História Casamento Arranjado. - STEREK - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Teen Wolf
Tags Sterek
Visualizações 310
Palavras 1.050
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Voltei antes, sim, comparado aos outros dois está pequeno, mas brevemente tem mais, divirtam-se

Capítulo 4 - Capítulo III


Fanfic / Fanfiction Casamento Arranjado. - STEREK - Capítulo 4 - Capítulo III

 

 

- Uma coisa é me arrastar para passar um final de semana com você na sua "casa no lago", outra completamente diferente é você me arrastar para fazer suas compras no supermercado. - Eu era obrigado a arrastar um carrinho dentro do Walmart ao lado de Derek, só para fazermos suas compras. 

- Pense nisso com algo em comum que os casais fazem, logo essas compras não serão só minhas, mas nossas. -  Não precisava ele ter tocado com a ponta do dedo em meu nariz. - Anda, pega duas caixas de leite. 

Caminhei até o refrigerador onde se encontram os leites e peguei os dois galões que o senhor perfeição pediu, coloquei ambos dentro do carrinho e fui de encontro a Derek que observava alguns molhos, o que são? Molhos, de que não faço a menor ideia. 

- Me tira uma dúvida, ao invés de ficar comprando essas coisas tão poucas, por que não leva logo o supermercado inteiro? Dinheiro pra isso eu sei que você tem. 

Derek que estava agachado no chão vendo seus molhos se levantou e começou a me encarar. 

- Tá legal, você tem sido um chato desde que saímos da sua casa, então faz o favor de colaborar antes que eu perca minha paciência com você. - Acho que ele só não precisava ter sussurrado essa última parte. 

- Eu só quero meu celular de volta, seu chato. - Sussurrei, porém o senhor chato acabou escutando e lançou um olhar terrível para mim. 

Continuamos com nossas "compras de casal", compramos algumas frutas, legumes e verduras, carnes, enlatados e por fim ele me deixou trazer algumas besteiras como salgadinhos, biscoitos e diversas guloseimas. Na fila para o pagamento algumas garotas começaram a nos olhar, na verdade começaram a olhar para Derek que olhava para todos os lugares menos para as garotas, uma delas estava sorrindo para ele com aquele olhar que diz tudo... Piranha, me aproximei de Derek e beijei sua bochecha, o mesmo ficou mais pálido que vampiro, ele me olhou surpreso e eu simplesmente dei de ombros, as garotas agora nos encaravam com um olhar tipo "nossa que desperdício", minha missão foi concluída com êxito. 

- - - - - -  

Estávamos dentro do carro voltando para casa quando Derek parou o carro por conta do sinal que havia acabado de fechar, eu observava as pessoas atravessarem a rua e olharem impressionadas para a picape do senhor bobalhão que agora começou a falar: 

- Sabe que sua atitude dentro do Walmart foi infantil e ridícula... 

- Mas você bem que gostou da atitude infantil e ridícula. - Cortei sua fala e o mesmo me olhou com um olhar vergonhoso. - Não vamos agir como se tivéssemos oito anos de idade, admita que apesar de ter sido de surpresa você gostou e pronto. 

O sinal abriu e ele continuou a dirigir, seu olhar era focado na estrada, mas esse homem estava ligado em cada movimento que eu fazia, eu nem conseguia respirar sem que ele estivesse sabendo, tentei verificar o porta luvas do carro, porém acabei lembrando que o carro que está com meu celular dentro ficou na garagem, maldito Hale. Finalmente chegamos, Derek foi saindo do carro e eu já estava entrando na casa quando o mesmo começou a gritar: 

- Não vai me ajudar com as sacolas? - Virei para trás mostrando o dedo do meio para ele e gritei também. 

- Enquanto você não devolver meu celular eu não olho na sua cara, por que não pede ajuda pras suas amiguinhas do Walmart? - Entrei para dentro da casa com uma raiva que só Deus sabe o motivo. 

Fui diretamente para o quarto que o mesmo fez o favor de declarar como meu, tranquei a porta e tive uma crise de raiva, minha única vontade é de voar no pescoço do Hale e estrangula-lo até a morte, só assim consigo me livrar de tudo, ouvi algumas batidas na porta e claro que acabei gritando. 

- Me deixa em paz Derek. - Ele não respondeu absolutamente nada, algo que estranhei, ao me virar ele estava lá, encostado na parede de braços e pernas cruzadas me encarando. 

- Só me deixa tentar entender uma coisa, se você me odeia tanto por que está tendo uma crise de ciúmes agora? - Aquelas malditas sobrancelhas arqueadas me fazer querer voar no pescoço dele. 

- Não seja ridículo Derek, ciúmes de você? Ah me poupe, vamos parar de enrolação e me devolve meu celular, eu tenho que conversar com alguém, anda. 

- Seus pais sabem que você está perfeitamente bem, não vejo outra pessoa a quem você deva satisfação a não ser a eles e a mim! - Por que essa última frase saiu em um tom que eu não gostei de ouvir? 

- Olha, tudo o que eu mais quero é meu celular, eu passei o dia inteiro nesse quarto sem ter de fazer absolutamente nada por que você foi resolver coisas de "trabalho" e me deixou aqui sozinho, eu não tinha com quem conversar e nenhum jogo para jogar e isso me deixa louco, então faz o favor de devolver meu bebê antes que eu tenha uma crise e acabe voando no teu pescoço. 

Ele soltou um risinho e me encarou, eu odiei tudo o que ele falou a seguir e odiei ainda mais o que acabei fazendo. 

- Vamos lá maridinho, ao menos tente encostar nesse lindo pescoço. 

Minha única ação foi ir em sua direção e "pular" em seu pescoço, ambos caímos no chão, porém Derek foi quem se machucou com as costas no piso, o barulho de seu corpo caindo ao chão foi absurdo, nossos olhares pareciam se conectar, aqueles olhos verdes lindos me fascinavam, eu me perdia naquela imensidão verde, porém voltei a mim quando meu corpo foi colocado contra o chão, Derek agora estava por cima e com um sorriso nos lábios, porém esse sorriso não durou muito tempo, em um golpe sujo e baixo eu chutei sua região sensível e enquanto o mesmo agonizava de dor eu me levantava e tentava me recompor de algum modo. 

- Isso é pra você aprender a não brincar comigo, seu, seu, a não sei nem do que te chamar. 

-  Você me paga Stiles, golpe baixo não vale, você me paga!


Notas Finais


Próximo programado para a madrugada de sexta para Sábado. Me contem embaixo o que acharam deste capítulo e o que pode ou não melhorar?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...