História Cariño - Capítulo 3


Escrita por: ~ e ~rafaelaabeca

Postado
Categorias Cristiano Ronaldo, Karim Benzema, Manuel Neuer, Robert Lewandowski, Thomas Müller, Toni Kroos
Personagens Karim Benzema, Manuel Neuer, Personagens Originais, Toni Kroos
Tags Bayern, Benzema, Futebol!, Kroos, Real Madrid, Vôlei
Exibições 432
Palavras 1.520
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Esporte, Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi, gentee❤
Eu tentei postar ontem, mas não consegui. Enfim, mas esse é o Karim (foto)💙
Boa leitura!

Capítulo 3 - Jealous?


Fanfic / Fanfiction Cariño - Capítulo 3 - Jealous?

Sophie's POV

Ele é hipnotizante.

Não sei o que fazer, fico estática. Até que sinto alguém me cutucando. Toni. Ele me olha sorrindo e me chama pra dançar. Olho para trás e o cara continua me olhando, vejo um brilho em seus olhos mas não consigo identificar o que eles expressam.

Me volto pra Toni e aceito. Quando estou indo pra pista, vejo o homem se levantar e ir em direção ao bar, mas ainda me olhando. Viro meu rosto e dou atenção a Toni. Não posso ficar olhando pra ele, vai que ele é um psicopata.

Karim Benzema's POV

Ando até Cris, eu preciso saber quem é essa mulher. Ele sempre sabe de tudo, parece aquelas velhas fofoqueiras. E quando eu falo tudo, é tudo mesmo.

- Hey, dude. - Cris fala assim que me vê ao seu lado no bar. Nem me dou ao trabalho de olhá-lo, continuo observando a moça dançar, infelizmente, com Toni.

- Hey. Então... sabe quem é aquela mulher? - pergunto apontando pra ela.

- Que está dançando com Toni?

- Sim.

- Por que quer saber? - ele pergunta curioso, como sempre.

- Vai responder ou não? - pergunto logo impaciente.

- Okay, okay. O nome dela é Sophie Albuquerque, ex do Toni, mãe do Leon. Ela é uma das melhores ponteiras-passadoras do mundo, joga no Bayern, mas veio pra Madrid assinar um contrato com o time de vôlei do Real. - ele conta olhando pra pista, pra ela... e Toni.

- Hum, interessante.

- Nem venha com essa cara, Benz, não chegue perto dela, Toni ainda a ama. - Cris fala defendendo ele. Que saco, todos querem mandar em mim agora?

- Em um relacionamento os dois tem que se amar, certo? E se ela terminou com ele é porque ela não o ama mais.

- É. - ele concorda meio à contra gosto.

Nem me dou ao trabalho de continuar falando com ele. Vejo Sophie ir em direção ao bar sozinha. Vou até ela e me sento ao seu lado. Quando ela percebe minha presença se assusta.

Ela fala algo em outra língua, que parece um pouco com o francês, deve ser alguma língua latina. Eu sorrio e ela me olha desconfiada.

- Olá. - digo enquanto ela bebe algo, que suponho ser água.

- Hm, olá? - ela fala hesitante.

- Isso foi uma pergunta? - rio e ela me acompanha.

- Olá! Melhorou? - ironiza.

- Sim. Como você se chama? - pergunto mesmo já sabendo a resposta, eu preciso puxar assunto.

- Sophie. Sophie Albuquerque e você?

- Bonito nome. - elogio e ela sorri sem jeito - Me chamo Karim Benzema.

- Bonito nome. - ela me imita e faço careta. Ela me olha desconfiada. - Você não bebe?

- Bebo, mas hoje eu não posso. Vou buscar minha filha no aeroporto mais tarde. - sorrio ao me lembrar dela.

- Você tem uma filha? Que legal! Eu também tenho um filho. Quantos anos ela tem?

- Dois anos, ela é linda! - falo todo bobo.

- Qual é o nome dela?

- Melia. Você disse que tem um filho.

- Sim, Leon, tem 5 anos. - ela sorri e, putz, que sorriso lindo.

- Filho do Toni? - pergunto tentando fazê-la falar mais.

- Sim, você conhece ele? - ela parece surpresa.

- Eu trabalho com ele. Jogo no Real Madrid. - agora, sim, ela fica surpresa.

- Ah, você é o Benzema. Não te reconheci. Na verdade eu não vejo muitos jogos do Real. - ela ri um pouco constrangida.

- Não tem problema, vo... - não consigo terminar, porque alguém me puxa pela gola da camisa e dá um soco no meu nariz, o fazendo sangrar. Porra, tá doendo muito!

Sophie's POV

Não consigo entender o que está acontecendo. Em um minuto estou conversando com Karim, e no outro Toni começa a bater nele.

Várias pessoas param pra olhar a briga, na verdade, não é uma briga já que Karim não revida. Eu peço pra separarem eles, mas ninguém me escuta. Até que vejo o Cristiano Ronaldo conversando com uma mulher, vou até ele enpurrando todos que estão na minha frente.

- Ronaldo? Oi, preciso da sua ajuda. Toni está batendo no Karim, o Benzema, por favor, separa eles. - falo desesperada, em português, assim que ele me vê. Ele não fala nada, apenas assente e sai correndo e me puxando em direção à briga.

Quando chegamos perto, ele me solta e tira Toni de cima do Karim. Eles começam a discutir e eu me ajoelho pra ajudar Karim.

- Karim? Você está bem? - pergunto preocupada. Muito preocupada. Ele me olha e assente.

- Me ajuda a levantar? - ele  pede com a voz falha e rapidamente eu o ajudo. Sigo com ele em direção ao bar e peço uma água do barman. Ele me entrega a água, junto com algodão e eu sorrio em agradecimento.

Peço pra Karim sentar e fico em pé no meio das pernas dele. Começo a limpar o sangue do rosto, mas continua escorrendo. Ele reclama e aperta minha cintura toda vez que dói. Assim que parar de sangrar, ficará melhor pra limprar.

- Eu tenho que ir ao aeroporto buscar Melia. - ele fala depois que termino.

- Você não tem condições de dirigir. Eu te levo. - ele parece pensar e concorda um pouco depois.

- Mas Toni não vai brigar se você for comigo? - ele pergunta um pouco desconfiado enquanto saímos da boate.

- Toni não é nada meu, apenas o pai de Leon. Ah, desculpe por tudo isso, foi por causa disso, principalmente, que terminamos, ele é muito possessivo. Isso não vai mais acontecer, te prometo. Vou falar com ele, isso não pode ficar assim.

Ele assentiu e entramos no carro: eu no banco do motorista e ele ao lado, no de passageiro. Fomos o caminho todo conversando sobre nossos filhos, e o assunto da briga não foi mais tocado.

Karim é uma pessoa muito legal, a conversa com ele não perde a graça. Eu sou muito louca, estar num carro com um cara que acabei de conhecer, mas não estamos fazendo nada demais. Ele até tentou dar em cima de mim, mas foi uma cantada tão idiota que tive que rir.

O caminho até o aeroporto foi assim: leve, divertido. Quando chegamos fomos para o portão de desembarque. Karim não aparentava ter brigado, a não ser por um pequeno corte no nariz, então algumas pessoas pediam pra tirar foto com ele. E por incrível que pareça comigo também, no estádio alguns me pediam fotos, mas não sabia que era tão conhecida aqui.

Esperamos por alguns minutos até que vi Karim abrir um sorriso capaz de rasgar o rosto e uma menina correndo em nossa direção. Ela abraçou ele e começou a falar em francês. Minha sorte saber falar francês também.

Meu pai tem empresa em vários lugares, então vivíamos mudando de pais, mais precisamente Brasil, Colômbia, Canadá, França, Alemanha e Portugal.

Eles falavam sobre as bonecas dela. Me segurei para não rir, ela é tão engraçadinha. Vi uma mulher morena falar com Karim e ele nos apresentou.

- Chloe, Melia, essa é Sophie. Sophie essas são Chloe, mãe da Melia e minha amiga, e Melia, mon bebé. - Chloe sorri amigavelmente e me cumprimenta com um abraço e beijo no rosto; Melia sorri pra mim e se esconde no pescoço do pai, com vergonha. Coisa linda!

- Oi, Melia! - tento falar com ela, em francês, e deu certo. Ela me fala sobre seu cachorrinho enquanto Karim conversa com Chloe. Passado um tempo, vamos embora.

Karim ajeita Melia na cadeirinha e se senta no banco do passageiro, vou para o de motorista e ele vai me indicando um caminho. A casa do irmão da Chloe.

Ela acha melhor levar Melia, então nos despedimos e Melia quase chorou porque queria ficar com o pai... e comigo. Acho que sempre tive esse dom com crianças, até mesmo antes de Leon nascer.

Vou até a casa do meu pai, para depois Karim ir para a casa dele. Chegando lá, quando me virei para me despedir dele fui surpreendida com um abraço, mas retribuí.

- Obrigado, Melia amou você. - o francês diz sorrindo assim que me solta.

- Eu também, ela é muito fofa. Acho que me apaixonei por ela. - ele gargalha e eu o acompanho. - Tenho que ir, tá tarde e amanhã tenho reuniões.

- Tudo bem, boa noite.

- Boa noite. Tchau.

- Ah, espera. - ele fala antes de eu abrir a porta - Me dá seu número?

Será que eu dou? Ah, não tem nada demais. Além disso eu gostei de conversar com ele. Trocamos os números e me despeço novamente dele.

Quando entro entro em casa está tudo escuro. Também 2h da madrugada. Uau, passou tão rápido.

Vou ao quarto de Leon e ele está dormindo como um anjinho. Meu anjinho. Dou um beijo na testa dele e ajeito sua coberta.

Assim que me deito milhares de imagens vem na minha cabeça. Karim está em quase todas elas.


Notas Finais


Então, eu não gostei muito desse capítulo, minha criatividade tava abaixo de 0 quando eu fiz ele😂😂
Mas eu queria postar logo.

Se vocês gostaram (ou não), comentem aqui e favoritem, please.
Beijinhos💙
~Keh


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...