História Cartas para o Deus Desconhecido - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Cristão, Deus, Evangélico, Romance, Romance Cristão
Exibições 15
Palavras 658
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Romance e Novela

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


oi queridos!
tudo na Paz?
muito obrigada pelos comentários e favoritos!
Deus abençoe voces!

Capítulo 2 - O Desafio


"Porque todos vós sois filhos da luz e filhos do dia; nós não somos da noite nem das trevas."–1 Tessalonicenses 5:5

// BEATRICE//

 

– Beatrice você está horrível – Emma murmurou enquanto puxei uma cadeira no jardim da escola para aproveitar o intervalo de um turno para outro

– Eu não quero saber de álcool tão cedo – retruquei, fazendo minhas amigas sorrirem lançando um olha de 'nós não caimos nessa'. Noite passada fomos para uma boate para um show da  banda do Adam, um ficante meu de longa data. Como de costume exagerei nas doses de cerveja e vodca, acabando na cama de um desconhecido. 

Minhas amigas voltaram todo o foco de suas conversas para a noite passada, confessando suas atrocidades e pecados. Evito falar por muito tempo, minha cabeça ainda está impossibilitada de concluir uma frase coerente. Não que eu seja uma alcoolátra, longe disso. Apenas gosto me embriagar algumas vezes para tomar coragem para fazer tudo que não faço quando estou sã e além disso, as minhas melhores histórias aconteceram quando estava sob efeito de algum tipo de bebida. Nós somos o resultado de todas as nossas experiências, certo?

– Lá vém aquele grupo de oração chato, ugh ninguém merece – Emma revira os olhos, apontando para o grupo de no máximo dez pessoas se aproximando – E entre eles está o novatinho. Atraente o filho da mãe, não é?

Centralizo minha atenção no garoto conversando envolvido no grupo de oração da escola. Atrevo-me encará-lo e acabo concordando mentalmente com Emma, o cara realmente é atraente porém de forma diferente. Há várias especulações sobre ele mas ninguém de fato sabe nada sobre. A única coisa que sei é que o seu nome é Nicolas porque a professora de cultura religiosa gosta de sempre mencionar seu nome em seus exemplos. Todos da classe notou o favoritismo da Professora Margareth.

– Mal posso pensar o que faria com ele em meus lençóis – Alguma voz feminina murmura na mesa ao lado, fazendo-me parar de encará-lo

– Nem os santinhos as garotas da escola perdoam – critico pegando um pouco de suco do copo de Emma

– Não existe ninguém santo. Os da igreja são os piores e olha que sei o que estou falando – Katherine diz e permito olhar para o grupo de oração outra vez. Dessa vez, Nicolas está com um violão tentando afiná-lo e as garotas estão ao seu redor. Piranhas sempre atrás de novas presas. Ele parece não se importar, concentrando em iniciar algumas notas baixas no violão e fico com vontade de rir por vê-lo ignorar as gostosonas da escola. 

– Talvez ele seja mesmo diferente – Digo e as meninas me entreolham

– Parece que os cabelos loiros e o jeito de bom moço te conquistou, Bea 

– Nada disso, ele só parece ser diferente ou sabe fingir bem. Veja, Andrea está se jogando nos braços dele e ele está mais preocupado com afinar o violão. Andrea é o sonho de consumo de todos os garotos daqui e ele está dando a miníma – Argumento e vejo o lado diabólico surgir em seus rostos – hey hey... não me olhem com essa cara! Não vamos começar aquele joguinho novamente!

– Beatrice um pouco de diversão nunca matou ninguém. Só queremos saber se ele é santinho como dizem e aparenta ser

– Não vai amarelar, né? – Katherine lança um olhar desafiador para mim e eu volto encarar o rapaz tocando suavemente o violão enquanto o grupo canta algum hino 

– E Desde quando eu fugi de algum desafio?– Digo e elas sorriem triunfantes. Tanto elas como eu amamos jogos. 

– Dessa vez nós te desafiamos a levar o cordeirinho para o mau caminho e depois ridicularizá-lo junto com sua crença 

– E quando o virgem estiver nas minhas mãos, quero que vocês confessem quem é a rainha– Falo e estendo a mão para as minhas duas amigas, selando nosso desafio. Apenas uma chance e o bom moço mostrará a sua verdadeira face, estou morrendo para desmascará-los junto com esse Deus fantasioso e suas regras bobas 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...