História Cartas Para Mim Mesma 2 - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Cartas, Erisa
Exibições 12
Palavras 1.401
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Escolar, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olá gente, um cap comprido para vocês, porque amanhã não sei se conseguirei postar! Espero que gostem e boa leitura!

Capítulo 7 - Serei seu motivo


Estava ali, parada em pé no meio da sorveteria, absolutamente paralisada. Cada um dos meus músculos estava petrificado, não podia me mexer, apenas sentia que algumas lágrimas insistiam em cair. Sentia os olhares de todos os fregueses da sorveteria sobre mim. Mulheres, homens e crianças me olhavam. Alguns com uma expressão bastante surpresa e confusa. Outros com um olhar de raiva sobre mim, um olhar "como essa menina se atreve a machucar tanto o pobre rapaz?" Aquela discussão realmente havia chamado a atenção de todos por perto, até algumas pessoas na rua pararam de caminhar para observar que tumulto era aquele dentro da geralmente calma sorveteria.

Eu simplesmente não sabia o que pensar. Estava absolutamente confusa e chocada, constrangida sobre tantos olhares intrigados. Após alguns instantes que o mundo pareceu parar de girar, sai lentamente e caminhei rumo à minha casa, ainda sendo observada por alguns mais curiosos.

Quando cheguei em casa, meus pais não me viram entrar, e eu corri para meu quarto e me tranquei lá. Precisava de um tempo para pensar e esclarecer tudo. Eram muitas coisas num sábado só. Erik voltará, tivemos duas discussões em um dia e eu ainda havia terminado um relacionamento de quase um ano. Estava perdida em minhas questões. Será que havia tomado a decisão certa? Será que não seria mais fácil continuar no relacionamento estável e seguro com Matt? E, além disso, será que Matt voltaria a falar comigo um dia? E todas aquelas palavras que ele havia dito durante a discussão, seriam verdade? Erik realmente iria me usar? Erik gostava mesmo de outro alguém? E se ele realmente gostasse de mim, será que um relacionamento funcionaria entre nós dois, que somos tão diferentes?

Eram perguntas demais, e poucas respostas. Por fim cheguei a conclusão de que não havia como voltar atrás. Agora meu relacionamento com Matt estava acabado de uma vez por todas. Depois deste termino, não haveria mais volta, independente do que acontecesse. Acho que talvez ele tivesse razão, talvez eu, sem perceber, estivesse o usando como "homem reserva", e eu realmente me sentia mal por isso. Nunca mais iria usa-lo.

Já em relação a Erik... Bem... Não sabia exatamente no que estava me metendo. Talvez Matt tivesse razão, talvez Erik fosse me usar... Mas eu nunca descobriria se não tentasse. Resolvi, então, entrar nesse jogo. Talvez saísse com o coração despedaçado no final, mas talvez saísse vitoriosa. Eu realmente precisava tentar algo com ele. 

Mas ainda havia um detalhe: não sabia onde encontrar Erik ou como me comunicar com ele. Ele não havia dito onde estava hospedado, eu não tinha seu número e a cidade era enorme, resumindo, era quase impossível. Mas me lembrei do que ele disse durante nossa discussão... Ele disse que iria a um lugar que já fora lindo, mas agora era artificial... Pensei um pouco... De repente dei um salto da cama! Sabia onde era! Só podia ser o lugar onde antigamente ficava o cinema abandonado! Olhei para o relógio e vi que eram 16.15. Eu iria encontrar Erik!

Sai correndo de casa e peguei um ônibus. O número de vezes que já tinha pegado ônibus naquele dia era surpreendente! Parei num ponto próximo e corri loucamente até o local onde agora estava o prédio comercial. Assim que me aproximei, mal pude conter minha felicidade ao ver Erik. Ele estava a alguns passos de mim, e não havia me notado ainda. Estava olhando para o prédio, com o olhar distante e perdido entre as inúmeras janelas. Provavelmente deveria estar com tantos pensamentos na cabeça quanto eu. E ele estava claramente perdido neles quando me aproximei. Não queria tira-lo daquele transe, então disse, sussurrando:

-Terminei com Matt...

Provavelmente não foi o tom da frase, e sim as palavras que compunham está frase, que o fizeram virar abruptamente. Em seu olhar esverdeado se via um brilho, mas ele tentou esconder essa repentina alegria que devia estar sentindo e mudou sua cara surpresa para algo mais sério. Disse, com sua voz calma:

-Por que fez isso?

-Porque não queria continuar... Tinha olhos para outra pessoa...

-Acho que cometeu um erro... -Disse ele, tentando esconder com a seriedade o sorriso que queria se formar em seus lábios.

-Não, não cometi. -Eu disse sorrindo.

Ele hesitou um pouco, mas, após alguns instantes, por fim sorriu e disse:

-Senti sua falta, Luísa.

-Também senti a sua! 

Nos abraçamos então num abraço muito caloroso, que eu queria que tivesse durado por séculos. Eu realmente havia sentido falta dele... Mas todo aquele carinho não combinava muito com Erik, então, após alguns segundos daquele abraço mágico, ele se afastou cuidadosamente e disse:

-Luísa, bom... Há uma coisa que eu preciso te dizer... 

Minha expressão se tornou imediatamente  de preocupação. Não podíamos ter uma terceira discussão num dia. Aquelas palavras me deixaram aflita. Ele notando minha inquietação disse com uma voz tranquilizante:

-Calma Lu, não é nada ruim... Pelo contrário, é algo bom... Bem... Eu tenho a opção de escolher ficar por uma semana aqui ou... pra sempre.

Neste momento quase cai para trás de alegria. Não podia acreditar! Então Erik realmente poderia voltar a morar definitivamente aqui? Acho que minha súbita euforia ficou um pouco visível, pois Erik, ao ver minha reação, não pode evitar que uma pequena risada escapasse de sua boca. Eu disse, praticamente gritando de felicidade, e chamando, novamente, a atenção de algumas pessoas que passavam pela rua:

-Então fique Erik! Por que tem dúvidas sobre algo assim? Fique aqui, volte a estudar na minha escola! Volte a sua vida normal!

-Calma Lu... -Disse ele, tentando acalmar aquela minha alegria louca. -Eu posso ficar, mas não sei se é o que desejo...

-Você não quer ficar aqui comigo?! -Disse num tom claramente desesperado. Não podia perder Erik! Estava em agonia só de pensar em o ver partir outra vez! Por que ele não queria ficar?

-Não Lu! -Ele disse sorrindo. -Lógico que não é isso, se pudesse estaria sempre ao seu lado! Isso não tem relação com você. Eu apenas não sei... Bem...

-Você não quer me dizer ainda o porque de ter voltado, certo?

Ele apenas me encarou, e eu já sabia que aquele assunto seria novamente adiado.

-Bem, não vamos falar sobre isto, se você não quer ainda. Vamos nos concentrar nesta uma semana que nós com certeza temos! Vamos aproveitar que temos está semana de garantia para fazer dela a melhor de nossas vidas! -Disse sorrindo e recuperando minha animação.

-Certo... -Disse Erik sorrindo também. De repente seus olhos brilharam como se acabasse de ter uma idéia. -Já sei! Luísa, você será o que definirá se vou ficar aqui ou voltar para Boston!

Ele, percebendo minha cara bastante confusa e surpresa, continuou:

-Você será meu motivo para ficar. Você terá que se fazer um bom motivo para que eu continue aqui! Esta semana, como você mesmo disse, terá que ser a melhor semana de nossas vidas, mas essa responsabilidade será sua. Ou seja, quem decidirá que que maneira está semana se tornará a melhor, será você, unicamente você. Eu não te levarei a concertos onde você irá dormir.

-Correção, dormi mas adorei aquele concerto! -Disse rindo.

-Fico feliz em ouvir isto. -Ele me respondeu rindo também. -Enfim, quero que você, do seu jeito, faça desta a melhor semana de todas.

-Farei isso com prazer senhor! -Disse isso numa alegria que mal cabia dentro de mim. -Você verá que serei seu motivo perfeito para ficar!

-Veremos, veremos...

-Bom, amanhã, nos encontraremos as 13.00 na biblioteca, certo? 

-Certo, estarei lá. 

Ele começou a caminha na direção oposta e apenas nos despedimos com um sorriso. Quando cheguei em casa, já eram 15.30. Meus pais, obviamente, haviam notado que eu havia saído se casa várias vezes, é começaram com os interrogatórios. Eu apenas ia desviando das perguntas, e eles, notando como eu estava feliz, pararam com as perguntas e apenas foram cochichar dando risadas na sala. Geralmente eu teria me incomodado, mas eu estava feliz demais para isso. E sabia que, se durante quase um ano que estava com Matt eles nem haviam notado, não perceberiam uma semana com Erik. 

Quando me deitei naquela noite, não conseguia fechar os olhos, o dia havia tido emoções demais. A emoção em rever Erik após tanto tempo, o sofrimento de um termino e duas discussões e a ansiedade para que amanhã chegasse depressa eram demais para minha pobre mente. Mas eu estava feliz, e isso era o importante. Amanhã começaria uma semana inesquecível, a semana em que iria tentar de tudo para ser o motivo de Erik ficar! E foi com estes pensamentos que dormi naquela noite. 



Notas Finais


Espero que tenham gostado! Amanhã tentarei postar um capítulo novo, mas não sei se conseguirei! Beijos e até!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...