História Casos do Acaso - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7
Personagens Jackson, J-hope, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Yoonseok Sope Pwp
Visualizações 18
Palavras 2.540
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Não sei se fico feliz ou triste por chegar nessa parte da história VEI... Meu xodó </3 ;_;

Olha, a Fic tem uma parte importante de Física, e pra não ficar muito chato eu dou a maior enxugada possível no assunto que posso.

Capítulo 4 - Eu + Hoseok = ?????


E aprendeu isso muito bem, pois na próxima história que irei contar ele não me obrigou, ele pediu e tudo que posso dizer lhes é que amar é fácil, é só correr o risco.


Meio assustador, meio animador. Dizem que o amor é assim.


“Estamos próximos de meu aniversário, o que não é exatamente algo a se comemorar sendo que estou apenas um ano mais perto de morrer… Qual a graça disso?


Aniversários são algo que os outros aproveitam muito mais do que você, você normalmente se estressa com a vida planejando e os outros ainda ficam te lembrando de tudo e comendo comida grátis.


Vendo pelo lado lógico da vida ao nascer você divide seu aniversário com mais de 17 milhões de pessoas. Durante os nossos 10 anos na escola se tem uma média de 17 amigos, quando se chega perto dos 40 anos esse número terá diminuído para 2. Em seu corpo crescerão 950 km de pêlos… Sempre me dizem coisas como “Você é muito pessimista!” ou “Se anime! Você só faz vinte e quatro anos uma vez!” obrigado capitão óbvio! Só de faz 26 um vez, do mesmo jeito que se faz 15, 18, 32 uma vez também! Então porquê um aniversário precisa ser mais importante que outro?


Eu mal cheguei à universidade e… Tive paz.


Okay… Isso está muito estranho? Cadê o Taehyung? Será que a comemoração de um mês de namoro dele e do Jeon foi tão forte que não pode levantar e vir a escola hoje?


E o Hoseok? Ele não tem me acompanhado até em casa ultimamente e nem tenho o visto pelo campus.


Quem sabe foi sequestrado.


Mas talvez isso não seja de todo ruim, posso pensar no meu trabalho assim… Não não o entreguei ainda. A data está próxima e estou apenas na metade.


Cheguei na parte que muitos consideram “chata” por ser a parte dos cálculos.


Os cálculos envolvendo a Teoria do Caos são utilizados para descrever e entender fenômenos meteorológicos, crescimento de populações, variações no mercado financeiro e movimentos de placas tectônicas, entre outros.


Edward Lorenz durante a sua pesquisa dos sistemas dinâmicos, elegeu três equações que acabaram por ficar conhecidas como Equações de Lorenz para representar graficamente o comportamento de sua teoria.


Se considerarmos duas atmosferas quase idênticas extremamente próximas, rapidamente as duas se separam de maneira significativa: ambas atmosferas tornam-se completamente diferentes. Lorenz pôde constatar, no seu modelo, a dependência sensível das condições iniciais, o caos.


Mas o mais interessante, partindo de um grande número de ambientes virtuais, embora meio loucos e pouco previsíveis, as trajetórias parecem acumular-se num mesmo objeto em forma de uma borboleta, popularizada com o nome de atrator¹ de Lorenz.


Isso é o que se considera a parte chata da coisa sabe? Mas na verdade é… Excitante.


Após escrever algumas páginas do trabalho resolvi chegar meu celular ver se não havia alguma mensagem e bem no fim encontrei.


[Você tem: 1 nova mensagem de: Acéfalo]


Hoseok: Ei Yoongi! Feliz aniversário! E como seu presente eu lhe proponho um desafio! Uma caça ao tesouro, parece besta e eu tenho certeza que você está com a testa franzida pensando “Que idiota… O quê mais posso esperar desse retardado?” não faça isso Yoon, dá rugas! E retardado é você! Você que faz física nuclear aqui! Mas voltando, quero que você vá até o lugar onde conversamos pela primeira vez e encontre sua primeira pessoa especial, acerte a pergunta dela e então vá ao próximo lugar até chegar ao fim, entendeu?! 


PS.: Sei que sua curiosidade sobre saber qual é o prêmio final irá te fazer participar ;)


[Mensagem recebida às 14:32]


Merda, ele sabe meu ponto fraco mas eu não faço o caralho de ideia de qual o dele, estou em uma puta desvantagem.


Bem, o que resta é participar! Arrumei minhas coisas na mochila e fui em direção a biblioteca onde briguei com Hoseok a primeira vez.


Fui andando até a entrada principal da biblioteca e encontrei Jackson sentado nos degraus murmurando algo de cara fechada, mas sua expressão mudou para alívio ao me ouvir chamar seu nome.


Prefiro não questionar porquê Jackson é minha “pessoa especial”.


— Yoongi! Amém, já pensei que você não viria! — Ele se pôs em pé e tateou suas roupas atrás de um papel o qual ele me deu — Meu trabalho está feito.


Arqueei uma sobrancelha o observando o papel que ele havia me dado e o abri lendo as escritas:


“Hey! Quer dizer que você realmente veio?! Não sabe o quanto isso me faz feliz e me deixa nervoso ao mesmo tempo.


Mas certo, na próxima você deve pensar como físico (ou como fã de Pink Floyd): em um prisma quando o raio de luz atravessa o prisma e o índice de refração do ar é menor que o do prisma ele tende a aproximar da normal correto? E quando vai do prisma que é o meio mais para o ar que é o menos tende a afastar da normal. Com esse pensamento, alguns raios de luz tem maior índice de refração sofrendo maior desvio. Quando a luz branca entra no prisma, é decomposta em sete cores sendo elas vermelho, alaranjado, amarelo, verde, azul, anil e violeta respectivamente, como vermelho tem menor índice sofre menor desvio e violeta ao contrário. Sendo assim o que essas cores que partem do branco formam? E onde podemos encontrar aqui na cidade?”


Fechei o papel e encarei Jackson.


— A resposta é arco-íris porém onde podemos encontrar aqui na cidade... 


— Acho que Hoseok esqueceu que você vai ser físico não guia turístico — Jackson riu revirando os olhos e completou — A ponte Banpo Yoongi.


Sorri para Jackson fazendo um obrigado com a cabeça e fui em direção a ponte.


A Ponte Banpo é uma ponte situada sobre o rio Han, no centro de Seul. A ponte liga os distritos de Seocho e Yongsan. A Ponte Banpo está acima da Ponte Jamsu, formando uma ponte de "dois andares". Foi instalada em setembro de 2009 com cerca de 10.000 bocais de LED que funcionam ao longo de ambos os lados que possui 1.140 metros de comprimento.


Sendo assim, a água que ela lança está sobre os bocais de LED que formam um show de luzes, um arco-íris noturno.


Chegando na ponte desci do carro procurando minha próxima pessoa.


Ouvi a voz de Taehyung atrás de mim e virei-me imediatamente recebendo um tapa de boas vindas.


— CARALHO TAE! — Passei a mão pelo ardor de minha bochecha — É assim que recebi meus parabéns?


— Nao o parabéns é assim — Ele proferiu um beijo em minha bochecha vermelha pelo tapa — O tapa foi por você ter vindo! Agora eu terei de pagar cinquenta mangos para o Jackson! — Fiz minha melhor cara confusa para meu “amigo” para que explicasse — Eu apostei com Jackson que essa caça ao tesouro era furada e você não iria participar! Mas você veio e eu perdi dinheiro!


— Tae para de fogo no rabo e me dê logo o envelope com a próxima pista!


Meu amigo, ainda fazendo carinha emburrada, me entregou o envelope com a carta de Hoseok falando o outro local.


“Olha, não é que seu cérebro funciona para outras coisas que não são números?


Então Yoongi, na próxima eu quero que vá até onde foi nosso passeio de fim de ano como formandos do ensino médio e lembre do brinquedo em qual houve aquele pequeno incidente.


Fácil não?”


Quando levantei os olhos do bilhete Taehyung não estava mais lá.


Nosso passeio foi em Everland, inaugurado em 1976 sendo o primeiro parque de diversões da Coréia, sendo principal ponto turístico para famílias, amigos e… Casais.


Sinceramente o que Hoseok quer me levando de um canto a outro da cidade eu não sei, mas está sendo um ótimo passa tempo.


No que se refere ao incidente, ele fala de quando fomos na montanha russa de lá em nosso passeio… Hoseok é um cagão, quando ele namorar vai ser a garota que vai matar os insetos.


Digamos que aquelas fotos que eles tiram durante o percurso da montanha ficou marcado com as lágrimas do Hoseok… E o banco ficou marcado com outra coisa.


RI lembrando-me da cena e parando em frente a montanha russa, bom ninguém a vista e me recuso a acreditar que errei o local.


Fui andando um pouco distante do brinquedo até uma árvore que havia ali cheia de papéis amarrados, sei que isso é um costume mais japonês do que qualquer coisa mas… Ah vai, é bonitinho.


— Hyung! — Só um pessoa dentre o círculo de amizades que ando tendo é educada assim.


— Jungkook, você é minha última pessoa especial?


— Correto, aqui está Hyung — Ele sorriu mostrando os dentes de coelho e me entregando o envelope — Espero que goste da surpresa.


— Eu também espero… — Murmurei abrindo o envelope e lendo o bilhete mais curto até agora:


“Então quer dizer que meu tempo para me preparar acabou? Certo…


Não vou prolongar muito nesse bilhete, volte para casa que assim poderei entregar o seu tesouro.”


Bem, isso foi consideravelmente rápido, tirando que fui para três extremos da cidade e a minha casa fica no quarto extremo.


Espero que tenha valho a pena...







Quando finalmente cheguei em casa a porta estava destrancada… ‘Pera… QUEM CARALHOS DEU MINHA CHAVE PRO HOSEOK?! ESPERO QUE NÃO TENHA UMA CABRA AQUI!


Abri a porta e a cena que vi foi realmente clichê sabe? Bem água com açúcar MESMO!


A porta de entrada de minha casa dá na sala, tem um caminho indo da porta, passando entre a parte de trás do sofá e uma grande estante de livros… No final desse caminho tem uma parede toda de vidro onde fica a janela e eu posso contemplar todos os mais bonitos finais de tarde.


No outro extremo de minha sala, em oposto aos sofás e a estante, tem um grande piano de cauda preto e logo após ele uma escada que leva aos quartos no andar de cima.


A escada estava coberta por pétalas de flores, sim flores no geral não apenas rosas, o que dava um aroma agradável ao local.


Como do lado esquerdo da escada estava o piano, ao seu lado direito estava um grande telão branco com a mensagem “Aperte o play”.


Sentei-me no sofá e apertei o play… Vim até aqui não é? Por que não?


Demorou um pouco mas o vídeo começou e o rosto de Hoseok apareceu na tela.


“Então Yoon… Por onde começo? Que tal pelo começo quando estávamos no último ano do ensino médio e eu tentei te chamar para a festa de formatura mas você preferiu ir com Taehyung, realmente achei que vocês estavam tendo algo naquela época então deixei baixo isso tudo.


Mas aí fomos para a mesma faculdade e eu pensei “AI MEU SANTO CARALINHO É UM SINAL DO DESTINO” porém você não se lembrava de mim, pelo menos não demonstrava e aquilo doía lá no fundo sabe? Talvez eu gostasse de você.


Mas mesmo assim: ‘Se o ama o deixe ir’ eu disse a mim mesmo. Uma frase covarde dita por todos os covardes, porém… Se você já teve a experiência de como foi isso não repita o mesmo erro duas vezes.


É isso, sei lá, eu acho que te amo. Se não fosse amor não haveria ciúmes, nem vontades, não haveria desejo, nem meu pensamento sempre em você... E muito menos um coração partido.


Sei que não é algo da idade pois ao mesmo tempo em que eu quero te comer amarrado na cama eu penso em andar de mãos dadas com você olhando nossos netos correndo por aí.


Se nós quisermos nós podemos chamar de amor, porque eu sei que estamos destinados a ser! Não precisamos achar necessariamente um nome para nós porque sabemos como nos sentimos! Pelo menos eu sei…


Se eu pudesse lhe dar algo, daria meus olhos para que você pudesse se olhar e perceber o quanto é especial para mim.


Eu sei o que vai dizer, você será racional então vou pensar mais como você okay? 


Eu sei que o envolvimento romântico, num nível biológico, serve para a procriação, e nenhum de nós quer isso. Mas… Ainda tem o aspecto social, de aprender a interagir com alguém, e convenhamos que você não faz isso muito bem mas eu sim… Posso lhe ajudar, os opostos se atraem não? E está provado que a companhia romântica faz bem para a saúde; promove a liberação de endorfinas, o relaxamento muscular, maior sensação de segurança, etc… Não irei lhe pressionar Yoongi.


Apenas quero saber como seria… Um experimento sabe? Sei que não nega um desafio ‘científico’.


Então… Topa esse experimento para saber se existe ou não química entre nós? Namora comigo Yoongi?


Para responder isso, suba as escadas.”


Eu estava meio pasmo… Hoseok me ama? Sério?


Subi as escadas meio atordoado ainda e entrei em meu quarto… Que estava organizado igual o andar de baixo.


Havia muitas velas aromáticas pelo local e um grande coração feito com elas onde antes ficava meu tapete.


Não havia pétalas de flores em nenhum outro lugar que não fosse dentro do coração e, bem no meio dele, estava Hoseok ajoelhado com alianças de compromisso.


Andei um pouco hesitante até ele, tenho trauma de relacionamentos passados… Digamos que tenho dedo podre, mas isso é outra história para outro arrebol.


— Uma experiência você disse?


— Exatamente — Jung se pôs em pé e puxou meu corpo para mais perto do dele abraçando minha cintura, eu estava absorto demais para dar atenção a essa violação de espaço pessoal — E eu vou lhe dar um pequeno aperitivo de como ela irá funcionar.


Hoseok encostou seus lábios nos meus, sem pressão, apenas um beijo calmo e cheio de sentimentos… Meio minuto depois nossas bocas abriram e minha língua tocou a dele… Seu beijo tinha gosto de hortelã, o qual julgo ser de balas pois ele aparentava nervosismo.


Está comprovado, o primeiro cálculo da nossa experiência química é:


Eu Hoseok = combustão espontânea


Sinceramente? Que se foda as equações de Lorenz... A única equação que está me interessando agora é a que envolve a mim e o Hoseok que será igual a nós dois na minha cama.

Assim que nos separamos prestei um pouco mais de atenção ao rosto de Hoseok.

Olhar para ele assim, com os lábios inchados e vermelhos, olhos exalando luxúria e a boca entreaberta por não conseguir controlar sua respiração me dá uma certeza… Eu gosto dele.


— Sim, farei a experiência contigo.


Ele abriu um sorriso tão grande que jurei que suas bochechas iram rasgar… Isso comprova minha teoria: Os homens são seres condicionados pelo impacto da realidade do mundo sobre a sua existência.


— Não sabe como me fez feliz agora.


— Mas me responde algo, aquilo sobre querer me comer ‘tá valendo? — Se possível seu sorriso aumentou mas dessa vez, não era nada casto.


Naquela noite pude sentir Hoseok por completo, indo bem fundo dentro de mim. Nos dávamos prazer e se me permito dizer, sua voz ficou mais bonita gemendo e pude comprovar isso cada vez que rebolava com mais intensidade sobre seu colo… Com certeza, ele é algo que quero provar mais vezes.”


Nosso romance parece só rosas não é mesmo? Quem dera fosse… Até mesmo as mais belas rosas tem seus espinhos.


Sendo sincero me recordo de apenas um vez que brigamos de verdade… Brigávamos brincando na maior parte do tempo. As reconciliações ocorriam ou na cama - nunca vi alguém com tanto pique - ou com um Hoseok carente não me deixando estudar.


Eu sempre fui orgulhoso demais, nunca disse um pedido de desculpas sequer a ninguém, então Hoseok sempre tinha que dar o primeiro passo para tudo.


Notas Finais


Beijins~ desculpa qualquer erro


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...