História Cartas Para Ruggero... - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Karol Sevilla, Ruggero Pasquarelli, Sou Luna
Tags Lutteo, Ruggarol, Sou Luna, Soy Luna
Exibições 91
Palavras 1.609
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Heyy! Voltei com o último do dia! Eu nunca tinha postado tanto capítulo em um dia só!
Espero que tenham gostado da mini-maratona.
Boa Leitura........................

Capítulo 14 - Capitulo Quatorze - Bônus 04


Fanfic / Fanfiction Cartas Para Ruggero... - Capítulo 14 - Capitulo Quatorze - Bônus 04

É difícil quando você me ignora,

Mas ainda é mais difícil quando tenho que 

Fingir que não me importo" 

1 semana depois...

P.O.V. Karol

Arrumamos tudo, vendi a casa, comprei uma em Buenos Aires, vendi o carro e comprei outro em Buenos Aires, ficamos a semana toda empacotando as coisas, e eu estava jogada, morta e cansada na cadeira do aeroporto.

- Eu to morto! - Agus se jogou na cadeira.

- Morta tá sua amizade com a Ally! O que aconteceu?

- Tivemos um probleminhas...

- Vai me contar ou quer uma intimação?

P.O.V. Agustín 

" - Ally! - fui em direção ao seu quarto - Ally, tá ai?  - quando cheguei na porta não havia ninguém.

Seu quarto estava diferente, me lembrava dele todo rosa claro, uma cama de solteiro, TV e uma mesinha de estudos. Mas hoje o quarto tem um papel de parede branco com detalhes rosas e metálicos, a cama é de casal, e havia enormes prateleiras exibindo sua coleção de patins e sua coleção de livros mas a TV continua no mesmo lugar e a mesinha de estudos também, no começo o quarto era um tanto infantil, hoje ele parece mais adulto (mesmo com os ursos de pelúcia encima da cama). Acho que durante esse ano México, todos nós amadurecemos, e ela principalmente, saiu de casa aos 14 pra 15 anos pra morar em Buenos Aires mas sempre visitou sua família nas férias e nesse ano no México ela apenas os viu por Skype. 

E parado observando o quarto escutei um melodia vindo de uma das portas. Abri a mais próxima e vi que era o closet, que exibia sua enorme coleção de tênis. Na porta ao lado era o banheiro. A melodia lenta ficou mais alta quando eu cheguei perto da terceira porta, e quando abri encontrei Ally rodopiando na Ponta do pé, no meio do salão rodeado de espelho com o chao de madeira. Era difícil acreditar que ela, uma menina de temperamento tão forte conseguia ser delicada, e dançar música lenta com suas sapatilhas. Mas até as meninas mais duronas conseguem ser delicadas e sensíveis, quando querem, e isso é o que mais enlouquece os homens.

Depois de tanto tempo vendo ela fazer manobras com os patins,  era até esquisito vê-la fazer movimentos leves.
-

Hey! O que faz aqui? - a voz dela me tirou dos meus devaneios.

- Queria saber se estava em casa. - seus olhos castanhos tinham uma maneira de me prender que até eu duvidava. 

- Agora sabe que estou, o que deseja? - ela tomou um pouco d'água.

- E-eu... - dessa vez eu não tinha piada pra disfarçar meu nervosismo. - Eu posso  simplesmente sentar aqui e te ver dançar?  

- Pode... - me sentei encostado na parede e ela voltou a ligar a música e começou a dançar, ela era incrível! 

Sempre achei que o meu tipo de garota eram aquelas bem calmas, sorridentes e sensíveis, mas quem diria que ia me apaixonar por aquele furacão que Ally era. Quando Ruggero falou que uma pessoa poderia mudar e revolucionar tudo dentro de mim, não acreditei, mas ele tinha razão, uma única pessoa pode mudar tudo em você, pode fazer coisas que nunca imaginou. Pessoas mudam pessoas... 

- Você é incrível! Tinha me esquecido que fazia balé!

- Me diz uma coisa que você não esquece, Bernasconi. - de como você é linda...

- De respirar!

- Isso é involuntário, não conta! - ela começou a desamarrar as sapatilhas - quer dançar?

- Eu não sei dançar balé! - ela revirou os olhos.

- Não to falando de balé, to falando em dançar sobre rodas - ela foi caminhando pro quarto e deixou as sapatilhas amarradas na cabeceira da cama.

- Faz muito tempo que não danço com os patins, eu vou cair. 

- Eu vou tá aqui pra te ajudar a levantar... - ela pegou um patins da prateleira - e pra rir um pouco é claro!

- Eu vou pegar meu patins. 

(...)

Corri no meu quarto e peguei os meus patins, que eram do Gastón, e fui rumo ao quarto da Ally, cheguei e encontrei ela amarrando os cadarços do patins.

- Coloca isso logo - eu ri da pressa dela e me sentei pra colocar os patins.

Depois de colocar meus patins fui rumo ao salão encontrando Ally alongando.

- O que vamos dançar? - perguntei.

- A coreografia da Luna e do Matteo, no final da primeira temporada, lembra?

- Como esquecer? - perguntei  rindo.

- Então vamos lá. - Ela colocou a música, e começamos a dançar e quando fui tentar fazer a pirueta eu caí na hora do pouso.

- Ai... Acho que to velho demais pra isso...

- Hey! Nem começa. Se machucou?

- Não. - peguei sua mão e me levantei.

- Você tá inclinado o corpo demais pra trás, tem de manter o equilíbrio se não pode cair de novo, entendeu?

- Acho que sim - começamos de novo e dessa vez eu acertei passo mas na hora do giro, eu caí.

- Parece que isso vai levar tempo...

- Eu creio que sim...

(...)

Ficamos horas  e horas tentando completar a coreografia... Mas quando eu acertava um passo... Eu errava outro.

- Ai! Eu to morrendo, será que não podemos dar uma pausa? - perguntei.

- Nada disso! A gente tá quase terminando...

(...)

Finalmente acabamos de passar o último passo da coreografia.

- Ah... Eu nem acredito! 

- Isso que da ficar um ano longe dos patins, sedentário! - ela deu aquela risada que eu adoro.

- Hey! Eu não tenho culpa.

- Tem sim, e levanta pra ver se conseguimos fazer tudo sem pausas.

- Tá.

A música começou e nós começamos dançar, estava dando tudo certo até o passo final, onde eu a pegou pela cintura e a giro no ar, ela simplesmente agarrou minhas pernas, e não queria soltar de modo algum!

- Solta! Deixa eu completar o giro.

- Você vai me deixar cair!!! - ela gritou.

- Não vou não, solta pra mim acabar o passo! -  ela soltou e eu a girei colocando no chão - eu confiei em você pra me ensinar os passos agora você tem que confiar em mim pra acabar a coreografia.

- Tá bom... Vamos de novo! 

A música começou e eu conectei meu olhar ao dela, agora eu sentia que éramos um só, uma mente só, um corpo só, um coração só! 

Os passos estavam conectados e perfeitos, o sorriso dela estava enorme, estar encima das rodas era realmente o sonho dela.

A coreografia terminou, dessa vez deu tudo certo. Mas no final nós não nos afastamos, a respiração dela se misturava com a minha.

Eu fui aproximando e selei nossos lábios, nossas línguas bailavam calmas e em sincronia mas o ar foi necessária e nós nos separamos. 

- E-eu - Não sabia o que eu falava - a-acho melhor eu ir - fui patinando até meu quarto e ela ficou parada, sem nenhuma reação.

Me joguei na cama de patins e tudo fechei os meus olhos mas o beijo veio na minha cabeça...

(...)

Fiquei meia hora deitado e fui tomar um banho... Será que ela tá pensando no beijo? ARGHH! EU TO PARECENDO UM ADOLESCENTE! E melhor eu ir la e pedir desculpa.

Vesti uma roupa e fui rumo ao seu quarto e encontrei ela limpando os patins vestindo um vestido florido que realçava seu belo corpo.

- Oi...

- Oi. - ela respondeu sem olhar pra mim.

- Será que nós podemos conversar?

- Pode falar...

- Eu queria pedir desculpa... pelo beijo.

- Desculpa? - ela me olhou surpresa. - sério? - sua cara era de quem não acreditava no que eu dizia.

- Sim...

- Você é um idiota mesmo... - ela saiu apressada pela porta.

Demorei uns segundos pra pensar e ir atrás dela mas quando cheguei no topo da escada ela já tinha ido... 

- Droga..."

- E durante essa semana ela nem me olhou foi só bom dia, boa tarde e boa noite. 

- Por que pediu desculpa? Você não gosta dela?

- Gosto...

- Então larga de ser burro, e vai falar com ela...

- E se ela não gostar de mim... 

- Ela gosta... E muito... 

- Sério?

 - Vai logo falar com ela! 

- Tá. 

Fui andando até encontrar ela mexendo no celular perto da sua mala.

- Ally... - chamei e ela saiu - Olha eu vim pedir desculpa. - peguei seu punho.

- Você já pediu.

- Eu... quero pedir desculpa por ter pedido desculpa. 

- Tá desculpado... - ela me encarou confusa.

- A verdade é que.... - travei. 

- É que... 

- E-eu...

- Cala a boca! - ela me puxou e colou nossos lábios com urgência! 

- Eu gosto de você... - Eu disse assim que nos separamos.

- Eu também gosto muito de você...  - ela sorriu. 

- Sei que ta tudo muito lindo, mas estamos no meio do aeroporto o local favorito dos paparazzis. - Karol apareceu.

- E a gente tá? - ela foi direta.

- Deixa eu pensar em uma maneira bonita de te pedir em namoro ok?

- Ok - ela sorriu.

- Ta chamando o nosso vôo - Karol quebrou o encatamento de novo.

- Então vamos. - abracei Ally e Karol pelo ombro e elas abraçaram minha cintura e fomos buscar as malas pra embarcar rumo a Buenos Aires... Dessa vez com o meu amor correspondido indo em busca do amor da minha melhor amiga....

"Amor mais lindo é aquele que nasce

De uma amizade verdadeira"
 


Notas Finais


Me desculpa quem shippa Aguslina mas eu acho que fora da novela os dois não tem muita química, então eu criei uma menina pra ficar com o Agus <3
Qual dos três capitulos vocês mais gostaram?
Sorry os erros
Sorry o atraso (sempre 10 minutos kkkk)
Um beijo direto do mundo da Lua...
Fui!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...