História Casamento Forçado - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Francisco Lachowski, Gigi Hadid, Justin Bieber, Kendall Jenner, Zac Efron
Personagens Francisco Lachowski, Gigi Hadid, Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Kendall Jenner, Liam Hemsworth, Marina Ruy Barbosa, Martin Garrix, Meghan Trainor, Personagens Originais, Zac Efron
Tags Ação, Bilionária, Casamento, Colegial, Drama, Herança, Paixão, Romance, Triângulo Amoroso
Exibições 167
Palavras 3.287
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Luta, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Boa Leitura ♥

Capítulo 4 - Capítulo 4


Acordei sentindo calor, olhei para o lado e estava num quarto desconhecido, mas que estava muito bem decorado, olhei para o meu lado esquerdo e quase caí da cama.

Do meu lado estava o Damon dormindo apenas de boxer e com um leve lençol branco tampando apenas a sua cintura, mas o seus abdominais estavam completamente visíveis.

Sai da cama lentamente para não o acordar, fui até ao banheiro e quando me olhei no espelho quase que tomei um susto. O meu cabelo parecia um ninho de rato, tinha a minha maquiagem totalmente borrada na minha cara, o meu vestido estava todo amarrotado, portanto numa só palavra, eu estava uma lástima.

Lavei o meu rosto com água morna e consegui tirar toda a minha maquiagem borrada da cara, peguei num pente que eu tinha achado numa das gavetas do lavatório e desembaracei o meu cabelo.

Fui até a sala e quando me sentei no sofá, flashbacks da noite passada começaram a passar pela minha cabeça que nem relâmpagos.

Eu assinei o contrato de casamento!

Porque eu fiz isso?!

E agora, já não há volta a dar! Terei que conviver com a minha decisão.

Será que eu estou pronta para o que vem a seguir?!

Liguei para o serviço de quartos e pedi um pouco de tudo, pois eu não sei o que o Damon gosta.

Minutos depois alguém bateu a porta.

Abri a porta e era o serviço de quartos, o moço entrou com o carrinho com a comida e deixou perto da mesa de centro da sala, fui até a minha carteira e peguei numa nota de 100$ dólares e dei como gorjeta. Ele sorriu agradecendo e saiu do quarto fechando a porta.

Bebi um pouco de café para despertar o meu corpo e estava comendo um croissant quando senti a presença do Damon entrando na sala.

Me virei para ele e ficamos frente a frente.

Ficamos olhando um para o outro sem dizer nada. Ambos tínhamos perguntas, medos, receios, incertezas e muita raiva dos nossos pais por terem posto a gente nesta situação, que nós dois não temos culpa.

Fomos chegando mais perto um do outro sem quebrar contacto visual.

-Eu juro que eu não sabia de nada, fui pego de surpresa tal como você, mas a gente vai arranjar uma solução, a gente não precisa... - ele começou falando muito rapidamente denunciando o seu nervosismo.

Pus o meu dedo na sua boca, o fazendo parar de falar.

-Eu sei que você, não sabia. Mas agora o papel está assinado, e a gente não pode fazer a nada a não ser casar e acabar com essa palhaçada.

-Então você não se importa de se casar comigo mesmo que seja a força? - ele perguntou

-Não. Desde que seja com você eu até não me importo. Só estou revoltada por ter que ser desta forma...

Ele estava olhando para mim meio que desconfiado, ele não estava acreditando no que eu estava dizendo, portanto para o fazer acreditar e para mostrar para ele que ele não me incomoda, eu fiquei em bicos de pés e beijei os seus lábios lentamente.

Pensei que ele fosse me afastar ou algo do gênero talvez por não ser o momento mais indicado, mas não, ele agarrou na minha cintura com uma mão e com a outra ele agarrou o meu cabelo me beijando com vontade, com garra.

Quando a nossa respiração começou a faltar, separamos os nossos lábios lentamente e abrimos os olhos.

Ele sorriu de lado e disse:

-O que a gente faz agora?

-Eu vou sair de casa, depois disto eu não vejo sequer motivos para continuar a morar naquela casa.

-Cê tem certeza? - ele perguntou

-Tenho.

-E vai para aonde?

-Talvez uma apartamento ou Loft. Ainda não sei.

-Quer que eu te ajude?

-Não. Eu preciso fazer isto sozinha.

-Tá. Quer que eu te deixe em casa?

-Sim, por favor. - eu respondi com um sorriso.

Ele se vestiu com a mesma roupa de ontem, comeu um pouco da comida que eu tinha pedido e depois saímos do hotel e fomos para o carro, em 15 minutos de viagem em que ninguém falou, eu pude refletir e ter a certeza de que eu realmente preciso sair daquela casa.

Chegamos a minha casa entretanto, despedi-me dele com uma abraço e prometi ligar quando estivesse tudo resolvido.
Entrei em casa e por sorte não estava ninguém em casa.

Fui até ao meu quarto, peguei nas minhas malas e começei a encher as minhas malas com as minhas roupas e sapatos.

Peguei em caixas e comecei guardando os meus quadros de fotos, livros e decoração do meu quarto.

Em 3 horas, o meu quarto estava completamente vazio, não continha nada que dissesse que aquele quarto era meu.

A Mariah estava no mercado portanto pedi ao Donovan para me ajudar a carregar as 8 malas grandes de roupas e sapatos e as 10 caixas de acessórios e coisas do meu quarto.

No quarto só ficou a cama, os criados mudos, a secretária, o tapete, as poltronas, os cortinados, a TV e as prateleiras onde estavam os meus livros.

O Donovan pôs tudo no carro e depois perguntou:

-Para aonde vamos, Menina Skylar?

Dei o endereço do hotel onde o Damon estava.

Estava olhando pela janela quando vi as primeiras gotas de chuva baterem contra o vidro.

Espero ter feito a escolha certa...

Agradeci a deus que o Donovan não tentou me impedir ou fazer perguntas.

Em poucos minutos chegamos ao hotel, o Donovan entregou toda a minha bagagem ao rapaz que tinha um carrinho de bagagem e depois antes de ele se ir embora, dei um abraço bem apertado nele.

Quando finalmente nos separamos ele sorriu e disse:

-Vai correr tudo bem, menina Skylar.

-Espero bem que sim, Donovan.

Disse adeus e depois subi até ao último andar onde era a Penthouse.

O moço das bagagens deixou as minhas malas e as caixas num canto da penthouse e depois saiu do quarto.

Decidi tomar um banho quente para tentar aliviar os meus músculos.

Depois do banho quente fui até as minhas malas e peguei numa calcinha preta de renda e um sutiã a combinar e numa camisa dos Yankees vermelha, que me chega até aos joelhos que era do Chase, e mesmo apesar de termos acabado, eu amo essa camisa, portanto fiquei com ela.

Escovei o meu cabelo molhado e decidi não por make nenhuma.

Como já era hora de almoço decidi ligar para a Kiara e avisar que eu não ia para a Faculade hoje.

Sentei na cama e liguei para ela.

Chamada On: Kiara

Oiii, Sky!

Oi Kiara, estou ligando para avisar que não vou para faculdade hoje.

Porquê?

Porque, estou um pouco indisposta.

Mas cê ta bem?

Tou, só preciso de descansar um pouco e amanhã estou como nova.

De repente ouço do outro lado da linha o toque de entrada.

As melhoras então, amore. Desculpa não poder falar mais, mas é que eu tenho de ir. Acabou de tocar para entrar, depois eu te ligo de novo.

Tá. Boa aula.

Obrigada.

Chamada Off

Pousei o celular em cima da cama e fui para a sala e fiquei assistindo um filme qualquer, e de repente lágrimas começaram a cair.

Acho que ainda não caiu a ficha de que eu vou casar com um quase estranho e que poderei ter que cortar relações com a única pessoa que realmente se lembrou de que eu existo de vez em quando.

O barulho da porta sendo aberta, me fez limpar rapidamente as minhas lágrimas e tentar esboçar um sorriso, ao ver o Damon entrando na sala com um saco desportivo na mão.

Ele pousou o saco desportivo em cima da cama e depois veio até mim. Se sentou no sofá e olhou para mim.

Eu sabia que quase de certeza os meus olhos estavam vermelhos, portanto tentei não olhar nos seus olhos, porque se eu olhasse para ele, eu sabia que eu iria desmoronar ali mesmo.

-Como foi?

Eu comecei brincando com os meus dedos e disse:

-Normal, a Mariah e o meu pai não estavam em casa, portanto consegui fazer as minhas malas em paz. Mas talvez terei que ficar aqui com você por um tempo. Claro, se você não se importar!?

-Pode ficar o tempo que quiser. Eu também fui a casa, mas não tive tanta sorte quanto você. Acabei por me dar de caras com a minha mãe, quando já estava saindo de casa, e ter que lidar com o drama da minha mãe não é nada fácil. 

Foi impossível não soltar uma gargalhada.

-Vou tomar um banho. - ele disse e levantou do sofá tirando a sua t-shirt e indo em direção ao banheiro.

Os meus olhos foram diretos para o seus abdominais.

Aii, meu deus que peito sarado, quase podia jurar que ele estava brilhando, como se tivesse posto óleo, mas é só imaginação mesmo.

Ele pendurou a sua t-shirt no ombro e entrou no banheiro fechando a porta, segundos depois ouvi o barulho de água caindo.

Deitei no sofá e sem nem me aperceber acabei adormecendo.

POV Damon Grey

Cheguei na Penthouse e me dei de caras com a Skylar usando apenas uma camisa dos Yankees que ia até um pouco acima dos joelhos, que basicamente não cobria nada, e digamos que saber que a Skylar vai ficar aqui por uns tempos me deixa um pouco irrequieto, pois tudo o que ela veste a deixa ainda mais sexy, e eu não sei se vou conseguir resistir, a essa deusa italiana, chamada Skylar Castellinni.

Fala sério, como diz minha irmã, ela foi abençoada por Deus naquele corpo!

Estava sentado no sofá conversando com ela, mas tive que correr para o banheiro e tomar um banho gelado, pois aqui o meu amiguinho tava dando sinais de vida.

Terminei o meu banho, e com apenas uma toalha na cintura sai do banheiro e fui até ao closet, reparei que a Skylar estava dormindo no sofá, realmente essa história do casamento tá tirando as energias a todos nós, tirei uma calça de moletom cinza e uma t-shirt preta e fui até a Skylar.

Ela estava dormindo serenamente, com o cabelo escondendo parte do seu rosto bem esculpido.

Peguei no meu laptop e sentei numa poltrona ao lado dela, e comecei a estudar.

[...]

Fechei o laptop finalmente, quando terminei de estudar e a Skylar continua dormindo ainda.

Liguei para o serviço de quartos e pedi umas sanduíches e um pouco de suco de laranja para fazermos um pequeno lanche.

Ouvi uma batida na porta minutos depois e fui abrir, o moço levou o carrinho até a cozinha e eu dei uma gorjeta nele e depois fechei a porta.

Peguei na minha sanduíche e dei uma dentada.

Fui até a varanda e fiquei vendo os carros passando e pondo a minha cabeça no lugar também.
A Skylar vai casar mesmo comigo? Ou ela tem alguma carta na manga e não vai casar?!

Essas são algumas das minhas perguntas sem resposta, que ficam me atormentando.

POV Skylar Castellinni

Acordei sentindo frio, olhei para a varanda e o Damon estava lá.

Levantei do sofá e fui até a cozinha, em cima da mesa tinha suco de laranja e sanduíche, ao ver isso o meu estômago deu sinal de vida e soltou um ruido. Peguei numa sanduíche e dei uma dentada.

O meu celular em cima do sofá começou a tocar, chamando a atenção do Damon, que ficou surpreendido que eu já estava acordada.

Peguei no celular e vi que quem estava me ligando era a Mariah.
Quase de certeza era para me repreender por ter saido de casa desse jeito sem ter sequer me despedido.

Deslizei o meu dedo pelo ecrã atendendo a chamada.

Chamada On: Mariah

Oi Mariah.

Skylar...

Ela estava chorando.

Não precisa chorar, Mariah. Eu estou bem. Desculpa ter saido sem...

Ela me interrompeu.

Seu pai...ele...ele...

Ele o quê, Mariah?!

O seu choro se intensificou, eu comecei a sentir medo do que viria a seguir. O Damon sentiu a minha preocupação e se aproximou de mim.

O seu pai...ele...sofreu... Aí meu deus...ele sofreu um enfarte!

Eu entrei em choque. Lágrimas começaram a cair, e eu perdi a minha força na mão deixando o meu celular cair no chão.

Tapei a minha boca para impedir de se ouvir os meus soluços.

O Damon pegou o celular do chão que não tinha quebrado e começou a falar com a Mariah.

POV Damon Grey

Eu olhei para a cara de pavor, preocupação e choque da Skylar e eu sabia que o que quer que seja que lhe tenham dito no celular era grave.

Ela deixou o celular cair em choque. Peguei o celular do chão e atendi a chamada.

Chamada On: Mariah

Alô?!

Quem é? - perguntou a pessoa da outro lado da linha

Damon, um amigo da Skylar. E você quem é?

Mariah, governanta do pai da Skylar.

Ta. Mas o que aconteceu?

Ela começou a chorar.

O senhor Castellinni...sofreu um enfarte.

O quê? Mas como?!

Ele ao chegar e ver que a Skylar tinha saído de casa sem sequer ter deixado um bilhete entrou em stresse e teve um enfarte. Ele está no hospital...

Qual é o hospital?

Seattle Centre Hospital.

Tá, a gente tá indo para aí agora.
Ta bom.

Chamada Off

A Skylar estava sentada no chão com as pernas no peito e chorando.

Fui até ela.

-Vem, vamo ver seu pai.

Ela levantou a cabeça e olhando para mim com lágrimas caindo sem parar ela disse:

-A culpa é minha...

-Não, não é. - eu respondi levantando ela do chão e limpando com o meu polegar as suas lágrimas.

-É sim...

-Vai trocar de roupa que a gente vai para o hospital.

Ela foi até ao closet e pegou numa calça jeans azul escura e numa sweat cinza da nike e nos seus all star brancos.

Tirou a sua camisa dos Yankees, sem sequer ter vergonha de eu estar vendo. Se vestiu rapidamente e depois veio até mim. Calcei os meus air forces brancos rapidamente e pus um casaco preto de pele e peguei nas chaves de casa e saímos do hotel.

Entramos no carro e em 10 minutos estávamos em frente ao hospital. Fomos até a recepção e a Skylar falou:

-O meu pai, Hector Castellinni esta em que quarto?

A moça digitou algo no computador e depois disse:

-Ele acabou de dar entrada no bloco operatório, teram que aguardar na sala de espera do piso 3. Aqui têm os crachás.

Ela nos entregou dois crachás dizendo "Visitante".

A Skylar estava em choque.

-Bloco operatório?! - ela perguntou numa voz quase inaudível.

Peguei na mão dela e apertei levemente e disse:

-Vai ficar tudo bem.

Entramos no elevador e chegamos no piso 3 rapidamente.

Mal saímos do elevador e demos de caras com uma sala de espera vazia com apenas a tal de Mariah, a governanta chorando desesperada no ombro do motorista da Skylar, eu já vi ele algumas vezes quando ele ia deixar a Skylar na faculdade.

Ao nos verem a governanta, correu até a Skylar e abraçou ela, mas a Skylar não retribuiu o abraço pois ela ainda estava em estado de choque.

-Querida, como...esta se sentindo? - ela perguntou afastando o seu cabelo da cara

-Um lixo... - ela respondeu sem emoção

-Não diga isso.

-O meu pai?

-Acabou de entrar no bloco operatório.

Sentamos nos bancos, eu me apresentei para a Mariah e o motorista que se chama Donovan.

A Skylar se sentou do meu lado e encostou a sua cabeça no meu ombro e eu não tinha reparado mas desde que chegamos aqui no hospital, ela não tem largado a minha mão. Olhei os nossos dedos entrelaçados, parecia que tinham sido feitos apenas para caber as mãos da Skylar.

[...]

5 Horas Depois

O médico apareceu finalmente, todos nos levantamos rapidamente.

-São a família do senhor Castellinni?

-Eu sou a sua filha. - a Skylar respondeu

-Bom a cirurgia foi complicada, mas não foi impossível. Correu tudo bem, mas para darmos como completamente bem sucedida teremos que esperar 48 horas e ver como será a sua recuperação.

-Posso ir ver o meu pai?

-Pode, mas só por alguns minutos, o paciente necessita de descansar.

Ela olhou para mim e me deu um fraco sorriso antes de largar a minha mão e seguir o médico até ao quarto onde esta o seu pai.

POV Skylar Castellinni

Ai chegarmos aoobquarto do meu pai o medico disse:

-10 minutos e depois terá que sair.

-Tudo bem. - respondi pondo uma mecha de cabelo atrás da orelha.

O médico foi embora, me deixando encarando a porta do quarto do meu pai.

Respirei fundo e abri a porta lentamente.

Entrei e fechei a porta silenciosamente.

Sentei na poltrona preta que estava ao lado da cama do meu pai, peguei na sua mão que estava gelada, olhei para a máquina de batimentos cardíacos que fazia o seu "bip" habitual, e depois finalmente olhei para o meu pai, para aquilo que eu fiz a única pessoa que realmente me ama.

Beijei a sua mão e lágrimas começaram a cair.

-Desculpa, papai...me perdoa...eu não quis te magoar...

O meu choro se intensificou e seu fiquei por um tempo apenas beijando a sua mão e chorando.

Até que a porta se abriu e uma enfermeira entrou no quarto e disse:

-O paciente precisa de descansar, o médico disse 10 minutos, mas a senhorita já está aqui a 2 horas. Terá que ir embora, mas amanhã pode regressar, não se preocupe, o senhor Castellinni está em boas mãos.

-Me deixe despedir do meu pai.

-Tudo bem. 1 minuto.

Sorri em agradecimento, e depois ela saiu do quarto fechando a porta.

-Papai, prometo voltar amanhã e ficar aqui com o senhor. Fique bom logo. Eu te amo, papai.

Beijei a sua mão mais uma vez e acariciei a sua face e depois sai do quarto.

Me encontrei com a enfermeira no corredor que me deu um sorriso reconfortante e depois entrou no quarto do meu pai.

Regressei à sala de espera e o Damon estava lá sozinho.

-Cadê a Mariah e o Donovan?

-Eles foram embora, já está tarde e a Mariah estava exausta. Prometeram voltar amanhã.

-Ta bom.

-E o seu pai? Como ele esta?

-Bem, eu acho. Queria muito falar com ele, mas ainda está sobre o efeito da anestesia portanto só amanhã. Mas foi bom ficar com ele durante estas 2 horas que pareciam segundos, passaram a correr. Mas amanhã pretendo regressar aqui e ficar com o meu pai, espero que não se importe.

-Claro que não. Se quiser lhe trago aqui.

-Obrigada.

Saímos do hospital e fomos para o carro, até chegarmos ao hotel ninguém disse nada.

Chegamos no hotel passado 10 minutos, ao chegarmos a penthouse, tirei a minha roupa que estava cheirando a hospital e fui até ao banheiro.

Tomei um banho rápido sem lavar o cabelo. Aproveitei que o Damon estava na varanda e me vesti. Peguei numa calcinha boxer preta de renda com sutiã a condizer e vesti uma camisa branca que ficava pelos joelhos que era do meu pai, tinha o seu cheiro a after shave de homem.

Escovei os meus dentes e me deitei na cama, fechei os olhos mas não adormeci.

Minutos depois senti a cama afundar e as luzes sendo apagadas, o cheiro de lavanda e laranja do Damon invadiram o meu nariz.

Ouvi ele dizendo "Boa noite, Sky" baixinho e segundos depois ouvi a sua respiração ficar mais regular, ele tinha adormecido.

Olhei as horas no meu celular que marcava às 4:57h da madrugada, o dia tinha passado muito rápido hoje.

Respirei fundo e passado alguns minutos adormeci.


Notas Finais


Espero que tenham gostado.
Continua??


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...