História Castle - Malec - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias As Crônicas de Bane, Os Instrumentos Mortais, Shadowhunters
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Isabelle Lightwood, Magnus Bane, Personagens Originais, Ragnor Fell, Tessa Gray
Tags Alec Lightwood, Magnus Bane, Malec, Vampiros
Visualizações 149
Palavras 1.918
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 8 - The Lovers


 A porta do quarto de Isabelle abriu em um súbito, que Izzy pulou da cama, enquanto Lauren já estavas de pé. Alec estavas abraçando o próprio corpo, levavas uma expressão triste. Isabelle já sabias o motivo.

Lauren fez menção de sair dali, porém Isabelle a segurou pela mão, com um olhar que dizias "ajude-me com isso".

Alec adiantou-se pelo quarto e sentou-se na cama, as duas moças fizeram o mesmo.

- O que Magnus disses? - Isabelle perguntou.

- Brigamos, ele disses que eu não poderias querer isso - Alec disse com a voz calma, enquanto olhavas o chão.

- Podem, contar-me o que aconteceras? - Lauren pediu com a voz calma, enquanto olhavas os dois irmãos.

- Alec disses-me que pedirias para que Magnus o transformasse. Magnus ouviu, e provavelmente não gostaras da idéia - Isabelle explicou.

Lauren arregalou os olhos verdes, ela levantou-se da cama, e ficou em pé em frente a eles.

- Isto não és algo a se querer! - exclamou ela.

- Foras isso que ele disses - Alec respondeu frustado.

- E ele estás certo Alec - Lauren mordeu os lábios e passou as mãos pelos cabelos - Ninguém de nós pode escolher, se querias isso ou não. Mas você podes, e estás a escolher errado.

- Eu quero isso - Alec suspirou pesadamente - se isto é egoísmo, sou deveras egoísta.

- Você não entende - Lauren murmurou, voltando a se sentar, dessa vez, ao lado de Isabelle.

- Vocês que não entendem - Alec colocou as mãos no rosto, mas logo levantou-se.

Isabelle observou Alec sair do quarto, e respirou fundo apoiando a cabeça no ombro de Lauren..

* * *

Magnus estavas sentado na poltrona com as pernas cruzadas, e um dos livros que Alec havias lido, no colo. Ele não estavas prestando atenção de fato no livro, seu pensamento viajavas diretamente para Alec.

Logo batidas na porta invadiram o quarto. Magnus saiu de seus devaneios, e colocou o livro de lado, levantando-se rapidamente. Ele adiantou-se até a porta, e abriu-a, franzindo o cenho ao ver Alec ali.

- Desde quando precisas bater na porta de seu próprio quarto? - Magnus perguntou com a voz calma, porém a expressão ainda eras séria.

- Não sabias se querias ver-me - Alec deu de ombros timidamente.

Magnus soltou a porta e afastou-se voltando para a poltrona, onde sentou-se novamente. Alec entrou também, e fechou a porta, ficando alguns segundos de costas, encarando a porta.

- Se vieste falar sobre aquilo novamente, por favor vá - Magnus sentou-se novamente, porém não pegou o livro.

- Não foi para isso que vim - Alec virou-se calmamente, e juntou as mãos frente ao corpo.

Magnus ficou em silêncio, mas não encaravas Alec, seu olhar estavas em suas pernas cruzadas.

- Perdoe-me - Alec sussurrou ainda em pé, também olhando para baixo. Magnus continuou em silêncio, e Alec começou a desesperar-se - Magnus fale comigo.

- Tem noção do que pediras Alec? - Magnus murmurou, e Alec sentiu seu coração apertar, Magnus nunca o chamaras pelo apelido - queres que eu tire sua alma, sua vida!

- Podemos não falar disso agora? - Alec pediu abraçando o próprio corpo - só quero ficar bem contigo Magnus.

- E quando falaremos? - Magnus levantou-se sério - quando pedires novamente que eu o transforme?

- Magnus...

- Depois do que contei-lhe sobre Clarice? - a voz de Magnus estavas irritada, e Alec estremeceu - depois que contei-lhe que matei minha irmã, queres que eu faça contigo também, sem teres certeza de que eu irias conseguir parar?

- Pare!! - Alec sentiu seus olhos lacrimejarem, mas forçou-se não chorar - eu só querias ficar bem contigo, e aliás, não pedi-lhe para que me transformasse-me, não pedi-lhe nada Magnus, foras apenas um pensamento que compartilheis com Izzy, não precisas tratar-me assim, se não queres-me mais é só dizer.

Magnus encarou Alec um tanto boquiaberto, nunca havias o visto tão alterado. Por conta do silêncio de Magnus, Alec respirou fundo e virou-se para sair do quarto, porém Magnus segurou-o pelo braço e o puxou para si, fazendo-o colidir com seu corpo.

Alec arregalou os olhos, mas antes que pudesse falar alguma coisa, seus lábios foram tomados pelos Magnus.

Os braços de Alec voaram para o pescoço de Magnus, enquanto ele levantava os pés para alcançar mais facilmente os lábios do vampiro.

Toda a cautela que Magnus tinhas com os beijos, foras tomada pelo afogueamento dos corpos. O vampiro segurou na cintura de Alec e virou-o, em um milésimo de segundo o menor ja estavas prensado contra a parede gélida.

- Magnus - Alec gemeu baixinho. - tens... tens certeza?

Magnus assentiu. Mesmo vendo o receio no olhar do vampiro, Alec beijou-o novamente, sem pudor algum. Magnus chupou os lábios do rapaz, e desceu as mãos pela lateral do corpo dele, até chegares em suas coxas, onde forçou para cima, fazendo Alec ficar em seu colo.

Os dedos de Alec cravaram-se nos cabelos de Magnus, enquanto puxavas os fios levemente.

Magnus afastou-se da parede, e adiantou-se até a cama, colocando Alec deitado sem parar o beijo. Os dois tiraram os sapatos, e grudaram-se um no outro, beijando-se com cada vez mais urgência.

Alec escorregou as mãos pelo peito de Magnus, e agarrou no colete do vampiro, puxando com força para os lado, fazendo a roupa abrir-se. O Conde por outro lado, pegaras na gola da camisa que Alec vestias, e puxou-a com força, fazendo o tecido rasgar-se por completo.

Alec arfou, sua calça estavas demasiadamente apertada, o que começavas a ficar dolorido. Ele abriu vagarosamente os botões da camisa de Magnus, e jogou-a para fora da cama, enquanto suas pernas roçavam pela lateral do corpo do vampiro, e a ereção dele roçavas na sua, gritando por mais contato.

O menor segurou na nuca de Magnus, e começou a distribuir beijos pelo pescoço dele, fazendo-o soltar alguns gemidos.

As mãos firmes de Magnus agarraram a beira da calça de Alec, e mais uma vez rasgaram com facilidade o tecido, jogando-o para longe.

Alec gemeras com o ato, e isso fizestes Magnus agarrar em suas coxas. Ele tirou a calça do vampiro com certa delicadeza, e gemeu alto quando suas ereções se chocaram.

Magnus tirou as pernas de Alec de sua cintura, e virou o rapaz de bruços na cama. Ele tirou seus anéis e jogou-os na mesinha de cabeceira. Enquanto as mãos de Magnus agarraram o cós da cueca de Alec, a boca do vampiro foi para as costas do menor, começando a fazer uma carreira de chupões nas costas pálidas de Alec. Logo a cueca do rapaz foras retirada, e Magnus apertou a bunda de Alec, antes de penetra-lo um dedo sem aviso algum. Alec gemeu agarrando os travesseiros vermelhos os quais estavas deitado sobre.

Magnus começou a fazer movimentos de vai e vem, e conforme Alec gemias, Magnus penetrou mais um dedo, fazendo os gemidos se elevarem.

Ele tirou os dedos, e logo tirou também sua cueca. Inclinando-se sobre o corpo de Alec, Magnus começou a dar beijos na nuca do rapaz, antes de penetra-lo vagarosamente.

Alec gritou. Seus olhos encheram-se de lágrimas, que logo escorreram pela face, porém não eras pela dor, eras pelo prazer que aquilo trazias. Magnus começou a dar estocadas leves, e foi aumentando gradativamente, assim como os gemidos de Alec, que já estavam mais para gritos.

- Gemes para teu Conde - Magnus sussurrou.

As estocadas foram ficando mais fortes, até que Magnus estocou fortemente, acertando a próstata de Alec - Oh Conde!! - gritou enquanto se contraía no membro de Magnus, fazendo-o gemer alto e apoiar as mãos na cabeceira da cama.

Agora com um apoio melhor, Magnus continuou estocando forte, e mais uma vez Alec gritou prazerosamente, fazendo Magnus forçar as mãos na cabeceira, a qual a madeira cedeu contra a força do vampiro, fazendo um barulho grotesco.

Alec levantou o olhar, e arqueou a sombrancelha ao ver a cabeceira quebrada, porém não ligaram tanto, já que Magnus estocavas descontroladamente.

- M... Mais rápido meu Conde - Alec pediu manhoso, arqueando seu corpo para trás, em busca de mais contato.

Magnus sorriu maliciosamente. Isso não eras algo a pedir-se a um vampiro. Ele começou a ir extremamente rápido, e Alec arregalou os olhos, sem conseguir conter os gemidos sôfregos que saíam de sua boca, assim como o prazer incendiava seu corpo. Alec sentiu seu corpo estremecer, e logo sentiu seu líquido ser totalmente solto na cama, fazendo-o gemer rouco.

Magnus saiu de dentro de Alec, e deitou-se ao lado dele, puxando-o para seu colo. Alec jogou a cabeça para trás enquanto sentavas vagarosamente, fazendo Magnus gemer.

Enquanto Alec cavalgavas, o Conde começou a toca-lo habilmente. Alec não tinhas forças, mas não paravas, eras um prazer inexplicável, algo que nunca imaginaras que serias desta forma.

Ele sentiu o líquido de Magnus dentro de si, e gemeu falhado, soltando mais de seu próprio no peito do vampiro.

Assim que Alec voltou a se deitar, Magnus virou-se e sorriu malicioso, antes de afastar-se. Alec acompanhou o Conde com os olhos, até que o mesmo tomou seu membro nos lábios, e Alec gemeu rouco, jogando seu corpo para frente.

Magnus chupou com calma, em movimentos lentos, passando a língua por toda a extensão do membro de Alec.

Quando Magnus voltou para seu lugar na cama, Alec segurou seu rosto, encarando as esmeraldas verdes que eram os olhos do Conde.

- Eu te amo - sussurrou sincero, com um meio sorriso nos lábios.

- Eu também te amo - Magnus sorriu fraco e beijou Alec, só que desta vez, com calma.

* * *

Alec acordaras no dia seguinte já com um sorriso no rosto. Magnus ainda dormias do seu lado, parecias um anjo com cabelos bagunçados.

Alec levantou-se e encarou suas roupas todas rasgadas no chão. Correndo o olhar pelo quarto, encontrou o robe de Magnus pendurado ao lado do armário. Alec caminhou até lá e vestiu-o calmamente, antes de seguir para o banheiro.

O rapaz lavou o rosto, e sorriu consigo mesmo, enquanto abraçavas o próprio corpo. Ele sentiu um ventinho na nuca, e já sentias a presença de Magnus atrás de si.

- Estás muito machucado? - perguntou o vampiro.

Alec virou-se sem entender, e encarou Magnus. O mesmo estavas apenas de calça, com o peitoral definido a mostra.

- Do que estás falando? Eu não...

Magnus negou com a cabeça e afastou o robe do ombro de Alec, revelando marcas vermelhas e roxas no local, marcas de dedos. Alec engoliu seco, e olhou Magnus, que negou com a cabeça e levantou a barra do robe. Alec olhou e suspirou ao ver as mesmas marcas em sua coxa.

- Se serves de alguma coisa, foras a melhor noite da minha vida - Alec murmurou de cabeça baixa.

- Foras a melhor noite da minha vida também, Alexander - Magnus respondeu puxando o rapaz pela cintura - mas não queria machuca-lo, e machuquei.

- Não machucou - Alec ajeitou o robe em seu corpo - fez-me seu Magnus, foras minha primeira vez, estou feliz. Pare de tentar mudar isso.

- Não quero mudar isso, Alexander - Magnus respondeu ainda colado ao rapaz - apenas desculpe-me. E achas mesmo que não estou tão feliz quanto você?

- Você não precisas ser desculpado por nada, pare com isso, estou bem meu amor, maravilhosamente bem - Alec sorriu com as bochechas levemente vermelhas.

Magnus sorriu de volta e beijou a testa de Alec, antes de abraça-lo contra seu corpo.


Notas Finais


oh na na na 🌝🎶


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...