História Cartas Para Mim Mesma 2 - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Cartas, Erisa
Exibições 13
Palavras 596
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Escolar, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olá gente! Espero que gostem desse cap, acho que vou postar mais um ainda hoje! Boa leitura!

Capítulo 4 - Uma atuação excelente


Desci rapidamente e estava determinada a encontrar Erik. Porém, quando parei em frente ao chaveiro que ficava ao lado da porta para procurar a chave, meu pai, que estava sentado na mesa de centro tomando um café, me chamou:

-Filha, você vai sair agora?

-Sim pai. -Respondi um pouco assustada, pois não tinha o visto antes.

-Para onde? -Ele perguntou, com um olhar desconfiado.

-Pai, juro que volto rápido, não se preocupe.

-Certo, mas pra onde você vai? -Ele perguntou, parecendo ainda mais desconfiado.

-Vou a biblioteca. -Aquele interrogatório já estava começando a me deixar nervosa.

-Mas você já não foi lá hoje?

-Sim pai, mas preciso voltar...

-Por que?

-Esqueci de algo importante que precisava fazer lá! -Respondi visivelmente irritada.

-Esta certo, só estou perguntando, não se estresse! -Disse ele rindo. -Pode ir apressadinha, e trate de voltar às 13.00 para almoçarmos! A chave está comigo.

Ele me jogou a chave e eu me despedi. Sai dali correndo o mais rápido que podia para o ponto de ônibus. Quando cheguei a biblioteca, corri pelo jardim e abri as portas, acho que fazendo um certo alarde... Eu estava ansiosa e um pouco tensa, não sabia o que poderia acontecer...

E de fato Erik estava ali, sentado na mesma mesa onde eu estava lendo o livro sobre emoções e sentimentos. E o mais curioso, estava lendo o mesmo capítulo que eu estava lendo naquela manhã antes de o ver. Assim que as enormes portas de madeira fizeram seu típico ruído quando entrei, ele se virou abruptamente. Ao me ver ali, deu um meio sorriso, e eu sorri de volta.

Então ele fez algo que ainda hoje me lembro e rio. Ele começou a fazer o que eu fiz aquela manhã ao ve-lo pela primeira vez após tanto tempo, e é lógico que minhas expressões foram um pouco escandalosas, mas ele exagerou ainda mais. Assim que sorriu para mim, ele imediatamente simulou uma cara surpresa e chocada, e se levantou trêmulo da cadeira. Me segurei para não rir mas resolvi entrar no jogo dele. Ele então olhou para mim e disse alto demais para uma biblioteca:

-Lu... Luísa?!

Eu então olhei para ele fingindo estar indignada. Fiz uma expressão absolutamente surpresa e um pouco desagrada. passamos alguns segundos nos encarando até que coloquei o dedo sobre os lábios e fiz sinal com olhar para que ele viesse para fora. E ele, parecendo absolutamente confuso, veio em minha direção e saiu fechando as portas atrás de si, deixando as pessoas da biblioteca totalmente perdidas com essa cena que se repetia.

Assim que paramos um na frente do outro, rimos daquela confusão que havíamos criado nos espectadores. Após alguns instantes, paramos de rir e olhamos um para o outro, hesitando um pouco em dizer qualquer coisa. Para quebrar aquele silêncio terrível, disse rindo:

-Essa é a parte que você me abraça por impulso e eu te afasto de maneira fria.

-Minha atuação termina por aqui, senhorita. Lamento informar que para ver mais de um ator tão experiente você terá de pagar.

-Ah sim, ator experiente! Parecia que você tinha visto um fantasma quando olhou para mim!

-Não reclame, quando fez sinal para que saísse só sai porque conhecia o roteiro, se não nem seria capaz de entender!

Continuamos nesta conversa animada, até que Erik disse:

-Lu, por que não compramos um daqueles sorvetes maravilhosos que vendiam nos fundos desse jardim? Talvez eu peça um de creme...

Neste momento deixei que minha expressão perdesse um pouco de sua animação. Erik notou que havia entristecido um pouco ao escutar suas palavras e perguntou:

-Lu, há algo que eu não sei e você precisa me contar?

-Erik, existem várias coisas que você não sabe e eu preciso te contar...



Notas Finais


Espero que tenham gostado! Beijos e até o próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...