História Cartas (VHope) - Capítulo 28


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Vhope Bts Taehyung Jhope
Visualizações 97
Palavras 1.443
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Romance e Novela
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Cap demorado....
Sorry Sorry
To com fome....

To c bloqueio mental e to com fome 😂😂

Bjas no Kokoro..

Capítulo 28 - Eu estava apaixonado?


Fanfic / Fanfiction Cartas (VHope) - Capítulo 28 - Eu estava apaixonado?

Hoseok: Vamos nela?

Ele perguntou se levantando e apontando para a Roda Gigante , o que eu sei muito bem que era uma forma dele mudar de assunto. Não o questionei mais sobre o assunto, não queria pressioná-lo.

Concordei em irmos.

Não demorou muito para que entrássemos em uma das pequenas cabines, ele se sentou à minha frente, apoiava o seu queixo em uma das mãos e olhava para fora. E seu olhar estava perdido novamente na deslumbrante paisagem de Seoul. Com o dedo indicador ele empurrou os óculos para o seu devido lugar, pois haviam escorregado ate o meio o do nariz.

Hoseok: Perfeito não é? Daqui da pra ver toda a cidade brilhar. —suas palavras saíram monótonas e pausadas.

Tae: Hm. —concordei com a cabeça.

Hoseok: O que você mais gosta dessa visão?—disse ainda encarando a paisagem.

Tae: A forma como a luz reflete, fazendo realmente tudo brilhar, diria que esta bem mais bonito do que a lua dessa noite. Está perfeito!—as palavras se projetaram de meus lábios facilmente.

Ele finalmente me olhou e eu tremi.

Hoseok: Esta com frio?

Ele mostrou-se preocupado. Neguei, balançando a cabeça, mas Hoseok se levantou e sentou-se ao meu lado, segurou minhas mãos entre as suas, aquilo me deixou nervoso e tremi novamente.

Hoseok: Eu não tenho bolsinhas térmicas para mãos, mas posso fazer isso.

Suas mãos aconchegavam as minhas, as suas estavam quentes, e só naquele momento pude perceber que as minhas estavam realmente congelando, ele as levou próximo à sua boca e começou a soltar pequenas baforadas de ar quente para aquecê-las, e na verdade todo o meu corpo estava se aquecendo. Ele sorriu, eu estava realmente apaixonado por ele, me aproximei dele, vi seus olhos me encararem. Selei meus lábios nos dele, estavam quentes, o meu beijo foi correspondido de imediato por ele.

Mas recuei rápido, me lembrando da ultima conversa que tivemos após o nosso ultimo beijo.

Tae: Desculpa—tentei puxar as minhas mãos das dele, ele as segurou mais forte nas suas.

Hoseok: Você quebrou o acordo... —ele disse colocando uma mão em meu rosto.

Tae: Desculpe, eu... Eu... —tentei virar meu rosto para o lado, mas ele não permitiu que eu realizasse tal ação, fazendo com que eu o encarasse.

Hoseok: Obrigada...

Eu fiquei aturdido quando ele disse aquilo. Seus lábios já tocavam os meus. Beijávamo-nos.

Meu coração disparava que nem louco. Hoseok me puxou para ele, me fazendo sentar em seu colo, lembrei que estávamos em publico.

Tae: Hoseok... —estava começando a me distanciar.

Hoseok: shhh... —ele exigiu, passando um braço ao meu redor me puxando mais para ele.

O gosto dele ainda era o mesmo.

O beijo daquele momento não era de desespero ou de desejo sexual, como da outra vez, desta vez era calmo, mais suave, de nostalgia, lembrança... saudades. Era gentil e sem pressa. Foi um beijo prolongado, ele deu uma leve sugada em meu lábio inferior enquanto acariciava o meu rosto.

Aquilo tudo estava me deixando louco. Então ele separou nossos lábios. Senti um leve resmungo sair de minha garganta, eu estava assim tão envolvido à ponto de resmungar mesmo sem querer? Eu o olhei, o mesmo sorriu para mim ardentemente. Hoseok me tirou de seu colo me colocando para o lado.

Hoseok: Vamos descer já já.

Tae: Eu sei—falei timidamente.

Virei meu rosto para a janela. Um pouco de braveza tomava conta de mim agora depois que vi aquele sorriso dele, a lembrança daquela mulher na livraria veio á minha mente. A forma como era tão intima com ele. O ciúme se manifestava em mim agora. Por que me dar esperanças? Ou talvez não esteja dando, apenas brincando comigo. A roda gigante parou, descemos.

Caminhamos um do lado do outro, não trocamos palavras, mas eu via que algo o incomodava. Seu cabelo estava cheio de flocos, parei na sua frente.

Hoseok: o que foi?

Tae: Seu cabelo... Esta sendo dominado pela a neve.

Ele riu. Estendi minha mão para limpa-lo. Ele me encarava profundamente.

Tae: O quê?

Hoseok: Podíamos namorar.

Aquilo me pegou de surpresa me fazendo ficar estático imediatamente. Meus olhos pousaram imediatamente em seus orbes negras. Minha mão não se moveu de seus cabelos. As palavras dele ecoaram em minha mente como se tivessem sido ditas em tom ensurdecedor. Eu me senti atordoado, não sabia o que dizer. Ele estava brincando não era? Acho que não, pois ele me encarava profundamente.

Hoseok: Vamos namorar Taetae?

Tae: O... O que você está dizendo?

Hoseok: To te pedindo em namoro.

Afastei-me dele balançando a cabeça, negativamente.

Tae: Não... —eu gritei, mas logo acalmei a minha voz—você tem namorada.

Hoseok: O que quer dizer com isso?

Tae: Eu vi você naquele dia com aquela mulher... vocês estavam tão... tão...próximos e...Íntimos –sentia que minhas palavras saiam com desprezo enorme.—Ela era muito bonita por sinal.

Hoseok estava realmente espantado com tudo o que eu disse, ele me encarava com absurdamente surpreso. O qual era a dele agora? Esqueceu-se desse dia foi? Não era possível. E minha surpresa maior foi que ele começou a rir.

Tae: O que foi?

Hoseok: ela minha irmã... —ele disse pausadamente—eu sei que você é de tirar conclusões precipitadas, mas não imaginava que você era do tipo rápido. —ele estava irritado.

Eu fiquei envergonhado, pela a situação. Ele tinha razão sou do tipo que tira conclusões precipitadas rápido demais. Virei-me para sair dali, o que eu queria era sumir o mais rápido possível. Mas fui impedido por Hoseok que segurou meu pulso. Tentei me soltar, mas ele não permitiu. Apertava meu pulso forte e doía.

Tae: Ta me machucando!!—alterei a voz. Olhei para trás. E a preocupação tomou conta de mim, ele estava pálido, percebia-se isso, mesmo que o frio estivesse deixando suas bochechas e nariz vermelho.

Tae: Hoseok, você tá...

Não terminei de falar, Hoseok logo caia no chão de joelhos, trazendo com essa ação um leve puxão em meu braço para baixo. Sua mão me solta logo em seguida, ele leva as duas mãos à sua cabeça.

Hoseok: Não...não...—ele dizia baixo, suas mãos agora esfregavam os olhos—não...não...por favor...isso dói...manda parar Tae, por favor, esta doendo muito...—ele não me olhava, apenas chorava e sussurrava as mesmas palavras.

Tae: Hoseok... Hoseok... —minha voz falhava, acho que eu também queria chorar—Hoseok...o que você tem?--ele continuava chorando com as mãos na cabeça—por favor, fale para mim, fale comigo.

Eu implorava para que ele me contasse o que estava acontecendo, seus gritos e choro estavam me fazendo entrar em desespero. Olhei para os lados para procurar ajuda. Não havia ninguém. Maldita hora quando precisamos de ajuda e não aparece uma alma viva. O aperto forte em minha mão me fez olhar para ele novamente. Ele estava cada vez mais pálido. Coloquei minhas mãos em seu rosto. Os lábios dele tremiam. Meu coração doía, chorava por ver ele daquele jeito.

Procurei por meu celular para ligar para a emergência.

Tae: Hoseok, por favor... aguente um pouco vou ligar para um hospital...

Mas as mãos dele logo pousaram sobre as minhas, me impedindo de pegar o meu celular.

Levantei o meu olhar e o encarei...

Tae: O que você...

Hoseok: Não precisa, eu já to melhor...

Tae: Não... precisamos levar você à um...

Hoseok: TAEHYUNG!!!—ele falou meu nome irritado—por favor...só...me leve para casa, ok.

Eu apenas bloqueei meu celular e concordei com um movimento de cabeça. Eu ajudei a se levantar. 

**** 

Chegamos ao seu apartamento. Liguei a luz, meus olhos logo reagiram com a leve dor provocada quando a escuridão foi quebrada, Hoseok também protegeu seus olhos imediatamente com as mãos. Eu o ajudei com o casaco.

Tae: Por favor, vá tomar um banho, irei fazer algo para comermos.

O que fiz nada sofisticado como ele fez da outra vez para mim, apenas o que pude fazer foi um sanduiche acompanhado de um suco. Coloquei os dois pratos no balcão. Ele saiu do chuveiro com um pijama cinza secava os cabelos.

Tae: Desculpa, mas só fiz isso. Eu não sou tão bom na cozinha, você sabe...

Hoseok: Para mim esta ótimo. Obrigado!!

Apenas balancei a cabeça afirmativamente. Ao terminamos eu acompanhei ate o seu quarto.

Tae: Você ficara bem? Precisa ir ao medico.

Hoseok: Não preciso de medico.

Revirei os olhos e me virei para sair, mas eu senti o impulso de ser puxado e acabei caindo em algo macio, era a cama dele. Ele me abraçou por trás, encaixando seu corpo ao meu, ele escondeu seu rosto em minhas costas.

Hoseok: Você não me respondeu Tae se quer ou não namorar comigo...

Tae: Eu...

Hoseok: De verdade Tae eu não ficarei bem sem você... poderia eu ter alguma chance?

Eu pude sentir seus lábios moverem-se em minhas costas, acho que ele deu um beijo, não tenho certeza. Eu poderia ter fugido, mas não fiz. Estava apaixonado? Sim. Poderia me arriscar não era?

Tae: Aceito.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...