História Casamento Por Conveniência - Capítulo 74


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Tags Camila Cabello, Camren, Lauren Jauregui
Exibições 498
Palavras 1.581
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Bom meus amores, estamos no fim.
Direi mais no final.
Até logo.
Boa leitura.

Capítulo 74 - Capítulo 74


Fanfic / Fanfiction Casamento Por Conveniência - Capítulo 74 - Capítulo 74

O sol havia se escondido um pouco causando uma sensação maravilhosa de luz e frio, Nicolas observava o rio em baixo da ponta pela janela do seu carro um Porsche Cayenne preto que ele havia ganhado de suas mães em seu aniversário de 18 anos que havia sido ano passado. Logo o sinal abriu e ele continuou seu caminho o relógio marcava 19:50 ele chegaria exatamente no horário marcado, ele adorava brincar com a pontualidade, estacionou observando a garota saindo do prédio e se aproximar.

- Você ganhou mais uma vez. – Uma garota de cabelos castanhos e ondulados entrou no carro sorrindo enquanto dava dez dólares ao irmão que guardou o dinheiro e saiu indo para seu próximo destino. - Parece que ouviu meus conselhos... – Pegou uma barra que estava no porta luvas e abriu a embalagem saboreando daquele pedaço de chocolate. – As pessoas são mais felizes quando comem.

- Você já me disse isso hoje. – Olhou brevemente para a menina sorrindo, isso era uma coisa que eles faziam sempre sem motivos, sorrir...

Lena estava no seu primeiro ano na universidade de fotografia enquanto Nick já cursava o segundo de psicologia, toda noite depois de sair de sua universidade ele ia buscar sua irmã depois seu primo Jordan, filho de suas tias Normani e Dinah já que as casas eram umas próximas das outras, mas hoje havia mais um marujo, Brandon de onze anos sua mãe Allyson iria precisar ficar até tarde no trabalho igual seu marido Troy então pediu para o menino ficar com eles.

- Boa Noite. – O garoto loiro de olhos azuis entrou no carro ele era tímido, porém isso aumentava ao chegar perto de Lena já que ele tinha uma “paixão” secreta não tão secreta já que ela sabia.

-  Olá Brandon, como foi seu dia? – Tentou puxar assunto se virando para olhar o garoto que agora estava com os olhos focados em sua revista em quadrinhos, ele não conseguia olha-lá.

- Bom, obrigado. – Ela se conformou apenas com aquelas palavras e voltou a sua postura normal e pegou seu celular abrindo a caixa de mensagens vendo que havia três mensagens de sua namorada, sim namorada, Lena namorava nada mais nada menos que Miranda Vives filha das melhores amigas de suas mães.

Mensagens On.

Bebê: Lena Amor, você já está vindo?

Bebê: Minhas mães vão sair com as suas, vou dormir com você hoje.

Bebê: Ou não...

Lena. J: Estou chegando. <3 safada.

Mensagens Off.

Balançou a cabeça negando não que elas fossem duas safadas, mas como um casal havia coisas que eram feitas.

Mais uma parada e agora o último passageiro, Jordan um moreno alto com uma barbicha no queixo e olhos verdes, com o corpo musculoso por conta do esporte que praticava entrou no carro.

- Família, as patroas vão curtir hoje, então vai rolar festa. – Começou a fazer movimentos com os braços dançando.

- Temos que tomar conta do Brandon. – Nicolas falou ao primo que parou de dançar no mesmo momento vendo que o menino estava do outro lado do carro na janela.

- Loirinho, eai. – Fez um toque de mãos com ele, basicamente Allyson e sua família faziam parte da família então era como se Brandon fosse primo deles.

Em cerca de 20 minutos eles chegaram na casa dos Jauregui’s quando o Jauregui ruivo estacionou todos começaram a pegar suas mochilas e sair em direção a sala e logo Lena avistou sua namorada que estava sentada no sofá assistindo algo.

Andou rapidamente e deixou um beijo em sua bochecha fazendo a mesma sorrir e abraça-lá puxando para seu colo, Jordan passou empurrando a cabeça de Miranda que levantou o dedo do meio e recebeu um tapa no ombro em desaprovação por fazer essas coisas na frente de uma criança.

- Brandon, Oi. – Levantou a mão acenando para o menino que apenas balançou a cabeça indo para o outro sofá ligando seu celular e começando a jogar. Mirando olhou confusa para a namorada ela não entendia por que o garoto a tratava daquela forma e cada vez mais tentava se aproximar.

- Elas deixaram a janta pronta, quem quiser e só pegar, eu preciso arrumar uns papeis que nossa mãe pediu, qualquer coisa estou no escritório. – Nick saiu da sala e foi até o escritório.

Sua mãe havia acumulado muitos documentos com o tempo, contratos, papeis e precisava jogar alguns fora então pediu para ele lhe ajudar.

  Já parou para pensar que aquilo que você menos procura você acha. É se o destino de reservar se uma história que faria você entender que o amor pode brotar das formas mais improváveis e aquela paixãozinha de adolescente poderia se tornar a pessoa da sua vida.

  Em uma das gavetas trancadas que Nicolas conseguiu abrir ele tirou de lá uma caixa com um livro dentro com uma capa preta pensou que devia ser mais um dos contatos de sua mãe então resolveu abrir para ver, só que as primeiras páginas não se pareciam nem um pouco como um livro de contratos.

“Quando olho em seus olhos

É como observar o céu de noite

Ou um belo amanhecer

Eles carregam tanta coisa”

  Estava entre parênteses em uma folha em branco como se fosse o sumário de uma primeira página do livro. Curioso virou a página e lá começou a história de suas mães  a cada palavra que lia ele entendeu o porquê de conhecer o amor da forma que conhece hoje em dia que foi ensinado para ele porque o amor foi algo impossível que se tornou possível para elas quem iria imaginar que no começo de tudo sua mãe era uma pessoa arrogante que rejeitou um beijo da mulher que hoje em dia não passa um dia sem tocar seus lábios nos dela, a mulher que recusava qualquer contato carinhoso com outro ser humano, a mulher que tinha um peixe de estimação não que isso fosse algo ruim mais ela nem sabia que nome dar ao seu peixe e  agora ela dava nome aos seus filhos.

  Ele percebeu que o amor não são apenas momentos felizes momentos ou românticos, mas sim que o amor é sofredor, dói, corrói sua alma por dentro, mas só assim para sua alma ser reconstruída quando aquela pessoa seu lado que passou por todos esses momentos com você lhe ajuda. Amor não é só ser feliz com pessoa, mas sim ser triste chorar sorrir é saber que você vai ter sempre ela para de apoiar a qualquer momento a qualquer estação saber que você conheceu várias pessoas teve várias experiências mais aquela foi a sua melhor experiência amar é a melhor experiência. O que é viver uma vida sem poder amar.

  Um sorriso brotou em seu rosto ao perceber a forma que sua mãe descrevia os sentimentos envolvidos ali a forma que ela descrevia quando ouviu pela primeira vez quando conheceu aquele bebê branquinho de olhos verdes e cabelos ruivos o desespero que abateu por não saber o que fazer mas mesmo assim algo dentro dela que pedia para ela cuidar dele isso que batia dentro dela é o amor por uma criança desconhecida que hoje é um dos motivos de sua felicidade.

  E também o amor que ela demonstrava só por ele, mas por sua irmã.

  No final a última página era que estava um envelope grudado. Ele abriu envelope tirou um documento de dentro e começou a ler o mesmo no final tendo assinatura das duas voltou seu olhar ao topo da página e percebeu que era um contrato de um casamento, um casamento por conveniência.

Aonde a história realmente começou, com interesses financeiros onde ninguém imaginava que de lá poderia surgir algo tão forte que muitas pessoas ainda não tiveram o privilégio de sentir.

- Estarei aqui esperando pacientemente, não desistirei de nós, mesmo que os céus fiquem violentos, estou lhe dando todo meu amor. – Assustou – se é virou-se em direção a porta onde viu a imagem de suas duas mães agora no auge de seus 44 e 43 anos, a festa havia acabado cedo por problemas técnicos então elas decidiram voltar para casa e quando foram procurar pelo garoto que faltava no meio dos outros viram que ele estava com o livro na mão e Lauren não conseguiu se segurar e recitou a última frase do livro.

- Eu comecei a escrever esse livro pouco antes de você chegar nas nossas vidas, foi uma forma de deixar nosso amor sempre vivo, mesmo depois de morremos, o livro ainda vai permanecer. – Foi a vez de Camila falar enquanto abraçava a sua esposa que apoiava seu queixo na cabeça dela. – Por que enquanto as pessoas lerem elas vão lembrar. – Continuou.

-Assim ele nunca será esquecido... – Olhou para o livro em suas mãos e depois para suas mães e sorriu, demostrando que se dependesse dele elas nunca seriam esquecidas.

- Trouxemos pizza. – A latina avisou ao garoto que se levantou assentindo e foi até as mães beijando as bochechas de cada uma e seguiu para sala, deixando as duas para trás, logo elas foram em passos lentos até o local aonde era possível ouvir várias vozes animadas, a cena mais linda que poderia ser imaginada, ali estavam a Dinah, Normani, Lucy, Vero, Miranda, Jordan, Brandon, e seus filhos todos no chão comendo pizza enquanto contavam piadas que pareciam ser tão engraçadas pela altura das gargalhadas.

 

As duas observavam aquilo com grandes sorrisos nos lábios era para isso que elas estavam vivendo e a vida valia a pena por esses motivos.

 


Notas Finais


Bom, quero agradecer a todos que acompanharam a historia, sei que nem todo os capítulos os agradaram, mais espero que a maioria tenha.
Pois me sinto realizada com esse trabalho, busquei montar uma estrutura totalmente diferente, com personagens não Eugênios, demorou um pouco para rolar o amor? sim! pois nem sempre o amor chega de primeira.
Vocês com certeza me marcaram com seus comentários, ou apenas com suas visualizações, eu agradeço de coração.
Um grande beijo a todos, isso não e um adeus, mas sim, um até logo.

Twitter : @MorgadoA4


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...