História Casa Comigo? - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Fugaku Uchiha, Hanabi Hyuuga, Hinata Hyuuga, Hyuuga Hiashi, Konohamaru, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Sasuhina
Visualizações 175
Palavras 3.412
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ecchi, Ficção, Hentai, Luta, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oieeee amores 💙💙💙
Demorei horrores, desculpe :(


Boa leitura
E desculpa os erros ortográficos

Capítulo 11 - Capítulo Xl


Fanfic / Fanfiction Casa Comigo? - Capítulo 11 - Capítulo Xl

“Sim, vai ser difícil, mas a vida passa rápido. 
Vamos nos reencontrar. 
Eu sei. 
Eu sinto.”
Savannah Curtis

 

 

Capítulo Xl

 


   Domingo era a folga que precisávamos, Alice e Yasu estava impossível de se controlar, Alice andava pela casa toda e Yasu gatinhava atrás, nada parava no lugar, os dois crescia tão rápido, hoje era meu dia de fazer o almoço e Hana limpava a casa e Ino cuidava dos meninos, a parte mais difícil, porque quando eles decidiam ir um para cada lado, com certeza algum estrago a casa sofreria.

Oie amor da mamãe – parei de corta quando vi Yasu      gatinhando na cozinha, fui até ele e o peguei sentando na cadeirinha de bebê. – quer Danoninho?

Alice apareceu na cozinha andando até a mim – tabem quelo tia. – sorri passando a mãe pela cabeça dela e assenti, peguei os Danoninho e dei pala eles, sentei Alice na cadeira também e voltei a cortar os ingredientes.

Tiro os olhos por dois segundos e já não os encontro mais – ralhou Ino entrando na cozinha, colocando seu notebook em cima da mesa. – vamos ter muita dor de cabeça quando eles se tornarem adolescentes. Se ela ficar a metade do que eu fui quando adolescentes, estou perdida – e eu ri.

Fui uma criança calma, mas se ele puxar o pai, estou perdida – e rimos.

Meu Deus, essa casa esta um caos, tem brinquedo até no ventilador do teto – reclamou Hana entrando na cozinha – mas eu amos meus pestinhas – disse ela bagunçando o cabelo dos dois.
Pala tia há – falou Alice.

Tá bom – falou Hana bagunçando mais seu cabelo.

Ouvimos a campainha tocar, Ino foi atender, eu terminei o almoço , enquanto Hana brincava com as crianças

O que acha de fazermos maria Chiquinha? – perguntou Hana para Yasu sobre o peteado que queria fazer em Alice.

Sí – falou ele.

Nos assustamos com o barulho da cozinha.

Sua puta – gritou uma voz masculina.

Meu coração foi na boca, fiz sinal de silêncio para as crianças e elas concordaram.

Levem eles para cima e se escondam – disse saindo da cozinha, Hana rapidamente pegou eles no colo e subiu as escadas correndo.

Na sala Ino estava sendo segurada por dois grandões, tinha mais três, um estava a ponto de batê-la e os outros  dois vasculhava a casa. 

Ino de debatida, quando um chegou perto de entrar na cozinha, eu corri me escondendo atrás do balcão, abri a gaveta de vagar para não fazer barulho e peguei duas facas, elas tinha que servi,  entrei dentro do armário, quando ele não viu nada, seguiu rumo da escada.

Quando o grandão estava para subir as escadas, sai de dentro do armario e corri até ele, levantei a mão reta e bati no seu pescoço, fazendo o apagar rapidamente, ele caiu fazendo um barulho alto, então corri para sala, pisei no tapete na intenção dele escorregar, dito e feito, quando o tapete escorregava, mirei as facas e atirei.

A primeira acertou na pena de um que bateu na Ino e a outra no braço que a segurava pela direita, foi a distração perfeita, para que Ino cotovelasse a cara do que foi esfaqueado e o outro deu um chute no saco, ela começou a bater nos três que ferido ficava com os movimentos lento, eu fui no outro que estava vasculhando a casa, eu apenas me defendia, o cara tinha o soco forte, quando o soco dele passou de raspão no meu rosto, peguei seu braço para me apoiar a subir em cima dele, num jogo de tática, subi em cima dele, e torci seu pescoço, e ele caiu desmaiado.

Ino já tinha acabado com os três.

Estão mortos? – perguntei.

Não – respondeu ofegante.

O que faremos? – perguntei.

Pegue as coisas mais importantes, temos que sair antes que eles acordem – disse ela dando um chute num que estava voltando a consciência.

Subi a escada, peguei os documentos e fotos que revelavam que éramos, chamei a Hana que foi logo pegando qualquer coisa eletrônica e eu papéis, peguei Yasu e Hana Alice  e descemos as escadas e encontramos Ino vasculhando o corpo dos caras.

Sabem quem são? – perguntou Hana preocupada.

Sei, e eles vão enviar mais – disse Ino correndo até a cozinha, pegou seu notebook e saímos.
--//-- 

Ino on

Como encontraram? Onde eu errei? Passei todos os acontecimentos e não achava nada que me ajudasse entender aonde errei.

Ino quem são eles? – perguntou Hinata.

São um grupo chamado clã – respondi olhando pela janela do hotel. – não sei como me acharam.

O que fazemos?  - perguntou Hana, Alice dormia em cima da cama, quando Yasu brincava ao seu lado, Hana estava sentada junto a eles, quando Hinata estava na poltrona perto da mesa, este quarto era um das suítes mais cara desse hotel 5 estrelas, eles nunca ia me encontrar aqui, mas eles também não devia ter me encontrado na minha casa.

Deveríamos lugar para Gaara e Jack – falou Hinata – eles podem acabar indo lá.

Concordei com a cabeça, avisamos e esperamos ele chegar, minha cabeça relembrava tudo, como se fosse um computador procurando um vírus, Hinata e Hana parecia perdida no mundo delas, eu me sentia horrível, estava certa de que tinha estragado a vida delas.

Alguém bateu na porta, tirando nos do devaneios, Hana foi abrir a porta, não antes de olhar no olho mágico.

Gaara entrou no quarto passando o olho em tudo, sua expressão  aliviou quando viu Alice dormindo, depois sua atenção voltou para mim.

Esta machucada Ino – disse ele se aproximando de mim.

Não é nada – disse deixando ele excepcionar o meu rosto, deve que esta um estrago, o maldito tinha o soco forte.

Logo depois Jack chegou.

Mas o que aconteceu? – perguntou Jack.

Cinco homens entraram na casa – falou Hinata.

Ele estava atrás de mim, mas não entendo como eles me encontraram – falei, minhas pernas já doía de ficar em pé perto da janela, mas não conseguia ficar sentada, a adrenalina não saia do meu corpo.

Sabe quem são? -  perguntou Gaara.

São chamado de clãs,  os quem o controla são os Yamanakas – respondi, vi o espanto no rosto de Hina, Hana e Jack, mas Gaara ficou rígido e sombrio.
Yamanaka? – perguntou Hana confusa.

Mas são alguma coisa sua? – perguntou Jack.

Meu pai controla tudo lá, eles são conhecidos como os melhores traficantes de órgãos – respondi enfim indo me sentar.

Nos explica melhor ino – pediu Hina.

Eu nunca tive relação com eles, os descobrir depois de um tempo, quando descobriram que eu era filha do chefão, fui aprisionada por eles, lutei para sair do seu domínio, não deveriam ir atrás de mim, era o acordo – minha mão tremia, eu tremia por inteiro, a raiva.

Não entendo – refletiu Hina.

Eu fui sequestrada quando bebê, uma mulher me adotou e me levou para o Brasil – comecei a contar minha vida, as lembrança do passado era feridas que não cicatrizava. – quando fiquei na base dos 15 anos, ela me contou que me adotou, que no meu braço tinha uma correntinha com o nome de Ino Yamanaka, por isso ela deixou meu nome como Ino, e colocou seu sobrenome, ela era uma mulher estonteante, morena, de olhos verdes, cabelos preto liso, a mulher mais linda que conheci, sua inteligência era fora do normal, ela me ensinou tudo que sei, tecnologia era seu forte, mas ela sempre foi honesta.

Mas ... – minha voz vacilava, depois de tanto tempo, eu ainda não superei a sua morte, senti a mão de Gaara no meu ombro passando segurança – mas descobrimos que ela estava com câncer avançado, começamos seu tratamento, o que era muito caro, vendi tudo que pude, mas não era o suficiente, foi quando eu comecei os pequenos roubos, ela estava tão debilitada no hospital que nunca chegou a saber como conseguir o dinheiro. Mas ela não resistiu, no meu aniversário de 16 anos , recebi a notícia de que ela faleceram.

Sinto muito – falou Hina.

Mas não é parte pior – ri com amargura – eu usei meu nome verdadeiro para me ocultar, estava tão desesperada por ter que ficar sem ela, que fui descuidada, ele me encontraram, mas eu conseguir fugir, fiquei dois anos fugindo, a minha fama cresceu tanto, que além da Polícia atrás de mim, os criminosos queria a hacker de olhos azuis, o lucro era certo.

Olhos azuis? – perguntou Hana.

Como uma marca, dou um pani no computador, a tela fica preta e olhos azuis e meu nome embaixo aparece na tela e tudo se apaga, foi uma marca, queria mostrar quem eu era, como era uma criança idiota – lamentei.

O que aconteceu depois? – perguntou Jack.

Fui capturada por eles aos 18 anos, vivi presa no quarto, fizeram exames que comprovaram de quem eu era filha, eu era a cópia daquele monstro, quando foi confirmado que as coisas ficaram feias, eu fui obrigada a ajudar, e seu recusasse, ficava sem comida e apanhava, eu tenho memória fotográfica, e conseguir mapear o lugar, quando estava pronta para fugir, mudamos de lugar. As coisas só foi piorando, estava sendo treinada para lutar, pelo que entendi teria um duelo entre os filhos dos clãs, o filho que ganhasse, o pai seria o chefe.

Então ele veio me ver, a primeira vez que o vi, odiei ele com todas as minhas forças, e saber que era sua cópia me dava ânsia de vômito, ele me contou tudo sobre o duelo, e eu disse que deixaria me matar, que nunca lutaria por ele, mas ele me propôs uma troca, se eu ganhasse estava livre para ir e nunca mais seria perseguida.

Lutei com 64 adolescentes, a cada luta, eu treinava mais, lia livros de luta, anatomia... fui surrada até perder a consciência para conseguir ter mais resistência, no fim ganhei e fui solta, e desde então venho me escondendo dele, eu sabia que ele não mantetia sua palavra, ninguém mantém. 

--/ /--

Será que ele quer você para lutar outro duelo? – perguntou Hana.

Provavelmente seu cérebro – refletiu Gaara.

Não é seguro nenhum lugar, ouvi falar que são os pior tipo que tem – falou Jack.

O que faremos? – perguntou Hinata.

Eu não sei – estou tão cansada, tudo em mim estava dolorido, minha cabeça não dava uma trégua, falar em voz alta fazia com que as lembrança voltassem nítida, amaldiçoou minha memória ser fotográfica, faz com que as imagens me machuque mais.

Eles não vão desistir – disse Gaara, e eu sabia que não ia, eles iriam ao inferno atrás de mim, eles nunca desiste de uma presa, o que torna eles tão temido.

Então ficamos sentado esperando eles chegarem?  - perguntou Hinata nervosa.

O mais sensato séria fugir – falou seco Gaara, a palavra fugir me fez estremecer.

Pegarei o vôo mais longe – disse.

O que? Não!  - exclamou Hinata. – não vamos ficar fugindo.

Você não vai Hinata, vou eu e Alice – respondi.

Não! Não permitirei que fuja Ino – falou com determinação.

E o que pretende fazer? – desafio Gaara.

Lutar, não adianta fugir, vamos ficar e encarar de frente – disse Hinata.

Não temos poder nenhum contra eles – falou Jack.

Não vamos passar nossas vidas fugindo e nem adianta falar algo Ino, você é minha família e não irei te abandonar – disse ela se levantando, ela andava de um lado para outro. 

Meu coração se aqueceu.

Eu sei quem tem poder contra eles – disse Hinata – Ino pegue seu notebook.

Fui pega-lo enquanto Hinata fazia uma anotação no caderninho.

Teve uma época que minha família teve que receber uns convidados, a família uchiha estava passando por uma faze ruim – começou Hinata explicando, vi como Jack ficou desconfortável. – recebemos a  família Otsutsuki, eles fecharam um acordo naquela noite, sei que era uma família poderosa.
Já ouvi falar esse nome, mas nada que não seja boatos – falou Gaara.

Eles são uma máfia mais poderosa, ninguém supera eles, ouvi nosso pai dizer que o acordo entre eles seria deverás vantajoso – falou Hana e eu todos a encaram. – o que foi? Odiava ficar no quarto.
Você sabe o que foi trocado?  - pergunto Hina.

Foi uma troca de crianças, um foi dado ao outro – respondeu ela.

Mas eu ainda não entendi o que tem haver – falei. 

Eu posso pedir ajuda pata Otsutsuki, duvido que eles não seja páreos para o Clã. – disse Hinata  sentado ao meu lado.

O que você pode oferecer que os faça lhe ajudar?  - perguntei curiosa.

Eles são obcecados por olhos Hyuuga – falou ela com um sorrisinho

Não vou deixar que de seus olhos por mim – disse chocada.

Não precisa ser os meus olhos – disse ela e Hana deu uma risada, elas estava escondendo algo.

As Hyuugas a casa retorna – falou Hana.

Vocês só pode esta de brincadeira – falou Jack descrente.

Não, e você vai ser a peça  fundamental no meu plano – disse ela.

Adoraria ouvir seu plano – comentei.

Não vai dar, você vai para Roma – falou Hina e eu a olhei levantando uma sobrancelha a questionando.

--//--

Hana e Gaara foram comprar o vôo para Roma, quando Hina, Jack e eu ficamos.

Não sei por que, mas Hina fez com que Jack ficasse.

Você sabe do que estava falando, não sabe? – perguntou alto, eu olhei confusa para ela, mas pergunta não era para mim. – não sei por que esta mentindo, mas você sabe quem tem que ser.

Olhei Jack, ele estava calado.

Eu preciso de você – disse ela.

É loucura isso – disse ele por fim

Não quero que se machuque por mim Hinata-  disse.

Esta na hora de voltar Ino, Sasuke tem que conhecer o filho e preciso ver minha mãe e Neji, você só é a desculpa pela minha volta – disse ela.

Hinata... – estava confusa, por que se arriscar por mim.

Eles nunca deixarão passar do portão-  disse Jack.

Eles vão deixar passar – disse ela e eu estranhei a conversa deles.

O que eu perdi? – perguntei, Jack respirou fundo.

Jack? – o chamei.

Não Ino, me chame de Itachi – meu queixo foi no chão, sério?  Hinata estava certa e ele veio enrolando ela até hoje.

Mas o que? – exclamei.

Não o culpo Itachi, como também já não ligo, sei que sabe o que sou a muito tempo, por isso decidi não esconder – falava Hinata.

Eu queria ter dito – disse ele.

E por não o fez? – perguntei.

Tive medo – respondeu. 

Sei como se sente – disse – Hina me explica seu plano.

A criança trocada foi eu, o tratado era trocar as crianças para ter um laço entre as famílias – explicou Itachi

Sabe me dizer se ele ainda esta lá? – perguntou  Hina.

Era o tratado – respondeu por fim.

E como veio para aqui? - perguntei. 

Em umas das missões deu errado, e acabei sofrendo um acidente – disse ele.

Foi dado como morto – falou Hinata. – Ino você vai para Roma hacker uns arquivos da máfia, e depois iremos para casa.

--//--

Dias seguintes

Ino viajou para Roma junto com Gaara e Alice, Itachi lhe disse quais documentos é importante, que serviria para me manter a salva dentro dela.

A intenção era que eu voltasse primeiro, eu e Yasuhiko, eles não mataria o filho de Sasuke, mas a mim e os outros não tinha tanta certeza, mas era o risco que estava disposta a correr, Hana e Itachi ficaria monitorando ambas máfias e me passando tudo, quando conseguisse território seguro dentro da máfia, traria Hana e Ino para dentro, aí jogo começaria valer, eu teria que conseguir um espaço dentro do conselho, para conseguir encontrar Toneri, e enfim conseguir sua ajuda.

Eu seria uma líder dentro do clã, Ino seria minha informante pelos computadores e Hana minha espiã por pessoas, por que Hana sempre foi boa em driblar pessoas.

--//--

Preparada? – perguntou Hana pela milionésima vez.

Sempre – respondi, ela esta nervosa, é visível – e você?

Vou encontrar meu Ex marido e lhe dar um belo de um soco, melhor impossível – ela deu uma risada, ela olhou no relógio de novo.

Ela já vai chegar – comentei, estava já na sala de embarque, Itachi foi comprar algo para comer e levou o Yasu, agora que todos sabia quem era, ele não desgrudava dele mais, por pensar nisso, Hana aceitou muito bem a mentira dele, a única coisa que ela se arrepende, era de não ter acreditado em mim.

Curiosa para ver o Sasuke? – perguntou ela animada.

Estou nervosa, ele deve me odiar – comentei.

Com certeza – estremeci – mas duvido que vocês não vão acabar se pegando.

Hana – reprendi.

O que? – e ela riu, vi ino chegando com Alice nos braços.

Deu tudo certo? – perguntei preocupada.

Esta falando com Ino Yamanaka – disse ela convencida. – Sei que é errado, mas senti falta dessa adrenalina de ser pega.

Rimos.

Vamos então ? – perguntou Ino.
Gaara não vem? – perguntei curiosa.

A ex mulher dele é uma lunática, se ela saber de mim, vai virar um inferno, ele vem depois – disse.
Certo – falou Hana. 

Aqui Hina – disse ela me entregando um pen drive – esse pen drive vai nós proteger da sua família e agora como vamos nós proteger da “minha”?

Os Otsutsuki vão – afirmei.

Como vão arrumar um olho Hyuuga? – perguntou Ino.
Deixa isso comigo – falou a Hana.

--//--
Portão da casa Uchiha

Meu coração estava a mil, não sabia o que fazer, bater no portão, ou apenas entrar, será que me reconheceria? Meus olhos me entregaria.
Iriam atirar em mim? Apertei mais Yasuhiko ao meu corpo, ele brincava com meu cabelo e ria para mim.
Aproximei do portão e dois guardas veio até a mim.
Identifique-se – gritou um deles do ladro de dentro, ele não me reconheceram. – identifique-se 

Não sabia o que dizer, mas sei que deveria chocar e ser fria igual gelo.

Eu sou Hyuuga Hinata, filha de um dos principais clãs dessas máfias, fui esposa de Sasuke e este é meu filho, primogênito e herdeiro do Uchiha e da máfia e EU exijo uma audiência com o chefe ou vou ter que matar vocês se me atrapalhar a passar? – se fosse pra chocar, eu conseguir, ele me encarava com a boca aberta, depois de alguns segundos o portão foi aberto.

Por aqui – disse um me guiando para dento da mansão, subi as escadas, a mansão tinha mudado muito, estava mais jovial, antes ela era clássica como a mãe da Sasuke.

Aqui – disse para mim entrar dento da sala e eu entrei – Vou chamar o chefe – eu assenti.

Sozinha dentro dessa sala me permiti senti medo, quando essa porta abrisse meu medo deveria se extinguir, Yasu estava desconfortável, começava a resmungar eu comecei a ninar ele –shiii já vamos embora.

Embora? – perguntou Fugaku, arrepiou os cabelos da nunca.

É a intenção – respondi de costa para ele.
Não devia nem esta aqui, e sim de baixo da terra – comentou ele acido e eu ri em deboche.

Há muitas coisas que não esta lá – comentei, me referia a Itachi e ele teria um grande surpresa.
Diga logo o que pretende voltando – disse se sentando, mas ele não disse nada sobre mim sentar, e eu achava melhor não me sentar.

Quero proteção – disse mudando o peso da perna para outro.

Por que eu daria ela a você? – perguntou, mas na ponta de sua língua diria que sua resposta seria não.

Por que o filho de Sasuke corre perigo e minha família também – disse.

Os Hyuugas sabem se proteger – disse ele.

Não me referia a eles – disse.

Sabe que se esse garoto for mesmo filho dele, ele esta protegido aqui, mas o restante não me importo – disse ríspido olhando para Yasu, o que me deixou com raiva.

Se por minha irmã fugi daqui sem deixar pista, imagina o que não faria pelo meu filho – o desafiava.

Posso saber o que faz aqui pai? – perguntou sasuke entrando na sala e meu coração foi a boca, não imaginei que o veria tão cedo, ele foi até aonde seu pai estava sentado e me encarou, ele estava diferente, suas afeiçoes estava mais madura, seu corpo mais mosculoso, estava perfeitamente lindo.

Uma audiência – disse ele se levantando.

Isso só ocorre com o chefe – disse ele olhando o Yasu, em seus olhos refleti espanto, e seu olhar caiu sobre mim, e neles transmitia  dor, saudade e raiva, mas a dor se sobressaía.

Ela alega que esse garoto é seu filho – disse apontando para mim.

Não duvido – sua voz pesava sobre mim.

Exigo um exame e DNA – exclamou seu pai.

Não me recuso, mas preciso da proteção de vocês – disse.

Sasuke me encara e seu olhar doía sobre mim.

E você a terá – disse vindo até a mim – pai se retire da sala.

Depois de alguns segundos de relutância ele enfim saiu.

A quanto tempo Hinata – falou ele, passando a mão na cabeça do Yasuhiko 

 

 


  


Notas Finais


O que acharam?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...