História Casamento Forçado - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Francisco Lachowski, Gigi Hadid, Justin Bieber, Kendall Jenner, Zac Efron
Personagens Francisco Lachowski, Gigi Hadid, Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Kendall Jenner, Liam Hemsworth, Marina Ruy Barbosa, Martin Garrix, Meghan Trainor, Personagens Originais, Zac Efron
Tags Ação, Bilionária, Casamento, Colegial, Drama, Herança, Paixão, Romance, Triângulo Amoroso
Exibições 141
Palavras 1.404
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Luta, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Boa leitura ♥

Capítulo 5 - Capítulo 5


POV Damon Grey

Acordei com o barulho de secador me atormentando.

Abri os olhos finalmente e me dei de caras com a cama vazia, portanto a Skylar já deve estar acordada.

Saí da cama de boxer branco da Calvin Klein mesmo e abri a porta do banheiro. Lá estava ela secando o cabelo, vestindo uma blusa bordô de mangas até ao cotovelo, uns jeans azuis claros com a barra dobrada e os seus vans brancos.

Ao notar a minha presença ela desligou o secador e olhou para mim:

-Bom dia, Damon. Tou indo para o hospital, ver meu pai.

-Mas já!? Ainda são 8:15h da manhã.

-Sim, eu estou muito ansiosa. Quero ir para lá o mais rápido possível.

-Ta bom, eu te levo.

Ela sorriu para mim e me deu um beijo na bochecha antes de sair do banheiro fechando a porta.

Tomei um banho rápido, quando terminei com apenas uma toalha na cintura, escovei os meus dentes, depois fui até ao closet, peguei numa t-shirt vermelha em V, uns jeans rasgados nos joelhos e os meus Vans pretos.

Fiz uma polpa no meu cabelo loiro platina, e passei perfume antes de me encontrar com a Skylar que estava pondo o seu celular dentro da sua bolsa.

Peguei nas chaves do carro e no meu celular e perguntei:

-Vamo?

Ela sorriu para mim e disse:

-Vamo.

Saímos do hotel e entramos no carro, paramos no Starbucks por grande insistência minha, pois cara, eu sem café eu morro, e saber que provavelmente a gente vai ficar nesse hospital o dia inteiro onde só tem aquele café de água mermo, eu exijo tomar pelo menos um café como deve ser para me dar energia.

Eu pedi um expresso num copo extra grande sem açúcar e a Skylar pediu um Caramel Macchiato.

Chegamos no hospital em 10 minutos, pegamos os nossos crachás dizendo "Visitante" e depois subimos até ao piso 3.

Como ainda não era hora de visita e o senhor Castellinni esta fazendo alguns exames eu e a Skylar tivemos que ficar na sala de espera.

Algo me atormenta desde ontem. Algo super sinistro.

Raciocinem comigo, o teu marido sofre um enfarte, tu mulher vai correr para o hospital e dar uma força e não vai arreda pé do seu marido, tou certo?!

Sim...

Então porque a mãe da Skylar nem ligou ou apareceu no hospital?!

Não consegui me segurar e acabei perguntando isso para a Skylar.

-Skylar, cadê sua mãe?

-Não sei. - ela respondeu como se fosse a coisa mais normal do mundo

-Como assim não sabe?!

-Minha mãe provavelmente ta planeando casar com aquele tablet. Ou então esta trabalhando.

Não resisti e soltei uma gargalhada.

-Ela sabe que seu pai sofreu um enfarte?

-Não sei, mas provavelmente sim.

-Ela não vai vir visitar seu pai?

-Não. - ela disse sem emoção e bebendo um pouco do seu café.

-Porquê?

-Porque minha mãe não se importa com ninguém a não ser ela mesma. Ela nunca me amou ou ao meu pai, ela me odeia com todas as suas forças e ela sente nojo do meu pai. Por ela eu nunca tinha nascido, e ela não teria casado com o meu pai. Eu sou o maior erro que a minha mãe já cometeu! - a este momento ela já estava chorando, mas não era de tristeza era de raiva.

Pus o meu café na mesa que tinha algumas revistas e depois fui até ela e lhe abracei.

-Desculpa, eu não devia ter perguntado.

Ela limpou as suas lágrimas, olhou para mim e disse:

-Devia sim, até porque ia acabar por descobrir de uma maneira ou de outra de como a minha mãe é uma cabra fria e insensível.

[...]

6 Horas Depois

A Skylar já esta no quarto do pai à 6 horas, que por sinal está acordado e parece estar tudo bem.

Estava mexendo no celular quando vi que a Skylar estava chorando aos prantos e estava sendo expulsa do quarto do pai por uma enfermeira, e ao mesmo tempo várias enfermeiras e médicos começaram a entrar no quarto do seu pai com alguma urgência.

Levantei rapidamente do banco e fui até ela.

-O que aconteceu?

-O meu pai...o meu pai...ele tá morrendo... - ela disse entre o choro e os soluços

-Como assim?

-Eu estava...falando com ele quando...a máquina dos batimentos cardíacos começou apitando...

Abracei ela e acariciei os seus cabelos dizendo palavras carinhosas para tentar acalmar ela.

Sentamos nas cadeira e fiquei fazendo cafuné nela, até que ela acabou adormecendo no meu ombro.

Deus queira que esteja tudo bem, pois se não estiver, eu não sei do que vai ser da Skylar daqui para a frente. O trauma da perda de um ente querido às vezes pode ser demais para certas pessoas.

POV Skylar Grey

6 Horas Antes

Finalmente terminaram de fazer exames no meu pai e me deram permissão para o ver, abri a porta lentamente e me dei de caras com o meu pai acordado.

Fechei a porta e me aproximei da cama.

-Se aproxime mais de mim, querida. Não tenha medo.

Sentei na mesma poltrona onde eu estava ontem. Não consegui me controlar e as lágrimas começaram a cair outra vez, abaixei a minha cabeça para tentar esconder toda a minha culpa e sofrimento do meu pai.

Senti os seus dedos no meu queixo, ele levantou a minha face até poder ter toda a visibilidade possível de o quanto eu estava uma lástima.

-Desculpa, papai. A culpa é minha! Eu pus o senhor aqui...

-Querida, não chore. E a culpa não é sua. É minha! - ele disse limpando as minhas lágrimas

-Como assim? - perguntei confusa

-Eu já sabia que eu tinha um problema no coração a algum tempo, mas não falei nada pois não queria te preocupar, querida.

-Papai, o senhor devia ter me contado! Mas mesmo assim continua a ser por minha causa que o senhor teve um enfarte, se eu tivesse deixado um bilhete o senhor não teria se preocupado e ter tido um enfarte.

Eu agarrei na sua mão e a beijei.

-Filha me perdoa?

-Perdoar o quê, pai?!

-Por estar te obrigando a casar com o Damon?

-Sim, papai. Claro que eu te perdoou.

-Mas promete filha que aconteça o que acontecer você vai casar com ele?

Respirei fundo, pus uma mecha de cabelo atrás da orelha e disse:

-Eu prometo.

-Eu te amo filha, sempre te amei você sabe disso não sabe, meu anjo?!

-Sei sim pai, e eu também amo muito o senhor.

Ele sorriu.

-Você é e sempre será o meu grande orgulho. Eu quero que você dê continuidade a geração Castellinni e que seja feliz, o Damon é um bom rapaz e foi muito bem educado. Ele será um ótimo marido e pai dos seus filhos, isso eu te garanto.

-Papai, porque parece que o senhor esta se despedindo? - eu perguntei assustada

-Porque eu estou querida. A minha hora chegou, eu vou estar lá em cima e vou estar vendo você e sentir ainda mais orgulho de você. Eu te amo, Skylar.

A sua mão que estava segurando a minha, perdeu a sua força e os seus olhos estavam fechando lentamente.

Entrei em desespero.

-Papai, papai, acorde, pelo amor de deus. Papai você tem que ficar comigo! Não me deixe aqui sozinha! Papai! - eu tentei acorda-lo.

A máquina dos batimentos cardíacos começou a apitar sem parar e a apareceu no monitor uma linha reta. Eu já vi muito filme e eu sabia exatamente o que aquilo significava.

Com lágrimas nos olhos e tremendo eu gritei:

-Enfermeira! Alguém me ajuda! Socorro!

Duas enfermeiras entraram uma foi direta para o meu pai e começou a tentar estabilizar ele, enquanto a outra estava me expulsando do quarto.

-Senhorita, eu preciso que a senhora saía!

-Não, o meu pai...ele...ele...

-Se a senhora não sair os médicos não poderam fazer o seu trabalho!

Ela me tirou do quarto e de repente do meu lado apareceu o Damon.

Ele me abraçou e depois me perguntou:

-O que aconteceu?

-O meu pai...o meu pai...ele tá morrendo... - eu disse entre o choro e os soluços

-Como assim?

-Eu estava...falando com ele quando...a máquina dos batimentos cardíacos começou apitando...

Ele me abraçou mais apertado e acariciou os meus cabelos dizendo palavras carinhosas para tentar me acalmar.

Sentamos nas cadeira e ele começou fazendo cafuné na minha cabeça, até que acabei adormecendo no seu ombro.


Notas Finais


Espero que tenham gostado.
Tadinha da Skylar... :'(
Continua??


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...