História Capuz Escarlate - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Capuz Escarlata, Chapeuzinho Vermelho, Lobo, Mona Lisa
Exibições 6
Palavras 1.018
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Musical (Songfic)

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Enfim, aqui está uma fic inspirada no conto "Chapeuzinho Vermelho" (como é o mês do Halloween resolvi postar algo que seja mais diferenciado, mas não saiu terror porque eu simplesmente não levo muito jeito para escrever sobre o tema 'Ç.Ç), ela tem um estilo próprio onde o leitor é quem vai imaginar o que aconteceu no final por isso se divirtam! >:D

Capítulo 1 - Capítulo Único


Houve, uma vez uma graciosa garota chamada Mona Lisa; e como seu nome já diz quem a via logo se encantava por ela, assim como ela também tratava todos muito bem por meio de sorrisos e gestos agradáveis; mas em seu particular, amava mais que tudo nesse mundo sua querida avó, que não tinha ideia do que dar e o que fazer pela neta. Certa vez, presenteou-a com uma capa de veludo vermelho e, porque lhe ficava muito bem, a garota não mais quis usar outro e acabou por ficar com o apelido de Capuz Escarlate. Um dia, enquanto varria a frente da casa simples em que vivia com a vó ouviu um grito terrível vir de dentro da casa e muito preocupada a moça correu para ver o que se passava, encontrando assim a mais velha caída próxima á cama.

-Obaasan! - exclamou assustada indo ao socorro da velha senhora.

-Não se preocupe, querida Mô-Chan. Já vou levantar, foi só uma tola quedinha! - dizia tentando ficar em pé por conta própria, mas logo fez uma careta de dor.

-Não, você precisa de ajuda.

Antes que sua avó pudesse protestar a garota passou um dos braços da mesma por seu pescoço e com o apoio necessário a levantou daquele chão frio, deixando-a em seu leito quente e seguro.

A avó se acomodou e deu um suspiro, em seguida olhou para a neta e fitando seus olhos agradeceu baixinho. Ela tocou na beira da cama com uma mão fazendo um gesto para que ela se sentasse.

-Vem cá, Capuz Escarlate.

Concordando com a cabeça ela o fez.

-Deve ter percebido o quanto estou fraca esses dias, por isso o que tenho a te dizer é algo sério. - afirmou enquanto ainda olhava fixamente para a neta. - Mas antes que se desespere vou dizer o que quero para seu futuro…

Ouvindo tudo com muita atenção a jovem se conteve em não derramar as primeiras lágrimas que ameaçavam escorrer por seu rosado rosto.

-O que é, vó? - perguntou com os olhos brilhantes, não pela luz sendo refletida mas sim pelas lágrimas ali ocultas, o que só piorou quando a vó tocou uma de suas mãos.

-Seja feliz, Mô-Chan. - ela deu um singelo sorriso que no fundo escondia toda a dor que sentia.

Lisa olhou para a expressão da avó e deixando um sorriso leve escapar concordou, novamente notando que algo ruim ia atingi-la a qualquer momento.

-Muito obrigada querida - ela suspirou pesadamente e aos poucos o sorriso foi-se indo. -, fique bem… - ela foi fechando os olhos aos poucos.

-Obaasan…? - Lisa sussurrou meio boquiaberta e com o coração apertado, o rosto sendo molhado pelas primeiras lágrimas. Sentiu a mão que segurava a sua ir se soltando aos poucos.

A senhora - agora de olhos totalmente cerrados - nada mais disse, e não diria.

 

Para seu ânimo as duas moravam à beira da floresta, a uma meia hora mais ou menos de caminho da aldeia. Por isso Capuz Escarlate resolveu sair e colher algumas flores para enfeitar o túmulo que fizera numa clareira próxima, garantindo a sua vó descer dignamente á sepultura.

Capuz Escarlate chegou à floresta; não sabendo, porém, onde poderia encontrar as flores mais belas e delicadas. Estava tão distraída olhando para o chão que nem se importou com a presença do lobo ao seu lado, e como não tinha ideia do quão perverso ele poderia ser, não sentiu medo.

-Bom dia, Capuz Escarlate. - disse o lobo todo dengoso.

-Mal dia, você diz. - respondeu sem ânimo nenhum.

O lobo - muito curioso -, sentiu-se tentado a saber o que havia acontecido para que justo a garota que era conhecida por ser a mais sorridente tinha lhe dado tal resposta. 

-Nossa, mas o que aconteceu para estar assim tão tristinha, Capuz Escarlate? - ele se inclinou sorrindo e com um dedo tocou o queixo da jovem.

Capuz Escarlate fez uma expressão ainda mais triste mas não o olhou nos olhos.

-Minha obaasan faleceu, lobo... - soltou um suspiro cabisbaixo.

O lobo arqueou uma sobrancelha e, porque era lobo, não sabia como era a dor da perda de alguém.

-Oras, e isso é motivo para estar assim? - ele levantou mais o queixo dela fazendo com que ambos se encarassem, sorria com seus dentes pontudos. - Ela já estava no ponto, afinal, não tem porque ficar triste se já sabia.

Imediatamente a garota fechou a face e o empurrou para longe, visivelmente muito irritada.

-Tão frio assim, nunca saberia como é a dor da perda de alguém!

O lobo mesmo sentindo-se ofendido com o empurrão ainda continuou com seu sorriso.

-E nem quero saber.

A garota pegou a cesta que havia deixado ao pé de um arbusto e batendo os pés se preparava para sair, mas antes de fazê-lo foi surpreendida pelo lobo, que com seu jeito malandro colocou-se á sua frente para bloquear a passagem. Andou dois passos para frente e foi insinuando:

-Olha, Capuz Escarlate, que lindas flores! Por quê não olha ao seu redor? Creio que nem sequer ouviu o canto dos pássaros! Se preocupa tanto com o que digo, que nem percebe que é tão divertido tudo aqui na floresta!

Capuz Escarlate ergueu os olhos e, quando viu os raios do sol dançando por entre as árvores, e à sua volta a grande quantidade de lindas flores, pensou:

"Parece que não percebi que esse tempo todo tinha as flores que eu tanto queria."

Ela foi na direção dos arbustos floridos. Tendo apanhado uma, achava que mais adiante encontraria outra mais bela e, assim, ia avançando e aprofundando-se cada vez mais pela floresta a dentro.

Enquanto isso, o lobo observava atento a cada movimento, pensando o quanto ela podia ser ingênua e ao mesmo tempo tão bela.

-Mona Lisa - chamou ele - a surpreendo por saber seu nome - tendo os olhos da garota já voltados para os seus de imediato. -, eu pagaria para ver você falhar.

Dito isso ele a envolveu em seus braços enquanto ela sentia o hálito quente em seu pescoço.

 

Capuz caído,

vermelho vivo.


Notas Finais


Como eu consigo destruir corações? Bom, nem sei mas eu tento! >:D
Hapspdlpkfkg okay, antes de mais nada vou avisar que me inspirei em trechos do conto dos Grimm e que o nome Mona Lisa foi uma inspiraçãozinha por conta da música tema dessa fic "Mona Lisa - Panic! At the Disco"
E, sinceramente falando, eu não sei da onde tiro essas coias. :)
Kissus sabor chocolate! u3u ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...