História Casamento Obrigado - Capítulo 108


Escrita por: ~

Postado
Categorias Austin Mahone, Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Austin Mahone, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui
Tags Ausmila, Camaustin, Joseph Morgan, Michele Mahone, Romance
Exibições 81
Palavras 1.325
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oh god, sim, é capítulo triste, continuaremos assim por mais alguns poucos capítulos ai. Kkk falei merda, mas entendam por que agora é duas da madrugada.

Boa leitura Honey's! 😜💙

Capítulo 108 - 108° Capítulo


Austin P. O. V.

Estou indo ver meus bebês, eles precisam de mim, estou com saudades também.

Dona Maria- Qualquer coisa, eu te ligo, meu filho! - nos abraçamos.

Eu- Obrigado, dona Maria! - olhei as horas no relógio da parede, quase seis da manhã.

Dona Maria- Vai te fazer bem dormir, comer algo decente, ver seus filhos... - assenti.

Eu- Sim... Acho que vou ser obrigado a contar à elas a verdade.

Dona Maria- Espero que entendam! Diga a elas que estou mandando um grande beijo!

Eu- Digo sim, e mais uma vez, muito obrigado! - ela sorriu.

Dona Maria- obrigada você por cuidar tão bem da minha filha, sei que a ama muito e está muito mal com isso tudo.

Eu- Estaria mentindo se negasse isso, mas me sinto culpado. Era pra mim essas balas, Camila se jogou na minha frente.

Dona Maria- Camila sempre sendo impulsiva, mas ela te ama, por isso fez tal ato. - sorriu. - Mila é uma pessoa de ótimo coração! - desta vez, eu que sorri.

Eu- Uma das melhores pessoas que eu conheço! - nossos olhos começaram a lacrimejar. - Bem, vou vir no final da tarde, no último horário de visitas, se der para vê-la, me avise, por favor!

Dona Maria- Claro, meu filho! - nos despedimos com um beijo na bochecha.

Ally chegou no corredor, segurando seu casaco, me abraçou, ela estava rezando.

Ally- Vai ficar tudo bem! - com certeza ela dizia isso mais à ela, do que para mim, chorava compulsivamente no meu ombro.

Eu- Sim, vai ficar! Teremos fé! - passava as mãos em suas costas.

Ally- Se quiser, posso ficar a noite com as meninas e o Carterzinho... - sorriu, Camila fala somente "Carterzinho". - Sei que estão com a Milka, mas ela deve estar cansada.

Eu- Obrigado Ally! Eu quero sim, eu já vou! - novamente me despedi delas.

Fui para o meu carro, assim que fechei a porta do carro, comecei a chorar, não consigo ser tão forte assim. Mas tenho que ser forte para os nossos filhos, eles tem que saber que a mãe deles está no hospital, se recuperando, mas que logo estará em casa.

Comecei a dirigir até nossa casa, sequei minhas lágrimas, estava começando a amanhecer. Um dia lindo se formava, cheguei em casa.

A sala iluminada, o cheiro de torradas fez minha barriga roncar, segui o cheiro, na cozinha. Milka fazia o café da manhã, cantarolava algo indecifrável, Milka é péssima cantora, comecei a rir.

Milka- Oh, Austin! - correu para me abraçar. - Como está a Mila?

Eu- Ontem fez a remoção das balas e está se recuperando. - ia pegar uma torrada, mas Milka deu um leve tapa na minha mão, me repreendendo. - O quê?

Milka- Lavou as mãos, querido? - me cheirou. - Hum... Está precisando de um banho, não acha?

Eu- Estou indo, mandona!

Fui para o meu quarto, não gosto nem de olhar, tudo tem as coisas da Mila, tudo me faz lembrá-la. Tomei um longo banho, sentindo-me mais leve com certeza.

Deitei na cama, após me vestir corretamente, olhei para o lado, nossas malas prontas. Camila ficou tão feliz com a viagem, no outro dia em que contei a ela sobre, a mesma fez mil e um planos para dar tempo de visitar tudo que ela sempre sonhou conhecer.

Flashback on

Estava deitado com Camila sob meu peito, ela não parava de falar, eu amo ouvi-la, é um som tão agradável, confortante para meu coração.

Camila- Aonde você quer ir, vida?

Eu- Hum... Não sei... Mas se quiser te levo em todos os lugares que conheço em Paris. - ela me olhou com os olhos brilhando.

Camila- Você foi para Paris?

Eu- , muitas vezes na verdade... - ela ficou de quatro em cima de mim.

Camila- Como você pôde?

Eu- O quê? - falei rindo.

Camila- Nunca me falou nada...

Eu- Não achei importante, olhe meu passaporte então. - ela riu.

Camila- Enquanto eu nem havia saído desse estado antes da nossa viagem para Barcelona. - voltou a rir.

Eu- Quais lugares visitou por aqui?

Camila- Bem... Na minha formatura do colegial, a minha mãe e o meu pai, levaram eu e a Ally na praia da cidade vizinha a essa. Foi muito legal, eu dei hidratante para Ally em vez de protetor solar. Ai viu, não é? Ela virou uma pimenta nanica. - rimos.

Eu- Se ela te ouvisse falar dela assim...

Camila- estaria morta, com certeza! - voltou a deitar sob meu peito. - Michele falou para irmos no Museu... Orangeri... - se enrolou para falar, tive que rir. - Ah, você entendeu! - se emburrou.

Eu- Musée de l'Orangerie! - ela assentiu.

Camila- Esse mesmo! - revirou os olhos por eu saber.

Eu- Podemos ir! - fiz carinho em seus cabelos, ela se encolheu e beijou meu peito.

Camila- Sabe vida... - me olhou. - Eu amo a nossa vida! - sorriu. - Nunca pensei que iria estar assim com alguém, ter filhos, uma família como a nossa... - novamente beijou meu peito.

Eu- Também amo a nossa vida, na verdade, eu sempre sonhei com isso! Sonhava em ser igual ao meu pai, ter uma família como tínhamos. Acho que é por isso que me apaixono rápido pelas pessoas, sempre tentava ter um compromisso sério com alguém.

Camila- Ainda bem que esse contrato nos juntou, não iria suportar gostar de você casado com outra. - levantou a cabeça e nos beijamos.

Flashback off

Abri os olhos, percebi ter cochilado, ouvi batidas na porta. Levantei e abri a porta, me abaixei abraçando os dois seres pequenos à minha frente.

Eu- Senti tanto a saudade de vocês, minhas princesas! - beijei a testa de cada uma.

Sophia- Nós também, papai! Aonde está a mamãe? - olhou para o quarto, vazio.

Larissa- Eu quero a mamãe! - fez sua expressão tristonha, acompanhada de Soph.

Eu- Temos que conversar! Mas primeiro, vamos comer, ver muitos desenhos, brincar bastante. Pode ser?

Larissa/Sophia- Pode! - saímos da porta do quarto, indo até o quarto de Carter.

Ele estava dormindo ainda, peguei-o no colo, desci com os três para tomar café junto da Milka. Sentamos nas cadeiras, Milka só me olhou, como se soubesse que eu iria contar.

(...)

Perto das quatro da tarde, chovia lá fora, Milka estava dormindo com o Carter, as meninas não desgrudavam de mim por nem sequer um minuto.

Eu- Princesas! - elas me olharam, mas ainda prestavam um pouco de atenção no filme da Cinderela. - Vamos conversar?

Sophia- Agora, papai?

Eu- Sim, agora!

Larissa- É sobre a mamãe?

Eu- É sim! - limpei a garganta. - Bem, a mamãe está doente e... - tenho que pensar em algo que elas entendam. - Ela tem muitas vacinas para tomar, então vai ficar por mais tempo no hospital, entendem?

Larissa- Não vamos poder ver ela?

Eu- Não sei... Talvez amanhã...

Sophia- Mas eu quero ver ela hoje, agora!

Eu- Mas não vai ser possível, temos que esperar ela ficar bem!

Larissa- Dá remédio para a Mamãe, papai! - seus olhinhos se encheram de lágrimas.

Eu- Ela precisa de mais do que um remédio, pequena!

Sophia- Trás a mamãe para casa, papai. Por favorzinho! - juntou suas mãozinhas, implorando, Larissa fez o mesmo.

Larissa- Eu estou com saudade dela, papai!

Elas começaram a chorar, soluçavam desesperadas.

Eu- Farei o possível para ela vir rápido pra casa, certo?

Elas assentiram, ainda chorando.

Larissa- Certo...

Eu- A tia Ally vai vir ficar com vocês! - abracei-as, beijei novamente seus rostinhos.

Me despedi do Carter também, avisei Milka que já iria ver Camila. Ally chegou no momento em que ia sair, ela é a melhor pessoa para deixar as meninas um pouco mais relaxadas neste momento.

Vou direto ao hospital, só espero poder ver Camila, espero que ela esteja melhor depois da cirurgia. Eu quero a minha "vida" de volta. Minha vida chamada Camila!


Notas Finais


Comente se gostou da Bad, estou nessa dai a semanas, vai saber o por que não é... Beijinhos Honey's! 💙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...