História Carmem, amiga de Adam e Tommy - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Adam Lambert
Exibições 7
Palavras 1.133
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fantasia, Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 4 - Capítulo final


 No outro dia Tommy voltou para a casa de Carmem e ela queria saber dele e Adam.
 - E aí, como foi a sua noite com Adam?
 - Foi perfeita! Sabia que ele estava com ciúmes de nós?
 - Sério?! Carmem ria. Como é bom saber que ele sente isso mas fala para ele que não vou roubá - lo para mim não.
 - Ele sabe disso tanto que ontem tivemos uma transa incrível para matar saudades dele. Adam quando quer sabe tocar fogo.
 - Huuummm... Gostei disso. Quero ver o que aprontará semana que vem. Não vejo a hora de tê - lo.
 - Não se esqueça de mim...
 - Claro. Você também. Acha que me esqueceria de alguém tão bom?
 - Ah bom. Não aceitaria ser trocado assim de repente.
 - Não. Relaxa. Agora vai tomar banho que você está cheirando a outro macho.
 - Só você para dizer isso. Tommy gargalhava. É o cheiro do seu macho que dormiu com outro macho que te espera da próxima vez.
 - Ai... Vai logo então.
 Tommy tomou banho enquanto Carmem cozinhava algo para o almoço. Ele estava morrendo de fome e aquele cheiro bom revirava seu estômago.
 - O que temos para o almoço?
 - Peixe assado com purê de batata, arroz, feijão e alface.
 - Huuummm... O cheiro está bom.
 Ambos comeram, depois Carmem lavou a louça e enquanto Tommy ficava a mexer no celular, ela navegava no seu computador.
 A semana passou lentamente e Carmem não parava de pensar em Adam e Tommy no sábado á noite juntos. Parecia que esse dia não queria chegar nunca, para desespero de  Carmem. As amigas perceberam que ela andava desligada mas ela se recusava a contar sobre eles 3.
 - Carmem, você anda longe. Tem pensado no Tommy? Acertei?
 - Mais ou menos. Mas ando preocupada com umas coisas minhas. Não se preocupem. Eu estou bem.
 - Mudando de assunto. E sábado? Você nos prometeu que ia levar Adam e Tommy na festa. Eles vão, não vão?
 - É claro que vão. Eu insisti para irem.
 - Que ótimo! Diziam empolgadas. Não vemos a hora de conhecer Adam.
 Carmem se perdeu no seus pensamentos e começou a sorrir mas logo se concentrou no seu trabalho e voltou ao normal.
 - Meninas, vocês não têm nada para fazer? Voltem já ao trabalho porque eu também tenho muita coisa para ver aqui. Tchau.
 - Ok. Temos sim. Tchau.
 Sábado finalmente chegou e Tommy disse que Adam iria buscá - los de carro para irem á tal festa. Carmem se arrumou, se perfumou e ficou na sala á espera de Adam.
 - Como está bonita nesse vestido preto. Disse Tommy.
 - Obrigado. Comprei para hoje á noite. Para vocês dois. 
 - Acho que Adam já chegou. Vamos descer.
 Tommy foi o primeiro á chegar no carro e sorriu para ele, depois ele abriu a porta para Carmem entrar.
 - Boa noite, Adam. 
 - Boa noite, Carmem.
 Ao chegarem na festa, todos ficaram felizes de poderem finalmente conhecer Adam e Carmem, ao cumprimentar sua amigas, elas deram um meio sorriso e uma olhada de canto de olho para ela como quem diz: "Tommy? Você não é nada boba..."
 A festa estava muito animada com boa música e excelentes aperitivos e bebidas. Carmem dançou com suas amigas enquanto os rapazes conversavam em uma mesa com outros rapazes. Mais tarde eles decidiram que já era hora de irem embora e se despediram.
 - Meninas, adoramos a festa.
 - E nós adoramos que vieram.
 Eles entraram no carro de Adam e ele perguntou:
 - Aonde preferem ir? 
 - Se pudesse, eu diria: para as estrelas! Mas já que isso é impossível, queria muito conhecer sua casa. Você nunca me levou lá para conhecer.
 - Tá bom. Se é assim que quer, é assim que será. 
 Adam só estava fazendo isso por Tommy mas também não queria magoá - la.
 - Pronto! Chegamos. Esta é minha casa.
 - UAU! Isso que é chamar de casa e não onde eu moro que não é nada se comparado com isso.
 - Vamos entrar. Quero que conheça por dentro. Vai ficar mais admirada ainda.
 Carmem olhou cada canto, até no banheiro de Adam ela foi. Estava extasiada com tudo. 
 - Gente, que vista é essa dessa sacada... Nunca mais quero sair daqui. Adam ria.
 Ao ver a cama atrás dela, ela se lembrou porque estavam alí e começou a olhá - los com desejo e a puxá - los para a cama. Adam parou.
 - O que foi? Por que parou?
 - Nessa cama não.
 - Por que não?
 Adam olhou para Tommy e sorriu respirando fundo antes de continuar.
 - Essa cama é onde eu e Tommy transamos. Não quero que nada quebre o encanto desse lugar. Vamos para o outro quarto onde ficaremos mais á vontade.
 Adam abriu a porta do outro quarto. Não era tão grande quanto o anterior mas era muito bonito também.
 Carmem puxou adam para a cama e ainda vestidos, ela se sentou no colo de Adam e começou a beijá - lo, passando a mão pelos cabelos dele. Depois olhou para Tommy e sorriu, desceu do colo de Adam e puxou Tommy para perto de sí e também o beijou. Depois ela começou a desabotoar a camisa de Adam enquanto Tommy tirava sua roupa, ficando apenas de cueca e se deitou na cama olhando os dois.
 Carmem e Adam se juntaram á Tommy na cama e ela alternava entre beijar um e outro até que começou a masturbá - los e depois se entregou primeiro para Tommy e depois para Adam. Para ficar completo, ela abraçou Tommy, ficando de frente para ele enquanto Adam ficava com Tommy por trás, já que preferia ele e não ela. Foi a noite mais incrível da vida dela.
 - Vocês foram perfeitos! MEU DEUS! Poderia morrer hoje e morreria feliz.
 - Que bom que você gostou. Disse Adam e sentindo aliviado por terem terminado.
 - Realmente foi incrível! Disse Tommy. Pena que Adam só fez isso porque eu insisti, senão poderíamos repetir isso mais vezes.
 - Não mesmo! Eu já fiz minha parte no acordo. Agora se me dão licença, Vou tomar banho. Se quiserem, podem usar o outro banheiro.
 Carmem e Tommy entraram no outro banheiro e tomaram banho juntos. Depois, Adam ficou pensando na hora que transavam os 3 colados e sorriu sentindo o contato com o corpo de Tommy enquanto Carmem ficava na frente deles. Nunca imaginaria que seria tão bom aquela transa entre eles. Bom, se referindo mais ao Tommy.
 Depois de uns dois dias, Tommy teve que voltar para a sua casa, deixando Carmem triste por ele ter que ir embora mas ficou feliz ao lembrar daqueles dias perfeitos que tiveram juntos, incluindo Adam nessa história.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...