História Casados. - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Tags Astoria, Casamento, Dramione, Filhos, Harry, Pansy, Rony
Visualizações 411
Palavras 2.149
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Luta, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Bom
eu tenho coisas a dizer

Não me matem
matem o meu computador.
O meu wordpad, filho de uma péssima mãe, perdeu o meu capitulo umas 15 vezes, e estou falando sério. Ele estava pronto pela primeira vez, e nas seguidas ele estava pela metade, e ontem, por milagre do destino, a metade que eu escrevi ficou salva.
Eu estava com muita raiva.

E como poucos de vocês sabem (talvez só a praga da DUDINHA -Amor de minha vida- e a Manu perfeita e maravilhosa) sou designer (quem não sabe oq é q faço sendo designer, pode perguntar nos comentários) e aí meu tempo diminui para a vida virtual maravilhosa
E
Faço magistério, que é o que precisamos para ser professoras, ou seja, não é que nem no Ensino Médio, é muito pior!


Bom, esse capítulo me agradou, embora sinta falta do primeiro que escrevi...

OBRIGADA PELOS 93 LEITORES QUE FAVORITARAM A FANFIC!

Capítulo 6 - Talvez meu casamento também estivesse fadado ao fracasso.


1 SEMANA DEPOIS.

Draco não estava na nossa cama, pela terceira manhã seguida, bufei e sentei na mesma, sabendo que em 5 dias, teríamos que sair de Hogwarts, passar o final de semana na mansão Malfoy junto com sua mãe que estava preparando nosso noivado, e segundo Draco, chamando todos os amigos dele, alguns meus, os parentes, que eram bastantes, mas provavelmente nem metade apareceriam, por eu ser uma sangue ruim. Brigamos logo após ele se referir a mim desta forma.

Ele dormia comigo, fazia um sexo alucinante, não usava proteção, deixava tudo para mim e eu sou a sangue ruim com a qual ele vai se casar.

Isso me subia a cabeça, no momento em que ele tinha dito aquilo, eu o coloquei para dormir no sofá, e nos três  dias seguintes, eu fingia na frente dos outros que estávamos bem, sorria para ele, o tocava e lhe dava selinhos, porque teria que ser convincente de qualquer forma. E ele tinha voltado a dormir na nossa cama, porém saia mais cedo do que eu acordava. Eu queria casar e em menos de um ano me separar, porque com certeza não seria mulher dele para toda a vida.

Levantei, fiz minha higiene, me arrumei e peguei minha mochila, sai do quarto e como eu imaginava, não achei Draco nem na mini cozinha nem na sala. Tomei café ali mesmo, não valia a pena ter que ir para o salão principal e encontrar aquele bando de urubus que... okay, estou estressada.

Terminei de comer e esperei dar 15 minutos para a primeira aula do dia, que era Defesa contra as artes das trevas. Fui em direção a escola, e fui direto para a sala, a encontrando fechada, mas alguns alunos já estavam ali, dei Bom dia e voltei a abaixar a cabeça e esperei, poucos minutos se passaram e me surpreendi com um abraço inesperado.

— Hey Mione, eu achei que apareceria para o café, mas não apareceu...

Sorri para Gina, ela tinha um belo sorriso no rosto, seu cabelo estava atado no alto, porém para o lado e usava um batom vermelho que parecia passar a mensagem beije-me.

— Eu acordei atrasada e resolvi tomar meu café em casa.  — Menti desviando o olhar do seu e mordendo os lábios.

— Já lhe falei que você é uma péssima mentirosa, mas vou fazer de conta que engoli sua mentira... Draco estava no café da manhã hoje, com Pansy Parkinson agarrada no braço... lhe contei isso?

Eu quis rir, soou patético, mas confesso que aquilo doeu, um pouquinho, pois sei que sou melhor que qualquer outra garota dessa escola... mentira, eu não sei não, e isso só me deixou com raiva. Bastante raiva.

— Gina, vá para sua sala.

Falo ao perceber a professora abrir as portas da sala de aula. Entrei junto com outros alunos e me sentei ao lado de uma garota da Grifinória que eu falava as vezes, Rebeca o nome dela.


____________________________________________________

Na hora do jantar, fui para a mesa da Sonserina, eu já conseguia ver Pansy e Draco conversando que nem amiguinhos super amiguinhos... arg! Sentir isso me dá raiva.

Fui até a mesa da Sonserina com os olhos vidrados naqueles dois. Blásio me viu chegar e abriu um sorriso exagerado. Sentei ao lado dele e não fui até meu noivo. Que estava a uns 3 metros de mim, já que entre nós estava Blásio, Theo e a cadela... Parkinson.

— Como foi seu dia Blásio?

Perguntei exibindo um sorriso e me servindo de purê de batata, arroz e lasanha, eu não conseguia pegar a jarra de vinho e um garoto — na verdade homem, porque... ele era... uau! — me entregou a jarra de modo sério, porém percebi seu olhar na minha gravata onde a cor vermelha se destacava naquela mesa.

Um pouco temerosa peguei das suas mãos e agradeci, me servindo de vinho e tomando um longo gole.

— Querendo ficar bêbada Granger? E bom, meu dia foi a mesma coisa de sempre...

— Talvez. — Respondi rindo ao largar a taça ao lado do prato e comecei a comer.

A risada escandalosa de Parkinson chegou aos meus ouvidos e foi inevitável não olhar para onde ela e Draco estavam, ele estava sério enquanto ela ria de algo.

— O que houve com você e Draco?

Dei de ombros para a pergunta de Draco e encarei Blásio que tinha voltado a comer.

— Ele foi grosso comigo.

Blásio me olhou, tomei outro gole de vinho e pulei no banco quando ele tocou no meu ombro.

— Podemos ir na sua casa? Ou na biblioteca?

— Vamos para minha casa. — Decidi levantando, não ligando para as consequências, ou o que falariam de mim, eu queria meu sofá.

Draco poderia não gostar, mas estou pouco me importando com isso. Aquela casa é nossa, eu quero ir para lá e levo quem eu quiser, muitas pensariam que um homem dentro da sua casa é perigoso, mas conheço Blásio Zabini, ele nunca me fez mal, zoou de mim, como todos os outros, mas nenhum aluno pegou tanto no meu pé como Draco fez, e isso gerou uma consequência inesperada...

Fomos conversando sobre as aulas,adolescência e sobre nossas famílias até lá, toquei na fechadura e entrei, a casa era programada para aceitar apenas a mim e Draco para abrirmos, para isso, despejamos nosso sangue em um local exato dela, que não tenho a permissão de compartilhar...

Retirei minhas sapatilhas e calcei minhas pantufas que eu deixava na entrada. O alívio foi instantâneo.

— Pode sentar. Já volto.

Falei apontando para o sofá e indo para meu quarto, tranquei a porta por precaução e retirei a capa de Grifinória, minha gravata e peguei uma jaqueta de Draco que estava pendurada sobre a guarda do sofá, a vesti e voltei para a sala, sentindo-me uma criança na jaqueta larga, quentinha e cheirosa de Draco.

Blásio estava sentado no sofá, folheando um livro da minha estante, era um livro trouxa e erótico.

— Quer tomar algo? Não tenho bebida alcoólica, Minerva não permitiu termos bebida aqui.

Falei dando de ombros e Blásio negou, largando o livro sobre minha mesa de centro.

— Sente-se Hermione, o que tenho que falar é sério.

Eu vi isso nos olhos dele assim que pediu para sairmos do salão comunal, assenti e me sentei no outro sofá, olhando fixamente para seu rosto que parecia apreensivo.

— Draco e você são totalmente opostos um do outro, Hermione! A noticia do namoro de vocês não está no profeta diário porque nenhum jornalista ou funcionário do ministério da magia teve acesso a esta noticia, mas sabemos muito bem que funcionários do magistério são amigos dos Malfoys, pelo menos os mais antigos que ligam para poder e dinheiro acima de tudo, e não para o que é certo e errado...

— O que está querendo dizer? — O interrompi.

— Quero dizer, que a família Malfoy não perdeu tudo. Perdeu um pouco do respeito, um pouco das regalias e os milhares de convites para bailes, festas e etc. Mas ainda é uma família antiga, tradicional e poderosa, cheia de bens materiais, e casamentos fadados ao fracasso. Eu sou quase um irmão para o Draco, assim como Theo e surpreendentemente Pansy. Sabemos praticamente tudo sobre nossas famílias e...

A porta foi aberta, Draco entrou na nossa casa com o rosto vermelho e bufando, ele parou no lugar olhando de mim para Blásio e pareceu relaxar, indo em direção da cozinha. Blásio se manteve em silêncio, até o loiro sair da cozinha e ir para o quarto sem nem olhar na cara do amigo, e Blásio voltou a falar, porém cochichando.

—... a maior parte dos membros da família Malfoy não souberam o que era amor. Draco soube o que era o amor e o sofrimento. Ele tem amigos, a mãe mas nunca teve realmente um pai. Lucio o queria como soldado, apenas um comensal que marcasse presença entre tantos outros. E foi isso que aconteceu. Lucio foi para Azkaban, e Voldemort deu uma missão a Draco, uma que poderia ter dado a mim,  Theo, Pansy, Crabble, Goyle, Astória... bom, a missão era...

— Matar Dumbledore. — Conclui e Blásio assentiu.

— Você não sabe o quanto a mente do Draco é confusa e conturbada, Hermione. Sangues-puros, principalmente sonserinos, não são criados para o amor, mas sim para serem uma imagem na mídia bruxa, todos tem de os acharem perfeitos, e Draco era, até o sexto ano, onde parecia um zumbi desesperado...

Estranhei Blásio saber o que era zumbi, mas confesso que estava me irritando, eu queria tomar um banho e...

— Sonserinos não são criados para pensar com os sentimentos, mas sim com a razão. Ele fez isso ao continuar se encontrando com você, ele sentia prazer com você, mas prazer do que com qualquer outra garota, talvez por ser você! A grande santinha de Hogwarts,a  garota a qual ele humilhou por anos, a garota que o perturbava apenas por ter notas mais notas e ter destaque...

— Parem de cochichar seus malditos! Eu estou doido para jogar um feitiço em que possa ouvir tudo o que vocês falam!

Me assustei com o grito de Draco, Blásio riu e tirou a varinha do bolso. 

— Confundos Feiti.

Eu conhecia aquele feitiço. Ele circulou a mim e a Blásio e algo meio transparente mas nem tanto, em um tom branco ficou ao nosso redor, na altura da cintura. Sorri por Blásio pensar nisso, isso impediria Draco de ouvir qualquer coisa, até se lançar algum feitiço.

— Draco pode ser grosso e ignorante com você Hermione, mas acredite, isso as vezes o torna a melhor pessoa do mundo. Sei que ficará com raiva e irá querer o socar, já que é muito boa com a mão direita...

— E esquerda também! — Falei rindo. O garoto de pele negra revirou os olhos.

— Sim... okay, continuando: Draco é um grosso, mas só tenha certeza que ele não gosta de você, se ele não tiver nenhum pingo de respeito. Acho que ele será um bom marido, mas ajude nisso. Seja uma boa senhora Malfoy e você será respeitada por todos, não por ser uma nascida trouxa casada com um puro sangue ou por ser a primeira nascida trouxa na família Malfoy, mas por ser uma ótima senhora Malfoy!

Assenti, sentindo o peso que carregaria assim que assumisse aquele sobrenome. Blásio sorriu de leve e desfez o feitiço.

— Agora eu vou indo, tenho um encontro e não posso me atrasar... aliás, garotas preferem flores ou chocolates?

Ri alto daquilo e dei de ombros enquanto ele juntava sua mochila.

— Depende da garotas, grifinórias devem preferir chocolates, são mais quentes e deliciosos... bom, depende da garota. Fale-me mais sobre ela.

— Quer saber? Vou levar um copo de chocolate quente e meias!

Ele falou e foi em direção a porta, me apressei, sabendo que e ele levaria leves choques e não conseguiria abrir a porta e a abri sorrindo.

— Até mais!

Ele se foi fazendo um gesto com a mão e fechei a porta, a selei e fui para a cozinha, pegando um pouco de água e uma maçã, a lavando bem e cortando em pedaços médios.

— Você fica provocante nessa minha jaqueta.

Me assustei, mas graças a merlin não me cortei. Não virei para olhar Draco, ouvi seus passos e logo ele estava agarrado em minha cintura, foi tão bom o modo que ele me tocou que eu senti meus seios reagirem a seu cheiro e seu toque.

— Vá falar isso para a Parkinson.  — Falei bufando e tirando a casca de uma das maçãs e comendo a casca pura.

— Cíumes?

Ele perguntou debochado. Dei de ombros.

— Nunca. Aliás, Blásio é muito legal!

Draco me virou em seus braços, eu continuei prensada contra a mesa, porém encarando seus olhos azuis e os lábios levemente grandes que sabiam fazer mágicas...

— Blásio é um babaca imbecil... o que ele queria aqui com você?

— Ciúmes?

Agora o sorriso debochado foi meu. Usei suas próprias palavras contra ele. Ele riu, aproximando mais seu corpo do meu, deixei cair a cabeça para frente, encostando minha testa no seu peitoral e beijando o local abaixo.  Ele tinha mudado de roupa, estava cheiroso agora, e seu cabelo molhado, a camiseta tinha um tecido bom... 

— Talvez eu esteja com cíumes.

Draco respondeu abaixando a cabeça e beijando minha nuca que ficava exposta naquela exposição por ele ter uns 30 centímetros a mais do que eu... ok, talvez não seja tanto mas... é. No mínimo uns 20.

Segurei ele pelos quadris e levantei o rosto para o olhar, ele passou a olhar para meus lábios.

— Eu e Pansy não temos nada. Ela é possessiva comigo, Blásio e Theo por termos crescido juntos, já transei com ela, algumas vezes, mas nunca senti nada, ela é como todas as outras... — O interrompi

— Eu também sou como todas as outras?

Eu sabia a resposta, e enquanto ele me olhava nos olhos, pensando qual reposta dar, senti raiva.

Talvez meu casamento também estivesse fadado ao fracasso, assim como a maioria dos casamentos Malfoys.


Notas Finais


AVISINHO:
O garoto que alcançou a jarra de vinho para Hermione terá um belo destaque ainda.


OUTRO AVISINHO:
Quero todo mundo comentando, gente, sério, comentários são maravilhosos. Quero saber o que acham da fanfic, o que pode ser melhorado e o que querem nela.

Podem tirar suas dúvidas por comentários. Dar ideias, sugestões, divulgar blogs, fanfics... MAS FALEM SOBRE A MINHA FIC TAMBÉM, SE NÃO DAREI BAN.... ~INVOQUEI MOONIE GOSTOSA~~
HUEHUEEHEUEHUEE
Sério pessoal, comentem, vocÊs são 93 lindos leitores.

DUDINHA, sua doida, te shippava com Another, agora não te shippo com mais ninguém. Mentira, te shippo com todo mundo do DAE.

Pessoal, se precisarem de algo para sua fanfic (Banner de capítulo, Design SImples-CAPA-, Betagem do capítulo, Crtiica para sua fanfic ou Assinatura se vc for designer ou quiser para colocar no seu perfil) conheçam o meu blog. O Happy Designs!
LINK: http://happydesigns-hpd.blogspot.com.br/
Para encomendar qualquer coisa, leia as regras e cumpra-as




Enfim, beijocas!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...