História Casamento arranjado com um Vampiro - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, Kai
Tags Do Buchudo, Exo, Kai, Kaisoo, Mpreg, Vampirão
Exibições 273
Palavras 4.928
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Lemon, Romance e Novela, Sobrenatural, Yaoi
Avisos: Álcool, Cross-dresser, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eeee porra volteeeeeeei!!! Cheguei, Cheguei, Cheguei lá lá lá.

Capítulo final, chore eu deixo... Tem um M-preg, eu não tinha colocado antes porque eu decidi agora. E né...

Tem um incesto de leve, por isso não coloquei também. Espero que gostem! Comentei e sejam feliz de dar suas opiniões. Beijoooos

Capítulo 2 - Capítulo 2 - final


Um ano se passou, eu já estava amando aquele vampiro danado, demorou muito até que eu me apaixonasse e confiasse em JongIn, ele desdo do começo foi bom pra - continua sendo - ele me alegra nos momento ruins, me alimenta do seu sangue, me bate quando eu não quero fazer comida. Compra as roupas pra mim, me mima, e faz tudo que um marido bobão faz.

Mas ele ultimamente anda me irritando muito, ele encanou que quer adotar um filho, diz que quer um ter um menino. Já faz três semanas que ele esta me enchendo com isso, ele disse que se eu assinar os papéis que gente já pode pegar nosso pequeno.

Mas porra eu não quero! Eu mal sei cuidar de mim, e merda ainda to estudando porque eu reprovei na escola. E ele ainda quer um filho? Não vou ser uma mãe boa, eu já me acostumei quando as pessoas me chamam de passiva, ou dá o buraquinho ou viado saltitante e as merdas todas.
Eu não quero mesmo ter um filho não agora pelo menos, JongIn tem que aquietar o cú, essa história de doação não vai pra frente.

Por favor veja meu lado, eu ainda tenho 18 estou no colegial ainda, eu tenho preguiça de tomar banho sozinho; Eu odeio cozinhar - As vezes queimo as coisas de propósito- eu não quero trabalhar, não quero fazer faculdade, só quero ficar agarradinho no meu Nini. Eu só presto pra fazer boquete no JongIn, que fora isso eu sou um inútil.

Sem contar isso, está tudo perfeito. Meu moreno está deitado comigo na cama, a gente ta assistindo tv, e comendo chocolate. Sim eu como chocolate deitado, me processa.

Eu já falei que eu uso calcinha? Eu comecei a usar calcinha ano passado quando eu usei aquela lingerie de Drácula, eu gostei tanto daquele fiozinho na minha bunda que eu comecei a comprar mini calcinhas. JongIn adora. As vezes ando só de calcinha pela casa só pra provocar o vampirão, ele vem que vem quente pra cima do meu corpo.

Durante esse ano eu quase perdi a virgindade com ele, sim eu Quase mas eu não aguentei dói muito, JongIn é muito pirocudo não tem como. Nós ficamos só no agarradinho', só até eu tiver coragem de perder a virgindade da bunda.

- Nini para. Para de puxar minha calcinha droga! -Dei um tapa na mão do maior e voltei a comer. - Nini eu tô' tentando comer. -Já estava começando a me excitar com a mão de JongIn, ele alternava entre apertar e arranhar minha bundinha.

- Vai Soo vamos tentar de novo huh? -Ele falou rouco perto do meu ouvido, e logo começou a esfregar o pau duro na minha bunda. - A gente coloca mais lubrificante aí, você me deixa excitado demais com essas calcinhas. -Alisou a lateral inteira do meu corpo e deu um beijo molhado do meu pescoço.

Filho da puta

- Ok Nini.. -Gemi manhoso quando ele apertou meu membro duro, ele me deixa duro tão rápido.

Ele levantou num pulo e foi até o guarda-roupa e pegou um tubinho de lubrificante, sorriu maldoso e veio igual um bicho pra cima de mim.

Ele tirou minha calcinha com os dentes e a cheirou em seguida. Vampiro tarado...
Ele alisou meu corpo inteiro, deu alguns tapas nas minhas coxas e depois as mordeu. Ele se aproximou do meu pau e sugou com força a glande, gemi alto e joguei o quadril para cima, mas ele tirou da boca.

- Eu não vou te chupar hoje Soo. Só vou te fuder com força. -Atacou meus mamilos, ora chupava ora mordia.

Eu já estava me contorcendo nas mãos dele, ele abriu minhas pernas e sorriu, ele levantou elas para cima e jogou o lubrificante, senti o gelinho do lubrificante passar pelas minhas bolas e escorregando para meu buraquinho. Ele massageou bem lá, e em seguida enfiou logo dois dedos, e estocou com força, e de primeira senti minha próstata acertada. Se o dedo dele é grande, imagina a piroca dele.

Ele me alargou bem, despejou um quantidade grande em seu membro e masturbou um pouco. Ele posicionou o membro dele na minha entrada, e entrou de uma vez só.

- FILHO DE UMA PUTA! JONGIN SEU CARALHUDO DO INFERNO! - Gritei alto, eu não ousei a mexer meu quadril, meu buraco negro estava pegando fogo, estava ardendo muito. - Seu grosso.

- Obrigado amor.. Soo você é tão apertado! - Ele ficou parado pelo menos, esperou eu me acostumar com a piroca dele. Depois de cinco minuto eu já estava confortável e com o maior tesão com ele tão fundo.

- Nini... Vai com tudo. - Gemi manhoso, e rebolei no pau dele.

Ele gemeu rouco e tirou todo o membro e estocou mais uma vez com mais força, ele realmente não teve dó. Com ele não tem essa de provocar, vai ou não vai. Esse é meu Nini.

Céus que homem violento, o quadril dele se chocava com minha bunda, eu sentia as bolas dele se chocar na minha bundinha, ele arranhava minhas coxas e socava mais forte. - Vale ressaltar que ele ta atingindo meu ponto g desda da primeira vez - só pra fazer inveja mesmo. Encalhada.

Eu gemia igual uma puta mesmo, ele adora pakas... Apertei o travesseiro e rebolei numa das estocadas dele, ele ia tão fundo que parecia que ia me atravessar sem brincadeira, arranhei os braços definidos e gemi arrastado esse homem me deixa louco demais!

- Nossa Nini! Que gostoso, mais assim, Oh! Assim... - Gritei todo exagerado, eu adoro ser assim, ele me ama desse jeito não tem o que fazer.

Ele segurou meu pintinho e começou a bombar com força, os céus! Que bom! Ele me masturbava na mesma velocidade das estocadas, tão rápido. Rolei os olhos de tamanho prazer e gozei com algumas estocadas.
Mordi os lábios com força, e amoleci com o orgasmo, aquele foi intenso pra caraio.

Dei umas reboladas e logo senti meu Nini gozar gostoso dentro de mim, aff expressões que ele fez foi às melhores, nunca esquecerei das expressões que ele faz depois das nossas trepadas. Sorri e logo ele sair de dentro de mim e se deitou ao meu lado.

- Puta que pariu Nini, o que foi isso? -Perguntei todo relaxado, encostei no peito suado do moreno, e fiquei passando os dedos nas tetinhas dele. -Isso foi sexo vampiro? Nunca imaginei que fosse assim. - Dei um beijo na boca carnuda, e fui atrás minha calcinha. A vesti e saí do quarto, fui caçar algo na geladeira. Já que esse moreno tira minhas energias.

- Bebê vai tomar um banho, você está todo suado. -JongIn falou, e me abraços por trás.

Já disse que ele me obriga a tomar banho? Cara eu não gosto de tomar banho sozinho Eu já disse, que saco.

- A vai você Nini... Não quero tomar banho. E você vai fazer janta hoje, ontem foi eu quem fiz. - Disse irritado, e bebi todo o Danone da geladeira. Só tinha cinco, não é muito. Cale a boca leitor.

- Aish Kyung você tomou todo o Danone. Que merda, era pra deixar pra mim cassete. - Ele me empurrou e saiu de perto.

Oxe, que violência é essa colega?

- Empurra tua mãe seu saco de bosta. Aff, seu grosso. - Gritei para ele me ouvir, e terminei de tomar o último Danone. - É sempre assim, fica super puto quando eu tomo o Danone que você, Você seu palhaço deixa morfar na geladeira. Então vê se para de encher meu saco, caralho de homem chato. Vai chupar cú que você ganha mais. -Xinguei alto, e soquei a porta da geladeira pra mostra que eu estava mais puto ainda.

Escutei a porta do quarto se fechar com força e ele resmungar alto algo que eu entendi mais ignorei. AFS só enche, ano se resumiu nessa merda, ele brigar comigo por causa de Danone da Activia. Ele nem precisa disso ele é vampiro, ele não tem que beber essas coisas. Nada ver. Coisa que você não é né KyungSoo.

Eu fiquei na cozinha comendo as coisas até ele sair do quarto, ouvi a porta ser aberta e JongIn sair todo arrumado.
Estranhei é claro, onde meu homem vai numa horas dessas, que eu nem sei que horas são.

- Nini onde se vai? - Perguntei curioso, ele estava arrumando a jaqueta de couro. - Vai pra onde JongIn?

- Não importa. To' saindo. - Deu os ombros e saiu sem me dar satisfações.

Filho da puta!!!! Vampiro gay da porra.

Me irritei e comi mais ainda, se eu engordar a culpa é dele, maldito. Não gosto disso viu.
Uma crise de choro bateu do além, eu sempre choro quando ele faz isso. Eu sou sensível pow.

Fui para o quarto, olhei para a porta do banheiro e chorei mais ainda, ele só quer meu bem, eu sei mas eu não gosto de tomar banho sozinho... Limpei as lágrimas e fui para o banheiro, vou tomar um banho antes de ir chorar no colo da mamãe.

Tomei um banho demorado, vesti uma roupa simples e segui a rumo da casa da minha mamãe linda. É sempre ela que me socorre quando o Nini briga atoa comigo, ou quando eu não quero fazer comida e JongIn não está em casa.

Sim eu choro por tudo. Sou um bebezão, já me acostumei com isso.

Depois de descer do táxi eu voltei a chorar, bati na porta da casa dos meus pais chorando, sentei no sofá chorando. E chorei mais ainda quando minha mãe abraçou.

- Ah Soo JongIn brigou com você por causa do Danone de novo? -Perguntou a mais velha já sabendo o que havia acontecido.

Ela me conhece tão bem...

- Sim mamãe... Nini brigou comigo de novo! Aquele danone estava na geladeira fazia uma semana ia estragar mamãe. - Falei como se devesse satisfação para ela sobre o danone.

- Mesmo assim Soo, tem que deixar pro JongIn... Ele também gosta de Danone. - Ela estava me ensinando a dividir com o amiguinho?

- Aish mamãe, que lado a senhora está? O Nini que está errado!! - Solucei e me agarrei na mais velha. - Ele é muito briguento, ele briga por tudo. Só porque eu não quero fazer janta ou tomar banho ele briga comigo! Ele é um chato! - Falei mal do vampiro para ela e ela riu.

- Ah Soo, você ainda é um bebezinho, se você não amadurecer o JongIn irá cansar e se separar de você. JongIn é homem sério e tolera as coisas até certo ponto depois estoura. - Acariciou meus cabelos. Ela está tentando me assustar né? Ele não vai fazer isso comigo. - Quando um Kim está decidido ele não volta atrás... É melhor você parar com essa manha, se não você sabe o que vai acontecer. - Ela limpou meu rostinho, e se lavantou com cuidado. Foi para a cozinha e de lá trouxe um pedaço de pudim.

- Hmm! Nossa mamãe assim eu nem sei o que é tristeza. -Peguei o prato com o pudim e comi tudo, até lambi o prato. - Delicioso mamãe obrigado. - Eu iria contar para ela que eu perdi a virgindade do toba, mas estou com tanta vergonha. Olhei nos olhos dela, e a mesma sorriu. - Mamãe tenho algo a te contar. - Respirei fundo e me ajeitei no sofá, dei um sorriso fraco. - Perdi minha virgindade com o Nini, hoje... Depois a gente brigou por causa de danone. Aish, ele foi muito mal comigo, ele meteu tudo de uma vez e olha que ele é enorme. Só não me machucou porque meu buraquinho estava cheio de lubrificante. - Soltei mesmo, nem ligo. Ela já sabe de tudo, a vezes depois que eu Nini tentava, eu ligava de madrugada e contava tudo pra ela. E ela tirava sarro da minha cara. Vagaba.

Mordi os lábios esperando uma resposta dela, mas a única coisa que ela fez foi rir igual uma hiena, não acredito que minha mãe está rindo da minha cara. Que tipo de mãe faz isso? Só a sua Kyung, só a sua.

- Mãe! Não acredito que a senhora ta rindo da minha cara! Você é uma mãe horrível! - fiquei indignado com aquilo, ela deveria sei lá, dizer que meu buraquinho ia ficar bem (?).

- Ai Kyung você é um sarro! Estou até chorando filho. - Limpou as lágrimas e se recompôs. - Mas é claro que ele fez isso, até eu faria se fosse ele. Se ele não fizesse você nunca perderia a virgindade. Eu acho que JongIn foi muito paciente com você.

Eu não acredito que ela está do lado dele! Quem ela pensa que é? Sua mãe, burro.

- Aigoo mamãe to achando que JongIn é mais filho teu do que eu. - Resmunguei alto para ela ouvir mesmo.

Já era 21:45 estava na hora de eu ir para casa, JongIn deve estar me esperando... Ou não? Ah que se foda também.

Peguei um táxi e fui para casa, paguei aquele falante e saí do carro. Ô motorista que fala, Jisus. Entrei em casa de fininho, e ouvi uma voz feminina, filha da puta, é só eu sair que ele trás mulher pra cá. Me escondi dentro do armário do corredor da sala, e ouvi tudo.

Que foi porra? Eu sou pequeno, eu cabo dentro dessa merda, agora cala a boca que eu quero ouvir a conversa deles.

- Então Naya, o KyungSoo não quer adotar um bebe, ele diz que é novo, que de fato é mas eu realmente quero um filho. - Falou num tom triste, que eu tive o prazer de revirar os olhos entediado. - Mas eu não importo com isso, só quero cuidar dele e do nosso bebe.

- Ah Nini você deveria largar desse garoto. Ele tem apenas 18 anos e não quer nada da vida. Você sabe que tem outras pessoas que sabem o que querem e quer muito ter um filho seu. -Pera aí Autora! Como assim, se ta fazendo essa vadiaa dar em cima do meu homem? Quer morrer sua cadela? Cale a boca KyungSoo e preste atenção na conversa. - Nini eu quero ser sua, quero ser a mãe dos seus filhos. Eu aceito ser sua amante. Não me importo com essas coisas - A mulher se jogou assim mesmo? Tipo deu a real no meu macho? Essa franga!

- Aceita é? - JongIn pareceu gostar da ideia. Ele deu uma risada alta, e estalou os dedos da mão.

Morre vadia! HAHAHAHAHAH.

Abri a porta do armário e vi a coisa mais linda: a vadia se debatendo enquanto JongIn sugava o sangue dela com tanto prazer. Tinha me esquecido que ele fazia isso, nunca mais vou pensar que Jong vai me trair. Eu sou o único pra ele, chupa sua franga drenada. Saí do armário e fiquei observando.

Cara até eu ri depois dessa. "Saí do armário." Não ria leitor, ser escroto.

- Nini, Nini... Você não presta sabia? - Me aproximei do moreno, e comecei a tirar minhas roupas, gemi baixinho ao ver os lábios dele cheio de sangue. As presas para fora, e aquele maldito sorrido safado. -Assim você me excita Nini, você chupou ela inteira. - Eu já estava sem roupas e só a calcinha roxa de rendas ostentando. - Você vai me chupar assim também? - Perguntei manhoso, como eu queria que meu marido me chupasse daquele jeito.

- Você quer é? - Perguntou retoricamente e me jogou no sofá e se ajoelhou na minha frente. Desgraçado! Ele rasgou minha calcinha roxa, arranhou minhas pernas e as lambeu.

- Nossa Nini! Assim você me machuca! - Gemi alto e sem querer coloquei a mão em cima dos peitos da mulher morta, dei um pulinho e fiz um eca com a cara. - Ai que nojinho não gosto disso. -Joguei o corpo no chão, e sorri maldoso ao ouvir o som de corpo sem sangue. - Vadia! Ahn! Nini... - Ele abocanhou de uma vez e começou a chupar. - Guloso. Você é um vampiro muito mal! - Agarrei nos fios e comecei a estocar a boca quente.

Gozei com mais algumas chupadas, e puta que pariu! Fiquei todo mole, esse homem não é fácil. Ele levantou, me pegou no colo e foi para o quarto.

Lá eu chupei o sangue daquele gostoso e ele me fudeu com mais força ainda.

Jisus! Ele estourou minhas pregas. Hihi...


°•°


Acordei todo dolorido, aquele puto me lascou inteiro, me deixou todo marcado com chupadas roxas. Ele não pode chupar sangue de outras pessoas que ele fica assim cheio de fogo, mas eu gosto. (Moon face)


Senti JongIn me abraçar com certa força e resmungar um bom dia calmo, ele me beijou de maneira doce, assim como todas as manhãs, se levantou e foi mijar. Sempre tão rotineiro.


Ouvi o barulho da urina dele, e me deu vontade de mijar também, fui correndo para o banheiro e comecei a fazer xixi junto.


- Ahn! Bom dia Nini! - Ele terminou de fazer xixi e ficou olhando para meu pintinho e sorriu. Me esperou terminar e começou a bater o pau mole no meu. - Que porra é essa Nini?


— Star Wars Soo. — Deu um piscada e sorriu dando mais algumas batidas no meu pintinho.


— Star Wars Nini? — Dei uma risadinha boba, e chequei meu hálito, e fui para cima de JongIn. O beijei de forma mais carinhosa, iria mudar por ele. Vou ser alguém que ele queira pelo resto da vida. — Nini... Vamos tomar um banho?


— Ual como ele ta manhoso hoje! Vem cá pequeno. — Segurou minha mão e me levou para debaixo do chuveiro e abriu. A água sobre nós e ele me abraçou por trás. — Soo... Você realmente não quer ter um filho? — O tom da voz dele saiu baixo e triste.


Esse assunto de novo, aff! Será que ele não entende? Eu não quero, ter um filho, nem agora nem nunca! Ele vai cuidar mais da criança do que de mim, e eu não quero isso, nem agora nem nunca.
Já ia me preparando para xinga-lo quando eu lembrei que eu teria que mudar para ele não se cansar de mim.


— Você quer muito um filho né? Nini você sabe muito bem que eu não quero um filho. Mas por você... — Pausei a fala e olhei para ele, ele tinha o sorriso mais grande que eu já vi. Ele sabe o que eu falar, e caralho que vontade de falar outra coisa pra tirar sarro da cara dele. — Por você eu faço tudo, até mesmo adotar um filho de um desconhecido. — Minha vontade de tirar com a cara dele passou quando ele me abraçou e me agradeceu aos beijos.


— Obrigado Soo!!! Mal vejo a hora de pegar aquele pequenino no colo! Você vai amar ele. Ele é todo manhosinho igual você, é briguento e chora por tudo. É um mini-soo. — Ele riu dele mesmo, selou nossos lábios. E me deu um banho gostoso.


Uma semana depois.



Agora eu estava na frente do orfanato em que JongIn achou nosso filho. Depois daquele dia do banheiro, ele não parava de falar no menininho, e eu acabei gostando da criança sem ter ve-la eu estava ansioso e nervoso, vai que o menino não goste de mim, e deixe apenas JongIn cuidar dele.


— Vem Soo! — Me chamou animado, nos guiou para dentro e falou com uma mulher idosa de cabelos grisalhos.


— Olá Sr. Kim! Que bom ve-lo, vejo que conversou com seu esposo e decidiram adotar o pequenino. — Ela sorriu largo e me cumprimentou toda alegre. — Venha, ele estava morrendo de saudade de você.


Ela nos levou para sala de brinquedos, eu li na porta, tinha muitas crianças e vários brinquedos coloridos espalhados pela sala. Várias crianças gritavam, algumas cochichava falando mal do coleguinha, alguns dançava com a música do piano, e assim muitas crianças que eu poderia escolher, mas o Nini já escolheu e eu já me apaguei no pequeno.


— Papai JongIn!!! O Sr. Veio! — Um menino bem muidinho, de cabelos pretos longos gritou e veio correndo para o colo de JongIn. — Pensei que não viria mais. — disse todo manhoso, e logo começou a chorar. Igualzinho eu. — Pensei, que.. que ia me deixar papai. — JongIn acariciou os cabelos pretos e sorriu.


— Papai disse que demorar, eu vim né? E agora você vai ir embora comigo e com a mamãe. — Ele colocou o meninos no colo, e apontou pra mim. — Sua nova mamãe pequeno.


Aí meu cú, o garoto me olhou e se aproximou de cabeça abaixada, ele tocou meu sobretudo e voltou a chorar.
O que eu fiz de errado gente? Ele ta chorando, que isso filho?


— Eu sempre quis ter uma mamãe... — Ele ergueu o rostinho todo molhado de lágrimas e me olhou. — Você vai ser minha mamãe? — ele perguntou mais seus olhos imploraram para eu ser.


Aí meu Deooos!!! Que criança fofa.


— É claro que vou ser sua mamãe! — Ajoelhei na frente do pequeno e acariciei seus cabelos. Eu comecei a chorar com o pequeno. — Como é seu nome? — Perguntei limpando as lágrimas de ele.


— Byun Baekhyun, tenho 5 anos e.. e... Adoraria que você seja minha mamãe. — Ele sorriu largo e me abraçou e eu chorei mais ainda sentindo o cheiro de criança.


Peguei o menino no colo, sorri pra JongIn e ele nos abraçou bem gostoso.
Depois do momento logo, eu fui assinar os papéis da adoção, JongIn chorou quando eu terminei de assinar e me beijou.


Baekhyun desceu com suas malinhas e correu ao nosso encontro e de lá fomos pra casa.


Arrumei o quarto de Baekhyun enquanto ele estava com Nini na sala assistindo Dora, eu logo iria me acostumar com toda aquela bagunça, ele mal chegou e já trouxe alegria para casa toda.


Minha mãe surtou com viu o novo netinho, abraçou beijou, mimou logo de vista. Depois de uma semana, eu já tinha uma guarda-roupa cheio de roupa para o Baek. E tudo que eu vestia ele queria vestir igual, não imagina como eu adorei aqui.


2 meses depois.


Estava comendo chocolate com Baek na sala e assistindo A vida secreta dos bichos, quando deu uma vontade terrível de vomitar, corri para o banheiro e botei tudo para fora.


E minha nossa como eu vomitei, acho que foi minhas tripas junto, parecia que tinha uma buraco no meu estômago. Ouvi a porta do banheiro ser aberta e Baekhyun entrar.


— Mamãe você ta bem? — ele perguntou com os olhinhos cheio de água e se ajoelhou do meu lado olhando para meu rosto. Já disse que já to amando esse moleque? Pois é, é um amor inexplicável e lindo.


— A mamãe ta bem... Vai pra salaa assistir seu filme vai. Mamãe já vai. — Pedi e voltei a vomitar mais. Senti a mãozinha de Baek tocar meus cabelos e continuar um carinho.


— Mamãe eu vou ligar para o papai. — Ele se levantou e saiu correndo, pegou o celular e voltou para o banheiro e ficou na mesma posição que antes. Colocou no contado de JongIn e ligou. — Papai... — começou a chorar. — Mamãe ta passando mal, papai!! Ele ta vomitando tudo. — Ele fungou e fez carinho nas minhas costa. — Papai vem pra cá, cudir a mamãe, eu não consigo sou muito pequeno.


JongIn falou alguma coisa que eu não ouvi porque voltei a vomitar, me sentei no chão, e olhei Baek ele estava chorando baixinho. Dei um sorriso aliviado, as ânsias parar e Baek veio sentar no meu colo.


Ele fez a coisa mais fofa, juro sério foi muito lindo. Esse menino é lindo. Ele pegou minha blusa e limpou meus lábios e deu um selinho rápido e deitou a cabecinha no meu ombro. Eu fazia isso com ele depois que limpava o narizinho sujo dele.


— Mamãe melhorou, pronto, pronto. Baek não precisa chorar. — acariciei os fios e fiquei ali com ele. Depois de um tempo ele parou de chorar e começou a fazer careta para eu rir.


— Amor! Cade você Soo? — JongIn estava gritando na sala, ele veio todo preocupado para o banheiro. Sorriu fraco e sentou no chão junto comigo e com Baek. — Vocês estão bem?


— Sim papai. — Baek tem uma mania chata de responder pelo outros, que aí vontade de socar a cara dele.


— Nini... Vampiros homens... — olhei para ele com os olhos cheio de lágrimas, porra eu não vou parar de chorar. — Vampiros Homens. Engravidam? —Perguntei rápido demais e abaixei a cabeça.


— O que? — ele praticamente gritou e arregalou os olhos. Baek só nos olhava confusos. — Soo, você está. Você está?


— Eu sinto ele Nini... Ele se mexe tanto, eu ando vomitando muito. — Me levantei e deixei Baekhyun no chão, sorri fraco e ergui a camisa. Tinha um volume, estava redondinho, o bebe estava crescendo e parece que vai ficar enorme. — Você anda trabalhando demais, e nem repara mais em mim. — Ele se calou e ficou me olhando desacreditado.


Ele se levantou e tocou minha barriguinha e sorriu ao sentir uma movimentação, deixa eu explicar leitor burro. Eu sou um vampiro e JongIn também, então quer dizer que minha gestação é super foda e meu bebe é grande. Eu nem sei como engravidei, é tudo muito sobrenatural.


— Ele mexeu Soo... Você está esperando um mini-vampirinho! — ele gritou e pegou Baekhyun no colo e começou a pular. — Baek você vai ter um irmãozinho!! Isso não é ótimo?


Baek estranhou e pediu para descer, ele se aproximou da minha barriga e colocou o ouvido nela para ouvir. Ele sorriu ao ouvir sei lá o que e beijou minha barriga. E susssurou " vou cuidar bem de você meu irmãozinho. "


Eu teria uma gestação quase normal, normal seria nove meses de gestação, dores vomitos e essas coisas. Parecia que eu estava grávido de gêmeos, de tão grande estava aquilo.


Baek todos os dias passava óleo hidrante na minha barriga e ficava falando com o irmãozinho dele, nós dois ficava conversando, e quando Nini chegava ficava nós três falando com ChanYeol. Nome que eu e Baek escolhemos JongIn permitiu e então escolhemos.


Sete meses depois.


Aí caralho eu vou morrer! Isso dói pra cassete e esse moleque não para de se mexer, eu estava preste a dar luz. JongIn ligou para um amigo médico sei lá o que ele é, para fazer o parto, eu não podia ir para um hospital o que eles iam falar? Ia sair muita notícia sobre isso, eu e JongIn não queremos isso para nossos filhos.


O médico chegou e começou a fazer os preparativos, ele sorriu e pós a mascara, Baek estava trancado no outro quarto com JongIn, eu ouvia ele chorar e pedir para JongIn deixar ele me ver.


— Aí moço anda logo com isso!! ChanYeol não para!! Doí muito só tirar meu bebezinho. — Pedi ofegante, eu estava suando demais, eu não conseguia respirar pelo nariz, imagina o estado da pessoa de um metro e meio.


— Vou dar anestesia. — Ele ia aplicar, mas eu não deixei disse que não tinha necessidade. Então ele fez a sangue frio mesmo, o que doeu para Caralho. Ele cortou minha barriga numa facilidade incrível e fez todos os paranaues que eu não sei porque desmaiei. Só ouvi bem longe o chorinho de ChanYeol.


— Meu pequeno grande ChanYeol... — Falei antes de desmaiar de vez.


Calma porra eu não morri não! E caralho só pensa negativo.


Acordei todo limpinho e cheirosinho. Minha barriga já tinha cicatrizado, já que tenho uma genética estilo Dead pool, ô homem gostoso.


Abri os olhos devagarinho e já avistei Baek com JongIn brincando com ChanYeol, o garoto nem nasceu e eles já parecem sarna, credo.


— Nini... Deixa eu ver ele? — pedi manhoso e ele Sorriu, veio até mim e colocou o enorme ChanYeol no meu colo. Olhei para ele e comecei a chorar, minha cria. —Baek você gostou do seu irmãozinho? Você vai cuidar direitinho dele? — Sorri passando a mão pelos fios de Baek e beijei o pequeno.


— Claro mamãe sempre! — Ele me beijou e beijou ChanYeol.

   Aniversário de 14 anos de ChanYeol.


— Ahn Baek! Que gostoso esse é o melhor presente de 14 anos do mundo! Ahn... — ChanYeol gemia rouco com seu irmão mais velho lhe chupando daquele jeito. — Hyung! Eu to quase lá, oh ah! — E logo o maior gozou na boca no mais baixo.


— Droga ChanYeol! Eu disse pra você não gozar na minha boca, seu nojento! —Disse depois de ter sido obrigado a engolir o sêmen do irmão. — Aff nunca mais me peça algo desse tipo. Eu sou seu irmão e sou mais velho.


—Idaí Hyung... Você só tem 18, e isso foi maravilhoso. — Disse ajeitado a calça jeans escura. — Agora vamos senão eles vão desconfiar da gente. — Ele se levantou e abraçou o irmão mais velho e sorriu. — eu te amo Baek!


Beijou os lábios do loiro e saiu do quarto, deixando o baixinho todo corado e com o coração mais apaixonado.


Tão errado, mas tão bom...



Notas Finais


Heuheuehue Eu não presto né? Eu tava pensando em fazer uma continuação do incesto, maaaaas eu só vou fazer, se você me pedirem e tals. Acho que não tenho mais nada a falar. Bye bye 😉


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...