História Cartas para Boruto - Capítulo 44


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Anko Mitarashi, Boruto Uzumaki, Chouchou Akimichi, Fugaku Uchiha, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hanabi Hyuuga, Himawari Uzumaki, Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Inojin Yamanaka, Itachi Uchiha, Izumi Uchiha, Jiraiya, Kabuto, Kakashi Hatake, Kankuro, Karin, Kiba Inuzuka, Kizashi Haruno, Konan, Konohamaru, Kushina Uzumaki, Madara Uchiha, Maito Gai, Matsuri, Mebuki Haruno, Menma Uzumaki, Mikoto Uchiha, Minato "Yondaime" Namikaze, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Obito Uchiha (Tobi), Orochimaru, Pain, Personagens Originais, Rin Nohara, Rock Lee, Sai, Sakura Haruno, Sarada Uchiha, Sasori, Sasuke Uchiha, Shikadai Nara, Shikamaru Nara, Shisui Uchiha, Shizune, Temari, TenTen Mitsashi, Tsunade Senju
Tags Borusara, Boruto Uzumaki, Naruhina, Naruto, Sarada Uchiha, Sasusaku, Universo Alternativo
Visualizações 121
Palavras 1.787
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Escolar, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura!

Capítulo 44 - Segunda temporada - capítulo 17


O merda, viu. Se tudo fosse mais simples do que parece, eu largaria mão do tempo que pedi e beijava ele aqui e agora. Mas não é tão simples assim, minha mente não deixa ser. As circunstâncias não deixa, também.

 Desvio meus olhos do dele.



 ☆~☆~☆

 Aquele azul me perseguia dia após dia, e eu começava a ficar irritada. Porque dentro de mim, no fundo do meu interior, eu não gostaria de acreditar que estava gostando do meu amigo. Então fiz o que achei certo: me afastei dele. Não totalmente pois era impossível isso mas, o suficiente para começar à ficar irritada com sua excessiva aproximação.

 Desde os dez anos ele causava efeitos em mim, que me fazia querer fugir. Mas teve um dia que eu não consegui, na noite que ele dormiu lá em casa, inFELIZMENTE, estava chovendo demais e não tinha como o tio Naruto busca-lo.

 Enquanto eu estava na biblioteca lendo, ele apareceu e ficou sentado na cadeira ao lado, em silêncio. Deixei quieto e continuei a ler, até ele colocar a mão em cima do meu livro e baixa-lo.

 -O que quer? -pergunto, arrumando meus óculos. Nova mania que peguei para não o encarar.

 -Por que nos afastamos, Sara? -pergunta, cruzando os braços na frente de seu corpo. 

 -Eu não me afastei. -respondo, dando os ombros e cruzando meus braços também.

 -Se afastou, sim. -confirma, ainda sério.

 -Desculpa, então. -digo, seria também. 

 -Não quero suas desculpas. -diz me fazendo o olhar, abro a boca para lhe responder mas ele me interrompe. -Eu quero saber o que aconteceu contigo, Sara. É o que quero de ti por agora.

 -Não aconteceu nada. -respondo, um pouco envergonhada. Seus olhos me fitavam diferente.

 -Sara... -antes que nossa conversa ficasse maior, me levanto ficando poucos centímetros na sua frente. Ele para de falar e noto suas bochechas ganharem um tom avermelhado.

 -Está tudo bem, Bolt. Mesmo. Boa noite. -digo, dando um beijo em sua bochecha e indo correndo para meu quarto. Assim que fecho a porta, consigo soltar o ar e coloco as mãos no rosto, sentindo ele esquentar. 

 -O que fiz? -pergunto baixinho, sem acreditar que beijei seu rosto.




 ☆~☆~☆




 -Aqui, moça.-escuto uma voz familiar e me viro. Céus, um mês longe e ele muda tanto assim? Mesmo com onze anos ele tava alguns centímetros mais alto que eu. Preciso mesmo ir para casa do tio Gaara semana que vem, relaxar. Suna é legal para isso.

 Com o Bolt aqui em casa vai ser difícil esquecer, ainda mais quando ele está com uma rosa branca na mão direita, segurando em minha frente.

 -Oi, Bolt. -respondo, arrumando a franja atrás da orelha que insistia em cair. A cor da flor e meu vestido combinam.

 -Presente para minha amiga linda. -fala, ainda segurando a rosa. 

 -Obrigada. -agradeço, pegando a mesma. Não fique vermelha, não fique vermelha.

 -Vamos ver as estrelas? -pergunta, apontando para o balanço no meio do jardim da mamãe.

 -Vamos. -concordo, saindo correndo.

 Ficamos em silêncio por algum tempo, até o louro começar a cantar.


 -Fiz uma aliança de papel

 E escrevi dentro nosso nome

 Que tal se hoje a gente sair pra dançar

 Embaixo das estrelas, um pra cá, dois pra lá?


 -Aumenta o som do carro

 Fica de pés descalços

 Deixa que do resto eu me encarrego

 Preciso tanto saber...


 -Fiz uma aliança de papel

 E escondi no meu bolso pra você não ver

 Consigo imaginar a gente no altar

 Ouvindo que a gente pode se beijar


- Eu aqui esperando

Você vindo de branco

 A cada passo o peito bate fora do compasso


 -Preciso tanto saber

 Quer casar comigo?


 Acalmo meu coração, com o pedido do final da música. 

 -Música linda, Bolt. -digo, dando um sorriso largo. Sua voz também é linda.

 -Eu que es...-antes dele terminar, Mitsuki aparece falando para gente entrar que o meu pai estava chamando.

 Dou um sorriso mas eu gostaria tanto que ele dissesse o que queria antes, infelizmente não disse. Preciso mesmo ir para Suna com o Dai.



 

 ☆~☆~☆



 Tio Gaara é legal e sua alegria em nos ver foi contagiante. Quase todo ano passando as férias aqui é bom demais, ainda mais pelos bolos que a tia Matsuri faz. E o filho deles é tão fofo e lindo, o pequeno Kim de apenas quatro anos. Tem os cabelos castanhos como a mãe e os olhos verdes do pai. 

 Só que mesmo empolgada pela viagem, no segundo dia me senti triste ao escutar o Boruto falando com meu irmão sobre uma garota que ele estava "curtindo" e queria ficar. Por sorte o resto do tempo que fiquei na viagem foi o suficiente para tomar a decisão de não gostar mais do louro.

 Justo no dia que estávamos de volta, no início das aulas, vi ele beijando Minn. Enquanto por dentro ficava com raiva, por fora estava com expressão de paisagem.

 

 

 ☆~☆~☆


  Tudo mudou novamente três anos depois, nas férias na casa da Bisa. 

 Saímos de lá namorando.


 


 

 ☆~☆~☆ 


 -Bolt. -resmungo, sorrindo. Ele segura meu rosto entre suas mãos e sela meus lábios com os seus.

 Podia ver seus lindos olhos azuis brilharem. 

 -Sabe que podem nos ver.-sussurro, com um pouco de medo mas muito feliz.

 -Não me importo, corro o risco por você. -diz baixinho, juntando melhor nossos corpos. A proximidade, tudo estava tão maravilhoso.

 -Mas se for meu pai? -pergunto, entre mais um beijo e outro. 

 -Ai eu corro. -diz, sorrindo largo.

 -Medroso. -resmungo, segurando a risada.

 -Ah, não é medroso não, morena. É precaução. -responde, sorrindo do jeito que amo. As covinhas marcando suas bochechas. -Quero estar vivo para me casar com você, daqui a cinco anos. -diz, me selando ao mesmo tempo que nossos olhares ainda estavam grudados um no outro.

 Sinto meu rosto esquentar com sua declaração, e uma forte alegria no peito. Vejo uma sombra se aproximar na parede ao lado e o empurro de leve, sinalizando para nos escondermos atrás da árvore de cerejeira. Segundos depois papai aparece, com bico no rosto e depois some. 

 -Que bom que deu tempo. -diz, suspirando aliviado. Concordo com a cabeça, soltando o ar. 

 Sinto sua mão passar pela minha cintura e em seguida me abraçar, virando meu corpo para frente do seu. Demos mais um beijo e voltamos para a festa como se nada tivesse acontecido. 



 ☆~☆~☆



 Dou um sorriso ao lembrar das desculpas que eu dava por sumir algumas vezes. 

 Balanço minha cabeça, afastando esses pensamentos e encaro o céu novamente. Gosto de observar o céu, em dias estrelados como hoje.

 Até agora não falei nada sobre a declaração dele e, pelo jeito, não sei quando irei responder.

 Nos meus ouvidos, novamente minha antiga playlist voltava a tocar. Dessa vez, a música Stay da Rihanna.


 -Foi uma febre o tempo todo

 Uma pessoa crédula, medrosa e impulsiva



 Olha só, achei a música que me descreve nesse momento.


 -Joguei minhas mãos para o alto, eu disse 'mostre-me algo'

 Ele disse, 'se você se atreve, chegue mais perto'



 Não parece como ele fez comigo? Sim, parece. Ele me mostrou um caminho tão bom, me fez tão bem.


 -Por aí, por aí, por aí nós vamos

Oh, diga-me agora, diga-me agora, diga-me agora, você sabe



 Mesmo não querendo, ele perto ou longe me afeta. Afeta tanto que eu sei que o tempo que pedi machuca nós dois, foram três anos e não três dias. Nos conhecemos tão bem, ao ponto de eu saber que ele não ligava para os boatos, mas ficava irritado. Ele não gostava da idéia de cantar com os meninos mas mesmo assim aprovou e me incentivou a seguir meus sonhos.



 -Não tenho muita certeza de como me sentir quanto a isso

 Algo no seu jeito de se mexer

 Faz com que eu acredite não ser possível viver sem você



 Exatamente isso, eu preciso respirar de tudo mas sem ele pareço me sufocar mais. Me acostumei tanto com sua presença, seu carinho. Até mesmo o silêncio e as vezes que me afastava, por medo ou por não querer falar o que o preocupava.



 -Isso me leva do começo ao fim

 Quero que você fique




 Eu quero fazer ele ficar. Mas como? O que tanto sinto por ele? Isso faz bem para mim? Para ele?



 

 -Não é uma vida e tanto a que você está vivendo

 Não é apenas algo que você toma, é algo dado


 

 Estou confusa. 

 Pode ser porque estou cansada demais, até fisicamente, esses dias. Exausta demais mentalmente, com cobranças demais.



 Por aí, por aí, por aí nós vamos

Oh, diga-me agora, diga-me agora, diga-me agora, você sabe




  Talvez eu tenha que descansar um pouco, respirar fundo e colocar no papel aquilo que quero mesmo e o que não vai fazer falta.



 -Não tenho muita certeza de como me sentir quanto a isso

 Algo no seu jeito de se mexer

 Faz com que eu acredite não ser possível viver sem você



 E decidir sobre o Bolt.

 Preciso pensar muito em relação a nós porque, faz dois dias quase, e estou me sentindo triste.


 -Isso me leva do começo ao fim

Quero que você fique



 Mas também tem o fato dele falar com meu pai. Se voltarmos em breve, ele vai ter que fazer isso.

 Chega de esconder as coisas deles, eu quero um relacionamento sadio com o Uzumaki. Assim como meu irmão e a Naka são.



 -Oh, o motivo pelo qual me mantenho firme

 Oh, porque preciso fazer este buraco desaparecer


 Teria sido diferente se ele tivesse contado aos meus pais, no começo do namoro?



 -É engraçado, você é quem está em ruínas mas eu era a única que precisava ser salva

 Porque quando você nunca vê as luzes é difícil saber quem de nós está desabando



 Mais uma vez a música faz meu peito arder. Porque quando você nunca vê as luzes é difícil saber quem de nós está desabando. Os dois estão, eu vejo em seus olhos. 


- Não tenho muita certeza de como me sentir quanto a isso

 Algo no seu jeito de se mexer

 Faz com que eu acredite não ser possível viver sem você


 Mesmo que diga que me ama, seus olhos mostram o que está passando dentro de si. Por que aquele dia ele não disse que gostava de mim ainda? Que me amava? 



 - Isso me leva do começo ao fim

 Quero que você fique



 Também preciso saber o motivo dele se aproximar da Chou. 


 - Quero que você fique, ohhh



 Mas por enquanto, vou deixar isso de lado e aproveitar esses dois dias longe de tudo.

 Quer dizer, quase tudo. 

 Desligo o celular e observo o louro dormindo no banco ao lado. Levanto minha mão e toco em seu rosto levemente, sentindo sua respiração calma se chocar com minha pele.

  Tão lindo, parece um anjo. Meu anjo que amo.

 


Notas Finais


Desculpem os erros, pessoal. Vou revisar quando conseguir 😊
Música: Aliança de Papel -Ivo Mozart, a outra é Stay, como eu disse na história.
Obrigada por tudo ❤ Até mais 😉
Amanhã tem mais aventuras e uma festa que nossa lindona vai comparecer 😈😜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...