História Casa 89 - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Suga
Tags Fluffy, Sobi, Yoonseok
Exibições 108
Palavras 1.185
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Ficção, Fluffy, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Aaaaaaa
Eu não me segurei e postei o segundo, já
Socorro
Espero que esse capítulo tenha um alcance maior <\3

Capítulo 2 - - Capítulo 2 - Insistente -


É, Hoseok teria que adaptar seus planos.

Não deixaria de tentar se divertir com o garoto, mesmo que a condição do outro pudesse não colaborar!

Mas... e a dança?

Seu sorriso murchou, havia planejado situações em que seu vizinho não gostasse ou não soubesse dançar, não ponderou a possibilidade dele simplesmente não poder dançar. E, a pergunta mais importante; como a sua paixão de uma vida inteira poderia ser uma prática impossível para outra pessoa?

Nunca havia parado para pensar desta maneira, ele deveria fazer com que todos conhecessem a dança, então. Essa seria sua missão, a começar com o pequeno garoto do outro lado da rua, o garoto da casa 89. Não sabia como o faria dançar, mas faria, era Jung Hoseok, afinal.

Toma coragem para atravessar a rua quando o carro é trancado e os pais do garoto saem para falar com os caminhoneiros. Quanto mais se aproxima, mais fofo o garoto parece – fofo, porque beleza, para Hoseok, era a interior –

E, assim que pisa na calçada do outro lado, o garoto parece notar sua presença e o encara firmemente, com uma expressão indecifrável, o que faz as pernas de Hoseok bambearem um pouco e o fazerem parar quase estático no lugar onde está, seus olhos ainda conectados. Hoseok volta a se aproximar, colocando um sorriso amigável no rosto – não que ele já não estivesse sorrindo o suficiente – e parando na frente do moreno sentado.

- Oi, vizinho! Qual seu nome? – Pergunta empolgado, mas percebe a hesitação no pequeno antes mesmo que falasse algo.

- Me fale o seu, primeiro. – Responde secamente, mas antes que Hoseok pudesse responder alguma coisa, a mãe do garoto se pronuncia;

- Yoongi, querido, eu vou arrumar as coisas em casa com o seu pai e os homens aqui, ‘tá bom? Não entre porque ainda não tiramos a poeira, fique conversando com o seu amigo! – Diz enquanto entra na casa carregando uma televisão. “Nossa, já estão arrumando as coisas... espera... Yoongi?

O garoto bufa, frustrado, ao ter o nome revelado pela mãe olhando acusador para Hoseok logo em seguida. Enquanto o garoto em pé ri um pouco por conta do acaso.

- Ah, meu nome é Hoseok, Jung Hoseok, moro na casa em frente. – Indicou o local com um gesto de cabeça. – E o que leva essa família a morar aqui? – O menor suspira.

- Não é algo pra se falar assim. – O tom de Yoongi não era tão rude, talvez não queria soar tão grosso quanto fez. Enquanto um ponto de interrogação surgia na cabeça de Hoseok.

- Tudo bem, então... qual sua idade, Yoongi? – Hoseok senta na grama da entrada da casa em que os dois estavam, esperava que a conversa durasse bastante, mas a expressão do menor muda drasticamente, o que faz os planos do dançarino mudarem um pouco.

- Você não para de fazer perguntas, não? – Acusa, não porque estava sentindo a sua privacidade invadida, mas porque as intenções de Hoseok ainda não eram claras para ele. “Deus, o que ele tem de fofo, tem de marrentoPensa Hoseok, mesmo que a informação não o fosse fazer desistir de estabelecer algum laço com o vizinho.

- E-eu só queria saber mais sobre o meu novo vizinho... desculpa se eu sou um pouco impaciente, mesmo. – Hoseok responde, um pouco culpado, de verdade, mas sente que se mostrasse lados diferentes de si, Yoongi também mostraria. E estava certo.

- Desculpa também por ser grosso, eu só... só não estou acostumado com pessoas vindo falar comigo tão de repente, sabe? – Yoongi responde sinceramente, mesmo que estivesse, ainda assim, dando mais informações que o desejado. - A propósito, tenho dezessete.

- Dezessete? Oh, então você é o meu Hyung! – Hoseok sorri abertamente, mesmo percebendo que a aproximação que queria seria bem mais difícil do que pensava. – Você quer fazer alguma coisa, Yoongi-Hyung, já que não vai entrar na casa nova? – pergunta, esperançoso, mas logo o outro lhe joga um balde de água fria.

- Não. – Curto e grosso. Hoseok segurou o “Mas por quê?” na ponta da língua, levaria uma resposta ácida de qualquer forma, então achou melhor agir do que falar.

- Está bem, então eu já volto, me espere...... só me espere. – Mais uma vez segurou sua língua para falar “Me espere sentado”, mesmo que não fosse demorar tanto, mas no último segundo, pensou que isso poderia soar extremamente cruel para Yoongi, visto a condição do outro, e não queria de forma alguma magoá-lo.

Hoseok se levanta da grama, limpando sua calça e atravessando a rua novamente em direção a sua casa. Enquanto que Yoongi não tirou os olhos do mais novo um só segundo, tentando achar algum sentido nas ações e atitudes de Hoseok, um quase-completo estranho cujas intenções estranhamente lhe pareciam as mais inocentes. Poderia usar a idade do outro como desculpa, ‘Adolescentes não têm essa maldade! ’, mas a prova maior de que a afirmação era uma mentira era o próprio motivo da mudança.

O adolescente entra em casa praticamente correndo, procurando entre um armário e outro algum pratinho ou travessa bonitinhos, enquanto esperava os cookies que havia feito com sua mãe no dia anterior, esquentarem no pequeno forno elétrico da cozinha. Achou o prato e colocou os biscoitos em cima dele, não demorando a sair de casa de novo, mas tentando equilibrar um prato com biscoitos, uma garrafa com suco de laranja e dois copos em cima de uma cadeira até o outro lado da rua.

Yoongi reprimiu uma risada ao ver a cena, mesmo que não entendesse o propósito dela. O único apontamento que conseguira fazer sobre o vizinho era que Hoseok era extremamente curioso e pateticamente engraçado. Mas ao ver o mais novo cansadamente depositar a cadeira no chão e estender um copo de suco para si sua expressão muda para confusão.

- O que é isso? – Pergunta, receoso.

- Suco de laranja, ué. Não gosta? Tem limonada lá também... se você quiser eu po-...  – É cortado por Yoongi.

- Não... Eu quis dizer, por que está me dando isso?

- Eu não sabia se você tinha comido ou não na viagem e fiquei com medo de perguntar... então eu trouxe um lanche pra gente, já são quatro da tarde inclusive... – Hoseok responde, simplista, enquanto deixa Yoongi pensativo, que pega o copo logo em seguida.

- Por que está se preocupando tanto comigo se a gente nem se conhece? – Não consegue segurar a pergunta, agora estava realmente curioso, afinal, quais eram as intenções de Hoseok consigo?

- Agora a gente está quite nas perguntas, caro Hyung. – Seu tom piadista não passa despercebido, deixando um Yoongi sem resposta. – Brincadeira... eu só quero me aproximar de você, você parece simpático por trás de toda essa língua afiada. E além de tudo, eu quero ser seu amigo...

O baque que as palavras de Hoseok causaram em Yoongi podia quase ser audível. Nunca alguém havia falado para si que queria ser seu amigo, e mesmo que o mais novo podia estar simplesmente querendo aproveitar de si ou de sua condição, deixou-se acreditar um pouco, afinal, o chamara de simpático, quem achava Yoongi simpático?


Notas Finais


Acho que postar as duas da manhã não foi uma boa jogada de divulgação X.X


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...