História Cartas para Diana - Capítulo 39


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Armin, Bia, Castiel, Charlotte, Iris, Kentin, Leigh, Lysandre, Nathaniel, Nina, Peggy, Professor Faraize, Professora Delanay, Rosalya, Senhora Shermansky, Viktor Chavalier, Violette
Tags Cartas, Diana, Romance
Exibições 12
Palavras 1.535
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Escolar, Famí­lia, Festa, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi, meus amores. Tudo bem? Descoberta no capítulo.

Capítulo 39 - Sou sua meia-irmã, Nathaniel.


Ponto de vista, Nathaniel.

Pedi para Mary acordar Kath, fiquei atrás da porta, eu ainda penso se devo denunciar meu pai... Sei que é certo, mas eu não tenho chances. Tenho poucas provas, agüento isso por Kath. Se não fosse ela já tinha fugido para a casa de meus tios no interior da França, mas não quero ficar longe dela.

-Senhorita Katherine. –dizia Mary cutucava Kath, para acordá-la.

-Ahn? Me deixa dormir, Diana. –Dizia Katherine sonolenta.

-Não sou Diana, sou Mary. Nathaniel pediu para acordá-la. –Mary deu um sorriso gentil, e Katherine acordou.

-Mary, pode ir. –Abri a porta, segurei uma bandeja com um café da manhã para Katherine.

-Nath? Isso é... Muita comida para mim! –Katherine riu.

-Não, sei o que você come. –Eu tinha falado com Diana antes, quis agradar ela. Irei recompensar Diana depois, Katherine parece ficar nervosa quando falamos de Diana.

-Vou comer. Mas antes, você pode arrumar uma roupa para mim? –Pergunto Kath.

-Claro, vou pegar da Ambre. –Sai de lá e fui para o quarto da Ambre.

-O que quer? –Perguntou ela.

-Uma roupa para a Kath. –Sentei na cama dela.

-Tenho a roupa para ela. –Ela me entregou um vestido curto e deu uma risadinha.

-Ela não vai usar isso. –Não gostei daquele vestido, vão ficar olhando para ela talvez até o idiota do Castiel.

-É o único menos caro. –Ambre riu.

-Ambre, eu te compro outros vestidos com a minha mesada. Vai pegue outro. –Estava disposto a fazer isso.

-Não, saia daqui. –Ela me empurrou do quarto.

-Toma esse troço, vou pedir para Mary. –Entreguei o vestido e sai de lá, para ir à ala dos empregados.

-Senhor Nathaniel, precisa de algo? –Perguntou Ayla, outra empregada.

-Sim, pode chamar a Mary? –Perguntei a ela.

-Ela está na sala do seu pai, Nathaniel. –Disse Alya.

-Obrigada, estou indo lá. –Sai de lá e fui para o escritório, a porta estava entreaberta. Olhei e vi meu pai converso com Mary. Ela estava com um olhar triste, meu pai entregou uma foto para ela. Ela saiu, quando ela ia saindo resolvi chamá-la.

-Mary? –A chamei, ela ficou nervosa.

-O-oi, Nathaniel. O que foi? –Perguntou ela nervosa.

-Quem é nessa foto? –Perguntei firme.

-Minha mãe, eu peguei do quarto antigo dela. –Mentiu ela, a olhei.

-Mary, eu vi você com meu pai. Ele está traindo a minha mãe com você?  -Perguntei.

-O que? Não, é muito diferente. Venha aqui, eu vou te contar. –Ela pegou minha mão, vi Kath no lado oposto. Ela veio até mim.

-Cadê a roupa, Nath? –Perguntou ela.

-Eu só vou pegar aqui com a Mary, vamos ser rápidos prometo. –Sai de lá com Mary

-Sou sua meia-irmã, Nathaniel. Nosso pai traiu sua mãe dois anos antes de você e a Ambre nascerem, minha mãe tinha 18 anos e seu pai tinha 27 anos. Ela era muito inocente de tudo, já que morava no interior com meus avós. –Dizia Mary, eu estava bastante surpreso. Eu não iria rejeitar Mary, eu gosto dela, mas precisava falar com Francis.

-Mary, porque está trabalhando aqui? Meu pai não pagava pensão para você? –Perguntei, eu acho que ele abandonou a mãe dela.

-Sim, ele pagava. Não trabalho aqui, são trabalhos leves que Francis me botou. Já que minha mãe se suicidou por medo de sua mãe descobrir e meus avós faleceram no meu aniversário de 18 anos... Ele me visitava, dava brinquedos e era um pai presente. –Explicava Mary, ele não fez isso comigo. Só com Ambre, mas fez mais por Mary.

-Posso ver a foto da sua mãe? –Perguntei.

-Sim, ela tinha 21 anos nesta foto. –Ela me entregou a foto.

-Você parece com ela. –Dei um sorriso.

-Todos me dizem isso, eu estou querendo voltar a estudar. Mas num internato, parei com 17 anos por causa do Francis. –Ela estava com um olhar cansado.

-Por quê? –Perguntei, deve ser algo muito importante.

-Sua mãe estava me procurando na escola, porque achou uma foto minha no escritório. Francis não quis me deixar eu contratar professores particulares. –Mary sentou na cama.

-Onde vai estudar? –Perguntei.

-No internato Chermont. –Respondeu ela.

-Tenho uma amiga que estuda lá, bem, preciso ir pode me emprestar uma roupa para Katherine? –Perguntei.

-Sim, toma. –Ela me deu uma roupa intima, um vestido branco, jaqueta bege, colar bege, salto aberto bege e uma bolsa bege.

-Aqui. –Ela me entregou, dei um beijo na bochecha dela e sai entrei no quarto. Katherine estava de... Toalha! Corei, Katherine correu para o banheiro do meu quarto.

-E-eu trouxe sua roupa, desculpe por isso. –Estava com o rosto quente, dava para fritar.

-Tudo bem, deixe na cama. –Ela estava no banheiro, sai e fui falar com meu pai.

-Pai? –Abri a porta, ele não estava lá. Fui ao quarto de Mary e bati na porta.

-Pode entrar. –Ela estava arrumando roupas.

-Desculpe, mas viu meu pai? –Perguntei.

-Não. Já é 06h30min, tenho que ir para Paris. –Ela estava com uma mochila.

Paris? Por que ela vai para Paris?

-Porque irá a Paris? –Perguntei, achei estranho. Mas o internato da Diana se localiza em Paris, pode ser que ela vai lá.

-Vou me matricular no internato, e passar um tempo na França de férias. –Ela sorriu. Katherine também vai para a França amanhã. Mas não sei o motivo...

-Ah, entendo. Vou ir ver Katherine. –Sai do quarto de Mary e fui para o meu quarto, ela estava tomando banho. O celular de Katherine estava tocando, resolvi atender. Era Castiel, por que essa criatura ligaria para ela?! Atendi.

-Katherine, você está ai? Que m**** comeu a sua língua? –Dizia o ruivo irritado.

-Ela está tomando banho, Castiel. –Respondi.

-Ela está na sua casa? –Perguntou ele.

-Olha, fala com ela na escola. –Já estava quase desligando.

-Espera, quando ela acabar o banho peça a ela para me ligar. –Dizia ele, desliguei e joguei o celular na cama.  

Ponto de vista, Katherine.

Acabei de tomar banho, sai do banheiro e fui pegar meu celular era 6:35 AM. Tinha que ir para a escola, porque é meia-hora para chegar na escola e hoje é sexta-feira. Amanhã eu ria viajar para Paris para o nosso plano, Diana iria vir hoje para casa e iríamos concretizar nosso plano em Paris. Olhei o celular e vi uma chamada do Castiel, mas foi atendida e eu nem toquei nesse celular hoje. Vou perguntar para o Nath se foi ele, será que ele descobriu o plano? Pensando bem, ele luta boxe e pode ajudar... Acho que vou contar, e para a Kim. Ela também luta boxe na mesma academia que o Nath freqüenta, Rosalya já sabe, os gêmeos já, Lysandre já, Castiel já, Íris não, Violette não, Peggy não e não confio muito na Peggy, mas ela publicou o sumiço da Diana talvez eu conte para ela...

-Katherine? –Era Nathaniel, ele bateu na porta.

-Pode entrar. –Eu sentei na cama e ele entrou no quarto.

-Desculpe por atender o celular, não briguei com ele juro! –Dizia ele.

-Não é isso, é que eu preciso te contar uma coisa. –Olhei para ele, e ele estava um pouco diferente.

-Eu também, mas pode contar. –Dizia ele sentando na cama.

-A Diana foi seqüestrada por um cara no shopping e esse cara levou ela para um bairro distante, mas ela fugiu e encontrou a irmã da Carla que ajudou ela. Só que entraram nessa casa e a Diana estava sozinha lá e eles pegaram ela. Ela estava com canivete e esfaqueou alguma parte do cara que eu não lembro e conseguiu correr, mas eles estavam de carro e eles pegaram ela. Levou ela para uma pessoa maluca que quer vingança contra nossa família, fez um acordo com ela e esse acordo tinha que ela ir para um internato. E essa pessoa fingiu a morte do meu primo Victor, e nós fizemos um plano que será feito amanhã. –Vi Nathaniel surpreso.

-Isso é inacreditável! Bom, o que eu tenho para falar é... Mary é filha do meu pai. –Ele dizia, eu achei estranho, pois ela não se parece com Francis... Nenhum dos filhos deles parece com ele, ainda bem porque o Francis não é um Brad Pitt da vida...

-Seu pai traiu a sua mãe? –Perguntei, Mary deve parecer com a mãe. Ela é muito bonita, se ela quiser pode ser modelo.

-Sim, a mãe de Mary tinha 18 anos e morava no interior. É normal ser inocente nessa idade por lá, foi 2 anos antes de eu e Ambre nascermos. E Francis era um pai perfeito para Mary, fazia até mais do que por Ambre. Ele amava a mãe de Mary, eu acho e por isso ele me bate. A mãe de Mary se suicidou por que tinha medo da minha mãe, acho que minha mãe desconfiava... –Ele estava com um olhar um pouco triste, mas deu um olhar gentil para mim.

-Precisamos ir vamos? –Perguntei a ele se levantando da cama.

-Sim. –Ele se levantou e pegou minha mão, fomos para a sala. Ambre estava sentada parecia estar entediada.

-Finalmente, estavam fazendo o que? Querem se atrasar?! Vou contar tudo para o papai Nathaniel. –Dizia ela com aquela voz irritante, eu e Nathaniel apenas riamos. Fomos para o carro no caminho da escola.

 

 


Notas Finais


Foto mãe da Mary: https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/736x/ca/b5/ef/cab5efef990d9ad6bbef6f4bc8235376.jpg
Mary: https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/736x/60/b2/a7/60b2a7a7d31d8e35bfdafbd5e5ee0c3f.jpg
Ps: Aceito de presente de Natal a beleza da Mary/mãe da Mary/ Diana/ Kath/ Brooke e os quartos da Madison e da Audrey.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...