História Caro outro eu -Jikook - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Jikook, Namjin, Vhope
Exibições 100
Palavras 921
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


STILL EVERYDAY BANG IT BANG IT!
Olá minhas darlings lindas do meu coração
Primeiramente desculpe a demora pra postar, mas como estamos no final do ano o negócio tá bem corrido.
Enfim tive a ideia de um especial de natal, que já esta sendo planejado e tals então aguardem
MUITO OBRIGADA AOS COMENTÁRIOS E AOS 76 FAVORITOS GENTE! VOCÊS SÃO AMAZINGS AMORES
Agora sem mais enrolação e vamos dar boas vindas as darlings novas:
~ParkMinDuda
~queikes
~Ramona_Devyls
~PMlillypotter26
~mima2005
~leecaprice
Bem vindas meus amores ❤
BOA LEITURA DARLINGS!!
-Unkmous

Capítulo 8 - Pacto


Fanfic / Fanfiction Caro outro eu -Jikook - Capítulo 8 - Pacto

— Você quer que eu te ajude Jungkook-ah?

— Onde você quer chegar? —Perguntei direto e fiquei feliz por minha voz ter saído firme e não ter gaguejado pela primeira vez ali.

 Yes, ponto para Jeon Jungkook

— Simples, eu quero te ajudar a se tornar a pessoa mais confiante desse planeta

— E o que você vai querer em troca disso?

—A satisfação de ter feito uma boa ação. —Respondeu numa entonação carregada de falsa indignação, mas ao ver minha expressão de “really nigga?” sua falsa indignação deu lugar ao costumeiro sorriso perverso.

 Sinceramente, a primeira vez que vi Park Jimin pensei que o mesmo fosse uma espécie de anjo caído, isso por conta de suas bochechas corada devido ao frio rigoroso do inverno e o olhar inocente que ele tinha.

 Inocente o caralho, de perto quase que dava pra ver as aspas.

— Certo, você me pegou. Só vou pedir que faça alguns serviços pra mim em troca. — Esclareceu enquanto mordia o próprio lábio inferior de modo provocativo.

Whoa, que pornô ambulante.

— Que tipo de serviços? — Indaguei, já temendo a resposta que o mais velho me daria. Por favor Deus, que não envolva nada relacionado a coito, amém.

—Coisas banais como, por exemplo, fazer minha lição de casa, limpar algumas coisas pra mim, depende muito do que eu vá precisar.

 Sério isso?

— Tá de brincadeira? Acha que eu vou bancar o escravo?

— Escravo é uma palavra forte, eu diria empregado. —Disse aquilo na maior naturalidade, como quem diz que vai chover. —E então?

— Não quero

— Não?

—É

— Quer?

— Não

— Certeza?

— Sim

— Absoluta?

— Tô indo pra casa

 Bufei levantando da cadeira, já estava de saco cheio das provocações dele. Peguei minha mochila e segui na direção oposta a ele, infelizmente fui obrigado a parar ao sentir a mão quentinha do mais velho segurar meu pulso. Revirei os olhos e disse rispidamente:

—O que é?

— Apenas pense bem na sua decisão e se assegure de não se arrepender dela.

— Não vou.  — Respondi irado e me soltei de seu aperto de forma brusca.

  Babaca.

                                                   (...)

 Hoje o dia estava insuportável.

 As aulas estavam entediantes como sempre, Tae e Hoseok não paravam um minuto de se acariciar, Sun Hee não calava a boca, Yoongi babava em meu ombro e Jung Lee babava por Yoongi. Sim, ela gosta dele e não me pergunte o que a presidente do clube de teatro tem na cabeça pra gostar de uma pessoa que só sabe dormir e dar patada nos outros, porque eu também não sei.

 Ok, admito que quem está insuportável sou eu e não o dia mas fazer o que. Eu estou irritado para um excelentíssimo senhor caralho, mas tão puto que se estivesse em um desenho animado, agora estaria saindo fumaça dos meus ouvidos.

 O por quê? Adivinhem

 Sim, isso mesmo, por causa dele. O diferentão, o inexpressivo e todo aquele blá, blá, blá que vocês já sabem.  Eu estou tão confuso, porque ao mesmo tempo em que odeio Park Jimin, não deixo de me sentir atraído por ele.

 É nessas horas que eu sentia falta de conversar com Jin, pois o mais velho sempre sabia o que me dizer e ainda por cima fazia chocolate quente com direito a cafuné. Suspirei tristemente ao lembrar-se de Seokjin, já fazia dias que não havia notícias dele desde que seu pai o levara. Namjoon estava inconsolável, consideravelmente mais magro e seu semblante esbanjava melancolia e cansaço. Doía tanto vê-lo dessa forma e eu apenas queria achar um jeito de ajudar a encontrar Jin.

 E foi assim, perdido em devaneios que acabei esbarrando no ser humano mais irritante da face da terra, e por incrível que pareça não era Jimin, difícil de acreditar eu sei. Eu tinha esbarrado naquela loira, puta, desgraçada, vadia, que certa vez tentou seduzir Park Jimin com a porra de um canudo.

Ela trazia consigo uma bandeja de comida que imediatamente foi parar no chão, e como era de se esperar ela fez o maior escândalo.

— Olha só o que você fez seu esquisito — Gritou chamando a atenção de todos presentes no refeitório. Entrei em pânico quando comecei a ouvir murmúrios e risadas espalhadas pelo local

 Estava acontecendo de novo

Eles estavam rindo de mim novamente.

A loira agarrou meus cabelos com força, exigindo que eu pedisse desculpas a ela. Mas eu não estava entendendo, minha visão estava embaçada devido as lágrimas acumuladas em meus olhos.

A única coisa que enxerguei foi Jimin com as mãos escondidas nos bolsos da calça, assistindo a cena com um semblante sério. Ele notou que eu o encarava então gesticulou com a boca para mim:

“Você quer que eu te ajude Jungkook-ah?”

 No meu momento de vulnerabilidade, a única coisa que fiz foi fechar os olhos sentindo as lágrimas banharem meu rosto e sussurrar um “sim” inaudível ao ruivo.

 A única coisa que fiz foi me entregar a um anjo mau.

Segundos depois, a pressão em meus cabelos desapareceu e por conta disso abri meus olhos e vi Jimin a minha frente segurando o pulso da garota.

 Ele realmente estava me defendendo,

 Inacreditável.

— Porque está machucando meu namorado Eunji?

— Jimin-oppa? Namorado? Impossível  — Exclamou desacreditada mas foi só olhar para a seriedade no semblante de Jimin que a tal de Eunji saiu correndo cobrindo o rosto com as próprias mãos.

 Depois o ruivo se virou para mim e esboçou um sorriso que parecia rasgar seu rosto, então um calafrio percorreu minha espinha me fazendo deduzir que não iria vir coisa boa dali.

Pois eu tinha acabado de selar um pacto com o demônio.

 


Notas Finais


QUEM QUERIA UM DEMÔNIO DESSE LEVANTA A MÃO!
Minha outra fic: https://spiritfanfics.com/historia/bad-wolf-6674177
A fic da minha filha: https://spiritfanfics.com/historia/como-eu-era-antes-de-voce-jikook-6017092
A fic da minha outra filha: https://spiritfanfics.com/historia/death-note-v-hope-7019495
Sigam-me os bons no twitter: https://twitter.com/HeyPhantomhive
Até a próxima att darlings ❤
-Unkmous


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...