História Casados. - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Tags Astoria, Casamento, Dramione, Filhos, Harry, Pansy, Rony
Visualizações 207
Palavras 1.560
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Luta, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


OLÁ AMADINHOS DE PERVS

Bom, eu vou começar divulgando um blog. O nome dele é Dangerous Edits, a sigla é DAE.
O blog tem o total intuito de ajudar nós, escritores e também, designers. Ele faz:
capa para fanfic, banner de capitulo, layout de blog, trailer de fanfic, styles, assinaturas, Sinopse de fanfic, betagem de capitulo e critica de fanfic (Não sei se não esqueci categorias)
Ele é super simples, e não cobramos nada para fazer qualquer um desses para você! Apenas pedimos que leia as regras.
O LINK DO BLOG ESTARÁ NAS NOTAS FINAIS!








___________________________________________________________________

Agora, aqui...

MUITO OBRIGADA PELOS 148 FAVORITOS!
Isso me deixa muito feliz.
E eu queria agradecer as meninas do grupo do DAE, que criaram correntinha do bem e deixaram 50 comentários num dos capitulos, como combinado kkkkkkk
Obrigada meninas!

Espero que gostem do capítulo
BEIJOS!

Capítulo 10 - Vamos para outro lugar!


 

Hermione Granger's P.O.V

A surpresa que senti quando enxerguei não apenas Minerva, mas Rony e Harry junto dela, foi tanta que meu passou a bater forte em meu peito, e minhas mãos ficaram totalmente molhadas de nervosismo. Quando Rony correu até mim, me abraçando e falando coisas que me surpreenderam ao extremo. Sorri para ele quando senti seus braços ao redor de mim, já que não era de demonstrar sentimentos, quando me separei dele  suspirei feliz o encarando. Desviei meu olhar para Draco, ele parecia super incomodado.

— Irei levar nossas coisas para casa.

Ele falou sério, e saiu levando duas malas em mãos enquanto outras três flutuavam atrás dele. Suspirei encarando suas costas largas.

— Os deixarei a sós.

Minerva sussurrou e saiu da própria sala. Rony finalmente me soltou, dando dois passos para trás e sorriu largamente, enquanto Harry se aproximava. Encarei meu melhor amigo que era poucos centimetros mais alto que eu e mais baixo que Rony.

— Parece feliz. — Ele falou.

— Estou. — E era a verdade, ser a noiva de Draco não era de todo ruim, ele não era uma pessoa horrível e Narcisa parecia ser uma boa sogra. — Draco me trata bem, cuida de mim, somos amigos e amantes, eu o amo. Nos acertamos na cama...

Eu iria continuar, mas Rony me interrompeu.

— Na cama? Quem é você e o que fez com Hermione Granger?

Sorri com aquilo, os dois pareciam estar aceitando minha condição, mas eu teria que deixar algo bem claro.

— A guerra me mudou, assim como acredito que mudou todos nós! Eu não sou mais aquela garota, sou uma mulher que acima de tudo, tem necessidades, necessidades que eu encontrei em Draco o supridor destas necessidades. Não estou com ele apenas por causa do sexo. Eu passei quatro meses ótimos com ele. Nos conhecemos e eu vi o quanto aquele garoto era incrivel e soube o porque dele virar comensal assim como o porque dele me humilhar durante todos os anos, não esqueci o que ele me fez, só lhe dei outra chance. E naquela segunda chance, vi o quanto ele é agradável. E me apaixonei.

Fui tão realista que até meus olhos marejaram. Uma lágrima caiu do meu olho e o resto começou a cair. Harry me abraçou, seguido de Rony e os soluços vieram, altos.

— Por favor, Hermione, eu odeio ouvir você chorando!

Harry pede delicado, eu sei o motivo dele odiar, pois o lembra a guerra, quando era apenas eu e ele, sem Rony...

— Enfim, o Draco faz parte da minha vida agora. E vocês irão ter que aceitar ele se quiserem ser meus amigos! Não precisam virar amigos, mas se aturarem, irem ao meu casamento, serem meus padrinhos...

— Será dificil, mas o que não fazemos por nossa sabe tudo?

Harry falou, já sorrindo como nunca, e Rony repetiu as mesmas palavras, me deixando muito feliz.

Já algumas horas depois, eu e Draco estavamos no salão comunal da Sonserina com Blásio, Theo e Pansy. Ela não tirava os olhos de mim e confesso que eu estava super incomodada.

— Fale-me, futura senhorita Malfoy, como é dormir ao lado de Draco?

Theo pergunta depois de uma discussão básica de quem era o mais bagunceiro quando eles dormiam no mesmo quarto, em Hogwarts.

— Ah, quando eu durmo antes dele é bom, mas quando durmo depois ele é horrivel! Ele ronca muito alto! — Era a primeira coisa que eu falava em dez minutos, realmente, eu estava bem quieta e timida ali, embora já fosse meio amiga dos garotos.

— Sua mentirosa! — Draco me jogou no sofá, subindo por cima logo depois, ri alto enquanto recebia cócegas na barriga.

Não sei como, mas em um minuto eu me contorcia toda, rindo escandalosamente, e no outro, Draco já estava prensando meu corpo no sofá, suas mãos entravam por baixo da minha roupa, me deixando totalmente arrepiada. Fomos interrompidos por um limpar de garganta. Fiquei extremamente vermelha vendo os sorrisos maliciosos que Theo e Blásio mandavam para nós dois. Pansy já não estava mais lá, melhor assim. Sinto que ela quer  Draco para ela.

Você deve estar se perguntando... Hermione Granger com cíumes de Draco Malfoy? Não! Nunca! Apenas cuido do que é meu, e se Draco acha que irá me trair com alguma bruxa ele está enganado, eu vou infernizar sua vida, ele não irá me trair!

— Vou indo.

Draco falou se levantando, me ajudou a levantar e eu abanei de leve para os garotos, enquanto ia até a saída da sala comunal, me surpreendi ao encontrar o garoto gentil, com mãos bonitas que tinha me alcançado a jarra na mesa de Sonserina, a poucos dias. Lhe sorri e ele saiu da frente, me deixando passar.

— Obrigada. — Falei educada, corando quando olhei para trás e vi Draco nos avaliando.

— Soube que és Hermione Granger. Lhe admiro muito, ouvi sobre você lá em Durmstrang! Prazer, me chamo Christian Ozera! — Ele estendeu a mão, eu fui apertá-la, mas Draco passou em nosso meio, empurrando o garoto e se colocando no nosso meio, se virou para mim e sorriu como se me desafiasse a dizer algo.

— Com licença, amor. — O afastei, o puxando para meu lado e ele veio, tentando parecer amigável ou até feliz, enfiei meu braço no seu.

— Ela é futura Malfoy. — Draco me interrompeu antes que eu pudese falar algo.

— Eu soube, fiquei bem surpreso, pois pelo o que ouvi dizerem por aí, Malfoys não casam com nascidos trouxas.

Fiquei sem saber o que falar, e um pouco irritada pelo modo que Christian falou.

— Quando existe amor é diferente.  Com licença, irei levar minha noiva para nosso dormitório.

Draco saiu quase me arrastando, não olhei para trás, aquele garoto foi muito grosso e intrometido. Fique literalmente puta, o que os outros tem que se meter na minha vida?

Ele não me levou para nossa casa/dormitório, me levou direto para as estufas, que era onde combinamos de ir depois que saíssemos do salão comunal da Sonserina. Draco foi até sua planta e vi que a coitada estava morrendo, ele queria usar um feitiço qualquer mas insisti que era errado, e ele soltando palavrões me deixou cuidar da planta que logo começou a atrair formiguinhas. Então coloquei um feitiço de proteção, e fui lavar as mãos.

— Hermione, já parou para perceber, que realmente, parecemos um casal?

Me surpreendi com sua pergunta, olhei em volta revirando os olhos.

— Cala a boca!

Esfreguei bem as mãos para sair a sujeira que estava embaixo das unhas e senti o corpo dele ficar coladinho ao meu.  Impressionante, eu nunca me liguei tanto em sexo, e agora, com Draco, é como se eu fosse uma ninfomaníaca, sempre querendo sexo.

— Responda minha pergunta ou quando chegarmos em casa vou torturar você com minha boca.

Corei, sentindo suas mãos irem para as minhas e ele começar a me ajudar a tirar a sujeira da unha. Draco as vezes era bipolar, num minuto, grosso e estressado e totalmente possessivo, em outros, leva como se não fosse nada, é fofo, atencioso e meigo. E eu gostava dos dois lados, mesmo que o primeiro citado seja desprezível as vezes, é excitante.

— Sim, Draco. Parecemos e é isso que devemos parecer, porque eu não sei você, mas eu quero fazer esse casamento dar certo, porque acredito, que um dia eu vou acordar do seu lado, te olhar e não pensar ''meu deus, eu não queria estar nessa situação, eu não o amo...''

Respirei fundo, Draco se afastou de mim e desliguei a torneira.

— Maravilha.

Ele falou e saiu de lá, me deixando sozinha.

Fui para o salão comunal da grifinória, porém sou barrada no caminho por Pansy Parkinson.

— Olá Granger.

 

 Draco Malfoy's P.O.V

Fiquei zanzando pelo castelo até dar 22horas da noite, fui direto para o local onde todas as noites antes da guerra ocorria festas, era liberada para todos os alunos, desde o primeiro ano até o ultimo, e nestas festas rolava de tudo, porém muitos alunos mais velhos deixavam os mais novos de fora, barrando-os muitas vezes. Não foi o meu caso, por ser um Malfoy, frequento as festas desde o segundo ano, porém naquela época, não fazia nada demais além de cuidar as meninas, sentado em um canto da festa. E agora não era diferente.

Melissa Grigori era a dona do local, um local bem escondido, nas redondezas de Hogwarts, ela avisou-me que eu deveria me preparar e ficar atento, agora que estava noivo pois ela colocou um feitiço no ar para que a libido fique alterada, porém eu não sentia nada. Nada de diferente, até ver uma bela mulher, ela usava um vestido vermelho sangue, justo que marcava bem sua bunda, o cabelo solto e liso a dava um ar curioso. Tinha bastante seios, e quando ela me olhou, fiquei com um calor insuportável, abri os três primeiros botões da minha camiseta e a observei vindo até mim. A mulher com ela foi esquecida. E eu só pude prestar atenção no seu corpo.

— Você está delicioso com essa calça!

Eu sorri, sentindo sua mão acariciar meu pau, ela beijou-me, enquanto sentava no meu colo, posiciando-se acima dele, apertei sua bunda e fiz fricção em seu sexo, enquanto minhas mãos já apertavam suas coxas e sentia suas unhas em minha nuca.

— Vamos para outro lugar!

Falo a afastando de mim, ela levanta e se vira, eu vou atrás, rapidamente grudando nossos corpos e enchendo sua nuca de beijos molhados.

 


Notas Finais


LINK DO BLOG: http://dangerouseditsbr.blogspot.com.br/


Peço que leiam atentamente a partir do P.O.V do Draco, para que vocês não fiquem com raiva dele kkkkkkkkkkk
ACHO QUE NO PRÓXIMO VOCÊS IRÃO SE SURPREENDER!
Por favor, não deixem de comentar
E DE IR CONHECER O DANGEROUS EDITS

http://dangerouseditsbr.blogspot.com.br/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...