História Casamento por conveniência - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Capitão Killian "Gancho" Jones, Cora (Mills), Emma Swan, Henry Mills, Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood, Tinker Bell, Xerife Graham Humbert (Caçador), Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Once Upon A Time, Outlawqueen, Regina, Robin
Exibições 23
Palavras 1.177
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Ebaaa mais um...

Capítulo 3 - Capitulo 2



A Espanha é um lugar belíssimo isso ninguém podia negar. 
Apesar de ter nascido e vivido naquele lugar, Regina sempre ficava admirada com sua beleza. E como qualquer latina ela não era diferente, tinha o sangue muito, muito quente, não fugia da briga, e não se rendia diante de nada nem ninguém.
Porem após aquela reunião, naquela tarde, Regina não conseguia admirar a beleza do seu lugar preferido e muito menos se sentia uma latina. Afinal de contas seu velho avô conseguiu coloca-la em um beco sem saída, Patrick sabia do tanto que Regina admirava o império que ele construiu, ele sabia que ela não queria deixar aquilo morrer. 
Só que o que ela não sabia, era o quanto que ele desejava que, ela se entregasse ao amor, a alguém, ele não queria que sua amada neta vivesse apenas para o trabalho, e não tivesse tempo para viver um grande amor. Um amor de arrancar suspiros, um amor que faz o coração acelerar as pernas tremerem. Tudo que ele queria para ela era um amor como o dele e da sua Gracy. E se pra isso ele teria que dar um empurrãozinho, era exatamente isso que ele ia fazer.

********************

Assim que Zelena deixou Regina em seu apartamento.
A mesma não conseguia pensar em nada que não envolvesse cláusulas e testamento. Como seu avô pôde? Era tudo que ela pensava.
Ela odiava não está no controle. 
Para amenizar a situação ela resolve tomar um banho e logo em seguida fazer um café bem forte, afinal de contas, faltava algo para ser enfrentando.
A carta deixada pelo seu avô. 
Meia hora depois ali estava, aquela poderosa mulher, que neste exato momento estava reduzida a nada, sentada na varanda do seu luxuoso apartamento, ela olhava para o nada, enquanto segurava a carta em suas mãos. E num impulso, ou agindo talvez no automático, Regina rasga o envelope e cria coragem para ler a carta.

"Minha querida Regina, eu sei que você pode está triste com minha partida, porém tive que ir, minha Gracy estava me esperando e você sabe como são as latinas.-Regina sorri- Também sei que provavelmente meu testamento já foi lido e você nesse momento deve esta com uma fúria tremenda-E estou mesmo, pensou ela- Mais entenda minha filha, eu sei que você amou o Daniel, eu via nos seus olhos o amor por ele, mais também via o medo de se magoar. Você não teve culpa dele ter seguido em frente, até por que a vida tem que seguir seu curso. Porém meu anjo, na vida existe amores e amores, e existe o AMOR, aquele amor seu, dedicado a você. E mesmo que você não aceite o seu não era o Daniel. Aquilo não era recíproco e no final você iria sofrer. E apesar de você dizer que não, eu sei que você colocou o trabalho no vazio que ficou. Por isso coloquei aquela cláusula no testamento. Meu anjo eu não quero que você se ocupe com o trabalho e esqueça de viver, esqueça que o seu AMOR está por aí te esperando. Então já que você não quer encontra-lo por conta própria,  eu resolvi te dar um empurrãozinho, possa ser que você o encontre e não o aceite, afinal de contas  ele tem que ser um guerreiro capaz de derrubar suas paredes, eu sei que ele vai te irritar a princípio, por que você provavelmente não vai aceitar o amor assim facilmente, mais ele também vai te fazer sorri. Então aproveite seus SEIS MESES e o encontre, ou deixe que ele encontre você.
Com amor seu vovô." 
Após o fim da carta, lá estava uma Regina chorosa, durante vinte minutos ela colocou pra fora em forma de lágrimas toda frustração, e tristeza, 
Ela expulsou Daniel e deixou seu lugar vazio, no fundo ela sabia que seu avô tinha razão. Se ela continuasse com Daniel ela iria sofrer. O amor não era recíproco e só ela não podia amar por dois. No final ela chegou a conclusão que foi melhor assim.
Depois de tanto pensar sobre o que seu avô disse, Regina levantou sorriu e decidiu deixar a vida seguir seu curso. 
Diferentemente do que sua família podia esta pensando. Ela não ia sair correndo atrás de qualquer um só para assumir a empresa. Se o amor tinha que chegar na sua vida ele teria que acontecer com o tempo, teria que derrubar suas paredes.
Mesmo que isso demorasse mais que seis meses.
Mal sabia ela que Angus ainda escondia algo sobre o testamento. Ele não podia revelar ainda, pois recebeu ordens do falecido e astuto Patrick.

************************
Dias depois Regina volta a sua rotina e seu trabalho. Apesar da cláusula, ela ainda era responsável por decisões tomadas pela empresa, assim como todo o Clã Mills. 
Enquanto estava na sua sala, ouve batidas na porta.
-Pode entrar.
-Bom dia minha menina-Diz Henry enquanto vai até ela para beijar-lhe a buchecha.
-Bom dia papai, então o que temos pra hoje?
-Você lembra que antes de morrer o Patrick comentou sobre um empresário que queria abrir um franquia de um dos hotéis em Londres? 
-Sim, porém como  ele não comentou mais, dei o assunto por encerrado. 
-Então o rapaz me ligou hoje, ofereceu seus pêsames, e perguntou sobre esse negócio, se ainda estava de pé.
-Bem se ele demonstrou interesse, e era uma coisa que o vovô já sabia, não vejo por que não continuar.
-Ele falou que era só um teste, era uma área que ele não tinha negócios mais que queria tentar,  ele vem pra cá semana que vem pra uma reunião. Tudo bem pra você?
-Por mim tudo bem sim papai.
-Ótimo vou marcar tudo, não precisa se preocupar. Agora fugindo da empresa você vai para o jantar na Zelena?
-Sim ela disse que tinha uma surpresa, eu não perco por nada. 
-Te vejo lá então menina. 
-Tá bom papai. 
Assim que Henry sai da sala, Regina liga para uma amiga, ela precisava sair hoje e beber muito. Estava com a cabeça cheia e precisava relaxar.
Após alguns toques do celular, a amiga atende.
-Alô Mary?
-Oi fofinha.
-Arg não sei por que você ainda me chama assim. 
-Por que eu gosto e quero e há você não manda em mim. Diz o logo o que você quer FOFINHAAA.
-Vamos sair hoje, pra beber? 
-Nossa tá precisando extravasar amiga?
-Você não tem ideia, quando te ver conto tudo. 
-Ok fofinha, vou ligar pra Emma e a Bella. 
-Gracias sua maluca, não ia ter tempo de ligar pra elas mesmo. Então vai ser assim...
-Lá vem a mandona.-Diz Mary a interrompendo.
-Sua chata, não sou mandona só gosto de ordem e organização. Então vou jantar com a Zel e quando sair da casa dela vou encontrar vocês naquele barzinho. Huum deixa eu ver...-Olha para o relógio e pensa- Lá pelas 23:00 pode ser?
- Claro fofinha, te vejo lá, besos
-Besos
Após encerrar a ligação Regina decide adiantar o trabalho para sair mais cedo e como a hora voa já já ela teria que ir almoçar. 


Notas Finais


Espero que tenham gostado!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...