História Casados com a Máfia- em ADAP - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Piece
Personagens Personagens Originais
Tags Casais Originais, Saboala, Zorobin
Exibições 66
Palavras 1.292
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Harem, Hentai, Poesias, Romance e Novela, Saga, Shonen-Ai, Shoujo-Ai, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Gomen minna, a tia anda dodói (meio grave) e por isso está demorando mais do que o normal para postar caps novos ~desu

Por ordens médicas, eu nem deveria estar escrevendo ainda, mas a tia é rebelde u.u'
Hoje é cap duplo e assim que a tia melhorar, tem mais ~chu :3

Capítulo 9 - Herdeiro e brincadeira, você é polícia ou ladrão?


Clã do Barba Branca 10:00 AM - Kazura POV'S ON

– O que acha de tudo isto, Kazura-dono? -Ace me perguntou com um sorriso simpático no rosto e eu retribuí de uma maneira mais séria-

– Na verdade, o que anda me incomodando de verdade desde que me sentei nesta poltrona... -suspirei- É em como você conseguiu informações sobre o que houve ontem no meu clã.

Um minuto de silêncio que pareceu nos constranger absurdamente, eu ainda mantinha o olhar firme e ele apenas alargou o sorriso.

– É mesmo uma grande Líder Yahamana, não? -riu- bem, as notícias correm rápido, Kazura-dono, mas na verdade, quem me informou isso foi a Dra. Nico Robin, do clã Mugiwara.

Me assustei com a resposta, logicamente: como Nico Robin pôde ter acesso a isso em menos de 24 horas? É possível que a informação sobre a invasão no meu clã ontem à noite esteja chegando agora nos ouvidos da Aliança Pirata. - Deve estar se perguntando como ela conseguiu saber em tão pouco tempo, certo? -Ace falou levantando-se da poltrona e me convidando a levantar também- estamos falando de uma Mugiwara, herdeira de duas grandes máfias poderosamente populosas e perigosas, ela é o Cérebro General, a cabeça de estratégias dos Mugiwaras, dos Revolucionários e em partes, até mesmo do meu clã. Nico Robin sabe tanto quanto qualquer Yakuza que existe neste mundo...

– Ainda não me respondeu.

– Simples... Sistema A.H.T.A... -ele sorriu maldoso- ou se preferir, Anonymous Humanoid Tracking System.

– Sistema Anônimo de Rastreamento Humanoide? -me indaguei- o que é isso?

– Uma criação da própria Doutora. É um sistema que funciona via satélite, não é rastreável por nenhum tipo de sistema anti-vírus ou hackers do governo.

– O que isso faz?

– Ele utiliza satélites comuns, como os de transmissão de TV a cabo e rádio FM para rastrear dispositivos de toda e qualquer arma de fogo em atividade.

– I-isso é... -ri nervosa- impossível... -suspirei- como?!...

– Todas as armas hoje em dia são fabricadas com um dispositivo de rastreamento para evitar problemas com vendas proibidas, uso inadequado e contrabando. Até mesmo as armas antigas foram fabricadas com um metal especial no pente para que as balas durassem mais tempo na roleta e o disparo tivesse melhor empenho -Ace me explicava com calma- esse metal, para a nossa felicidade, é um ótimo condutor de calor, eletricidade e serve fácil de ímã, seu magnetismo é muito bom. Robin utilizou dessas três bases para criar A.H.T.A. -ele sorriu sinistramente- Não interessa se é uma arma antiga ou não, nós poderemos rastreá-la a qualquer instante, em qualquer lugar no mundo...

– Quer dizer que...

– Usamos o A.H.T.A ontem à noite para poder rastrear este militar, que por coincidência, estava lhe fazendo uma visita. Whitey me deu a ordem para executa-lo antes que ele matasse a Meiyaga, mas parece que a sua empregada adiantou o meu lado.

Eu gelei com tanta informação de uma vez só... Nico Robin, é de fato um gênio e um Monstro.

*

*

*

*

Hospital de Sakurami 11:15 AM - Nami POV'S ON

Ainda que eu estivesse um pouco chateada pela forma que a Robin me tratou mais cedo, eu entendo o lado dela e sei que é difícil esperar boas notícias sobre alguém que você ama, notícias que não sejam apenas boas, mas que também lhe tragam uma sensação de conforto e alívio. Imagino o quão desesperada ela deve ter ficado no momento que Sabo disse que Zoro estava no hospital.

E agora, eu estou preocupada com ela... Pelo que Zoro disse, Robin já está em trabalho de parto, só que graças ao susto de uma hora atrás, talvez não seja um parto tão tranquilo... Me sinto meio culpada por não estar sendo uma boa amiga para ela.

– Nami?... -Luffy começou a me chamar impacientemente- Nami! Você está bem?

– Sim... Estou. -respondi seca e suspirei- estou com dor de cabeça.

– Eu tô com fome.

Dessa vez não pude brigar com ele, ninguém conseguiu comer por conta do sangramento inesperado da Robin. Eu também estava com fome, mas nada superava minha preocupação do momento.

Zoro apareceu na recepção demonstrando o humor de sempre, eu estou tão nervosa!

– Ela está bem? -Koala indagou ansiosa-

– Sim, o bebê vai nascer logo, mas vai direto pra UTI Neonatal, Robin está preocupada com isso.

– Ela ainda está no quarto?

– Não, está na piscina de parto, foi uma ordem direta do médico.

– Genro, quando é que vou poder ver a minha filha? -Ivan, o chefe da máfia russa, o pai da Robin, disse meio sério e atordoado-

– Podem vê-la, mas não a deixem estressada.

Sendo sincera, eu nem sei se é uma boa ideia ir vê-la agora.

*

*

*

Robin POV'S ON

Zoro foi tranquilizar os outros com a notícia e eu fiquei na droga da piscina, olhando pro teto, lendo um livro, fazendo qualquer coisa que me distraísse daquelas malditas cólicas de parto.

Fiquei muito surpresa quando logo depois, um bando de barulhentos apareceu no leito.

– Robin! -eles falaram tão felizes que não pude ficar mais feliz que aquilo também-

– Como você está, querida? -papai se aproximou e me sorriu um pouco agoniado-

– Estou bem, mas quero muito que esse bebê nasça logo, a minha preocupação é o cordão enforcando ele.

– Calma, vai ficar tudo bem... Tem que pensar positivo!

– Eu sei! -sorri e olhei em volta- cadê a Nami?

– Ela ficou na recepção... -Koala engoliu seco e eu suspirei triste-

– Foi por causa do que disse, não é?

– Ah Robin, não precisa ficar desse jeito, ela sabe que não foi de propósito. -senti as mãos gentis daquela maluquinha apertarem a minha devagar-

– Queria me desculpar...

– Pode fazer isso depois do parto, por agora, você vai descansar!

– Ok... -assenti e sorri minimamente, porque afinal, naquele momento era o mais sensato a se fazer.

Depois de três horas, as cólicas estavam insuportáveis, ás vezes eu sentia vontade de gritar e chorar (se bem que eu chorava sem perceber), minha bacia saía do lugar e incomodava de uma forma indescritível.

Zoro ficou ao lado o tempo todo, sempre massageando minhas costas e mantendo a calma ao extremo (coitado, tremia mais que eu).

E para a felicidade de Deus e o resto do planeta naquela sala de parto, a piscina começou a ficar manchada com mais sangue e agora, tinha placenta. Finalmente posso empurrar essa coisa!

*

*

*

*

Zoro POV'S ON

Eu me sentia a pessoa mais idiota do mundo, sério! Eu não sabia exatamente como me sentir naquele instante, mas era uma cena repetidamente surreal na minha cabeça: eu acabei de ver o meu filho nascer.

É estranho e ao mesmo tempo, sublime; saber que aquilo nos braços da minha esposa era junção minha e dela, uma junção com rosto, pernas, braços, dedos, aquilo tinha traços, aquilo chorava, aquilo era um ser humano, um ser humano feito com o meu sangue e com o sangue da Robin... Mas acho que o que realmente me chamou atenção naquela hora, foi o sorriso dela.

Não era um sorriso qualquer, também não era um sorriso feliz ou um sorriso igual aqueles que ela dá quando descobre algo novo... Aquele sorriso era inédito: era o sorriso de uma mãe. E sinceramente, é um dos sorrisos mais lindos do mundo.

– Ne Zoro, você não quer conhecê-lo? -Robin me indagou ainda fixada naquela coisinha tão pequena, me aproximei um pouco mais e observei bem aquele corpo minúsculo: dizem que todo bebê quando nasce, tem cara de joelho, mas na boa, Eu não tenho cara de joelho! Só que aquele narizinho de Robin... Cara, não dá pra copiar...

Alguns minutos depois tivemos que entrega-lo à enfermeira e de lá, ele ficaria encubado. - Fique feliz, idiota, agora você é pai.

– Olha só quem fala! -rimos... na verdade, nós somos dois idiotas.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...