História Carcereiro. - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Jude Heartfilia, Layla Heartfilia, Lucy Heartfilia, Natsu Dragneel
Tags Fairy Tail, Hentai, Nalu, Romance
Visualizações 776
Palavras 1.460
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ecchi, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 9 - Um susto.


Eu sei que não deveria ficar tanto tempo sem vê-la, eu sei disso mas... Eu quero saber de onde Lucy veio, por que escolheram ela para sequestrar e vende-la no mercado negro, por tanto aqui estou eu, na cidade onde ela nasceu e cresceu aparentemente. Estou parado na frente do endereço que seria dos pais dela, tomei fôlego e desci do carro, essa gente não me conhece, não sou nenhum ator, cantor ou modelo pra reconhecido, então eu posso fingir. Desci do carro e fui para frente da porta da casa, é de classe média alta, um bairro calmo e bonito, pobre eu tenho certeza que ela não é. Quando a porta se abriu eu quase levei um susto em ver a mulher que me atendeu, era idêntica a Lucy.

-Posso ajudar? – ela perguntou e limpei a garganta.

-Meu nome é Natsu, eu sou detetive... – eu disse e ela cruzou os braços.

-Quero uma identificação – ela disse e dei risada.

-Sou um detetive particular, estou tentando solucionar um caso de mulheres desaparecidas – no que eu disse isso ela já mudou a expressão do rosto.

-Pode entrar – ela disse e assenti. Entrei na casa e logo de cara vi fotos da Lucy e de uma menina também idêntica a ela pela casa, ela tem uma irmã gêmea?

-Onde podemos conversar melhor? – perguntei e a mãe dela me levou até a sala de visitas e nos sentamos um de frente para o outro.

-Meu marido não está no momento, mas... Podemos conversar mesmo assim? – perguntou e assenti.

-Claro que sim – eu disse dando um sorriso – Senhora, eu vi num jornal que sua filha desapareceu... Em Magnolia não é?

-Sim, foi verão passado – ela disse já com os olhos cheios de lágrimas – Ela tinha ido com as amigas passar o verão lá, sabe ela nunca tinha viajado antes... Então deixamos ela ir e estava gostando bastante, nos ligava todos os dias e então ela parou, uma das amigas dela nos ligou dizendo que ela tinha saído com um homem desconhecido e que estava totalmente bêbada... Já fazia dois dias... O senhor é detetive, pode me dizer o que já descobriu? Tem relação com a minha Lucy?

-Bom – eu disse respirando fundo – Não é algo certo, mas tem uma coisa muito grande por detrás dessas moças desaparecidas, até de fora do país – eu disse e ela começou a chorar.

-Mas por que a minha Lucy? Acha que... Que mataram ela? – disse a mãe dela e suspirei.

-Nada é certo nesse mundo – eu disse – Pode me falar uma coisa... Ela tem uma irmã?

-Ah sim... Louise, são gêmeas – disse ela pegando um porta retrato – Louise está estudando fora do país... Ela está muito deprimida por conta do sumiço de Lucy...

-Entendo – eu disse – Bom, senhora Heartfilia, darei noticias...

-Posso pegar seu telefone? – ela perguntou e engoli em seco.

-Não, sabe, tem gente muito perigosa atrás de mim por conta dessa investigação, mas prometo que entro em contato – eu disse – Pode me dizer se Lucy se envolvia com coisas erradas?

-Ela nunca faria isso, era uma doce, amável com todos, estava no terceiro ano de faculdade, era um anjo – disse a mãe dela – Acha que ela poderia?...

-Não sei- eu disse me levantando – Agora tenho que ir, meu tempo é curto...

-Sim senhor – ela disse se levantando também e me levou até a porta – Por favor, encontre a minha filha... – ela chorava muito, apenas assenti. Eu me sinto um pouco mal ao ver essa cena, mas eu não vou abrir mão da Lucy, não mesmo, nunca.

Voltei para casa cansado, e com a cabeça a mil por hora, quer saber, eu vou contratar um detetive pra ir atrás de toda vida da Lucy, eu preciso saber tudo, tudo dela. Tomei um banho e me troquei, coloquei uma roupa confortável e estava no escritório trabalhando.

-Senhor – disse Beth.

-Sim Beth? – perguntei olhando a tela do computador.

-A senhorita Lucy, ela não está bem – disse Beth e parei o que eu estava fazendo – Desde da madrugada ela está com febre e suando muito, além de estar vomitando, não está comendo e está sem forças... Ela me pediu para não contar ao senhor, mas sinto que ela vai morrer...

-COMO ASSIM BETH?!  - eu disse nervoso e me levantei da cadeira na hora.

-Senhor, pode ser um vírus que ela pegou, ou alguma infecção alimentar – disse Beth e sai correndo pra garagem. Apertei mil vezes o botão do elevador e a porta abriu na hora, então digitei a senha e o elevador desceu, quando abriu a porta tudo estava apagado.

-Lucy?! – chamei e ela não respondeu – Lucy?! – novamente ela não respondeu. Fui pro quarto e liguei a luz, ela estava desmaiada no chão. Fiquei em choque, mas corri até ela e a peguei.

-Lucy! Hey! Acorda! – a coloquei na cama e verifiquei se ela estava viva, graças a Deus está – Vem comigo... – peguei ela em meus braços e fui pro elevador, apertei o botão para subir e a senha o mais rápido que pude. Corri para meu quarto com ela, mas Lucy não acorda de jeito nenhuma então eu não tenho escolha, liguei pro médico que sempre cuidar das minhas concubinas, ele é de confiança, afinal o tanto que pago pra ele não é pouco e ele também compra essas garotas... Então temos um na mão do outro. Ele chegou e logo foi examinar Lucy, eu não tiro os olhos dela, está pálida, suada, parece esta morrendo mesmo.

-E então? – perguntei e o médico me olhou.

-Ela está possivelmente com falta de vitaminas, isso é muito sério, pode estar com uma anemia aguda também, vou tirar sangue para averiguar e hoje mesmo trago os resultados – ele disse – Talvez ela possa ter pego algum vírus...

-Mas ela nem sai daqui – eu disse de braços cruzados e olhando pra ela que respira forçadamente.

-Ás vezes ele entrou pelo ar condicionado Natsu, ou você mesmo levou o vírus até ela – ele disse – O organismo dela ficou bem fraco por conta da falta de ar puro, da luz do sol e outros fatores externos, a menina está um caco e aposto que você bom... Como é jovem gosta de sexo...

-É... Fazemos bastante – eu disse engolindo em seco – Então vai tirar sangue e trazer os exames?

-Sim, e já trago uma receita, possivelmente analgésicos para a febre e vitaminas, muitas vitaminas – ele disse – E ela está tomando anticoncepcionais?

-Claro – eu disse e ele negou – O que?

-Como pode dar isso para uma mulher sendo que nem sabe qual o correto para ela? – ele disse – Vou tirar sangue também para ver qual o melhor para dar para ela, meu Deus garoto é mais maluco do que pensei... Eu cuido bem das minhas garotas...

-Eu cuido bem dela – eu disse – Não deixo nada faltar...

-Só saúde – ele disse começando a tirar sangue dela – Por hora vou deixar esse remédios aqui, para baixar a febre, ela vai acordar logo...

-Eu espero – eu disse e logo ele terminou de tirar sangue e foi fazer os exames dela na clinica dele. E eu, eu peguei uma toalha fria e molhada, coloquei na testa dela e fiquei ali, do lado dela cuidando dela, sem tirar os olhos em nenhum minuto. Quando ela abriu os olhos e me viu deu até um sorrisinho com a boca seca.

-Oi – eu disse e ela suspirou – Por que não me disse logo que estava doente?

-Eu não queria que você me chutasse por eu ter ficado doente – ela disse tossindo – Onde eu estou?

-No meu quarto – eu disse e ela ficou um pouco surpresa – Está fora da casa subterrânea...

-Não acredito – ela disse sorrindo – É um sonho?

-Tá mais pra pesadelo, você está muito doente – eu disse rindo e ela riu também – O médico logo vai voltar com as coisas que você precisa ok? Só tem que ficar acordada...

-Eu vou... – ela disse – Eu vou te deixar doente?

-Eu espero que não – eu disse a fazendo carinho – A culpa é toda minha que está assim... Me perdoa...

-Olha só, você tem um coração afinal – ela disse dando um sorriso de canto e sorri pra ela. Fiquei ali com ela conversando por um bom tempo, até o médico voltar e dar todos os remédios e vitaminas que ela precisa, na verdade... Eu vou ter que aplicar uma injeção nela por uma semana, todas na bunda por que é no músculo que tem que chegar, ela pegou uma bactéria no estomago, acredite se quiser, mas ela também está com anemia, falta de vitaminas e o anticoncepcional que eu dei a estava fazendo mal... É, eu sou um belo filho da puta mesmo e estou me arrependendo de tratar ela desse jeito, agora tenho que cuidar dela e eu vou, vou cuidar dela da maneira certa. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...