História Cartas (VHope) - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Vhope Bts Taehyung Jhope
Visualizações 123
Palavras 643
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Romance e Novela
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Genteeeee
Quase q fico doida... Vcs acreditam q tive um colapso mental... N sabia como organizar as coisas q já tinha escrito... Ahhhhhhhhhh.... Pq tenho essa mania d pensar coisas aleatórias e escrever logo? DPS n sei onde colocar....

Mas juro q vou m esforçar p ser mais organizada...

Bjs no Kokoro 😘😗
Só uma coisa Sherlock e Watson estão m visitando constantemente kkkkk adogooooo 🤗🤗

Capítulo 9 - Tropeço


Fanfic / Fanfiction Cartas (VHope) - Capítulo 9 - Tropeço

7:45 AM

Nam: Tá... Se eu recebesse cartas estranhas e um tanto pervertidas,o que eu faria? é claro que eu chamaria a polícia, meu filho.

Eu havia acabado de perguntar a Namjoon, sobre o que faria se recebesse aqueles tipos de cartas, é claro que sem ele perceber que era sobre mim.

Nam: Mozao!?!?– ele chamou Jin, que veio da cozinha – O que você faria, se começasse a receber cartas pervertida?

Jin: Eu?... Eu procuraria a polícia porque com certeza, é algum maluco querendo fazer coisas pervertidas.

Eu ri comigo mesmo. Eles tinham razão. Me levantei pegando o meu café, me despedi de Nam e Jin com um "Bye".

Nam: tchau.

Jin: Tchau, querido.

8:15 AM LIVRARIA

Me aproximei da livraria, olhei a caixa de correios, não havia nada. "Bem isso já aconteceu antes".

Organizei alguns livros que haviam chegado. Sabe de uma coisa triste e um tanto estranhas, aquelas cartas podiam ser anônimas, pretenciosas, pervertidas e levemente repulsivas ( de um jeito bom) mas isso era de alguma forma umas das coisas mais próximas de uma carta de amor que eu já recebi em toda a minha vida.

Em minha mente sempre ocupa a pergunta "Quem é o Autor? De onde exatamente ele me vê?e se ele estiver me observando agora?" Olho para o lado de fora, através do vidro para ver se consigo alguma pista, mas a rua estava tranquila demais. Bebo um gole do meu café, eu releio novamente  a última carta que recebi.

Minhas mãos automaticamente passam pelo o meu pescoço, e por cima da minha camisa, desabotoei o primeiro botão, minhas mãos desceram até o zíper da minha calça. Oh! Eu liguei o aquecedor? Sinto ondas de calor tomar conta do meu corpo, novamente passo as mãos pelo o colarinho da minha camisa. Imediatamente paro, o que estou fazendo? Se o Autor me ver fazendo isso ele ficaria louco? Olhei para a rua, ainda continuava calma, senti a minha orelha formigar, já que poderia ter a mínima chance de estar sendo observado ou de algum cliente ter aparecido. Ou até mesmo Hoseok. Oh! Porque estou pensando nele agora?

Nesse instante alguém entra na livraria, guardo a carta, era Hoseok com um sorriso largo e estúpido no rosto, eu sorri para ele, desta vez ele usava um óculos... Caia-lhe tão bem.

Hoseok: Você está bem?

Ele me questionou. Acho que eu devia estar agitado ou fora de mim, para ele ter percebido.

Tae: Sim, estou bem... – sorri– estava olhando a lista da nova remessa de livros e o sistema enlouqueceu. Acho que fiz alguma besteira... Mas já esta funcionando...

Ele riu. Mas parecia como se estivesse rindo de alguma coisa que não fosse o que eu falei. Conversamos um pouco sobre o clima ou algo do tipo. Acho que o enganei. Ele carregava alguns livros e papéis, eu fui ajuda-lo,mas acabei tropeçando sobre os meus próprios pés e esbarrei nele, o que fez com que tudo que ele carregava fosse jogado aos ares e espalhados para todos os lados. Sinto meu rosto estar em chamas. Acabei caindo por cima dele. Ele tinha um físico forte, encantador e adorável.

Hoseok: oh, me desculpe – ele disse como se toda a culpa fosse dele. 

Tae: Eu que peço. Foi minha culpa. – me levantei rapidamente.

E nós dois começamos a recolher rapidamente os livros. Seu cabelo liso, negros e um tanto comprido, davam a ele um ar selvagem, com sua aparência ele poderia facilmente passar por uma máquina sexual. Levantei o olhar, e tenho um choque ao perceber que seus olhos escuros estavam presos em minha camisa, como dois pares raios laser ,ele desvia o olhar e eu também. Olho para a minha camisa, percebo que ela estava com 2 botões abertos.

Vi que seu rosto estava vermelho. Ele cai sobre os calcanhares, tudo isso porque foi pego olhando através da minha camisa meio aberta.

Eu o ajudo a se levantar.

Hoseok: Me desculpe. Até logo. – ele anda rapidamente em direção a sala dos fundos.








Notas Finais


Eu seiiiiii......
Tropeçar no próprios pés, para cair por cima do outro é muito clichê ahhhhh e pior do que os lençóis de cetim..... Ahhhhhhh me mata logooooo

😣😣😣😣😣😣😣

Morri😥

Bye


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...