História Cartas Para Mim Mesma 2 - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Cartas, Erisa
Exibições 8
Palavras 874
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Escolar, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olá gente! Espero que gostem desse cap e Boa leitura! ;)

Capítulo 5 - Assuntos em dia


Erik e eu nos sentamos em um banco de madeira perto dos portões do jardim. Realmente precisávamos conversar, haviam muitas dúvidas que precisavam ser esclarecidas. 

-Bom... -Disse eu, começando a conversa. -Dessa vez quero que seja diferente, você vai começar respondendo minhas perguntas, afinal, sempre sou eu que começo. 

-Muito bem. -Disse ele, sorrindo. -Comece com o interrogatório, só espero que eu seja absolvido de meus crimes. 

-Muito bem senhor. Você deve responder a todas as perguntas sob o juramento de dizer a verdade. -Respondi sorrindo de volta. -Primeira pergunta: Por que você voltou? E por que por apenas uma semana?

-Na realidade são duas perguntas... -Ele disse rindo.

-Você me entendeu senhor! Agora responda a pergunta da promotora judicial.

Sua expressão se tornou um pouco mais seria, e ele não disse nada. Após alguns instantes de silêncio, disse, um pouco desanimada:

-Já entendi que não quer contar...

-Ainda não...

-Certo, certo... Desta vez eu perdôo. Vamos a próxima questão: Como esta sua vida em Boston Erik?

-Bem... -Respondeu ele, com aquela sua típica tranquilidade. -Esta normal... Digo, como sempre foi aqui... estudos, cuidar da minha irmã...

-Poucos amigos... -Disse o cortando.

-Diria que nenhum amigo. -Respondeu sorrindo, invés de ficar nervoso, como eu teria ficado.

-Certo... Não quer mesmo me dizer por que voltou...

Ele só virou e me encarou,  foi o suficiente para entender que esse assunto tinha que morrer naquele momento.

-Tudo bem, não vou mais perguntar... Por enquanto... Pode começar suas perguntas agora para mim, senhor advogado.

-Certo, primeiramente, me explique o que aconteceu com o sorveteiro que trabalhava aqui.

-Bom... -Disse eu, me lembrando de tudo com tristeza. -Digamos que algo ruim aconteceu... Ele sofreu um acidente algumas semanas depois que você partiu... Esta em coma até agora, e não sabemos quando acordará, ou se acordará... 

A expressão de Erik era visivelmente surpresa e bastante entristecida.

-Sinto tanto por isso... Até simpatizava com ele...

-Lógico, ele me ajudou a te convencer a aceitar um simples sorvete de creme... -Disse com um sorriso nostálgico nos lábios.

-Bom... -Disse ele se recompondo. -Me conte o que mais aconteceu quando estive fora.

Me lembrei, neste momento, que em uma das várias cartas que havia escrito para mim mesma, havia colocado uma lista de dez itens de tudo o que havia mudado desde que Erik havia ido para Boston. Resolvi que contaria tudo à ele, com exceção do décimo item... Me lembro bem que o décimo item era algo sobre ele nunca ter sabido que eu... O amava... E, de maneira alguma, iria dizer isto naquele momento...

Então contei tudo (quase tudo) a Erik. Falei que o cinema abandonado tão mágico, onde ele havia me levado quando estávamos apenas começando nossa amizade, havia sido demolido e em seu lugar havia sido construído um edifício comercial. Contei sobre a excelente orquestra que havia parado de tocar após a morte do pianista. Contei sobre a lanchonete espetacular no centro que havia fechado por conta de problemas financeiros. Enfim, Erik escutou tudo isso com uma tristeza enorme. Eram muitas mudanças desagradáveis de fato. Mas a pior de todas sem dúvida seria a nona.

-Bom Erik... Ainda há uma coisa... Bastante... Enfim... Você precisa saber que... Eu e Matt estamos namorando!

Neste momento sua expressão se tornou absolutamente chocada, e está expressão foi rapidamente mudando para seriedade. Ele disse, por fim, visivelmente incomodado:

-Ah, então quer dizer que uma semana depois que eu me vou você já imediatamente se joga nos braços do galã de sorriso bonito?!

-Não foi assim Erik! -Disse, tentando me explicar. -Algum tempo depois que você partiu, Matt e eu começamos a namorar, e isso foi porque Matt era realmente apaixonado por mim, e eu imaginava que você não fosse mais voltar... Além do mais, você também tocou sua vida sem pensar em mim.

-Não Luísa, eu não toquei! E este é o problema! Você faz todo este drama por mim, mas no final você está namorando! O primeiro que surgiu em seu caminho já se tornou seu namorado! 

-Isso não é verdade! -Disse eu, agora tão e stressada quanto ele. -Você acha que eu teria tentado algo com Matt se soubesse que você voltaria?! Achei que nunca mais ia ver seu rosto na vida, foi por isso que fiquei com ele! Na estou fazendo draminha, eu me importo com você, e você deveria se importar comigo também! 

-E como vou me importar se você está namorando com um cara aleatório que surgiu logo depois de mim?!

-Você nunca iria querer nada comigo Erik! Isso nem faz diferença! Pelo menos, Matt se importa realmente comigo! Não fica apenas brincando com meus sentimentos e rindo no fundo! -Essas palavras saíram de meus lábios gritadas tão altas que um velhinho descendo lentamente as escadas da biblioteca para o jardim quase caiu de susto.

De repente Erik parou de gritar comigo, e me encarou com as faíscas de raiva ainda cintilando no verde de seus olhos.

-Muito bem. -Disse ele, se levantando e agora falando sem gritar, mas ainda nervoso. -Este ser humano horrendo que só sabe jogar com os sentimentos alheios e não tem coração vai embora. Ele vai para um lugar que já foi misterioso e lindo mas hoje não passa de algo artificial e sem graça. Assim como o que acontece entre nós, Luísa.

E Erik saiu assim pelos portões do jardim, me deixando perdida em minha raiva e meu desespero.


Notas Finais


Altas emoções kkkk! Vou tentar postar mais amanhã! Beijos e até o próximo cap!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...