História Carmem, amiga de Adam e Tommy - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Adam Lambert
Exibições 9
Palavras 1.263
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fantasia, Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Capítulo 1


 Carmem era uma garota com seus 27 anos, bonita e fogosa. Ela vivia a sair por ai com suas amigas para se divertir e beijar garotos sem compromisso, ela até já perdera a virgindade aos 21 com um antigo rolo que tivera. Ela era amiga de Tommy e Adam e vivia a se gabar para as pessoas que conhecia nas noitadas o fato de serem amigos, o que os faziam perguntar se eles eram mesmo gay e tudo o mais. Ela apenas ria visualizando os dois se beijando e adorava a imagem.
 - Como queria um dia foder com eles. Pensava enquanto respondia as pessoas. Com Tommy talvez fosse mais fácil, já que ele é bissexual; Com Adam, não sei porque ele só pega homens como o Tommy. Aposto como eles já transaram.
 Um dia, Carmem estava sozinha em casa e como estava calor, resolveu por um vestido bem leve e foi para o seu quarto. De repente ela começou a pensar bobagens e sem notar estava sentindo um tesão louco e começou a se masturbar. Estava tão perdida em seus devaneios que nem percebeu Tommy chegar. Ele tinha uma chave reserva da casa porque ela o emprestou por uns dias. 
 Tommy foi buscar algo que tinha esquecido na casa dela mas ao passar pelo quarto aberto de Carmem ele, boquiaberto com a cena, parou, se encostou na porta e ficou a admirando. Quando ela abriu os olhos sorrindo pelo gozo que tivera, ela estava morta de vergonha.
 - Tommy?! O que faz aqui?! Carmem tentava esconder sua virilha com um travesseiro.
 - Você devia tomar mais cuidado ao fazer isso. Dizia Tommy maliciosamente mas em tom de bronca. Eu vim pegar um documento que esqueci aqui.
 - Mas é porque eu estava sozinha em casa e nem ví você chegar. Dizia ruborizada. 
 - Bom. Tenho mesmo que ir. Mais cuidado da próxima vez. Tommy deu um meio sorriso e saiu deixando Carmem novamente sozinha e sorrindo feito uma boba ao lembrar de Tommy parado á sua frente vendo tudo.
 - Meu Deus! Eu não esperava que ele fosse aparecer aqui em casa agora á tarde, talvez só mais tarde. O que será que ele pensou ao me ver na minha cama me masturbando daquela forma sem me preocupar com nada? Tomare que não tenha me julgado errado, porque até aquele momento eu tinha certeza que estava sozinha em casa.
 Mais tarde Tommy se encontra com Adam e não resiste em contar para ele o que lhe acontecera naquela tarde.
 - Adam, você nem imagina o que eu ví hoje. Eu tive que voltar na casa da Carmem para pegar um documento que tinha esquecido por lá e ela nem me viu chegar.
 - Você é mesmo muito esquecido, hein...
 - Espera só eu te contar o que eu ví: eu entrei e ao passar em frente do quarto dela, ela estava se masturbando e depois que me viu alí correu para se esconder sem jeito. Eu falei para ela tomar mais cuidado mas eu não falei que tinha visto tudo.
 - Huuummm... E aí? Você gostou né, safadinho? O que ela disse depois?
 - Nada demais porque ela estava morta de vergonha. Deu para ver pelo jeito como tentava se esconder segurando um travesseiro. Eu só falei novamente para tomar cuidado e sorri debochando da cara dela. 
 - Você não presta. Adam rí.
 - Ela que não tomou cuidado e bem quando passei só para pegar meu documento.
 - Você nem disfarçou, né? Vou fazer de conta que acredito. Você é um devasso. Fala logo que ficou mordido de vontade de dar uns cata nela alí.
 - Vontade não faltava. Faltava era tempo, pois tinha um compromisso que não podia faltar. Se eu tivesse tempo eu catava sem dó e sem pensar. Devia ter visto a cara dela quando me viu parado na frente dela. Ela só faltou ficar roxa de tão sem graça que ficou.
 Tommy, mais á noite voltou para casa de Carmem, onde estava hospedado por uns dias e ao vê-la dormindo meio coberta com um lençol, ficou se lembrando da cena dela alí mais cedo em cima da cama e lhe deu um calor tão grande que ele foi obrigado a tomar um banho para se refrescar. Logo depois ele vai ao seu quarto e a encontra acordada. 
 - Oi, Carmem. Estava com calor e fui tomar um banho antes de me deitar.
 - Hum. Tá calor mesmo. Vou pegar um copo d'água.
 - Boa noite, Carmem.
 Antes que ele entrasse no quarto, ela criou coragem e falou sobre o ocorrido á tarde.
 - Tommy, Sobre mais cedo, eu queria me desculpar e dizer que aquilo não vai mais acontecer. Eu prometo. Foi um descuido meu que não o ouvi chegar.
 - Não. Que isso. Sabia que eu gostei de ficar te olhando? Carmem ficou vermelha e totalmente sem graça.
 - Ma - mas nã - não era para ter sido assim. Ela gaguejava e Tommy notava o nervosismo.
 - Calma, não precisa ficar nervosa. Ele segurou a mão dela e a puxou para perto de seu corpo ainda molhado do banho.
 Ela estava acostumada a trocar beijos com alguns rapazes quando estava com suas amigas mas alí só ela e Tommy era outra coisa porque ela sempre o desejou mas nunca falou para ninguém. 
 Ela logo sentiu sua pele queimar ao tocar a pele molhada de Tommy e ele a beijou com intensidade a deixando sem ar. Eles caíram na cama dela e a segurou com força enquanto se beijavam um procurando a língua do outro. Logo ela estava sentada no colo dele abraçados arfando muito e ela sorrindo sem parar. Quando ambos estavam prestes a gozar, ela procurou a boca de Tommy e fechou os olhos enquanto se beijavam e sentiam o prazer percorrer seus corpos suados.
 - Nossa, Tommy, sabia que desejava faz muito tempo? Mas por falta de coragem e pela nossa amizade nunca pensei em te falar.
 - E você estava bem safadinha e gostosa hoje á tarde. Não resistí ao te ver daquele jeito. Se beijaram mais uma vez.
 - Mas e você e o Adam, como é que ficam? Não estão namorando?
 - Sim. Ele sabe de hoje á tarde porque eu contei e ele adorou que eu te peguei no flagra. Ele até me deu o maior apoio.
 - Jura?! Ai meu Deus! Não posso acreditar que ele fez isso mesmo. Carmem estava incrédula e radiante ao mesmo tempo.
 - Como ele sabe que eu o amo mas também gosto de mulher, ele não achou ruim pelo fato de ser você, nossa amiga, e não uma estranha qualquer.
 - Tommy, posso lhe fazer uma pergunta? Eu já devo saber a resposta mas quero ouvir de você.
 - Pode perguntar o que quiser.
 - Você e o Adam... já transaram? 
 - Sim. Por que a pergunta? 
 - Eu queria pedir uma coisa mas não sei se devo. Tenho vergonha de te pedir e não sei se Adam aceitará.
 - Não precisa ter vergonha. O que é?
 - Eu tenho uma fantasia de transar com Adam também mas acho que ele não aceitaria porque ele não gosta de mulher. Mas acho que se você pedir com jeito, quem sabe ele não topa?
 - Carmem, você é louca e voraz. Já não basta me ter ainda quer o Adam também?
 - Eu prometo que será apenas uma única transa. 
 - Não sei se ele vai aceitar mas posso tentar falar com ele.
 - Muito obrigado, Tommy. Ela o beijou com força e sorriu.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...