História Cárcere - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Seventeen
Personagens Jeon Wonwoo, Kim Mingyu
Tags Drama, Meanie, Minwon, Romance, Seventeen
Exibições 85
Palavras 507
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drabble, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


bu 2.0

(feliz dia das crianças, esse é o presente. ♥)

Capítulo 14 - Sobre o pintor que (não) sabia pintar


extra 2; sobre o pintor que (não) sabia pintar

A pintura era quase toda em amarelo cádmio. Mas tinha um pouco de um vermelho quinacridone, que as vezes se misturava com o azul cobalto e o verde-escuro do terre verte. Era muito mais maravilhosa do que conseguia imaginar. Talvez achasse isso não apenas por conta das tintas aquarela Winsor & Newton, caras demais para sequer imaginar de onde haviam vindo, que cobriam a superfície do papel. Dentre os grandes borrões de tinta que manchavam o papel, Mingyu podia ver a estrutura facial de Wonwoo. Os olhos pareciam rasgar a pintura que misturava tantas cores em uma só. Demorou a acreditar que aquele era o mesmo trabalho de quem lhe entregava rabiscos inteligíveis. 

– Ele me deu isso a dois anos. Eu também não acreditei no começo. – Wonwoo começou a explicar, deslizando os dedos pelo papel enquanto falava. 

E Wonwoo realmente não havia acreditado. Recebera inúmeros dos mesmos rabiscos que Mingyu, todos impossíveis de se decifrar, mas com um certo quê artístico em seus riscos. Pareciam ter sido estrategicamente colocados ali, como se a bagunça do grafite que maculava o papel branco fosse, de alguma maneira, organizada. E Wonwoo gostava deles, mesmo que não os conseguisse entender. 

Foi numa tarde de quarta-feira que eles lhe foram tomados pelo próprio autor. Wonwoo ficou confuso vendo ele recolher da parede aonde estavam fixados cada um dos rabiscos, as mãos quase desesperadamente arrancando os desenhos de onde estavam, e os reorganizando no chão do quarto. Ele falava baixo, consigo mesmo, murmurando para si mesmo “Você o encontrou”. Dois dias depois, os rabiscos lhe foram devolvidos junto a pintura que agora encaravam. 

– É incrível. Se parece muito contigo, e as cores são muito bonitas. 

– Ele me pediu para escolher uma das cores, eu escolhi o amarelo. Acho que ele gostou bastante, já que usou tanto. – Wonwoo dizia baixo, ainda com a pintura em mãos. Olhava para o papel com carinho, e Mingyu podia apenas imaginar o quanto aqueles traços de tinta significavam para ele.

– Por que amarelo?

– Não sei. Eu gosto, mas não tanto. Eu só escolhi o que me pareceu mais adequado, mais bonito... – Tentou explicar, mas acabou suspirando. – Não sei porque amarelo. Mas eu gosto de como está.

Mingyu continuava fascinado com cada traço, cada pincelada. E esperava que, um dia, encontrasse algo nos rabiscos que lhe dera também, já que pintor tinha encontrado Wonwoo naqueles rabiscos. Era algo só dele; rabiscava por sua loucura, mas ela tinha um pouco e sanidade escondida em si mesma. Os rabiscos pareciam organizados porque, na verdade, eram organizados, mesmo que de uma maneira que apenas ele entendesse. E dentre os tantos riscos que a lapiseira velha fazia nas pequenas folhas de papel, escondia-se o seu personagem principal. Ele sabia que não era ele que os criava, eles estavam ali o tempo todo. Mas com as aquarelas espalhadas pela folha ele lhes dava tanto cor, como também os libertava. 

Ele não fazia sentido, no final, mas não tinha problema. A arte não precisa fazer sentido. 


Notas Finais


- os capítulos terão SEMPRE em torno de mil palavras. eu amo fazer capítulos grandes mas não farei dessa vez. esse plot vai muito bem com as drabbles, na minha opinião akjfsdf
- eu postarei todo domingo até dia 13 de novembro (aniversário da anja sooyeol....), tentarei não falhar mas não prometo! isso dá em torno de 17 capítulos (eu acho......)
- a cada capítulo vai ter um pequeno poema de início que tem a ver com a história. leiam por favor. <3
- vou colocar uma música ao final de cada capítulo, algo que me inspirou ou que eu apenas ouvi escrevendo.
- feedback é muito bem vindo sim! ficarei muito feliz de ler seus comentários e ver o que posso melhorar.
- nem todo capítulo será betado, apesar de eu corrigir ele diversas vezes, provavelmente os erros serão frequentes. perdoem os meus erros. </3
- eu respondo os comentários assim que posto capítulo novo, então se eu não tiver respondido ainda provavelmente é esse o motivo!
- aproveitem a história!

✿✿✿✿

assustei vocês? não tem problema, eu também me assustei. quem diria que eu conseguiria escrever o extra....

num feriado regado a trabalhos inacabáveis, consegui meia hora para escrever mais um extra pra vocês. surpresa? dgdkjkgd mas espero que vocês gostem! e espero que lembrem do pobre pintor...... ele vai aparecer mais, prometo!
mas enfim. a pintura do wonwoo é inspirada pela arte da agnes cecile, que é uma artista que trabalha muito com aquarela e que eu amo bastante. essa é a garden in the ceiling, aqui pra quem quiser ver: http://agnes-cecile.deviantart.com/art/Garden-in-the-ceiling-200919197
a noção de "libertar" os personagens também não é minha, eu roubei do michelangelo. ele tinha essa noção de que estava libertando as figuras presas no mármore quando esculpia, e foi daí que eu tive a ideia. na verdade, a inspiração para o capítulo só do pintor vem do filme agonia e extâse, que é sobre o michelangelo pintando o teto da capela cistina. vale a pena!!!
enfim, muita info né? mas vamos lá. obrigada a todos que tem comentado, apoiado a fic, e etc. como esse não é um capítulo oficial, eu respondo os comentários no domingo, prometo! mas de verdade. cárcere tem quase 70 favoritos e eu nunca imaginei que seria tão bem recebida. a história tem mais de mil e trezentas exibições no total, e eu fico muito feliz de ver que tem tanta gente acompanhando. obrigada a todos.
e fiquem ligados. talvez tenha uma coisa vindo aí, que tem a ver com cárcere mas nem tanto.......... [emoji de olho]

beijos e até domingo.
com amor,

miro (ɔ◔‿◔)ɔ ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...