História Carrossel - Paulicia! - Capítulo 32


Escrita por: ~

Postado
Categorias Carrossel
Personagens Alícia Gusman
Tags Comedia, Festas, Novela, Romance
Exibições 238
Palavras 828
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi amores..
Bom eu estou na minha última semana de aula e estou com medo de ficar na recuperação é por isso que não pistei, ESTUDANDO. Desculpem.. 😘

BOA LEITURA LINDOS E LINDAS..

Capítulo 32 - Recuperando a memória e... GRAVIDEZ??



Pov: Paulo. 

Eu estava de Boa no sofá sentado e chocando Vídeo Game, quando a campainha toca e eu vou abri-la.

--  Alicia?.. Olho assustado quando vejo ela e ainda sozinha. 

-- Oi Paulo, posso entrar?..- Pergunta.

--  Claro..- Dou espaço para ela que entra. 

--  Porque você está me olhando assim?.

-- Assim como?..- Pergunto tentando disfarçar e sentando no sofá. 

-- Com essa cara de retardado. 

-- Até sem memória você é chata.

-- Enfim, não é isso que eu conversar..- Disse se sentando do meu lado.

-- O que é então?..- Liguei meu vídeo game e voltei a jogar.

--  Eu recebi a sua carta, gostei do que disse. Sabe, sobre eu e você antes disso tudo. Paulo? Paulo será que você pode me dar atenção? Eu estou falando com você. PAULO EU RECUPEREI MINHA MEMÓRIA. 

-- Como é que é?..- Perguntei. 

--  Viu se estive prestando em mim, não teria que repetir.

-- Alicia isso é sério?..- Perguntei nervoso.

-- Sim Paulo eu me lembro se você, dos meninos e das meninas.

-- Mas.. mas quando foi isso?.

--  Foi agora. Eu estava vindo pra cá e me senti um pouco mal, eu parei até em uma pracinha e fiquei sentada no banco até eu melhorar um pouco. Foi quando as lembranças veio aos poucos.

-- Isso é incrível. Então quer dizer que você e lembra do meu pedido de namoro.

--  Sim e que por sinal eu não dei minha resposta.

-- Qual é sua resposta?..- Perguntei me aproximando dela é ficando perto de seu rosto. 

--  Eu acho que você sabe minha resposta..- Ela disse sorrindo com o sorriso meu lindo.

-- É, eu com certeza sei..- Disse.

Sabe aquele momento que você fica de cara a cara com a pessoa que você mais ama e sabe que ela também te amo ai rola aquele clima super bom e do nada quando você ver ja estão nos beijos deitados no sofá? É exatamente o que está acontecendo agora.

Alicia para mim era a única que me importa agora, não interessa se temos 15 anos e 16 e muitas pessoas vão dizer que somos novos demais para entender o amor e essas coisas, mas pode ter certeza que eu aprendi com essa garota o que é amor e aprendi amar e é por isso que eu digo a ela.

-- Alicia?..- Disse parando nisso beijo.

-- Oi.

-- Eu te amo..- Disse e ela sorriu

-- Eu tambem meu amor, eu também.

Nosso beijos começo a ficar mas quente. Deitados no sofá, eu comecei a tocarem algumas partes de seu corpo, mas nada muito avançado .

-- Paulo eu acho melhor pararmos por aqui.. 

-- Me desculpa, eu ultrapassei um pouco. 

-- Não é isso é que ainda está cedo.

-- Tudo bem, a hora que precisar..- Disse sorrindo junto a ela. 

E ficou esse clima na sala de um ficar olhando para o teto e o outro para a TV (que estava desligada, eu desliguei)

-- Ali porque você não dorme aqui hoje, está tarde para ir embora..- Eu disse.

-- Pode ser, tenho que falar com a minha mãe..

-- Ok, enquanto isso vou preparar sua cama.

--  Marcelina vai brigar com você mexendo nas coisas delas.

-- E quem disse que você vai dormir com ela?..- Disse e subi as escada.

Pov: Marcelina.

Quando eu chego em casa com meus pais, eles vão para o quarto deles, mas passei no quarto do Paulo para deixar o seu jantar. Quando entro no quarto me deparo com a cena mais fofa do mundo. Paulo e Alicia dormindo juntinhos, bem juntinhos. 

Como não queria atrapalhar o casal, sai de fininho do quarto..

( DE MANHÃ )

--  Que bonito, será que eu estou atrapalhando o casalzinho ai?..- Eu disse entrando no quarto e ligando a luz e acordando eles.

--  Marcelina eu vou te matar, será que nem dormir a gente pode mas?..- Paulo disse.

--  Desculpa casal mas a mamãe esta chamando para tomar café, ah e ela quer conversa com você..-  Disse apontando para a Ally.

-- Comigo? Porque?..- Perguntou.

-- Não sei, ela so mandou avisar. 

-- Sua amiga recuperou a memória. 

--  Sério? Aí que bom..- Disse dando um abraço nela..- Por isso dormiu com meu irmão ne?

-- Marcelina SAÍ DAQUI AGORA..-Paulo gritou. 

-- Eu vou mas quero falar em particular com a Ally, então sai você..- Disse e Paulo saiu bufando.

-- Agora conta tudo, o que rolou entre vocês?.. perguntei.

--  Nada amiga, nós não saímos dos beijos. 

-- Alicia eu te conheço. 

--  Tá bom, tevos uns amaços, mas foi so isso.

--  Entendi, mas pretendam fazer?.

--  Sim,  Mas não agora, estamos no começo do namoro.

-- Entendi mas vai logo que a sua sogra quer conversar com você..

-- Ainda não me acostumei do fato de você ser minha cunhada/amiga. Mas isso vai mudar, aliás é isso que você é.

-- Comigo é diferente. Eu sempre te vi como uma cunhada maravilhosa..- Disse e ela ficou rindo.

Descemos as escadas e fomos paradas pela minha mãe. 

-- Será que eu posso saber de quem é este teste de gravidez?..- olhou seria.



O Amor Não Precisa Ter Ideia Para Senti-lo.







Notas Finais


Ai meu deus e agora??


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...