História Carrossel - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Carrossel
Personagens Adriano Ramos, Alícia Gusman, Bibi Smith, Carmen Carrilho, Cirilo Rivera, Daniel Zapata, Davi Rabinovich, Firmino Gonçalves, Jaime Palillo, Jorge Cavalieri, Kokimoto Mishima, Laura Gianolli, Marcelina Guerra, Margarida Garcia, Maria Joaquina Medsen, Mário Ayala, Paulo Guerra, Personagens Originais, Valéria Ferreira
Exibições 100
Palavras 1.749
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Escolar, Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Gente, me desculpem pela demora. Meu celular quebrou, eu estava em semana de provas e tive alguns imprevistos. Tudo isso contribuiu para que eu ocorresse um gigantesco atraso com a fic. Mas eu estou de férias! Então prometo que escreverei na fic semanalmente. E por que semanalmente? Por que não diariamente? Por que eu tenho outras sete fics pra escrever. Espero que vocês entendam e que gostem do Cap. Boa leitura.

Capítulo 16 - Verdade ou desafio


Pov's Alicia

Eu e a Margarida fomos para a varanda e começamos a conversar.

-...O que nós temos que fazer?

- Bem, precisamos encontrar uma garrafa.

- Uma garrafa?

- Sem perguntas, Ally. Apenas encontre a garrafa e a leve para a fogueira.

- Ok.

Nós entramos na cabana e começamos a nos preparar para a fogueira. Uma a uma, as meninas foram saindo do quarto e indo se sentar na beira da fogueira. Apenas a Margarida e eu ficam o lá dentro para combinar os detalhes do plano.

- Agora você me contar o que nós vamos fazer?

- Você conseguiu a garrafa?

- Sim. Eu peguei ela na cozinha.

- Ótimo. Agora precisamos chamar a ajuda.

- Que ajuda?

- Os meninos.

- Os meninos?

Nós saímos da nossa cabana e fomos juntas até a cabana dos meninos. A Margarida chamou o Paulo e o Koki para nos ajudar com esse plano maluco.

- O que é que vocês querem? - perguntou Koki.

- Precisamos da ajuda de vocês. - disse Margarida.

- Com o que? - perguntou Paulo.

- Com o Jorge.  - falei.

- O Jorge? Por que? - perguntou Paulo.

- Vocês não perceberam? - perguntou Margarida.

- O que? - perguntou Koki.

- O Jorge está fazendo a Valéria se voltar contra o Davi. - falei.

- Eu não notei. - disse Koki.

- Nem eu. Mas...Agora que vocês falaram...Eu reparei que os dois tem estado mais próximos ultimamente.

- Ele está fazendo isso pra causar entre a gente. - disse Margarida.

- Vocês vão nos ajudar? - perguntei.

- Conta com a gente. - disse Paulo.

- O que nós temos que fazer? - perguntou Koki.

- É o que eu também quero saber. - falei.

- Nós vamos jogar. - disse Margarida.

- Jogar? Jogar o que? - perguntou Paulo.

- Verdade ou desafio. - disse Margarida.

- Como um jogo de verdade ou desafio vai nos ajudar a salvar o relacionamento da Valéria e do Davi? - perguntei.

- É simples. Quem tirar o Jorge vai fazer ele confessar que não liga pra Valéria e que ele só estava fazendo isso para separar ela e o Davi. - disse Margarida.

- E como a gente faz ele confessar, gênio? - perguntou Paulo.

- Fácil. Se ele escolher verdade, nós perguntamos se ele gosta da Valéria. E se ele responder que não, a Valéria vai perceber que tudo foi uma armação.

- E o que acontece se ele mentir? - perguntou Koki.

- A gente avisa que quem mentir vai pagar uma prenda. - disse Margarida.

- E se o Jorge escolher o desafio? - perguntei.

- A gente desafia ele a beijar a Valéria. Um beijo de verdade. E se ele se recusar, a Valéria descobre a mentira. - disse Margarida.

 - Nossa! Você é boa com planos. - disse Koki.

- Obrigada. - disse Margarida.

- Eu tenho que admitir que gostei desse plano. - disse Paulo.

- Então vão. Espalhem o plano pra todo mundo. Mas não falem nada pro Cirilo, pro Davi ou pra Maria Joaquina. Eles podem contar o plano por Jorge. Com exceção do Davi. Eu quero que isso seja uma surpresa pra ele. - disse Margarida.

- Ok. - O Paulo e o Koki disseram juntos.

- A gente se vê na fogueira. - disse Margarida.

Os meninos saíram para espalhar a notícia. Eu e a Margarida voltamos para o quarto, pegamos a garrafa e fomos para a fogueira. Eu espero que isso dê certo.


Pov's Paulo 

Eu e o Koki fomos para a fogueira e contamos o plano pra todos. Alguns minutos depois, a Alicia e a Margarida chegaram com a garrafa e se sentaram perto das outras meninas. Eu e o Koki estávamos mais longe da fogueira.

- Tá nervoso? - perguntou Koki.

- Não. Por que eu estaria nervoso?

- Porque vamos brincar de verdade ou desafio, Paulo! E se alguém te perguntar sobre a sua garota?

- Eu falo a verdade.

- É sério?

- É.

- Boa sorte.

- Eu vou precisar.

- É o seguinte, molecada. Está quase na hora de ir dormir. - disse o Senhor Campos.

- Ahhhhh! - todos gritaram.

- Mas vocês ainda tem quinze minutos. Depois disso o alarme vai tocar. - disse o Senhor Campos se levantando. - Portanto aproveitem bem o tempo.

- Boa noite, Senhor Campos. - todos falam em coro.

- Boa noite, molecada. - disse o Senhor Campos, indo para a sua sala.

Depois que ele entrou e fechou a porta, a Alicia se levantou e mandou todo mundo fazer um círculo. Ela colocou a garrafa no centro da nossa roda e se sentou novamente.

- Quem vai primeiro? - perguntou Alicia.

- Eu vou. - disse Daniel.

A garrafa girou e parou no Mário.

- Mário, verdade ou desafio? - perguntou Daniel.

- Verdade. - disse Mário.

- De quem você gosta? - perguntou Daniel.

- É sério? - perguntou Mário.

- Foi mal. É que não tinha mais nada pra perguntar. - disse Daniel.

A minha irmã não conseguiu esconder a cara de felicidade.

- Responde Mário. - o Koki gritou.

- Responde! Responde! - todos gritaram.

- Tá. Eu falo. É a Marce. - disse Mário, ficando vermelho.

- Eeeeeeeeeee! - todos gritaram.

- Desculpa Paulo. - disse Mário.

- De boa. - falei.

Ele girou a garrafa e parou na Carmen.

- Carmem, verdade ou desafio? - perguntou Mário.

- Verdade. - disse Carmem.

- De quem você gosta? - perguntou Mário.

- É sério? - perguntou Carmem.

- Com toda certeza. - disse Mário.

- Eu não dizer nenhum segredo meu por causa de um jogo idiota! - disse Carmem.

- Espera aí! Então você gosta de alguém?

- Nossa! Nem as suas amigas sabem? - perguntou Mário.

- Se até o Paulo pode se apaixonar, por que eu não posso? - perguntou Carmem.

- Ei! - gritou Paulo.

- Quem diria? A doce e inocente Carmem tem um lado negro. - disse Maria Joaquina.

- Eu quero pagar a prenda. - disse Carmem.

- Ok. Então eu te desafio a beijar o Cirilo. - disse Mário.

- O que? - Cirilo e Carmen gritaram juntos.

- Nem pensar! Eu sou apenas da minha deusa. - disse Cirilo.

- Você decide, Carmen. - disse Mário.

- Eu... gosto do Daniel. - disse Carmem.


Pov's Daniel 

Eu não acredito! A Carmem gosta de mim! Essa é a melhor noite da minha vida!

- Eeeeeeeeee. - todos gritaram.

A Carmem girou a garrafa e parou no Paulo.

- Paulo, verdade ou desafio? - perguntou Carmem.

- Verdade. - disse Paulo.

- Quem é a "sua garota"? - perguntou Carmem.

- É sério? - perguntou Paulo.

- Responde Paulo. - provocou Maria Joaquina.

- Vem cá, isso é verdade ou desafio, ou é um "Você quer namorar comigo" pra adolescentes? - perguntou Jaime.

- Acho que os dois. - disse Bibi.

- E se eu escolher a prenda? - perguntou Paulo.

- Você beija a Maria Joaquina. - disse Carmem.

- O que? - Paulo e Maria Joaquina gritaram juntos.

- Nem morta que eu vou beijar o Paulo. - disse Maria Joaquina.

- Tá. Eu falo. Eu gosto da Alicia. - disse Paulo.

- Eeeeeeeee. - todos gritaram.

A Alicia fez uma cara de espanto e felicidade.

- Eu queria que você soubesse d é outro jeito. Mas... - disse Paulo.

- Awnt! - todos gritaram.

O Paulo girou a garrafa e ela caiu no Adriano.

- Adriano, verdade ou desafio? - perguntou Paulo.

- Desafio. - disse Adriano.

- Até que enfim. - disse Jaime.

- Eu te desafio a comer 5 sanduíches de peru em um minuto. - disse Paulo.

- Desafio aceito. - disse Adriano.

- E se você não conseguir, vai ter que beijar a Valéria.

- O que? - Davi e Valéria gritaram juntos.

- Nem pensar! Ninguém vai beijar a MINHA namorada. - gritou Davi.

- Relaxa. Eu dou conta. - disse Adriano.

- Beleza. Eu vou pegar os sanduíches. - disse Paulo.

- Eu vou com você. - disse Alicia, se levantando.e saindo da roda.

- Hummmmmm. - todos gritaram.

Eles foram até o refeitório e entraram na cozinha. Eu espero que eles SÓ estejam indo pegar os sanduíches.


Pov's Paulo 

Eu e a Alicia fomos até a cozinha pegar os sanduíches.

- Então...

- Você pretendia me contar?

- Você é rápida. 

- Não respondeu minha pergunta.

- Sim. Eu queria te contar. Mas não assim.

- Ok.

- Olha, Ally, eu sei que você gosta de mim. Não precisa mais fingir.

- Como você...

- Eu ouvi a sua conversa com a Marce na noite que você dormiu na minha casa.

- ...

- Você pode me odiar por isso se quiser.

- Eu bem que queria. Mas não consigo. Não consigo ficar brava com você.

- ...

- Desculpa por não ter te falado nada antes. Eu só...tinha medo do que você ia falar.

- Eu sei. Eu tinha medo também. Mas eu não tenho mais.

- Nem eu.

Eu cheguei mais perto e coloquei minhas mãos na cintura dela. Ela me olhou bem fundo nos olhos e colocou as mãos dela na minha nuca. 

- Tem certeza?

- Você não acha que já esperamos demais?

Ela puxou a minha cabeça pra frente. Eu podia ouvir a respiração dela.

- A verdade é que eu queria que isso tivesse acontecido a muito tempo.

- Eu também.

- Então por que ainda estamos esperando?

- Porque eu quero que isso seja especial pra você.

- Paulo, o que faz isso ser especial é que estamos juntos. Não preciso de mais nada.

Eu cheguei mais perto e a beijei. Não sei como explicar em palavras o que eu senti naquele momento. Foi...mágico. Mas poderia ter sido melhor se a Marce e o Koki não tivessem entrado na cozinha procurando a gente. Por que a minha irmã sempre estraga tudo?


Pov's Marcelino 

Já tinham se passado quase dez minutos desde que o Paulo e a Alicia saíram para pegar os sanduíches do desafio. Eu me preocupei e chamei o Koki pra ir comigo procurá-los. Nos abrimos a porta da cozinha e encontramos o Paulo e a Ally se beijando. Eles se soltaram bem rápido um. do outro e tentaram fingir que nada tinha acontecido.

- Eu sabia! - gritei bem alto.

- Até que enfim, Paulo. - disse Koki.

- Você já sabia, não é Marce? - perguntou Alicia.

- Já. Eu descobri por acidente. - falei.

- Mentirosa! Isso aconteceu porque você é muito curiosa com as coisas dos outros. - resmungou Paulo.

- O importante é que vocês estão juntos. - falei.

- É. - disse Alicia, dando um leve sorriso enquanto olhava para o Paulo.

- Eu acho que é melhor a gente voltar. O pessoal deve estar desconfiando de vocês dois. - disse Koki.

- Verdade. - disse Alicia.

Eu e o Koki saímos da cozinha. E voltamos pra fogueira. Mas o que aqueles dois ficaram fazendo?


Pov's Paulo

A Ally pegou os sanduíches e foi para porta. Eu a puxei de volta pelo braço.

- Você não acha que devíamos terminar o que começamos?

Ela me deu um selinho rápido.

- Ainda vamos ter muito tempo.

- Beleza.

Nos saímos da cozinha e voltamos para a fogueira.

- Até que enfim. - disse Adriano.

- Você está pronto? - perguntei.

- É claro! - disse Adriano.

- 3...2...1...Já! 


Notas Finais


Novidade: Eu criei um insta novo. Nele eu vou postar Spoilers do que vai acontecer nessa e em outras fics que eu escrevo. Então sigam lá@julianabsfics
Espero que tenham gostado do capítulo. Gostaram do plano da Margarida? O que será que ainda vai rolar no verdade ou desafio? Será que o Jorge será desmascarado? O que vocês acharam do Paulo e da Ally? Deixem sua opinião nos comentários. Obg por ler😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...