História Captivity - Capítulo 26


Escrita por: ~

Postado
Categorias Dok2, GRAY, HyunA, Jay Park, Simon D.
Personagens Dok2, GRAY, HyunA, Jay Park, Simon Dominic
Tags Dok2, Gray, Hyuna, Jay Park, Simon D
Visualizações 71
Palavras 1.554
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hii, voltei.

Boa leitura!!

Capítulo 26 - Chapter XXVI


De acordo com as vindas da senhora para me alimentar deduzi já ser noite, ela havia acabado de recolher o que restou do jantar e acaba de voltar com uma sacola em mãos.

-Me pediram para vestir algo em você.-ela diz se aproximando.

-Me vestir?-pergunto sem entender. Desde que cheguei eles vem me mantendo nua.

-Sim, roupas muito bonitas-diz tirando um vestindo branco de dentro da sacola.

Muito delicado, com pano levemente transparente e alguns fios prateado e uma coroa de flores. Me arrepio ao pensar no que aquilo poderia significar.

-Eu não quero me vestir-digo abraçando meus braços por conta do mau presentimento.

-Por favor é melhor obdecer, você quer que SanE entre aqui e te obrigue.

Discordo e me aproximo pegando o vestido de suas mãos, analiso mais um pouco e percebo o quão bonito é. Jay amaria me ver vestida em algo assim.

-Você sabe quais planos SanE tem para mim?

-Você tera visita hoje.-diz se calando.

Ela me ajuda a vestir o vestido, pentei meus cabelos colocando a coroa de flores no mesmo. Foi meio nostalgico quando lembrei do fato de que quando criança eu queria ser uma fada e aquelas roupas me parecia perfeita para o personagem.



"-Mamãe eu quero ser uma fada.-seguro a barra do vestido da mulher que estava conversando algo com o papai em seu escritorio.

-Sim querida você sera uma-ela diz olhando em meus olhos.

-Papai, papai-sento no colo do homem que estava em sua poltrona mechendo em alguns papeis do seu trabalho-Me compra uma roupa de fada.

Ele apenas concorda e me empurra do seu colo, mas como uma criança inocente não ligo para seu modo e sorrio pelo fato dele concorda em me compra uma roupa de fada."


-Ei

Acordo do meu devaneio com a senhora balançando meu ombros, olho para ela que me olha preocupada.

-Eu só estava lembrando de um momento em familia-digo sorrindo.

-Me desculpe não poder ajuda-la.

Ela me dá um abraço e sinto o carinho de mãe, eu sentia tanta falta da minha. Fazia tanto tempo que eu não me abrigava naqueles braços e estar agora nos braços de uma mãe mesmo que não seja a minha me enche de esperança e vontade de sair daqui e encontra a minha familia.

Ela sai sem dizer mais nenhuma palavra, fico olhando para os detalhes daquele vestido até a porta ser aberta novamente.

-Papai-digo olhando para o homem vestido em seu terno entrando na sala.

A porta atras de si se fecha e eu corro para seus braços o abraçando.

-Você veio me salvar-digo sentindo as lagrimas molharem o meu rosto-Você veio me salvar, graças a deus.

Ele se afasta do meus braços e vejo seu olhar de repulsa sobre mim. Que olhar era esse? Por que me sinto ameaçada?

-Você acha mesmo que eu faria esforço para te salvar? Uma bastarda como você-ele diz e sorri.

-Papai...

Um soco na minha face. Meu cérebro sacudiu na minha cabeça. Eu vi estrelas e minha visão ficou turva.

-Não me chame de pai. Eu ja estou cansando de ouvi-la me chamar assim. Você não passa de uma bastarda.

-O que você esta dizendo?-pergunto sem entender tudo aquilo.

Sua risada de escarnio ecoa me fazendo tremer. Eu estava com medo, assustada.

-Não se faça de desentendida. Com essa cara de inocente, esse olhos suplicando por clemencia. Você é uma vadia.

Ele segura forte meu cabelo fazendo a coroa cair do mesmo, puxa os fios me fazendo gemer de dor.

-Ela era somente minha, mas você a roubou de mim-diz me empurrando contra o chão.

Ele me acerta um forte tapa, a alinça em seu dedo corta minha bochecha fazendo-me sangra. Segurando meu cabelo aproxima meu rosto ao dele.

-PARE DE CHORAR-grita

Fecho os olhos tentando não olha-lo, eu estava assustada, eu não sabia como reagir a tudo aquilo. Então meu pai estava atrás daquilo tudo.

Ele afasta minhas pernas ficando entre elas, sinto uma de suas mãos deslizar até um dos meus seios o apertando.

-Seja uma boa cadelinha-sua boca se aproxima do meu pescoço.

-Papai

Mais outro tapa, o corte arde. Mordo meus labios tentando não dizer mais nada. Aquele homem, ele era tudo para mim a minutos atrás, meu exemplo, meu herói, minha esperança. Agora ele se tornou um monstro. A repulsa embrulha meu estômago. Todos aqueles homens que ja me tocaram nunca me fizeram me sentir tão miseravel quanto me sentia agora.

Sua mão tocava meu intimo, já machucado de tantos abusos, forçando a entrada dos seus dedos. Eu apenas chorava me sentindo a pessoa mais nojenta da face da terra. Eu apenas queria desaparecer.

-Sua mãe sera apenas minha agora-ele diz rasgando meu vestido.

De olhos fechados sinto ele me penetrar. Eu estava em choque, meu corpo paralisou e eu não conseguia respirar, eu não sentia nada. Apenas a enorme vontade de me entregar aos braços da morte. Eu não chorava mais.


Fora de mim só me dou conta que o homem que eu chamava de pai havia saido da sala quando a senhora voltou para me limpar. Eu não me movi, apenas fiquei quieta enquanto ela limpava por entre minhas pernas o sangue e o gozo do meu progenitor.

-Eu acho que ela esta em choque-a voz que acredito ser da senhora soa.

Apenas ouço as vozes mas mesmo de olhos abertos não consiguo acompanhar o que acontece ao meu redor.

-Faça ela acordar, estou cansado dessa garotinha mimada. Espero que ele decida logo mata-la. Eu quero meu dinheiro isso ja esta me dando dor de cabeça.


SENHORA KIM POV

Com o rastreador escondido e o encontro marcado, espero pelo homem o qual amei um dia. Havia marcado de ele me buscar em uma parque, iriamos conversar e eu iria propor que ele me deixe ver Hyuna.

Nervosa minha mãos tremem, enquanto balanço minhas pernas incensantemente. Pensar em ver minha menina me deixa anciosa.

Sinto a presença de alguem se sentando ao meu lado, discretamente olho para o lado. É ele, em seu terno perfeitamente alinhado, com seu cabelo bem penteado e um sorriso discreto. Ele deve estar adorando toda aquela situação, deve estar em extase por conta de sua loucura.

-Meu amor-diz com doçura.

-Onde ela esta?-pergunto tentando não demonstrar raiva.

-Querida eu estou cuidado dela, é minha filha eu estou cuidado bem dela. Não confia em mim?

Me arrepio ao notar o quão louco aquele homem se tornou. Como pude me casar com alguem como ele?

-Eu confio em você. Mas você esta tão focado em nossa menina-digo virando em sua direção e segurando sua mão-Sinto sua falta.

-Você quer mesmo que eu acredite em suas palavras? Você escondeu nossa filha de mim e colocou um batalhão de seguranças em nossa casa.

-Eu me arrependi

Deslizo meus dedos por seu ombro em direção a sua nuca.

-Eu não acredito em você-ele diz se afastando dos meus toques.-Você esta fazendo isso para mim libertar aquela bastarda. Eu não caio nesse seu joguinho.

-Não é um jogo, eu quero você-digo aproximando minha boca de sua orelha-Me deixe vê-la uma ultima vez e eu prometo que serei sua para sempre. Como sempre quis. Sem Hyuna, como você quiser.

Vejo ele fechar as mãos em punhos, ele engole em seco e sei que esta tentado. Ele quer estar comigo, mas sabe que eu não abriria mão de Hyuna.

-Não, eu não vou deixar você vê-la.

Eu disse Jay, isso tudo é uma falta de tempo. De tempo precioso. Em pensamentos tento formular uma tatica, algo que o faça realizar meu pedido.

-Veja se eu não o quisesse mais eu não estaria usando nossa aliança-digo entrelaçando nosso dedos.-Eu prometi a você que seriamos para todo o sempre.

-Se eu deixar você ver ela, vai realmente ficar comigo?-apenas concordo esperando que ele continue-Mesmo depois ficando sem noticias sobre ela?

-Eu não sei-digo sincera, seria muito estranho se eu não fraqueja-se em algum momento.-Eu prometo ficar com você, mas me deixe ver minha menina uma unica vez.

-Essa sim é você-ele diz rindo-Eu vou levar você lá.

Sinto meu coração acelerar, ele vai me levar até ela. Vejo que ele se levanta e estende a mão para mim, seguro sua mão e com sua ajuda me levanto. Seus dedos se entrelaçam ao meus.

-Se você estiver me enganando sua filha vai pagar por isso-ele diz proximo ao meu ouvido.

SENHORA KIM OFF


-Você tem que se alimentar-a senhora ensiste tentando me fazer comer.

Apenas nego com um aceno de cabeça, eu não venho me alimentando, eu estou morrendo aos pouquinhos.

-Hoje teremos uma visita-ela diz-Você vai gostar da visita de hoje.

Continuo em silencio, eu não falava desde que meu pai apareceu e me estuprou. Eu tenho delirado durante a noite, eu não consigo dormir. Acho que estou enloquecendo finalmente.

-Eu só te digo quem é se você comer um pouco-ela diz, olho em seus olhos.

Abro minha boca a espera que ela me ajude a me alimentar, algumas colheradas de sopa aquece meu corpo fraco.

-Sua mãe, ela vira te visitar

Abraço a senhora a minha frente. Eu verei minha mãe. Minha mãezinha, o meu coração.

-Eu sabia que você ia gostar-ela diz-Mas você prescisa falar, como vai ser quando ela estiver aqui?

Choro em seus braços, depois de todo esse inferno eu poderei ver alguem pura, alguém que me ama.

Notas Finais


Obrigado a todos os comentarios, eu sou realmente muito grata.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...