História Cat and vampire - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Tags Chanbaek, Híbrido, Kaisoo, Kristao, Magia, Romance, Sulay, Vampiro, Xiuchen
Exibições 88
Palavras 1.868
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Comédia, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Fluffy, Luta, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Sobrenatural, Super Power, Universo Alternativo, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Σ(´∀`;)

Capítulo 4 - Primeira lembrança



   Terminei de me arrumar e saí do quarto. Peguei meu material, desci as escadas correndo e tropecei no penúltimo degrau, caí de cara no chão.


- Merda colorida e brilhante de unicórnio cor de rosa, por que desci essa caralha correndo? Baekhyun, você tem problema? - briguei comigo mesmo.


- Bacon, você caiu da escada? - Chanyeol disparou à rir - E você fala sozinho?


- Caí, eu converso comigo mesmo, algum problema com isso? - levantei - Droga, minha perna agora tá doendo...parabéns pra mim. - o idiota ainda ria da minha situação.


O celular do vampiro idiota e careca começou a tocar, a música era irritante.


- Alô? Yang? Sobre o nosso encontro? Certo... - Chanyeol sorriu e eu dei um passo em direção à porta e um gemido de dor escapou por meus lábios, dei mais um passo e gemi novamente, meu tornozelo doía muito, mas não iria ficar escutando a conversa do tarado, tentei andar de novo e consegui chegar até a porta. - Combinado, te busco às seis horas...também estou ansioso...é...- o vampiro me encarou com surpresa quando saí da casa. Acho que o coitado pensou que eu ia esperar ele pra ir para a sala.

 

 


��������������������������������

 

 


Eu tinha que usar toda a força que possuía para conseguir andar.


- Ai...ai - apoiei-me na parede e respirei fundo.


- Hey! Tudo bem? - um rapaz que passava por perto perguntou.


- Não estou bem....caí da escada e não sei aonde fica a enfermaria - desabafei.


- Eu posso te levar até lá - disse.


- Sério? - perguntei.


- Claro, é sempre bom ajudar, agora vamos cuidar desse tornozelo...se quiser pode ficar apoiado em mim - sorriu de um modo adorável.


- Muito obrigado! Você é um anjo - agradeci e segurei em seus ombros.


- De nada - riu.


No caminho da enfermaria conversei, brinquei e fiz amizade com meu salvador e ele era realmente um anjo.


- Chegamos! O responsável daqui é bem legal, ele é meu amigo - contou.


- Chen, você se machucou de novo? - um homem vestido com um jaleco branco perguntou saindo de um quartinho.


- Eu não, mas meu amigo caiu da escada e machucou o tornozelo - falou.


- Amigo? Oh! Você é tão fofo! - se aproximou de mim.


- Obrigado - corei.


- Meu nome é Lay e sou o responsável por todo esse lugar - sorriu.


- Sou o bac...digo...Baekhyun - me apresentei.


- Certo, hora da consulta - avisou.


- Agora que já se conhecem...vou encontrar meu namorado, até depois - Chen se despediu.


- Até - Lay e eu falamos juntos.


- Sente e relaxe - disse.


- Aonde eu sento? - questionei.


- Em qualquer lugar - falou calmamente.


Sentei em um banquinho e Lay usou uma magia de cura e pronto, toda a minha dor sumiu.


- O gatinho que caiu da escada já pode ir para a sala - o curandeiro ajudou-me a levantar.


- Obrigado - curvei-me.


- De nada, que as sereias cantem uma linda canção para o meu novo amigo gato - falou e apertou minhas bochechas.

 

 


������������������������������

 

 


Fui para a sala e não encontrei nenhum rosto conhecido, procurei um lugar para sentar. Uns minutos depois o sinal tocou e o professor entrou.


- Olá turma, meu nome é Junmyeon e sou o professor de história da magia e espero que possamos nos dar bem. Não quero ser apenas um professor, quero ser amigo de vocês e para dar início à nossa amizade me chamem de Suho - falou sorrindo.


A porta foi aberta e o ser mais idiota do mundo entrou na sala.


- Desculpe o atraso - Chanyeol desculpou-se e a sala inteira explodiu em gargalhadas.


- O que houve com o seu cabelo? - professor Suho questionou segurando a risada.


- Digamos que um ser revoltado me amaldiçoou - olhou para mim, desviei o olhar e encarei a janela.


- Bem...pode sentar - o professor riu.


O vampiro sentou ao meu lado.


- Como vai a perna? A dor melhorou? - indagou.


- Sim, fui na enfermaria - contei.


No meio da aula o professor teve que resolver uns problemas e aproveitei para dormir. 


Entrei no mundo dos sonhos. O lugar onde eu me encontrava parecia uma escola e várias crianças corriam e brincavam, porém uma criança chamou minha atenção, ela estava sentada no chão sozinha e aquela criança era eu. Meu sonho mudou e minha versão criança caminhava por um parque muito bonito, as árvores possuíam folhas de diversas cores e tonalidades, a brisa era suave e balançava os fios rosas do filhote de gato e mago. Tudo ao redor dele parecia grande e perfeito. 


- Baek! Rápido! - uma voz infantil gritou.


Olhou ao seu redor para tentar encontrar o dono daquela voz.


- Baek, eu 'tô aqui - um garoto de cabelo castanho e sorriso retangular saiu detrás de uma árvore pulando na frente do mini Baek, ele parecia familiar - Você 'tá muito perdido e distraído esses dias...aconteceu algo? Alguém te perturbou?Vou bater em todos que te fizerem mal...sabe...eu te amo e prometo te defender de todo mal - ele falava com um brilho no olhar e pude perceber que aquela criança realmente iria cumprir com a promessa.


- Eh...obrigado, mas quem é você? - questionou minha versão criança.


- Sou o seu futuro marido! Olha...você é o meu Baek, o meu futuro marido, vamos nos casar quando estivermos mais velhos e assim poderemos ficar juntos para todo o sempre! - deu um sorriso inocente e puro.


Senti que aquilo não era apenas um sonho, talvez fosse uma memória. 


- Mas eu não conheço você! Não podemos casar! - o mini Baek afirmou.


- Claro que conhece! Estudamos na mesma sala - a outra criança falou.


- É, mas mesmo assim não podemos casar...eu não amo você! - eu já rejeitava pessoas desde criança.


- Certo...então irei fazer você me amar. Vamos ter um encontro amanhã em um parque de diversão! Primeiro vamos ser amigos e depois vamos namorar, casar e ter uma família - aquele menino me fazia lembrar de alguém.


- M-mas nem sei qual é o seu nome e...você pode ser mau...isso pode ser uma brincadeira de mal gosto...não posso confiar em qualquer um...- o gatinho falou com a voz cheia de tristeza.


- Não sou qualquer um! Já disse que te amo e que vou te proteger! Acredite em mim se eu te magoar pode me arranhar, mandar fantasmas me perseguirem, jogar uma maldição...qualquer coisa...mas deixa eu fazer parte da sua vida - o garoto parecia desesperado.


- Vou pensar...como se chama?


- Meu nome é... - senti alguém me empurrar e não consegui escutar o nome do garoto. 


- Ei! Belo adormecido, está na hora de acordar! - queria estrangular meu colega de casa.


- Por que você me acordou? - questionei irritado.


- Porque tinha um rapaz te observando - explicou 


- Só por causa disso? - perguntei tentando me segurar pra não enfiar uma tesoura na garganta dele.


- Sim - falou.


- Vou te matar! seu trouxa, eu estava quase descobrindo o nome do menino - falei e dei um tapa no braço do careca.


- Que menino? - ele parecia curioso.


- Do meu sonho...digo...lembrança - contei.


- Suas memórias já estão voltando? Fico feliz - sorriu.


- Estão, mas você estragou tudo! Filho de uma dama da noite - reclamei.


- Minha mãe não é uma flor, ela é uma vampira e eu não fiz nada - defendeu- se


- Fez sim! Me acordou! - aumentei meu tom de voz.


- Como eu ia adivinhar que você estava tendo uma lembrança? E não precisa gritar - disse.


- Eu não 'tô gritando - diminui meu tom de voz.


- Ok...gatinho nervoso - sorriu.


- Espero que a pessoa com quem você irá ter um encontro te rejeite - sorri de um jeito fofo.


- Isso é ciúmes? - perguntou sorrindo.


- Nunca irei sentir ciúmes de um vampiro idiota! - afirmei.


- Tem certeza? - questionou.


- Tenho! - falei.


- Você realmente não percebeu? - Chanyeol parecia triste - Tudo bem...um dia você percebe...só espero que não demore muito.


- Do que você 'tá falando? - questionei confuso.


- Esquece - disse com um pouco de tristeza.

 

 


������������������������������

 

 


   Eu me encontrava sentado no sofá, com um pijama de ursinho, assistindo um filme de ação e comendo pipoca. Chanyeol já estava arrumado para o encontro. O barulho da campanhia soou pela casa, o vampiro correu e abriu a porta, mas não era a tal Yang, era o Kai e um garoto que parecia uma coruja.


- E aí? Tudo bem? - perguntou o lobo.


- Sim, tirando o fato de estar sem cabelo, estou bem - respondeu o vampiro.


- Não está na hora de buscar a sua namorada? - questionei, o vampiro olhou para o relógio, se despediu e correu. 


Jongin e o garoto entraram e se sentaram no sofá.


- Querem pipoca? - ofereci.


- Aceito - o desconhecido pegou um pouco - Ah! Quase esqueci, sou o Do Kyungsoo, companheiro de casa do Jongin.


- É um prazer te conhecer, aposto que seremos bons amigos - sorri e Kyungsoo retribuiu o sorriso.


- Vamos ser melhores amigos, aliás, amei o que você fez com o Jongin, sua habilidade é maravilhosa - riu.


- Tenho medo dessa amizade... - Kai sussurrou.


- O que disse? - Kyung perguntou calmamente.


- N-nada...vou na cozinha - saiu correndo.


Fiquei conversando com o Kyungsoo e Kai por um tempo. A porta foi aberta, Chanyeol entrou, veio em minha direção e ficou de frente para mim.


- Como foi o encontro? Terminou cedo...aconteceu algo? - indaguei.


- Não teve encontro, a Yang me rejeitou - contou.


- Sério? - perguntou Kai surpreso.


- Sério, e a culpa é do Baek por ter tirado o meu cabelo...então pra compensar o que fez ele fez, o gato revoltado terá que sair comigo - falou.


- Eu não vou sair com você! - afirmei - A culpa não é minha se a sua namoradinha não gosta de homens carecas.


- Vai sim! É o mínimo que você pode fazer e eu não vou parar de te atormentar até o "senhor gosto de deixar os outros carecas" sair comigo - falou. 


Enquanto o vampiro e eu discutíamos, Kai e Kyung só observavam e comiam pipoca.


- Já chega! Eu saio com você! Pronto? - cheguei ao limite.


- Então vamos! - segurou minha mão, mas soltei-me.


- Espera, tenho que trocar de roupa - fui para o meu quarto "super empolgado" pra ter um "encontro" com o vampiro chantagista e irritante.

 

 


������������������������������

 

 


- Pronto, vamos sair logo e acabar com isso rápido - segurei o braço do vampiro - Até mais Kaisoo.


- Kaisoo? - perguntou Kai.


- É a junção dos nossos nomes - explicou Kyungsoo.


- Ah! Entendi - o lobo sorriu.


- Bem...vocês vão ficar aqui mesmo? Não vão pra casa de vocês? - Chanyeol indagou.


- Vamos ficar aqui até o filme acabar - respondeu Soo.


- Ok... - o vampiro disse e saímos para nosso primeiro encontro.




Notas Finais


Σ(・∀・;),


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...