visto vai ser muito mais complicado que isso. 
"Eu não estou" ela diz de forma pouco convincente enquanto encara o espartilho rasgado com as sobrancelhas franzidas. 
"Sim, você está. Mas Emma..." Continuo a puxando pela mão para que se sente a minha frente "O que aconteceu entre nós... Nada nunca pareceu tão certo na minha vida, por favor não me afaste" peço com toda a sinceridade, com medo de perder a única coisa que trouxe algum sentido para a minha vide em todos esses anos, segurando a sua mão e olhando nos seus olhos verdes que se suavizam. 
"Eu não quero te afastar... Eu só preciso pensar um pouco, perto de você eu não consigo pensar direito a minha única vontade..." Ela começa vermelha. 
"É me agarrar e ir para a terceira rodada?" Completo com um sorriso malicioso "Porque é exatamente assim que eu me sinto" continuo. 
Ela apenas balança a cabeça sem conseguir conter um sorriso e eu a puxo para um beijo. As suas duas mãos vão para o meu rosto acariciando a minha barba enquanto me corresponde e logo eu estou puxando ela de volta para o meu colo, enlaçando a sua cintura com os meus braços. As nossas respirações vão perdendo o ritmo novamente e o desejo queima na boca no meu estômago me fazendo a apertar mais e deslizar a mão pelo seu corpo nu que ferve sob a minha palma enquanto ela aperta as suas coxas mais a minha volta e geme ao sentir a minha excitação embaixo dela. 
"Killian eu preciso ir" ela sussurra correndo a língua pelo meu lábio inferior no meio de pequenos beijos enquanto me recuso a deixar ela ir. 
"Nós temos tempo" rebato beijando o seu pescoço, raspando os dentes na área da sua nuca aonde percebi ser seu ponto fraco enquanto a seguro pela bunda, a movimentando contra mim fazendo com que o seu centro roce no meu membro fazendo nós dois arquejarmos. 
"Desse jeito nós nunca vamos sair daqui" ela reclama me puxando mais para ela pelo cabelo ao sentir eu lamber o meio dos seus seios. 
"Isso soa perfeito para mim" digo sem conseguir deixar escapar o gemido ao sentir ela rebolar sobre mim procurando por uma posição melhor o que faz a minha fome por ela chegar ao máximo.
"Já vai amanhecer. Eu preciso desse tempo" ela fala me dando um último beijo e sinto o meu membro doer de tanta vontade. 
"Você realmente vai fazer isso comigo, amor?" Questiono fazendo a minha melhor cara de persuasão observando ela procurar as suas roupas pelo quarto novamente, me atentando a cada parte exposta do seu corpo iluminado pela luz fraca do lampião. Ela é simplesmente perfeita. 
"Vou, já está quase amanhecendo e devido ao estado que você deixou as minhas roupas eu estou levando algumas suas" ela responde firme, se vestindo com a minha camisa que cobre até o meio de suas coxas,  tampando a minha visão e o pior é que ela fica linda naquele tecido.
"Eu te levo para o seu quarto" digo um pouco decepcionado vestindo a minha calça com muita dificuldade graças a reação que ela causa em mim. Mas de jeito nenhum eu deixaria ela sair assim sozinha nesse navio cheio de homens bêbados espalhados por aí. 
Nós subimos até o convés e nos deparamos com alguns homens desmaiados por lá mesmo e Jack ainda no mastro, parecendo alheio à nossa movimentação. 
"Tem certeza de que não quer voltar para a minha cama? Como você já pode comprovar é a melhor do navio e também tem a melhor companhia" sugiro com um sorriso safado erguendo a sobrancelha enquanto a seguro pela cintura na porta do seu quarto. 
"Por mais que eu concorde com os seus argumentos eu tenho. Nós precisamos descansar para nos concentrar nos nossos objetivos" ela declina me beijando e só aí me faz ter noção de que em todo esse tempo com ela eu nem mesmo pensei no crocodilo e na minha vingança. Meus pensamentos só tem girado em torno dela. 
"Boa noite amor" respondo um pouco atordoado pela percepção. E então ela entra me lançando um último olhar e eu caminho até a murada do navio, precisando sentir o vento gelado no meu rosto para clarear meus pensamentos. 
"Está tudo bem?" Diz o homem se aproximando e eu me viro dando de cara com Henry.
"Está, é só..." Começo a dizer e me desconheço por estar compartilhando isso com um desconhecido "Uma mulher" completo encarando o mar. De alguma forma eu me sinto confortável para desabafar sobre isso com ele. 
"São sempre elas" ele suspira.
"De fato. Eu sinto que estou perdendo a cabeça, mate" deixo escapar novamente. 
"Está se referindo a Emma?" Ele pergunta curioso. 
"Sim, é tão óbvio assim?" Indago me sentando em um barril e ele me acompanha, se sentando a minha frente. 
"Eu vi vocês dois dançando... Mas qual o problema entre vocês?" Ele me incentiva a continuar e algo nos seus olhos me fazem instantaneamente confiar nele, a mesma sensação que fez com que eu deixasse ele entrar para a tripulação anteriormente.
"Eu estou apaixonado por ela. Desde a primeira vez que eu a vi... Eu nem acreditava nesse negócio de amor à primeira vista, na verdade eu nem acreditava que poderia amar novamente. Mas então eu a conheci e ela revirou o meu mundo em menos de cinco dias, há uma confusão na minha cabeça e no meu coração que não para. Nesses últimos dias eu tenho que me lembrar todos os segundos sobre quem eu realmente sou, mas não me parece certo... E quando ela está perto eu esqueço disso totalmente e então eu dormi com ela e bloody hell! Foi o melhor sexo da minha vida, na verdade foi muito mais profundo que isso... Eu só consigo pensar no corpo dela debaixo do meu, no gosto da sua pele, no seu cheiro, aqueles olhos verdes que prometem o mundo e aquele sorriso que é difícil de aparecer mas quando aparece me faz ter vontade de fazer qualquer coisa por ela... Eu estou totalmente perdido, eu até mesmo esqueci do meu inimigo e do meu objetivo de vida" desabafo por fim mostrando toda a minha vulnerabilidade ao homem a minha frente, pela primeira vez mostrando fraqueza diante de alguém. O que essa mulher fez comigo? 
"É... Não vamos nos ater a esses tipos de detalhes sórdidos" ele começa unindo as sobrancelhas parecendo inicialmente desconfortável "Mas sabe eu também estou passando por uma fase complicada nesse sentido" completa. 
"A moça mais velha... Violet?" Questiono erguendo uma sobrancelha. 
"Como sabe?" Ele pergunta surpreso. 
"O jeito como você olha para ela, está tão evidente que mesmo em toda a minha distração nesses dias pela presença de Swan deu para notar" explico revirando os olhos.
"Ah... Então, a situação com ela é complicada. Eu sei que ela corresponde aos meus sentimentos, mas ela não vai assumir isso e há muita coisa acontecendo" ele conta medindo bem as palavras, o que me leva a crer que ele não está compartilhando tudo porém estou muito enredado nos meus próprios problemas para me ater a isso agora. 
"Estou passando por isso com Emma também. O que nós temos é muito forte para ela negar, mas a verdade é que ela não quer se entregar e eu não a culpo. Ela é boa, um dos melhores seres humanos que eu já conheci, é compreensível ela não querer se envolver comigo. Além de que ela é uma princesa, assim que ela e os pais reassumirem o reino mesmo supondo que ela quisesse fugir comigo, seria egoísta demais da minha parte pedir que ela abandonasse os pais que esperou a vida para conhecer para ficar com alguém como eu" confesso respirando pesadamente. 
"Eu não acredito que você seja essa pessoa ruim, o pirata cruel que você quer que todos acreditem que seja" ele diz com convicção me surpreendendo. 
"Cuidado, mate. Por muito menos muitos já andaram na prancha" advirto. 
"Sabe, teve uma pessoa na minha vida que me ensinou que o amor é capaz de tocar o mais escuro dos corações. E ele foi o meu padrasto. Ele fez coisas horríveis na vida, deixou-se ser consumido pelo ódio e pela vingança e chegou ao fundo do poço, parecia não haver mais salvação para ele, mas quando ele conheceu a minha mãe... Ele lutou por ela, ele fez de tudo para mudar, se redimiu pelos seus erros e mesmo com muitos tropeços pelo caminho ele se tornou digno dela e nós construímos uma família, ele não foi só um pai incrível para a minha irmã como também foi para mim" ele narra com sinceridade e incrivelmente eu me pego atento a cada palavra, sentindo como se eu fizesse parte daquela história "A questão é, eu não te conheço há muito tempo mas pude perceber que existe o bem aí dentro, se você é capaz de amar você é capaz de mudar. Talvez o que você precisasse todos esses anos fosse de um motivo para viver e agora que você o encontrou... Lute por ele. Você não é homem de desistir" conclui sério com as mãos segurando os meus ombros e eu fico impressionado, como ele poderia me conhecer tão bem? 
"Ah mas se tem uma coisa que você pode ter certeza é de que eu vou lutar" declaro como em uma promessa. 
"Esse é o Killian do qual eu me lembro" ele comenta com um sorriso satisfeito e eu me sobressalto. 
"Se lembra?" Pergunto confuso. 
"Que eu ouvi falar" ele corrige rápido "Sabe, a sua fama de ser o capitão mais obstinado dos sete mares" continua como se fosse óbvio. Eu assinto meio desconfiado mas como pensar além disso não faria sentido deixo passar.
Eu me despeço e volto para a minha cabine para tentar dormir um pouco, mas como já era esperado passo a noite pensando nela, ainda sentindo a sua presença na minha cama enquanto observo o seu vestido largado encima da minha mesa, a mesa que nunca mais seria a mesma para mim. E então a minha mente se volta para a visão que nós tivemos, a que nós não discutimos e eu deixei de compartilhar com Henry. Aquilo não fazia sentido nenhum mas o seu anel... Eu sentia que já tinha o visto antes e era tão parecido com os meus. Além do que nós vimos, não se encaixava na minha cabeça ao mesmo tempo que de alguma forma me despertou uma saudade e eu pude ver que teve a mesma reação sobre ela. Existia algo mais entre nós, algo que estava faltando e eu descobriria assim que nós resgatássemos os seus pais e eu concluísse a minha vingança contra o crocodilo.

POV Amber

Acordo com o barulho das tábuas rangendo e finjo continuar a dormir ao identificar as vozes lá fora. Meus pais. E aparentemente a conversa que eu incentivei a minha mãe a ter com ele foi bem além de uma conversa, penso comigo não conseguindo conter o sorriso. 
"Parece que a noite foi boa" digo assim que ouço o seu corpo cair na cama e ela pula de susto. 
"Você ainda está acordada?" Ela pergunta após se recuperar. 
"O barulho da agarração de vocês na porta me acordou" respondo me apoiando sobre o cotovelo para encara-lá e lhe dirigindo um sorriso malicioso acompanhado de um levantar de sobrancelhas ao notar as suas vestimentas.
"Desculpa" ela ri sem graça. 
"Tudo bem. Mas e aí, como foi?" Questiono ansiosa. 
"Eu estou perdida" ela responde respirando fundo. 
"Do bom ou do mau jeito?" Indago.
"Eu ainda não sei" ela confessa deixando escapar um sorriso. 
"Pelo seu sorriso eu apostaria no bom" comento. 
"É... Aconteceu uma coisa estranha" ela diz por fim se lembrando de algo. 
"Como assim?" Pergunto confusa. 
"Sabe, esse anel. Eu nunca parei para pensar sobre de onde ele veio mas quando nós estávamos... Enfim, Killian o notou e quando nós dois colocamos a mão nele nós tivemos umas visões que não fazem sentido..." Ela explica com as sobrancelhas franzidas retirando o anel de dentro da camisa e eu o reconheço. O anel de Liam que o meu pai deu para ela antes de eu nascer. Como ele poderia ter vindo com ela na maldição sendo que todos os outros objetos não?
"E o que vocês viram..?" A incentivo à continuar. 
"Nós dois. Ele entregando o anel para mim duas vezes. Nós estávamos diferentes, vestidos de maneira diferente... E ele me olhava com tanto amor e eu correspondia, na verdade eu consegui sentir isso na visão... Não faz nenhum sentido" ela continua a narrar segurando o anel e eu percebo que tenho que encontrar Henry, eles podem ter flashs da nossa antiga vida, não lembro de ouvir nada sobre isso ter ocorrido na primeira maldição. 
"Você acredita em outras vidas?" Questiono um tempo depois olhando em seus olhos.
"Eu sinceramente não sei. As minhas crenças tem sido abaladas nesses últimos dias" ela responde olhando para o teto. 
"Entendo. Mas sabe eu acho que você devia manter a sua mente aberta, às vezes as coisas que nós acreditamos pela nossa vida inteira simplesmente não são o que parecem ser" continuo. 
"Você é muito sábia para alguém de 18 anos" observa refletindo e sorrindo. 
"Já me disseram isso algumas vezes" me gabo com um sorriso de lado.
"Meu deus, com o peso da sua modéstia e a de Killian não sei como esse navio ainda não afundou" ela conclui com uma risada que aquece o meu coração. A risada que eu senti falta durante todos esses anos "Vamos dormir porque já é quase de manhã, bons sonhos Amber" diz antes de se virar para dormir. 
"Bons sonhos mãe" susurro baixinho me virando para o lado confortada pelo som da sua respiração.

POV Roland

Acordo com um sobressalto ao ouvir a batida na porta do pequeno quarto em que durmo e me tranquilizo assim que abro a porta e encontro Amber. 
"Aconteceu algo" ela diz entrando rápido e se jogando sobre a minha pequena cama de solteiro. 
"O que? É grave?" Questiono preocupado. 
"Não, eu acho que é bom. Não sei dizer ainda. Já chamei Henry, assim que ele chegar eu conto" ela explica tentando me apaziguar. 
"Ah, tudo bem" assinto procurando pelos seus olhos azuis, os quais ela tem desviado dos meus desde que entrou no quarto "Amber..." Continuo. 
"Roland..." Ela começa ao mesmo tempo que eu. 
"Eu acho que nós deveríamos falar sobre ontem" volto a falar quando ela faz menção para que eu continue. Então ela finalmente olha nos meus olhos e eu me sinto tragado novamente por aquele oceano azul, acompanhado pelos longos cílios negros que me hipnotizam toda vez que ela pisca, me fazendo perder a fala e qualquer chance de formar um pensamento coerente. Ela era uma criança muito bonita mas nada me preparou para a sua beleza quando crescesse, muito menos para a sua personalidade forte diferente de qualquer outra mulher com quem eu já tenha me envolvido.
"Sim, tem muita coisa acontecendo talvez a gente tenha apenas se deixado levar pela situação estressante, ver os nossos pais e não poder falar com eles de verdade é horrível então você não precisa dizer nada se você se arrependeu eu enten..." Ela começa a falar tão rápido que eu mal consigo acompanhar e sem pensar eu a paro com a minha boca na sua, ela demora um pouco porém corresponde, envolvendo a sua língua doce na minha me causando novamente aquela sensação de estar provando do céu. 
"Não foi um erro, Amber. Na verdade foi a melhor coisa que me aconteceu" digo colando a minha testa na sua enquanto olho para a sua boca vermelha, mais perfeita ainda quando inchada após o nosso beijo, sentindo a sua respiração ofegante no mesmo ritmo que a minha. 
Ela não diz nada, apenas sorri e cola as nossas bocas novamente com ainda mais intensidade. Vou descendo uma das minhas mãos que se enrosca no seu cabelo negro, acariciando a pele macia do seu pescoço e abaixando a manga do seu vestido para distribuir beijos pelo seu ombro enquanto ela suspira, e a outra vai para a sua cintura, a puxando mais contra o meu corpo necessitando ter cada vez mais contato. 
A batida na porta faz nós nos afastarmos rápido e ela se levanta para abrir se recompondo enquanto eu tento recobrar o fôlego e domar a minha frequência cardíaca. 
"Então, o que houve?" Pergunta Henry após abraçá-la, se sentando na cadeira em frente à cama e Amber volta para o meu lado. Me seguro para não sorrir ao notar as suas bochechas vermelhas ao quase ter sido pega novamente, ela é tão adorável.  
"Os nossos pais, eles tiveram algumas visões da vida antes da maldição" ela diz animada. 
"Como assim?" Pergunta Henry dando voz ao que eu pensava. 
"Eu incentivei a mamãe a ir atrás dele e eles dormiram juntos... Então o papai viu o anel do Liam e teve alguma sensação sobre ele, aí quando os dois o tocaram foram transportados para quando ele realmente deu o anel a ela" ela explica com um sorriso.
"Como isso é possível?" Pergunto sorrindo também, sendo contagiado pela sua animação. 
"Eu não sei. Na primeira maldição teve uma pessoa que teve visões da antiga vida, Graham" conta Henry. 
"Como?" Questiona Amber.
"Beijando a nossa mãe" responde ele. 
"O que?" Ela indaga franzindo as sobrancelhas.
"Relaxa, foi antes dela conhecer o Killian. Na verdade Graham ficou com as minhas duas mães" ele diz resignado. 
"Tia Regina?" Pergunto horrorizado. 
"Sim, mas isso é história para outro dia. A questão é, o contato com a salvadora fez ele ter as visões porque ela era a chave para quebrar a maldição" ele explica. 
"E como isso se encaixa na situação atual? Eles não tiveram a visão em contato com Amber" observo pensativo. 
"E como o anel está com a minha mãe?" Questiona Amber. 
"Sobre como o anel permaneceu com ela eu não sei. Mas pensa, o anel é um símbolo do amor deles e você é..." Ele deixa a dica. 
"O fruto do amor deles. O amor de Emma e Killian é a chave, e você é formada por esse amor" concluo pegando a mão dela em um gesto automático e nós trocamos um sorriso enquanto acaricio os seus dedos. 
"É isso" diz Henry franzindo a testa ao olhar para as nossas mãos unidas e nos analisando, o que faz Amber puxar a dela rápido um pouco envergonhada. 
"Tudo bem, mas agora nós temos que pensar no que vamos fazer. Amanhã nós chegamos ao castelo do Senhor das Trevas, a gente vai simplesmente ajudar eles com esse plano? Eu sinceramente não sei o que fazer, logo Blue vai nos encontrar. Na verdade pelo seu poder ela já deve saber que estamos aqui. Será que essa é a chave para a maldição? Eu derrotá-la?" Ela desabafa preocupada, com a sua animação anterior sendo substituída pela tensão. O que eu não faria para carregar pelo menos um pouco desse peso no lugar dela. 
"Ela com certeza já sabe. Mas nós vamos ter que esperar ela dar as caras enquanto tentamos resgatar os nossos avós e manter o Killian afastado da adaga. Sobre como quebrar a maldição..." Ele indica que também não faz a mínima ideia. 
"Bom, então só nos resta dar a cara a tapa" declara ela suspirando e saindo pela porta. 

POV Emma

Demoro mais que o habitual para levantar e percebo que já é tarde quando noto a ausência de Amber no quarto, troco de roupa rápido e subo para o deck tentando não pensar na noite anterior, como se fosse possível. 
"Aí está você, pensei que havia morrido" diz Regina assim que me aproximo dela enquanto noto com rabo de olho Killian ditando ordens aos homens com Robin ao seu lado. 
"Se eu tivesse você nem iria notar, está muito ocupada nos braços do seu imediato" comento com um sorriso de lado e ela revira os olhos. 
"Hum, soube por Jack que alguém saiu hoje de madrugada da cabine do Capitão aos beijos com o próprio" ela comenta com um sorriso malicioso alisando a espada que segura. 
"Depois dizem que as mulheres é que são fofoqueiras" bufo revirando os olhos. 
"Então, não planeja me contar como foi?" Ela pergunta ansiosa sem conseguir retirar o sorriso. 
"Eu acho que nada na minha vida se compara a isso" confesso me virando de costas e me apoiando na murada para encarar o mar, ao fechar os olhos ainda consigo sentir os seus toques pelo meu corpo. 
"Para quem nunca iria se envolver você parece bem apaixonada para mim" ela observa vitoriosa. 
"Cala a boca, Regina" declaro bufando novamente. 
"Isso são modos de tratar sua amiga, Swan?" Ouço a voz dele bem próxima a mim e me viro rápido, quase batendo o nariz no seu peito. 
"Pois é. Agora que vocês estão juntos você poderia ensinar boas maneiras para ela" ela sugere piscando antes de caminhar para o outro lado nos deixando a sós. 
"Eu adoraria te ensinar muitas coisas" ele sussurra me enganchando pelos cadarços do corpete para me puxar contra o seu corpo. 
"Killian... Eles estão olhando para nós" observo sentindo a sua respiração quente no meu pescoço e a pressão da sua mão na minha cintura, tendo noção de que ele está muito perto de me fazer perder a sanidade novamente. 
"Eu só vim te entregar isso" ele diz se afastando um pouco, retirando uma espada da bainha e me estendendo "Nós vamos desembarcar amanhã e como você não sabe ainda usar a sua magia recém descoberta... Achei que ia gostar de algo para se defender, até porque já vi o quanto você é boa com ela" ele explica sorrindo e eu deslizo os meus dedos pelos dele, demorando mais tempo que o necessário para pegar a espada. 
"Obrigada" respondo sincera lhe retribuindo e ele se inclina dando um leve beijo nos meus lábios antes de se dirigir para o mastro, o que me pega de surpresa ao mesmo tempo que me deixa desejando por um mais demorado.
"É as coisas estão sérias mesmo" diz Amber se aproximando com Henry. 
"Que tal nós treinarmos um pouco suas habilidades na luta? Nós vamos desembarcar amanhã e vocês precisam estar prontos para se defenderem" sugiro rápido para fugir do assunto e disfarçar o meu rubor. 
"Eu topo" diz Henry sorrindo, tirando a espada da bainha e batendo de leve na minha em tom de desafio. 
"Prepare-se para ir para o chão marujo" advirto sorrindo também, sinto os olhos de Killian em mim mas me desvio desse pensamento para me concentrar na luta e nós começamos com alguns golpes, logo percebo que ele tem habilidade porém está um pouco enferrujado. Mas logo ele se recupera e já está quase levando a melhor sobre mim quando Violet sobe conversando com Roland para o deck e ele se distrai, o que é o suficiente para eu desarmá-lo. 
"O segredo está na concentração, mate. Nunca tire os olhos do seu oponente" digo piscando para ele e lhe dando a mão para ajudá-lo a levantar. 
"Vou ficar atento a isso da próxima vez" ele assente rindo. 
"Sua vez mocinha" desafio Amber e Henry dá a sua espada a ela. 
Ela sorri para mim e nós lutamos um pouco, ela tem postura e pode se tornar uma grande lutadora mas aparentemente não tem muita prática e logo está desarmada. 
"Eu não lutei com uma espada muitas vezes na vida" ela confessa fazendo um coque no cabelo ao se levantar. 
"Eu percebi, você tem potencial mas precisa se aprimorar e infelizmente nós temos pouco tempo. Você precisa de uma arma para se defender" oriento preocupada, o simples pensamento de que ela vá sem proteção para a possível batalha de amanhã me deixa tensa, não sei como mas em tão pouco tempo eu já havia me afeiçoado muito a garota.
"Eu posso ajudar com isso" diz Roland surgindo com um arco e flecha. 
"Essa arma não seria ainda mais difícil de usar?" Pergunto sem entender. 
"Não se ela for natural, não custa tentar" ele dá de ombros e ela sorri para ele. Os dois se gostam mesmo posso observar, e fico na dúvida se ele realmente quer ensinar a como manusear a arma a ela ou é só uma desculpa para abraçá-la sem receber um murro do irmão mais velho dela. De qualquer jeito não consigo deixar de sorrir e me sentir mais tranquila sabendo que tem mais uma pessoa além de mim que não deixará nada acontecer a ela.
 


Notas Finais


Eu acho que me empolguei e acabei escrevendo esse capitulo gigante, mas enfim kkkkkkk é que to muito animada com o AU do próximo episódio de Ouat, não creio que vivo para ver isso ❤️
No próximo capítulo vou tentar dar um pouco mais de foco para os outros personagens, é que eu sou tão apaixonada por escrever sobre CS e agora sobre Amber e Roland também ❤️❤️❤️
Até o próximo amores, espero que tenham gostado! 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...