História Cartas Para Mim Mesma 2 - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Cartas, Erisa
Exibições 7
Palavras 1.164
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Escolar, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olá gente! Outro capítulo intenso para vocês kkkkk! Espero que gostem e boa leitura!

Capítulo 6 - Termino


Estava ali, sentada, sem saber o que pensar ou fazer. Aos poucos fui me recompondo, e percebi que já eram quase 14.00. Lembrei que minha mãe iria servir o jantar as 13.00, provavelmente teria que escutar um sermão quando chegasse em casa. Corri loucamente para o ponto de ônibus e por sorte o primeiro ônibus que passou era o que eu precisava. Destranquei a porta de casa já imaginando meus pais em frente a porta para me castigaram, mas o que aconteceu foi muito pior. Quando cheguei, eles estavam terminando de comer na mesa no centro da sala de estar. Assim que me viram passar pela porta, começaram a trocar olhares e risadas, e eu compreendi imediatamente que iriam começar a suspeitar novamente que tivesse um "namorado secreto". Mal havia me sentado à mesa e já comecei a me desculpar pelo atraso, mas ao invés de me reprenderem começaram um interrogatório sem fim. Queriam saber onde estava, se havia encontrado alguém e o que era tão importante na biblioteca para que além de ir duas vezes, chegasse tão atrasada na segunda. Fui evitando as perguntas e eles continuavam com suas trocas de olhares, enquanto meu irmão mexia no celular e não escutava uma palavra de ninguém.

Enfim, após este almoço, subi para meu quarto para poder refletir melhor sobre que atitude deveria tomar agora. Geralmente teria ligado para Mikaely nesse momento, mas sabia qual seria sua resposta, e eu desejava pensar por mim mesma, além de que também não queria aceitar a idéia de desistir de Erik. 

Devo ter ficado em torno de uma hora nestes devaneios. Realmente estava em dúvida sobre o que fazer. Não queria me esquecer de Erik, mas a solução que parecia ser mais correta era continuar com Matt, afinal, eu gostava dele, e ele realmente gostava de mim. Mas meu lado impulsivo gritava mais forte, e tive que dar espaço a minhas emoções desta vez. Havia me decidido, iria terminar com Matt, mas não sabia como nem quando. Além do mais, não sabia onde encontrar Erik. Ele não morava mais em sua antiga casa, e eu não sabia onde estava ficando hospedado. Ele também tinha trocado de número. Eu não tinha contato com Erik, e tudo aquilo mais estava parecendo um sonho. Mas não era.

Decidi então que terminaria com Matt naquele mesmo dia. Por mais que tentasse encontrar palavras que justificassem minha decisão, nada me parecia certo. Eu estava fazendo algo sem explicações, algo um tanto absurdo, mas eu senti que era o certo, e agora não poderia mais voltar atrás. Liguei para Matt e combinamos de nos encontrar em uma sorveteria perto de minha casa. O que diria a ele seria decidido lá.

Quando cheguei ele ainda não havia chegado, e eu comprei um sorvete de maracujá e fiquei aguardando, bastante tensa. Assim que ele chegou, me viu e veio em minha direção com aquele sorriso perfeito:

-Lu, que bom que me convidou! Queria te levar ao cinema hoje, mas não sabia que filme você iria querer ver. Além do mais, não sabia se iria querer sair comigo hoje.

Ele se aproximou para me dar um beijo, mas eu me afastei. Estava bastante envergonhada com aquela situação. Eu realmente iria fazer algo tão cruel com aquele loiro tão perfeito? Bom, acho que iria. Assim que eu me afastei, ele viu que eu estava claramente confusa, e me perguntou parecendo preocupado:

-Lu, esta tudo bem?

-Matt... Nós... Nós precisamos conversar...

Imediatamente sua face adquiriu uma expressão bastante surpresa e aflita. Ele me disse,  visivelmente intrigado:

-Lu, eu lhe fiz algo... Porque saiba que se eu tiver cometido algum erro, me desculpe... Você está bem?

Acho que naquele momento deveria estar um pouco corada, mas prossegui:

-Matt... Bom... Eric voltou!

Neste momento, vi sua expressão se transformando num enorme desespero, e rapidamente mudando para raiva:

-Não me diga que...

Ele simplesmente parou de falar. parecia absolutamente chocado. Após alguns instantes continuei sua frase:

-Sim Matt... Erik está aqui e isso significa... que teremos que terminar...

Neste momento seu rosto adquiriu um vermelho intenso de raiva. Matt, no geral, era uma pessoa bastante tranquila e amigável. E aquele foi um dos únicos momentos em toda minha vida que o vi tão nervoso. Seus olhos castanhos escuros pareciam estar vermelhos tamanha era a fúria que o dominava. Ele disse:

-Ah, certo, certo! Acho que concordo e vou aceitar muito bem! Inclusive Luísa, apoio muito este romance! Quero que me chame pare ser seu padrinho certo?! Luísa! Como você pode fazer uma coisa dessas comigo?!

-Matt, entenda. -Disse eu, tentando encontrar palavras para me expressar. -Eu adoro você, mas Erik... Não sei o que acontece, ele mexe comigo.

-E você mexe comigo Luísa! Passamos quase um ano juntos num relacionamento dourado, e agora de repente você me diz que quer me trocar pelo cara que você nunca nem saiu? O que você vê nesse moleque de olhos verdes que não vê em mim?!

-Matt, eu sei que nos tivemos um relacionamento ótimo, mas você sempre soube quais eram meus sentimentos por Erik! Você sabia e mesmo assim não desistiu de mim! 

-Sim, eu fui atrás de você porque jamais imaginei que esse infeliz voltaria! Mas agora, do nada, ele surge aqui, e você escolhe investir em algo que provavelmente nem dará certo ao invés do garoto com que você namorou por meses?! -Disse ele, já gritando de maneira que todos que se encontravam na sorveteria se viraram para nos observar.

-Matt, me perdoe... Mas eu sinto algo tão diferente por Erik... Que jamais me perdoaria se não tentasse algo com ele, mesmo que ele só vai ficar aqui por uma semana...

-AH, ENTÃO ELE VAI FICAR AQUI POR UMA SEMANA!?!? -Gritou ele de maneira que até as pessoas na rua levaram um susto. -Isso é ridículo Luísa! Você está trocando ouro por um pedaço de ferro enferrujado que em uma semana será tirado de você! Sabia que eu possuo sentimentos, Luísa?! Sabia que da mesma maneira que você venera este Erik que mal sabe de sua existência eu te venero?! E o pior de tudo, Luísa! O pior é que este Erik provavelmente venera alguma garota bonitinha de Boston que nem se importa com ele! O pior é que este Erik deve estar correndo atrás de alguém que não o enxerga, e agora ele vem e te encontra, e vai brincar com seus sentimentos! Da mesma maneira que você faz comigo. Eu sou seu "homem reserva", que, quando esta carente, resolve usar como brinquedo! Você nem se importa com o que eu sinto por você não é?! Você sabe que sou louco e faço de tudo por você, da mesma maneira que você é por Erik, e ainda tem coragem de me usar! Luísa, por você eu poderia ter mudado! Mas não! Você prefere se desfazer de mim como um brinquedo que já está velho e usado, agora que recebe um novo! Pois saiba, que você será usada da mesma maneira que eu fui! Passar bem!!!

E Matt me deixou lá, parada, entre algumas lágrimas que haviam insistido em sair. O que eu havia feito?



Notas Finais


Gente, amanhã vou tentar postar mais um cap! Espero que tenham gostado! Beijos e até!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...